OUTROS OLHARES

MIOMAS NA GRAVIDEZ EXPÕEM DESIGUALDADE RACIAL

Mulheres negras têm duas a três vezes mais risco de serem diagnosticadas com o problema, que pode causar dor durante a gestação e nem sempre recebe a atenção necessária durante o acompanhamento obstétrico

Aos cinco meses de gravidez do meu segundo filho, agarrei minha barriga com cólicas, tentando em vão me apoiar em uma posição confortável no carro. Meu marido estava ao volante, acelerando em direção ao hospital mais próximo, enquanto também cronometrava minhas contrações. Para nos distrair do pânico crescente, conversamos como se fosse uma viagem normal, mas pedi as ele para parar de me fazer rir – doía muito.

Inicialmente perplexos, os médicos do pronto-socorro me prepararam para um parto potencialmente prematuro, uma possibilidade que nunca foi totalmente considerada.

No entanto, depois de três dias de ultrassom e testes, eles descartaram o parto prematuro e estabeleceram um diagnóstico que explicaria meu abdômen latejante e as contrações iniciais: um mioma que havia crescido tanto que morreu de fome e, naquele momento, estava morrendo.

Um mioma em degeneração, como é chamado, ocorre quando um mioma uterino – tumor benigno que se desenvolve a partir do tecido muscular do útero – aumenta seu suprimento de sangue. A irritação e a inflamação ao redor da área da morte celular podem fazer com que as paredes uterinas se contraiam, me explicaram depois. Meu mioma degenerado estava provocando contrações regulares e uma dor aguda do lado esquerdo.

Fui liberada para casa com a recomendação de tomar um analgésico, se necessário, e com a garantia de que a dor diminuiria. Meus médicos disseram que eu deveria ter uma gravidez normal. Infelizmente, não foi isso o que aconteceu.

COLAPSO DO MIOMA

Mulheres negras como eu têm duas a três vezes mais chances de serem diagnosticadas com miomas do que mulheres brancas, embora ninguém saiba ao certo por que tive miomas durante minha primeira gravidez, mas eles não causaram nenhum sintoma. Eu até descreveria a gravidez como fácil.

Mas quando três deles apareceram em um ultrassom precoce na segunda gestação, a médica me disse que ela os monitoraria, apesar de que não deveriam causar problemas. Embora um dos meus miomas fosse considerado grande, seu tamanho não é necessariamente um indicador de complicações futuras. E, para muitas mulheres, os miomas não causam nenhum sintoma. Não foi o caso dos meus.

Quando um mioma saudável não está recebendo fluxo sanguíneo suficiente, ele “para de crescer e encolhe”, o que pode se tornar muito dolorido, disse Hilda Hutcherson, professora de obstetrícia e ginecologia do Centro Médico Irving, da Universidade Columbia. Isso pode acontecer quando a paciente não está grávida, acrescentou ela, mas o aumento dos hormônios da gravidez pode desencadear o colapso de um mioma.

Quando voltei para casa do hospital, a dor intensa diminuiu, mas nunca totalmente. Os analgésicos não surtiram efeito. Se eu caminhasse mais, sentiria mais dor. E, à medida que o bebê crescia, também aumentava a pressão nos meus outros dois miomas. Repouso na cama passou a fazer parte da minha rotina diária.

CADÊ A GRAVIDEZ NORMAL?

Como me disseram que eu não sentiria mais dor, perguntei várias vezes à minha obstetra o que poderia estar causando aquilo. Suas respostas prontas me ofereceram pouco conforto: miomas geralmente não doem, ela dizia, e o que eu sentia era provavelmente o desconforto da gravidez.

Comecei a me sentir uma paciente incômoda, desesperada para que minha dor fosse levada a sério. Eu já tinha estado grávida antes, aquilo parecia diferente. Se os miomas não eram os responsáveis, como minha médica sugeriu, eu precisava descobrir o que era.

Vasculhei a web em busca de repostas, lutando para encontrar descrições que correspondessem à minha experiência.

Um mês depois da minha ida ao pronto-socorro e um dia depois que minha obstetra me disse novamente para “experimentar Tylenol eu estava de volta ao hospital com uma dor debilitante – um mioma diferente era o culpado, mas a sensação era escaldante.

Comecei a questionar se minha obstetra, até então muito prestativa, tinha experiência suficiente com  uma condição  que pode ser menos comum em seu grupo de pacientes. Decidi por conta própria mudar meus cuidados.

Uma familiar que por acaso é especialista em obstetrícia de alto risco sugeriu que eu procurasse um médico como ela, que poderia ter mais experiência no tratamento de pacientes com complicações na gravidez.

O especialista explicou o que estava acontecendo dentro do meu útero e descreveu o desconforto que pode acompanhar os miomas durante a gravidez. Ele disse que provavelmente eu sentiria dores por causa dos miomas, degenerando ou não, até dar à luz.

Senti um peso ser retirado dos meus ombro! enquanto ele falava. Embora me dissessem que mais dor viria, alguém finalmente validou minha experiência. A desconexão entre minha dor e o que me diziam estava afetando minha saúde mental.

Entrei em contato com Hutcherson, que disse que eu tinha feito a coisa certa conduzindo minha própria pesquisa e pressionando por um melhor atendimento.

“Uma gravidez, normal por si só é estressante. E as mulheres negras nem sempre são ouvidas. Quem está cuidando de você, deve respeitar sua experiência e se certificar de que você tenha um bebê saudável”, disse ela.

Agora que eu tinha a confirmação de que meus miomas estavam, de fato, causando a dor, eu não estava tão preocupada com um eventual problema não diagnosticado.

É improvável que miomas causem perda de gravidez, disse Hutcherson, e, no meu caso, o bebê ainda estava saudável e crescendo. Eu tinha a indicação de um remédio para lidar melhor com minha dor em casa e, com sorte, evitar uma terceira ida ao hospital.

Meus médicos disseram que, após o nascimento, meus miomas provavelmente encolheriam. E, para a maioria das mulheres no pós-parto, a dor desaparece. Permaneci cética, mas torcendo para que eles estivessem certos.

Poucos meses depois, meu bebê saudável chegou, embora não sem outra complicação. Após o nascimento, o útero normalmente se contrai para ajudar a desalojar a placenta. Os miomas podem interferir nesse processo, deixando o útero incapaz de expelir a placenta. Quando dei à luz, minha placenta travou e teve que ser removida manualmente, condição que pode colocar novas mães sob risco de perder sangue e até a vida.

Publicidade

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Blog O Cristão Pentecostal

"Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertam-se! Convertam-se dos seus maus caminhos!" Ezequiel 33:11b

Agayana

Tek ve Yek

Envision Eden

When We Improve Ourselves, We Improve The World

4000 Wu Otto

Drink the fuel!

Ms. C. Loves

If music be the food of love, play on✨

troca de óleo automotivo do mané

Venda e prestação de serviço automotivo

darkblack78

Siyah neden gökkuşağında olmak istesin ki gece tamamıyla ona aittken 💫

Babysitting all right

Serviço babysitting todos os dias, também serviços com outras componentes educacionais complementares em diversas disciplinas.

M.A aka Hellion's BookNook

Interviews, reviews, marketing for writers and artists across the globe

Gaveta de notas

Guardando idéias, pensamentos e opiniões...

Isabela Lima Escreve.

Reflexões sobre psicoterapia e sobre a vida!

Roopkathaa

high on stories

La otra luna de Picasso

El arte es la esencia de la espiritualidad humana.

%d blogueiros gostam disto: