EU ACHO …

O DIA FATAL

Sempre que chega o fim do ano, um calafrio me percorre. “Passei por ele de novo”, penso. Atravessei todos os 12 meses e cada um de seus dias, e um deles era ele, que, discreto, não se fez notar. Percorri o dia da minha futura morte em plena vigência da vida. É sobre a vida que pretendo falar, confie em mim.

Ele existe: o dia fatal. Porém, anônimo. Pode ser o 13 de abril, o 21 de junho, o 8 de novembro ou qualquer outro dia do calendário 2022 que se descortina. Olho para todos os próximos 365 dias e levo fé de que passarei por ele, mais uma vez, sã e salva, sem desconfiar o ano (felizmente, indeterminado) em que ele não me deixará seguir em frente, me reterá para sempre e formará, junto à data do meu nascimento, a dupla mais importante da minha biografia: o dia em que cheguei e o dia em que parti, inseparáveis na minha lápide. Que ele não tenha o mau gosto de cair no mesmo dia em que nasci, quero o privilégio de ter duas datas masters para me chorarem.

Falta de timing dessa mulher, talvez o leitor esteja pensando. Em pleno entusiasmo da virada, esse assunto? Entenda, é apenas uma homenagem à elegância da inocência. Todos os anos, passo 24 horas vivenciando um dia que terá grande destaque no meu futuro, porém acordo corno se fosse uma data qualquer. Cumprimento o sol que avisto pela janela, tomo meu suco de laranja, enrolo uma fatia de queijo numa fatia de blanquet de peru e engulo esse enroladinho em pé mesmo, enquanto aguardo meu personal para uma hora de treino de força, confiante de que isso me garantirá alguma longevidade. A inocência é muito camarada, nunca estraga nosso prazer de fazer planos.

Antes que ele seja o último, será mais um dia comum. Escreverei um texto que não mudará o mundo. talvez assista a um filme com o namorado e me preocuparei com trivialidades, sem ter alguma mínima ideia de que estou passando por um outro tipo de aniversário, aquele que jamais celebrarei.

O que isso tem a ver com a vida? Tudo. A vida só é bem aproveitada graças a essa única ignorância a festejar. Na inauguração de mais um ano, sinto como se eu tivesse a eternidade toda para amar, para viajar, para lutar por mudanças necessárias, para fazer novos amigos e com eles beber muito vinho. Para plantar uma muda de cipreste no jardim, acreditar que o verei crescer e que ainda desfrutarei de sua sombra – pouca. Cipreste não dá muita sombra, convenhamos.

Prezo a generosidade deste desconhecimento fundamental, o segredo mais bem guardado do universo, que nunca se revela a fim de que possamos percorrer sossegados a estrada adiante, do contrário, paralisaríamos. É isso, a crônica esquisita é apenas para agradecer o mistério, esse adorável condutor dos nossos sonhos.

*** MARTHA MEDEIROS

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Blog O Cristão Pentecostal

"Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertam-se! Convertam-se dos seus maus caminhos!" Ezequiel 33:11b

Agayana

Tek ve Yek

Envision Eden

All Things Are Possible Within The Light Of Love

4000 Wu Otto

Drink the fuel!

Ms. C. Loves

If music be the food of love, play on✨

troca de óleo automotivo do mané

Venda e prestação de serviço automotivo

darkblack78

Siyah neden gökkuşağında olmak istesin ki gece tamamıyla ona aittken 💫

Babysitting all right

Serviço babysitting todos os dias, também serviços com outras componentes educacionais complementares em diversas disciplinas.

M.A aka Hellion's BookNook

Interviews, reviews, marketing for writers and artists across the globe

Gaveta de notas

Guardando idéias, pensamentos e opiniões...

Isabela Lima Escreve.

Reflexões sobre psicoterapia e sobre a vida!

Roopkathaa

high on stories

La otra luna de Picasso

El arte es la esencia de la espiritualidad humana.

%d blogueiros gostam disto: