GESTÃO E CARREIRA

AÇÃO SOLIDÁRIA

Empresas de diversos segmentos oferecem serviços gratuitos e upgrades para minimizar efeitos de uma sociedade em quarentena pela Covid-19.

TVs por assinatura, plataformas de streaming, empresas de telefonia e instituições de ensino abriram gratuitamente parte da programação e serviços – que vão desde mais canais, a cursos on-line e disponibilidade de internet grátis – o que pode aliviar a quarentena das pessoas que estão em casa, em período de isolamento social para conter o avanço do coronavírus, com entrega de informação e entretenimento. Os benefícios são tanto para os clientes, com upgrade no pacote, quanto aos que ainda não são cadastrados. Uma jogada que faz bem para quem está confinado e para a imagem das companhias, que aproveitam para trabalhar seu branding. Professor de Canais digitais da pós-graduação da ESPM, Alexandre Bessa afirma que o momento é ideal para “oferecer experiências” a potenciais clientes. É como promover uma degustação de produtos no corredor do supermercado. Mas, na atual situação, é mais do que uma estratégia comercial. As empresas também têm interesse em resolver a necessidade do consumidor. “Serve de experimentação para as pessoas viverem de fato algo que era vontade, mas nunca se concretizou”, diz. Ofertar esses serviços para as pessoas funciona como uma atração tradicional para um funil de vendas, mas com o diferencial de que há um propósito a mais. “As empresas estão ajudando os clientes, estendendo a mão. E os clientes vão lembrar dessas marcas, que foram positivas num momento singular.”

O especialista ressalta ainda que a sociedade brasileira tem a oportunidade de “finalmente chegar ao século 21”, pois muitas pessoas têm contato com serviços, aplicativos e outras ferramentas tecnológicas que antes não faziam parte de seu cotidiano. “Por exemplo, muita gente usa o internet banking por necessidade, mas antes da pandemia era resistente e ia ao banco. É um período que incentiva a utilização de canais digitais, o que pode mudar o ciclo de consumo a partir de agora.”

Outro exemplo é o ensino a distância (EAD). A Faber-Castell liberou para uso gratuito, desde o dia 20, todos os cursos on-line de sua plataforma. “O único objetivo da companhia foi oferecer conteúdos de qualidade para crianças e adultos que estão em casa, por conta do isolamento social imposto pelo coronavírus”, informou a companhia, que até o momento teve 1 milhão de acessos aos conteúdos. A FGV também abriu o acesso a 55 cursos on-line, com certificado, nas áreas de Administração, Direito, Marketing, RH, entre outras. A Trevisan Escola de Negócios fez o mesmo com os cursos on-line gratuitos ‘Aplicação de Data Analytics’, ‘Compliance, Ética Corporativa e Prevenção a Fraudes’, ‘Contabilidade e Gestão de Custos’, o de ‘Liderança e Inovação em Economia Digital’ e ‘Gestão Orçamentária’. Os cursos têm duração de 20 a 80 horas.

PARA RELAXAR

 Entre operadores de TV por assinatura, a Oi liberou o sinal de 54 canais (satélite e IPTV), além de 66 canais no Oi TV Livre HD. A Vivo, além de upgrade na TV por assinatura, ofereceu bônus de internet para clientes ativos em planos pós-pago e controle. A Claro liberou canais na TV fechada e redes de wi-fi públicas, como em aeroportos e parques, mas com uma condição: o cliente tem de assistir a vídeos informativos do Ministério da Saúde sobre coronavírus. “Estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para apoiar a população”, informa a empresa. Os clientes de planos pós-pago da TIM também receberam bônus de dados e os pré-pago têm disponibilizados até 100MB adicionais por dia, atrelados a um vídeo educativo sobre a Covid-19. Vale ressaltar que a Claro, Oi, TIM e Vivo, com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), assinaram compromisso com medidas para manter o Brasil Conectado, mesmo com o aumento da demanda. “As prestadoras adotarão planos para garantir que os serviços operem”, diz o comunicado.

A SKY, maior operadora de TV paga via satélite do País, abriu o sinal de mais de 90 canais para seus clientes. Além da liberação da programação na TV, de forma linear, os clientes também podem assistir a alguns dos canais ao vivo pelo SKY Play, plataforma de vídeo sob demanda da empresa. Entre as plataformas de streaming, a Globoplay disponibilizou para não assinantes mais de 20 filmes da Disney, além de outros títulos infantis e séries. “O foco é principalmente o público infantil, que em várias partes do mundo foi dispensado das escolas. A plataforma também recebeu mais de 50 filmes da Imovision”, informa a empresa. A Spcine, empresa de fomento ao cinema da Prefeitura de São Paulo, liberou o acesso ao catálogo de sua plataforma de streaming, o Spcine Play, com filmes de Zé do Caixão, Hector Babenco e Tata Amaral, entre outros cineastas brasileiros.

Já o portal Vagas.com, de soluções tecnológicas de recrutamento e seleção, oferece de forma gratuita 1 mil minutos de sua ferramenta de videoentrevista para os clientes, permitindo que as companhias sigam com seus processos sem a necessidade de deslocamento dos profissionais. “Neste momento de incertezas, decidimos colaborar com empresas e profissionais por meio dos benefícios que a tecnologia oferece. Com essa medida, contribuímos para que mais pessoas evitem o contato presencial”, afirma Leonardo Vicente, da Vagas.com.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Uma consideração sobre “GESTÃO E CARREIRA”

Os comentários estão encerrados.