EU ACHO …

OS NOVOS GURUS SENSUAIS

No Instagram, eles unem frases de autoajuda a corpos sarados

Abro meu Instagram. Vejo uma linda garota, de biquíni e traseiro em primeiro plano. É @kellybonde01, com a frase: “Eu nunca perco! Ou eu ganho ou aprendo”. Perfeita para um livro de autoajuda. Só acho difícil conectar tanta sabedoria com a foto sensual. Mas não é a única. Há uma nova geração de gurus da internet, que aliam posts sensuais com autoajuda, fé e esoterismo. É uma tendência. Ao lado de frases como “Jesus Incomoda”, @tayraravelli posta uma imagem com a língua de fora e a reflexão “once you know peace, no one can still that secret place from you” – “uma vez que você conheça a paz, ninguém poderá roubar esse lugar secreto de você” (aparentemente, roubaram o inglês, já que o correto seria “steal” e não “still”). Outra, com lábios sensuais em destaque, traz uma legenda que, lá pelas tantas, diz: “Busque e explore a imensidão que é ser VOCE“. Hashtags: # faith #love #makeup #beauty #maquiagem.

Qual a lógica? É uma salada mista que vai de fé a maquiagem num só post. Tem também @hudson_lincer sem camisa, barriguinha de tanque: “Que possamos ser sempre cheios de boas energias. O Universo agradece!”!!Ou @marcorebucci, de bíceps flexionados e shorts exibindo as pernas musculosas: “Ame, acredite, pense, grite, sonhe, conquiste, lute, batalhe, tenha força, tenha foco, tenha fé. Sorria e agradeça a Deus por mais um dia e mais uma semana que está vindo!”.

Já conheci muito candidato a guru. Tinham em comum a atitude mística, o olhar contemplativo e a vontade de se intrometer na vida alheia. Gurus gostam de dar conselhos sem que ninguém peça – com raras exceções. São capazes de dizer quem você deve namorar, quem foi em outras vidas, e com quanto deve contribuir para a construção do templo. Mas propunham meditações em grupo, reflexões sobre a existência, o estudo de mestres. Os atuais contentam-se com as frases curtas do Instagram. Não dá para falar das profundezas do universo em espaço tão curto, mas a foto sensual talvez leve a outros significados que eu, em minha caretice, ainda não consegui penetrar. A abraçada a um urso gigante, com lingerie preta e bumbum em primeiro plano, @kariinee_gomees aconselha: “Mostre sempre a criança que existe dentro de você”. Hashtags: # style #model. Em seu perfil, aconselha: “Se jogue no que te faz feliz”. Todos são profundos como um saquinho de pipocas. Outro exemplo é @thalesstunes:”Faça o que te faz bem, desde que não faça mal a ninguém”. Mas e daí? Alguns têm pouquíssimos seguidores. Já Thales Antunes, que acabo de citar, chegou aos 12.5OO e Tay, à respeitável marca de 293.000. Gurus sexy estão conquistando seu espaço e já são mais conhecidos que filósofos como Schopenhauer e mais lidos que Dostoiévski, acredito. O mundo de hoje não vê problema em misturar maquiagem, fé, lábios carnudos, oceanview, e tudo o mais que surgir pela frente. Sábios da estirpe de Nietzsche ou mesmo famosos como Maharishi, que foi guru dos Beatles, teriam muita dificuldade em adquirir barriguinha de tanque. Na real, alguém já imaginou Mãe Diná de biquíni?

*** WALCYR CARRASCO             

OUTROS OLHARES

MEU PARTIDO É VOCÊ!

A dura vida dos influenciadores digitais que disputam cargos políticos na esteira da renovação, mas têm vergonha de suas legendas

No Instagram, o ator e influenciador digital Thammy alterna registros de cenas familiares em um dúplex luxuoso na Zona Sul de São Paulo com vídeos de caminhadas pela periferia da capital paulista cumprimentando e abraçando potenciais eleitores por ruas e vielas à margem dos riscos de contaminação pelo novo coronavírus. Aos 38 anos, o filho da cantora Gretchen, musa dos anos 1980 conhecida como Rainha do Bum bum, se transforma em político em sua segunda investida nas urnas. Em 2014, ao se revelar transgênero, deparou com uma onda de ataques transfóbicos vindos de uma parcela da população que o reconhecia em razão da fama de sua mãe. As agressões exigiram de Thammy um posicionamento contundente que, com o passar dos anos, virou militância contra a discriminação de gênero e culminou em sua primeira candidatura frustrada à vereança de São Paulo, há quatro anos. Agora, com a nova polêmica envolvendo uma propaganda da empresa Natura em homenagem ao Dia dos Pais, da qual foi protagonista, o influenciador que coleciona mais de 3 milhões de seguidores resolveu tentar a sorte novamente.

Como espelho da sociedade, as redes se tornaram um palco de discussão política. Em 2018, vozes estridentes da internet invadiram as urnas e chegaram ao Congresso na esteira do discurso ultraconservador de Jair Bolsonaro, como foi o caso dos deputados Joice Hasselmann (PSL-SP) e Alexandre Frota (PSDB-SP). Hasselmann tinha um canal no YouTube com mais de 215 mil seguidores, enquanto Frota comandava uma página no Facebook, a Revoltados Online, seguida por mais de 2,5 milhões de perfis. Para além da polarização, ganharam espaço influenciadores que não usavam suas redes para falar de política, como o youtuber brasiliense Luís Miranda, de 34 anos, que se elegeu deputado federal pelo DEM vivendo nos Estados Unidos e dando dicas de como empreender em solo americano em seus canais nas redes. Miranda ficou em sexto lugar entre os mais votados pelo Distrito Federal. O que se observa agora, dois anos depois, é que as redes vêm se tornando máquinas de fazer candidatos. E que os partidos, que antes funcionavam como vitrine de candidaturas, hoje são peça acessória – quando não uma formalidade quase oculta.

No caso de Thammy, ele prefere não se rotular como direita ou esquerda e se desvincula de identificações partidárias. Contudo, escolheu um partido de direita para lhe dar guarida, o PL, antigo PR de Valdemar Costa Neto. “O PL foi uma escolha por conta do amigo que respeito muito, Celso Jatene (vereador em São Paulo). Um mentor que admiro” disse, ignorando o histórico do mandatário da legenda. Apesar de defender uma bandeira progressista de respeito aos direitos LGBT, há uma modulação de tom para não afastar eleitores conservadores.

O paradoxo partidário também está presente na candidatura do ex-policial militar e youtuber Gabriel Monteiro. Desde que anunciou sua pré-candidatura a vereador do Rio de Janeiro, em meados de agosto, até o início oficial da campanha eleitoral, no último domingo, Monteiro vem preferindo ignorar que seu partido é o PSD do ex-ministro Gilberto Kassab, investigado por recebimento de propina na Lava Jato. Com mais de 2 milhões de seguidores, tanto no Instagram quanto no YouTube, Monteiro faz campanha valendo-se da polêmica de ter acusado a cúpula da PM de corrupção ao mesmo tempo que ataca a agenda progressista. “Estou num partido hoje porque é uma exigência legal. Se eu pudesse, seria independente” afirma ele. “Acredito que partidos políticos não são necessários para uma pessoa se candidatar. Sou favorável a algumas ideias pelas quais com certeza meu partido não é tão apaixonado. Não acredito que nenhum partido hoje me representa genuinamente”, disse o candidato, que foi expulso da PM por deserção e responde administrativamente por uma série de indisciplinas na corporação.

Prometendo renovação, os influenciadores se apresentam na internet como espontâneos e independentes. Mas, na prática, precisam seguir regras mínimas de conduta partidária e aceitar dividir palanques, ainda que virtuais, com outros candidatos da mesma sigla ou coligação. Monteiro, no caso, não está imune de ter de aparecer em uma live ao lado de Gilberto Kassab. Esse novo contingente acena para a parcela mais jovem do eleitorado, que corresponde a 26% do total de eleitores do país, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o segmento de 16 a 29 anos. Trata-se da mesma parcela da população que recorre a influenciadores para se informar, consumir produtos ou hábitos de bem-estar. Um dos principais influenciadores do Brasil, Felipe Neto tem mais de 52 milhões de seguidores somados em todas as redes e tem adotado, ao longo dos anos, a defesa de ideais políticos, ainda que diga não almejar a disputa de nenhum cargo. Personalidade conhecida no mundo jovem há mais de uma década, Neto nutria milhões de seguidores que se entretinham com seus vídeos, mas não tinha nenhuma relevância no debate público. Isso mudou depois que começou a emitir posicionamentos políticos críticos ao governo de Jair Bolsonaro. Hoje, antagoniza o presidente nas redes e foi escolhido uma das 100 personalidades do ano pela revista Time.

Entre as redes preferidas dos novos candidatos, o Instagram é disparado a favorita. Não à toa, segundo dados da agência Statista divulgados em agosto deste ano, cerca de 24% dos usuários brasileiros no Instagram estão na faixa dos 18 aos 24 anos e 31,7% estão na faixa dos 25 aos 34. “Os políticos finalmente entenderam que a internet é um espaço a ser conquistado. Antes, havia a ideia de que a web era só um espaço de entretenimento ou era o lugar de uma vida apenas virtual, que não tocava muito na vida real. Como se a vida on-line não tivesse consequências. O bolsonarismo teve uma forte presença nas redes sociais em 2018 e se beneficiou”, explicou David Nemer, pesquisador na Universidade da Virgínia.

Nos Estados Unidos, a eleição da deputada americana Alexandria Ocasio­ Cortez, conhecida como AOC, foi um dos marcos mais recentes dessa transformação. A democrata foi a primeira política a se eleger com um engajamento majoritariamente virtual, focado no Instagram. Ao contrário de outros políticos que já haviam aderido às redes, como o ex-presidente americano Barack Obama e o próprio presidente Donald Trump, AOC tinha um público-alvo definido: o eleitor jovem. Além disso, sua campanha foi marcada pela mobilização juvenil e pela defesa de pautas identitárias, como o combate ao racismo, à homofobia e ao machismo. Uma tática que produziu efeitos desconfortáveis para o governo republicano, já que ela se tornou uma das vozes mais audíveis e independentes contra Donald Trump.

Em 2019, Lino Viegas, então com 19 anos, foi alvo de rumores de que teria um relacionamento com o influenciador Carlinhos Maia, que no ano anterior alcançou o segundo lugar no ranking de stories mais visualizadas do mundo, atrás somente de Kim Kardashian. À época, a conta de Viegas no Instagram, que mostrava cenas da vida de um aspirante a influenciador, foi usada para desmentir a fofoca. Hoje, seu perfil é dedicado quase que exclusivamente a outro propósito: divulgar sua candidatura de vereador em Viana, no Maranhão. Com 80 mil seguidores, Viegas exibe uma típica rotina de candidato, interagindo com a população em diferentes pontos da cidade. Lançou-se pelo PCdoB, mas escolheu não usar o vermelho da sigla em sua campanha, optando pelo verde e o azul. “Eu me identifico como um influenciador que virou político, e não o contrário”, contou o jovem, que antes da polêmica com Carlinhos Maia tinha apenas 25 mil seguidores na rede.

O bacharel em Direito Nikolas Ferreira, de 24 anos, se valeu de seu longo histórico de militância a favor da família Bolsonaro nas redes sociais para postular uma vaga na Câmara Municipal de Belo Horizonte neste ano. Lançou-se pelo PRTB, partido de Hamilton Mourão, mas diz ter planos de se filiar ao Aliança assim que o partido for aprovado e Bolsonaro embarcar nele. Com quase 200 mil seguidores no Instagram, o jovem rapidamente ganhou o apoio de bolsonaristas, tendo no filho zero três do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), um de seus maiores cabos eleitorais.

Para o pesquisador David Nemer, Jair Bolsonaro exacerbou a tendência já existente de negação das legendas, ainda que os próprios bolsonaristas não tenham conseguido escapar delas, nem criar uma nova até o momento. Embora o mundo antipartidos só exista na retórica, influenciadores continuam se valendo dessa tese para reforçar sua independência. No limite, esse movimento pode causar maior pressão em torno da liberação de candidaturas avulsas, atualmente vedadas pela Constituição Federal e pela Lei 9.504/1997, a Lei das Eleições. “Nem sempre as ideias novas que os jovens trazem se identificam com os preceitos do partido. E, de maneira geral, eles são muito mais interessados em ideias do que num ideal partidário específico”, afirmou Nemer. O candidato João Vítor Pires, que tem apenas 3.400 seguidores mas tenta se colocar como influenciador, faz eco ao coro de que os partidos são dispensáveis. “As estruturas dos partidos no Brasil são muito antigas e geralmente repelem os jovens. Então, quando você acha um partido que abriga bem, que dá uma estrutura e a garantia de que você vai ter uma legenda, isso é muito importante”, disse o jovem, que tem 22 anos e lançou-se pelo PSB, apesar de não fazer questão de citar o partido ao qual está filiado. Segundo o cientista político Felipe Nunes, da empresa de análise de dados Quaest, o estilo dessas novas candidaturas é mais uma consequência da crise que as legendas partidárias enfrentaram nos últimos ano “Os partidos brasileiros passam por um processo de degradação absurdo. A fragmentação partidária brasileira, o descrédito em relação às ideias partidárias, tudo isso é visível no sistema. É óbvio que os políticos, independentemente de serem jovens vão entender isso e fazer campanhas cada vez mais voltadas para seus valores e atributos”, pontuou. Na avaliação dele, desvincular-se dos signos partidários é uma prerrogativa do candidato, pois o sistema eleitoral brasileiro, de lista aberta para cargos do Legislativo, pressupõe o voto em pessoas, não em partidos. Mas isso esbarra e um dos grandes paradoxos do mecanismo político do país. “Ele nos força a votar n pessoas, embora o funcionamento e a dinâmica das campanhas e dos Congressos (as Câmaras, as Assembleias) se deem por meio de partidos”, concluiu. A cruzada de Bolsonaro para tentar aprovar o Aliança é um exemplo inclemente de que, ruim com partidos, pior sem eles.

ALIMENTO DIÁRIO

GOTAS DE CONSOLO PARA A ALMA

DIA 09 DE NOVEMBRO

GLORIFIQUE A DEUS NO SOFRIMENTO

Mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome (1Pedro 4.16).

A felicidade verdadeira coexiste com a dor, é temperada com as lágrimas e mantém-se de pé até na hora do luto. Por termos uma viva esperança, caminhamos neste mundo com os pés na terra e os olhos no céu. Somos felizes quando choramos pelos nossos próprios pecados e quando somos perseguidos pelos pecados dos outros. Jesus concluiu a lista das bem-aventuranças dizendo: Bem- aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus (Mateus 5.10). Sofrer por causa dos nossos próprios erros deve ser motivo de vergonha; sofrer, por causa da justiça, porém, é motivo de grande alegria. Também os profetas que viveram antes de nós suportaram toda sorte de opróbrio por causa da justiça. Jesus, de igual modo, foi perseguido por andar por toda a parte fazendo o bem. Semelhantemente, os apóstolos foram perseguidos por viverem em santidade e por pregarem a verdade. O apóstolo Paulo diz que todos aqueles que quiserem viver piedosamente serão perseguidos. Temos, contudo, a promessa de que a nossa leve e momentânea tribulação produzirá para nós eterno peso de glória, e o sofrimento do tempo presente não é se compara às glórias por vir a serem reveladas em nós. A felicidade da qual desfrutamos agora é apenas um prelúdio da nossa felicidade eterna!

GESTÃO E CARREIRA

O RETORNO

A quarentena tem sido um momento de aprendizado, mas as empresas precisam agora planejar a volta ao ambiente físico de trabalho

Há quem diga que a quarentena tem sido um bom momento para desacelerar. Mas, na visão das empresas, a palavra ”aceleração” nunca fez tanto sentido. Rapidamente, muitas organizações foram obrigadas a migrar para o trabalho remoto e a reinventar seus negócios. Home office, digitalização, gestão remota, metodologias ágeis, cuidado com a saúde mental, cultura do aprendizado contínuo e, claro, a tão importante presença da humanização – principalmente nas lideranças!

Ignorar essas tendências de mercado custou muito caro para algumas corporações. No entanto, as que passaram pelo stress test precisam se preparar para uma nova fase: a reabertura das empresas.

QUANDO VOLTAR AO ESPAÇO FÍSICO DE TRABALHO

O retorno ao ambiente de trabalho depende, em grande parte, do local em que a empresa está localizada. O presidente Jair Bolsonaro, recentemente, deixou a cargo dos governadores e prefeitos as decisões sobre assuntos ligados ao coronavírus. Assim, estado e município vão decidir o momento que consideram mais seguro para reabrir as empresas. A gestão e o RH precisam estar atentos à legislação de cada cidade.

HOME OFFICE PERMANENTE COMO OPÇÃO

Gerenciar equipes à distância foi um tabu por muito tempo. Muitas empresas acreditavam que esse formato de trabalho traria a ”perda de controle” sobre os colaboradores. Mesmo em meio à avalanche emocional que os profissionais do mercado tiveram de lidar durante o isolamento, o home office provou ser eficiente. Entre março e abril, minha organização – Grupo Cia de Talentos – realizou a pesquisa Trabalho remoto: como as mudanças relacionadas aos novos cenários aceleraram as transformações no modo de trabalho e descobriu que:

• 71% dos estagiários, 76% da média gestão, 70% dos colaboradores individuais e 86% da alta liderança disseram estar confortáveis com a mudança de ambiente de trabalho;

• 71% dos estagiários, 66% dos colaboradores individuais, 76% da média gestão e 76% da alta liderança consideram ter a estrutura e os recursos necessários para produzir de casa;

• 63% dos estagiários, 63% dos colaboradores individuais, 76% da média gestão e 71% da alta liderança afirmaram ter sua produtividade preservada no trabalho realizado remotamente.

Logo, uma das opções para as empresas é, nos setores ou cargos em que isso for possível, manter os profissionais em home office. A prática, além de trazer mais segurança aos colaboradores, também impacta na diminuição de custos das empresas.

AS MELHORES PRÁTICAS DE RETORNO AO TRABALHO

• PROFISSIONAIS DO GRUPO DE RISCO: os que pertencem a esse grupo devem ter seu retorno evitado até que o vírus esteja controlado no Brasil. É importante considerar também um mapeamento dos profissionais que não são do grupo de risco, mas que moram com familiares que sejam. Para deixá-los mais seguros, se possível, recomenda-se que a retomada ao trabalho presencial seja opcional, mantendo-os em home office.

• AS ESCOLAS NÃO TÊM PREVISÃO DE RETORNO: muitos pais e mães estão aflitos com a reabertura das empresas, já que não têm com quem deixar os filhos. É importante escutar as necessidades desse público e encontrar soluções viáveis, como o retorno parcial ou a permanência do trabalho remoto. Outra medida é criar um espaço preparado, com os devidos profissionais e segurança, para receber as crianças durante o horário de trabalho.

• PROTOCOLOS DE PREVENÇÃO AO CORONAVÍRUS: as medidas de segurança incluem higiene (lavar as mãos com frequência), material de proteção (máscaras e álcool em gel), esterilização diária das estações de trabalho e instalações físicas que permitam o distanciamento social. É indicado manter as baias de trabalho separadas, com espaçamento de, no mínimo, 2,5 metros entre elas. O distanciamento também é necessário nas áreas de convivência, como halls, salas de reunião, espaços de lazer e áreas de alimentação. Uma alternativa é criar turnos de trabalho, de forma que a equipe não tenha de dividir o ambiente da empresa ao mesmo tempo ou, pelo menos, criar diferentes horários para as equipes almoçarem.

• A TRANSPARÊNCIA É SEMPRE BEM-VINDA: defina protocolos de como a empresa e os profissionais vão proceder e comunicar os casos de suspeita ou de confirmação da covid-19 entre os colaboradores.

• TREINAMENTO ONLINE ANTES DO RETORNO: realize uma reunião coletiva para informar os procedimentos de cuidado que a empresa vai aplicar e como os profissionais devem se comportar no novo formato de trabalho.

• SAÚDE MENTAL DOS COLABORADORES – não podemos esquecer que o isolamento e a instabilidade da economia provocaram impactos profundos na saúde mental dos profissionais. Acione a equipe de RH para identificar os colaboradores que possam estar com ansiedade ou depressão e utilize os recursos disponíveis para acolher esse público, como grupos de apoio e a disponibilização de atendimentos psicoterapêuticos.

Por último, cuidado com o otimismo excessivo. A flexibilização do isolamento social não quer dizer que já vencemos a covid-19. Seja responsável e continue seguindo as medidas de segurança necessárias, ok?

Juntos podemos muito!

SOFIA ESTEVES – é fundadora do Grupo Cia de Talentos e especialista em gestão de pessoas

A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS

VAMOS FALAR SOBRE O AUTISMO? – XXII

PARA SABER MAIS

Dicas de onde encontrar outras informações relacionadas ao autismo

FILMES E DOCUMENTÁRIOS

RAIN MAN (1989)

Direção: Barry Levinson

Após a morte de seu pai, Charlie (Tom Cruise) descobre que tem um irmão autista chamado Raymond (Dustin Hoffman) que herdou uma grande fortuna. Charlie sequestra o irmão da instituição onde ele está internado para exigir metade do dinheiro, nem que para isto tenha que ir aos tribunais. Durante uma viagem cheia de imprevistos, os dois descobrirão o verdadeiro significado de serem irmãos.

MISSÃO ESPECIAL (2004)

Direção: Gregg Champion

Ao descobrir que seus dois filhos gêmeos são autistas, Corrine (Mary Louise Parker) fica inconformada, mas aceita a situação. Porém, seu marido não aceita tão bem e Corrine acabao abandonando e passa a criar seus filhos sozinha. As atitudes das crianças na escola denunciam o transtorno e eles são expulsos. Contudo, graças ao apoio e amor incondicional da mãe, conseguem superar as dificuldades.

O NOME DELA É SABINE (2009)

Direção: Sandrine Bonnaire

A obra é um documentário feito pela atriz Sandrine Bonnaire sobre a história de sua irmã autista Sabine. Por meio de imagens filmadas ao longo de 25 anos, a diretora consegue captar diversos momentos da irmã ao mesmo tempo em que conduz o telespectador a fazer uma reflexão. O documentário francês foi premiado pela crítica internacional de Cannes.

O MENINO E O CAVALO (2009)

Direção: Michel O. Scott

O casal Isaacson viaja até a Mongólia em busca de uma cura para seu filho autista, que demonstra uma relação especial com cavalos. O filme é feito de momentos instantâneos da vida real desta família que se vê lutando contra as dúvidas e comemorando as pequenas vitórias.

ADAM (2009)

Direção: Max Mayer

Adam (Hugh Dancy) é um jovem meigo e simpático, mas com dificuldades de se relacionar com as pessoas por ter Síndrome de Asperger. Ao conhecer sua nova vizinha Beth (Rose Byrne), Adam faz novas descobertas.

TEMPLE GRANDIN (2010)

Direção: Mick Jackson

O filme é baseado na história de Temple Grandin, uma autista famosa por revolucionar as práticas de tratamento de animais em fazendas e abatedouros. Fatos de sua vida desde a infância até a carreira profissional são relatados nesta obra.

O ENIGMA DO AUTISMO (2011)

Direção: Christopher R. Sumpton

Este documentário traz as descobertas recentes sobre os efeitos que bactérias intestinais podem ter no cérebro, gerando uma possível relação com o autismo.

A MOTHER’S COURAGE: TALKING BACK TO AUTISM (2009)

Direção: Friarik Pór Fridriksson

Narrado pela atriz Kate Winslet, o filme mostra a busca de Margret, uma mãe que tenta desvendar a mente de seu filho autista. Ela busca especialistas no assunto e outras famílias tocadas pelo autismo a fim de novas informações e esperança de que seu filho possa ser capaz de se expressar.

LIVROS

LONGE DA ÁRVORE

Autor: Andrew Solomon

A obra traz à tona dez “identidades horizontais”, isto é, divergentes dos padrões familiares, sociais e linguísticos predeterminados na sociedade (eles, o autismo) e como os indivíduos portadores destas identidades são tratados por familiares e pessoas próximas. Uma lição sobre aprender a amar e a respeitar as diferenças.

MUNDO SINGULAR – ENTENDA O AUTISMO

Autora: Ana Beatriz Barbosa Silva

O livro trata sobre a visão de mundo, os desafios, os tratamentos e as perspectivas de crianças com autismo. Escrito por psiquiatras e psicólogos especialistas no assunto, a obra tem uma linguagem acessível e relatos de casos reais.

SITES

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AUTISMO (ABRA)

www.autismo.org.br

A ABRA não atende pessoas com autismo, mas exerce um trabalho político de representação, em nível nacional, das associações não governamentais que as assistem e as defendem. Em seu site, é possível encontrar diversas informações sobre o transtorno.

AUTISMO E REALIDADE

www.autismoerealidade.org

Formada por pais e profissionais, a organização busca favorecer a busca e a divulgação do conhecimento sobre o autismo por meio de campanhas e estudos científicos.

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO AUTISTA (AMA)

www.ama.org.br

Fundada por pais de autistas em 1983, quando o autismo ainda era muito pouco conhecido no Brasil, a organização é hoje reconhecida como instituição de utilidade pública e luta pelo bem-estar dos autistas, ganhando diversos prêmios pelo trabalho realizado.

REVISTA

www.revistaautismo.com.br

É a primeira revista exclusivamente sobre autismo da Américo Latina e a primeira do mundo em língua portuguesa. Com um trabalho 100% voluntário, é feita por pais de autistas, além da colaboração de profissionais. Sua circulação é nacional com a periodicidade semestral. No entonto, grande parte do material está disponível no site.