GESTÃO E CARREIRA

NO MODO AVIÃO

Cinco razões pelas quais você precisa tirar férias – todas comprovadas pela ciência

As folhas do calendário deram a volta completa em sua mesa de trabalho e a lembrança mais recente que você tem das férias é aquela semana na qual esteve fora do escritório, mas não conseguiu se desligar. Essa é a realidade de muitos profissionais. Segundo pesquisa encomendada pela companhia de viagens Expedia à Northstar, empresa internacional de pesquisa e consultoria, 30% dos brasileiros checam o e-mail durante a folga e 61% já cancelaram parte das férias por causa do trabalho. Isso sugere que parcela significativa da população mantém uma rotina profissional ininterrupta ao longo do ano, o que compromete a saúde e o rendimento.

Josh Davis, autor de Two Awesome Hours (“As duas horas incríveis”, na tradução livre), compara o esforço mental que fazemos no trabalho com os exercícios físicos. Segundo ele, que é diretor do Neuro Leadership Institute, nos Estados Unidos, o cérebro assemelha-se ao músculo, ou seja, se houver sobrecarga de atividades, ele “trava”. Por isso é tão importante descansar de fato no recesso, desconectando-se de qualquer problema da empresa.

“Tirar férias é como dar um restart na máquina”, resume a neuropsicóloga Beatriz Sant’ Anna. Mas, para que a mente volte com toda a potência após o repouso, é essencial curtir o ócio de modo estimulante. Ou seja, não adianta ficar jogado no sofá assistindo a séries da Netflix. É preciso despertar o intelecto com atividades diferentes. ”As pessoas confundem estresse emocional com cansaço físico. Para curar a fadiga mental, o melhor remédio é ter momentos divertidos e que deem prazer”, diz a especialista.

Para que você desfrute o merecido descanso, sem interferências nem preocupações com o trabalho, selecionamos cinco benefícios das férias cientificamente comprovados.

1. EVITA QUE VOCÊ ADOEÇA

O nervosismo ocasionado pelo excesso de trabalho está relacionado a uma série de problemas, como enfermidades do coração, obesidade e transtornos mentais, entre eles depressão e síndrome do pânico. Quando tiramos um período de férias, uma série de eventos biológicos melhoram esse cenário. De um Lado, há o aumento dos hormônios associados à felicidade e ao bem-estar, como a endorfina, a dopamina, a ocitocina e a serotonina; do outro, a redução dos hormônios do estresse, como cortisol e adrenalina, e o equilíbrio da grelina e da Leptina, substâncias responsáveis pela saciedade e pela fome. Um estudo realizado pelo National Heart, Lung and Blood lnstitute (Instituto Nacional do Coração, Pulmão e Sangue) e pela Universidade de Boston, ambos nos Estados Unidos, descobriu que homens e mulheres que ficam um período sem tirar férias têm 30% e 50%, respectivamente, mais probabilidade de sofrer um ataque cardíaco do que quem usufrui do descanso anual. Os testes também mostraram que os que tiram férias demonstram melhora no humor e na disposição, além de uma redução nos níveis de glicose no sangue, correndo menos risco de diabetes e sobrepeso.

2. INTERROMPE O CICLO DO ESTRESSE

Longas horas no trabalho, pressão por resultado, mudanças constantes na chefia e competição acirrada são alguns dos gatilhos que desencadeiam transtornos mentais, como depressão, síndrome do pânico e burnout. De acordo com pesquisas feitas pela lnternational Stress Management Association (lsma-BR), 20% dos funcionários ativos estão trabalhando sob forte pressão emocional, o que compromete a saúde física e psíquica. O Centro de Corpo e Mente da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, conduziu um estudo com cerca de 1.400 pessoas e constatou que a busca por lazer (o que inclui sair de férias) contribui para diminuir casos de depressão. Isso acontece porque, quando estão desconectados dos problemas corporativos, os profissionais passam a ter um enfrentamento mais positivo perante a vida. Joe Robinson, famoso coach americano de equilíbrio entre vida profissional e pessoal, diz que só o descanso compulsório cura a exaustão – o último estágio do estresse, que é composto de três etapas, sendo a primeira de alerta e a segunda de resistência. “Ficar Longe do escritório interrompe a fonte do estresse, regenerando corpo e mente.”

3. CONTROLA A PRESSÃO ARTERIAL

Uma das causas da hipertensão é a estafa, que libera na corrente sanguínea hormônios como a adrenalina, que faz subir a pressão arterial. Uma pesquisa da agência britânica de viagens Kuoni, em parceria com o Nuffield Health, organização de saúde do Reino Unido, mostrou que se desligar por alguns dias já é o suficiente para melhorar a qualidade do sono, eliminar a ansiedade e, por tabela, diminuir a pressão arterial. Ao analisar dois grupos – um com pessoas que foram viajar e outro com pessoas que ficaram em sua cidade trabalhando -, os pesquisadores constataram que a pressão sanguínea dos viajantes caiu 6%, enquanto a dos que seguiram na rotina estressante aumentou 2%. Como esse tipo de reação só dura cerca de 15 dias após o passeio, a dica é manter bons hábitos durante o ano todo, segundo Bianca Vilela, consultora de saúde corporativa. “As férias são o telhado; a rotina é o alicerce”, afirma ela, que ainda faz um alerta: “Os dias de folga não são só para beber ou comer muito. Eles devem servir de pontapé inicial para estabelecer uma nova dinâmica”.

4. AUMENTA A PRODUTIVIDADE

Em 2017, a SimpliFlying, empresa global de estratégia na área de aviação, estipulou a regra de que os funcionários deveriam tirar sete dias de folga obrigatórios a cada sete semanas. Quem não cumprisse o combinado, entrando em contato com o escritório durante o período por e-mail, WhatsApp, Slack ou outro meio de comunicação, seria punido e não receberia salário naquela semana. Três meses após o teste, os níveis de criatividade aumentaram 33%, os de felicidade 25% e os de produtividade 13%. Muitas pessoas relataram, por exemplo, ter encontrado tempo para tirar do papel desejos antigos, como a ida a uma exposição de arte ou uma viagem a um Lugar desconhecido – atividades que estimulam o cérebro. Depois de avaliar os resultados, a empresa manteve o projeto e fez um pequeno ajuste: calibrou a frequência das miniférias, que agora acontecem a cada oito semanas.

5. ESTIMULA A SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

O cansaço do dia a dia atrapalha a atenção, a consolidação da memória e todo o funcionamento do pré-frontal, parte do cérebro responsável por buscar alternativas e soluções de problemas. “Durante as férias, nós temos tempo e interesse em fazer coisas novas e isso aumenta a criatividade”, diz Joe Robinson. O expert diz ainda que, com base em todos os trabalhos que já realizou, está claro que a possibilidade de descansar despreocupadamente (sabendo que o emprego e o salário estão garantidos no retorno) gera uma vivência cujo valor não se compara a bens materiais, por exemplo. “Isso porque as experiências são eventos únicos e não perdem valor como os objetos”, afirma. Em outras palavras, quando estiver num momento crítico, não é o carro novo ou o relógio caro que farão o profissional enfrentar melhor um problema. Já a boa Lembrança é uma ferramenta mental poderosíssima. Claudia Cavallini, consultora da HSM, plataforma de educação executiva, reforça que as férias proporcionam contemplação, aquele olhar ao redor sem pressa que gera insights e ideias. “Se a pessoa não tem momentos reflexivos, ela também não inova.”

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.