A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS

DESVENDANDO A PSICOPATIA – X

PSICOPATAS NA FICÇÃO

Os personagens mais famosos em series, livros e filmes

DEXTER

Quando o assunto é psicopata, Dexter Morgan é o representante número um no mundo das séries. Protagonizando a atração que leva seu nome, o personagem é um policial durante o dia e…um assassino à noite! A obra é baseada nos livros de Jeff Lindsay e estreou em 2006, contando a história de Dexter, um assassino em série que trabalha como analista forense na polícia de Miami, nos Estados Unidos. Ainda criança, o personagem teve o perfil psicopata diagnosticado pelo pai adotivo, que ensina o garoto a seguir um código, em que ele pode saciar suas vontades sanguinárias matando apenas aqueles que merecem, que para ele são outros assassinos.

Dexter cresce escondendo seu lado sombrio durante o dia e “fazendo justiça” durante a noite. Porém, ao longo da série, o cerco vai se fechando, e fica cada vez mais difícil ocultar seus instintos, principalmente daqueles que ele ama, como sua família e sua esposa. A atuação do ator Michael C. Hall para a adaptação em série de TV foi tão boa que rendeu o prêmio de melhor ator no Globo de Ouro, em 2009.

HANNIBAL LECTER

Difícil não se deixar levar pelo poder de convencimento deste personagem tão complexo. Interpretado pelo premiado ator Anthony Hopkins, o personagem Hannibal Lecter faz parte de diversos filmes, tamanho foi o sucesso do primeiro longa, O Silêncio dos Inocentes, de 1991. Em seguida, vieram Dragão Vermelho, Hannibal e Hannibal – A Origem do Mal, todos em torno deste personagem enigmático. Dr. Lecter é um psiquiatra com tendências canibais e assassinas. Criado pelo escritor Thoma Harris, é conhecido como um dos assassinos mais frios e inteligentes da ficção. Isso porque possui uma personalidade calma, e centrada, ao mesmo tempo em que é um assassino sem piedade.

Longe da imagem de um psicopata desequilibrado, Hannibal possui um perfil meticuloso e inteligente. Mesmo após ser capturado; o assassino ajuda a polícia a perseguir outros criminosos. Porém, até que ponto se pode confiar em um psicopata? Além dos filmes, ainda há a série Hannibal, com a mesma abordagem psicopática assassina.

JOHN DOE

Poucos filmes conseguiram prender o espectador do começo ao fim como Seven Os Sete Crimes Capitais, de 1995. A trama envolve dois detetives em busca de um assassino em série que baseia seus crimes nos sete pecados capitais: gula, avareza, inveja, luxúria, ira, preguiça e orgulho. O criminoso em questão é John Doe (Kevin Spacey), que se mantém ausente fisicamente durante boa parte do filme. John extermina suas vítimas inspirado no pecado que ela mais comete, como ao obrigar um homem a comer até a morte, representando o pecado da gula. Ao ser revelado, Doe apresenta uma personalidade doentia e sádica, e não se considera um assassino ou um psicopata. Acredita estar fazendo o melhor para essas pessoas, já que elas haviam sucumbido doentiamente a algum dos pecados. O passado do personagem envolve uma infância com abusos da mãe alcoólatra e a traição de sua esposa. O acumulo de todas essas emoções junto ao transtorno de personalidade antissocial colaboraram para a transformação de John Doe emum psicopata que mata em nome de Deus.

JIGSAW

Quem assistiu a algum dos oito filmes da saga Jogos Mortais já deve ter escutado a frase “eu quero jogar um jogo”. O autor dela é John Kramer (Tobin Bell), um serial killer maníaco por jogos de tortura. O assassino sequestra pessoas que considera que não dão valor para a própria vida, e as submete a jogos psicológicos de tortura e armadilhas mortais. Kramer não se considera um psicopata, já que acredita ajudar essas pessoas, dando a elas uma segunda chance para viver. O personagem é um engenheiro civil vítima de um câncer de cólon; ao saber que seu caso não teria cura, tenta cometer suicídio jogando o próprio carro em uma ribanceira. Ao sobreviver ao acidente, vê uma segunda chance para sua vida e decide fazer o mesmo com outras pessoas, porém, de forma bem mais macabra. Kramer se apresenta como o boneco Jigsaw DJ, que tortura suas vítimas envolvendo o sacrifício de algum ente querido do prisioneiro em questão, ou algum valor moral muito importante para a vítima (como fobias ou traumas de infância). A assinatura do serial killer é o desenho de uma peça de quebra-cabeça no corpo da vítima, uma brincadeira com seu próprio nome, Jigsaw DJ, que significa “peça de quebra-cabeça” em inglês.

ANNIE WILKES

Como os traços característicos de um psicopata, Annie Wilkes apresenta mudanças abruptas de humor e ataques de fúria imprevisíveis. É personagem do romance Louca Obsessão, escrito por Stephen King foi lançado em 1987. A obra fez tanto sucesso que ganhou uma adaptação nos cinemas, com o filme Louca Obsessão, de 1990, estrelado porKathy Bates no papel de Annie Wilkes, lhe rendendo o Oscar de melhor atriz. Annie é uma ex- enfermeira que vive isolada em um sítio, até que encontra o escritor Paul Sheldon ferido após uma nevasca próximo ao local em que vive. Ao vê-lo machucado, a enfermeira o leva para sua casa, para cuidar dele até que a estrada esteja desimpedida pela nevasca. Quando o escritor retoma a consciência, Annie diz ser sua fã e apaixonada pela personagem Misery, de um dos romances de Paul, e pelo próprio escritor. Porém, Sheldon começa a achar que existe algo estranho na ex- enfermeira, pois percebe que ela não tem pressa em levá-lo ao hospital. Quando Annie descobre que Misery morre no livro, obriga o escritor a escrever uma nova obra para trazer sua personagem favorita de volta, mantendo Paul preso na cama. Annie chega ao ponto de quebrar seus tornozelos com uma marreta, para garantir que ele não fugisse.

PATRICK BATEMAN

Não poderia haver nome melhor para o filme estrelado por Christian Bale no papel de Patrick Bateman: Psicopata Americano. O longa de 2000 conta a história de Bateman, um jovem bem sucedido, bonito, narcisista, apreciador do luxo e da riqueza, que atua entre investidores e acionistas na Wall Street, em Nova York: Porém, o que o galã esconde é seu prazer em matar, sendo um verdadeiro serial killer. impulsionado pelo materialismo e pela inveja, Bateman comete crimes com justificativas banais, como assassinar um colega de trabalho apenas porque ele tem um cartão de visita de melhor qualidade que o dele.

Muitas características do transtorno de personalidade antissocial podem ser identificadas no protagonista, como seu comportamento frio e egoísta. Além disso, sofre com ataques de psicose, tornando seu comportamento ainda mais sinistra. Porém, diferentemente da maioria dos serial killers, Bateman não possui um tipo específico de vítima. Ele dá fim àqueles que entram em seu caminho e têm algo (material ou não) que ele não possui. O gatilho para seu desejo de matar é a busca incessante pela perfeição profissional e estética.

PEYTON FLANDERS

A personagem central do longa A Mão que Balança o Berço, de 1992, concentra várias características psicopatas, principalmente a vontade de conseguir o que quer. Interpretada por Rebecca De Mornay, Peyton Flanders é uma mulher traumatizada com o suicídio do esposo e a perda de seu filho. Porém, decide trabalhar justamente na casa da mulher que fez seu marido se matar para, então, buscar sua própria vingança. A moça apresenta-se como uma candidata perfeita para a vaga de babá: é educada e muito dedicada. Ela começa a se apegar à filha da patroa e quer ficar com a bebê para si. Por isso, passa a fazer de tudo para eliminar a mulher, como preparar uma armadilha na estufa. Peyton arma as maldades de forma indireta, sem levantar suspeitas, e aos poucos vai destruir não a vida de toda a família sem ser descoberta, até ficar fora de si.

NORMAN BATES

Um dos psicopatas mais conhecidos da telona arrancou muitos gritos no filme Psicose, de 1960, do conceituado diretor Alfred Hitchcock. Inspirado em Ed Gein, um dos serial killers mais famosos dos Estados Unidos, Norman Bates (Anthony Perkins) é um jovem tímido, criado por sua mãe Norma Bates, de forma muito autoritária, o que o fez ter uma personalidade inconstante e possessiva. Após a morte do pai de Norman, mãe e filho ficam ainda mais próximos, até que ela arruma um namorado, despertando um ciúme enlouquecedor no filho. Em uma espécie de complexo de Édipo; o rapaz envenena a própria mãe e o namorado. Depois disso, o personagem apresenta um transtorno psicológico em que assume a personalidade da mãe em alguns momentos. Além disso, o assassino mantém o corpo da mãe em seu quarto por anos, vivendo em um hotel da família. Quando a jovem Marion Crane se hospeda no hotel de Bates, o assassino apaixona-se pela garota ao mesmo tempo em que assume a personalidade ciumenta da mãe, assassinando a facadas a garota no chuveiro, vestido com as roupas de Norma, em uma das cenas mais clássicas do cinema. Atualmente a série de TV Bates Motel é um prólogo da trama, que retrata a vida de Norman e de sua mãe antes dos eventos do filme.

AMY DUNNE

Outra personagem que saiu dos livros direto para as telonas, Amy Dunne (Rosammund Pike) é a personagem central da obra Gone Girl de Gillian Flynn, que ganhou o título Garota Exemplar nas telonas, em 2014. Trata-se de um ótimo exemplo de psicopata, já que Amy vai até as últimas consequências para conseguir o que quer. A personagem é uma jovem linda e doce que passa a imagem de “cool girl”, ou garota legal, aparentemente sem defeitos, que se dá bem com todo mundo. Porém, por trás do rosto angelical, Amy se apresenta como uma verdadeira manipuladora e mentirosa, envolvendo a todos que cruzarem seu caminho, como seu marido. Sob a impunidade que a imagem de “mulher perfeita” a fornece, ela trama uma história visando somente seu benefício próprio, em nome do poder, do egoísmo e da absoluta falta de empatia. Um verdadeiro caso de psicopata – dissimulada e sem escrúpulos.

JOE CARROLL

Mais um representante das séries, Joe Carrol, James Purefoy) é um sedutor professor de literatura na série de TV The Following. Carismático e pai de família, ele se revela um serial killer e vai parar na cadeia após matar de forma cruel 14 alunas na universidade onde lecionava. Nove anos mais tarde, Joe, condenado à morte, escapa da cadeia e passa a reunir uma rede de discípulos, criando uma verdadeira seita de homicidas que agem segundo suas instruções. Com seus seguidores e esperteza de sobra, Joe volta a matar. O protagonista é um assassino carismático, inteligente e estrategista, que consegue atingir psicologicamente o detetive que está atrás dele. Bem psicopata, não? O espectador nunca sabe qual será seu próximo passo.

MAX CADY

Acusado por assassinatos e estupros, e por culpa de seu advogado de defesa que ocultou informações importantes do caso, Max (Robert De Niro), personagem central do filme Cabo do Medo, de 1991, passa 14 anos na cadeia. Porém, usa esse tempo para planejar sua vingança e se aprofundar no estudo de direto. Até sair da prisão, põe em prática um jogo psicológico com seu advogado, tudo dentro da lei, revelando sua natureza psicopata. Entre seus planos, Max seduz a filha do advogado e coloca em risco a vida de todos da família. A atuação de Robert De Niro valeu uma indicação ao Oscar como melhor ator

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s