OUTROS OLHARES

A CULTURA DO DESAPEGO

O minimalismo, estilo de vida que prega ter menos bens e consumir só o essencial (inclusive na internet), faz sucesso com dupla de gurus na Netflix e a adesão de famosos

Há dez anos, Ryan Nicodemus encontrou o amigo Joshua Fields Millburn e ficou intrigado: 30 quilos mais magro e com um sorriso no rosto. Millburn parecia outra pessoa. A história dos jovens de Ohio, no Meio Oeste americano, convergia. Criados em famílias de baixa renda, por mães dependentes químicas, ambos mergulharam no mundo corporativo apostando que o acúmulo de bens seria o passaporte para uma vida melhor. O salário alto trouxe casas enormes e carros de luxo, mas também crises de ansiedade, relacionamentos frustrados e dívidas na casa dos 100.000 dólares. Quando sua mãe morreu de câncer e a então esposa pediu o divórcio, Millburn teve uma epifania: percebeu que “as coisas mais importantes da vida não são coisas”. Em questão de meses, livrou-se de mais da metade de suas posses. “Não sou alérgico a coisas ou dinheiro, mas decidi ter apenas o essencial”, disse ele. Inspirado por Millburn, Nicodemus fez seu próprio ritual de passagem em uma intervenção apelidada de “festa das caixas”. Tudo o que ele tinha em casa foi embalado. Ao longo de 21 dias, abriu só as caixas com utensílios de fato úteis. No fim do prazo, 80% delas continuavam fechadas – os itens sem função acabaram doados, vendidos ou descartados”. Eu me senti, de fato, rico”, disse, após a sessão de desapego.

Surgia assim a dupla de gurus que faz sucesso pregando um novo estilo de vida: o “minimalismo”. Os dois- hoje aos 39 anos – pediram demissão de seus empregos e fizeram fama entoando o mantra de que ter menos bens traz mais felicidade. Em 2010, criaram o blog The Minimalists – que atualmente soma 20 milhões de visitantes. Lançaram livros, podcast, canal no YouTube e viajam o mundo dando palestras. Dois documentários coroaram a jornada de popularidade: Mínimalismo, de 2015, e Minimalismo lá, lançado pela Netflix em janeiro deste ano. Os filmes apresentam desde depoimentos de quem aderiu ao movimento até vislumbres dos excessos das indústrias da moda e da tecnologia, que aceleraram os hábitos de consumo, produzindo mais e poluindo o planeta na mesma medida.

A nova cultura do desapego empresta o nome de um dos ”ismos” da arte contemporânea. Só que a corrente pós-moderna conhecida como minimalismo passa longe do evangelho da simplicidade dos gurus da Netflix: por trás de suas obras cerebrais, há uma superabundância de teorização. Faz mais sentido buscar as raízes do minimalismo comportamental em religiões orientais associadas a hábitos austeros, como o budismo e o hinduísmo. No Ocidente, a ideia já ganhava evidência nos anos 30, quando o filósofo Richard Gregg (1885-1974) criou o conceito da “simplicidade voluntária”. O americano deixou Harvard rumo à Índia para virar discípulo de Mahatma Gandhi (1869-1948) e, passou a condenar o “materialismo”.

No hiper conectado século XXI, o desapego ganhou novo fôlego e abarca uma ampla (e por vezes vaga) gama de hábitos, da compra de bens às refeições, passando pela espiritualidade. Celebridades como Keanu Reeves e Robert Pattinson seguem a vertente e doam boa parte dos milhões de dólares que embolsam. Buscas sobre o minimalismo alcançaram um pico no Google em 2019. Desde março de 2020, quando a pandemia obrigou a população a ficar em casa – e a notar a quantidade de coisas que possuía -, a média de visualizações de vídeos sobre o tema cresceu 70% no YouTube. Neles, casas pintadas de branco e com poucos móveis viram cenário para falar de meditação, decoração minimalista ou como ser um “consumista consciente”.

O que os minimalistas preconizam, no fundo, é uma nova ética do consumo, alicerçada em hábitos racionais. Um minimalista não para de fazer compras, mas o faz com menos frequência e prioriza itens de melhor qualidade. É o caso da curitibana Ana Desidério, de 33 anos, que inverteu a lógica do “tempo é dinheiro”. “Toda vez que compro algo desnecessário estou gastando meu tempo de trabalho nisso”, diz. A atriz cria o filho, Arthur, de 3 anos, à luz do conceito. “Fazemos brinquedos com material reciclável,” afirma. Tais hábitos se expandiram para a vida digital. A assistente social paulista Regina Lima, de 49 anos, “enxugou” os contatos nas redes sociais para alimentar relações mais intimas e perder menos tempo on-line. O minimalismo veio depois que ela se viu com uma dívida de 70.000 reais e precisou de um empréstimo de emergência. “Consumismo é uma doença difícil de vencer”, diz. Regina congelou o cartão de crédito – literalmente – no freezer. Hoje, só compra à vista e investe o que sobra. O mínimo pode ser o máximo.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Key of All Secret

Adding Rythms to Thoughts

Naykelly_fotografias

Incríveis fotos do céu pra vocês

sosnaoestacerto

ajuda para a violencia domestica no trabalho e no namoro

Free Tantrik Aghori baba ji in India - Vashikaran free of cost

Free aghori baba, free tantrik, love problem solution, love marriage specialist,

Ventana literaria

La poesía es la libertad del alma.

Au'Pearce

Headed in the Right Direction

Marcos Denis Botelho

Projetos | Petróleo e Gás | Vendas On-line

Lembrar para não esquecer...

São memórias escritas em forma de crônicas e contos...

Prof.crisluked

Aqui o professor encontra sugestões de leituras, estudos e materiais.

SÜDAMERIKA LINK

This site is created for the purpose of Repatriating in digital format the Brazilian collections under the guardianship of Austrian Archives, Libraries and Museums.

Yve Laran

WRITER

Oliveira

Buscar a defesa das pessoas nos momentos importunos em que o mundo se apresenta – A PAZ É O NOSSO IDEAL.

Corpo e Sujeito

Somos um espaço direcionado à pessoas que precisam de cuidado e atenção com a saúde e bem estar global. Buscamos atender, dentro do possível, as necessidades individuais e do grupo de forma variada. Em alguns casos, é preciso criar lastro. O ser humano busca um determinado objetivo, mas, nem sempre o seu corpo esta preparado para os seus sonhos. É por isso, que precisamos de orientação especializada e experiente nas mais diversas situações.

O Renovo da Águia?

Aqui voce encontrará motivos para você não querer mais desistir. Você encontrará entrará num momento onde consiguirá enxergar que há momentos na nossa vida que já não temos força de continuar e existe um processo para você renovar suas forças e como a Águia voltar dar o seu voo mais alto e mais renovado do que antes.

Olho na Carreira de Sucesso

Site destinado a ajudar pessoas na Carreira profissional. E parcerias entre empresas

Teoria da Consultoria

Aprimorando conhecimento em gestão empresarial

Si quieres conocerme, mírame a los ojos

This WordPress.com site is the bee's knees

%d blogueiros gostam disto: