A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS

O GÊNERO DO JOGO

Os games são caracterizados como uma das formas contemporâneas de desdobramento da cibernética com a interação entre homem e máquina, como também entre homens através da máquina

O jogo é um fenômeno humano por excelência, é simbólico, se encontra em uma língua própria de sentidos. Segundo o autor, o jogo é visto como abertura ao mistério, ao inteligível e ininteligível, tensão permanente, luta inconstante entre o real e o imaginário. Por fim, o pesquisador relata que o jogo é muito sério para quem joga. Tal seriedade decorre do fato de que, no processo da prática do jogo, o jogador vai revelando a si próprio aspectos como medos, ousadias, incertezas, coragem e covardia. Por essas definições, com uma resposta tão plural de interpretações e sensações em relação aos jogos eletrônicos, é esperado que cada jogador apresente algumas preferências quanto ao tipo de jogo que utiliza.

Os jogos são comumente divididos em gêneros, para facilitar ao público que compra esses produtos que se familiarize com o que está sendo vendido. Assim como para filmes, há diversos gêneros para os jogos eletrônicos. Os mais comuns são ação, shooter (os famosos jogos de tiro, que podem ser do tipo FPS, ou seja, tiro em primeira pessoa), aventura, simuladores,  role-playing game (RPG, jogos nos quais o usuário utiliza um avatar num universo de múltiplas possibilidades), estratégia, corrida e esportes. Todos eles apresentam as subcategorias, que não são o escopo da matéria. Porém, torna-se importante mencionar rapidamente características de alguns desses gêneros.

AÇÃO: não é simples categorizar os jogos de ação, tendo em vista que quase todos os gêneros apresentam aspectos de movimentações frenéticas e cenas de impacto ou violência. Os jogos de ação são caracterizados, prioritariamente, por requererem do jogador elevada habilidade de reflexo devido ao número exorbitante de informações e movimentos na tela. Normalmente dão ênfase ao combate.

SHOOTER: são, a princípio, os títulos que apresentam maior quantidade de ação. Contudo, devido a sua especificidade, possuem uma categoria própria. São classificados como jogos em que a visão do jogador é a mesma do personagem controlado. O usuário observa apenas a arma que possui em suas mãos e o ambiente ao seu redor, junto aos inimigos com os quais irá se defrontar, simulando-se o mais fielmente possível a visão que o jogador teria caso estivesse naquele cenário.

ROLE-PLAYING GAME (RPG): jogo em que envolvem, em sua maioria, histórias nas quais o personagem tem opções do que deve fazer, moldando, assim, o funcionamento de acordo com seus interesses. Em alguns casos, há a possibilidade de finais diferentes. É possível tornar o personagem mais forte e habilidoso à medida que vai vencendo batalhas, diferentemente de diversos outros gêneros, que possuem uma forma linear neste sentido, poia não permitem sua evolução.

Com múltiplos gêneros de jogos eletrônicos e diversas probabilidades de escolha, será que alguns predispõem o usuário a maiores problemas psicológicos do que outros? Na minha prática clínica, o gênero mais mencionado é o “arena de batalha multijogador on-line,” (MOBA). Porém, os jogos de MMORPG (jogos de RPG que apresentam servidores com um número elevado de jogadores) e FPS são constantemente mencionados pelos pacientes.

Na et ai. (2017) realizaram um estudo com 2.923 participantes que comumente utilizavam jogos eletrônicos. Dos diversos gêneros associados ao uso patológico de games, aqueles relacionados ao MMORPG e FPS estavam vinculados com maior frequência ao transtorno do logo pela internet.

Park, Han, Kim, Cheong e Lee (2016) construíram estudo semelhante analisando 212 pacientes com uso problemático de jogos eletrônicos on-line. Os jogadores foram divididos em quatro grupos: a) MMORPG; b) Estratégia em tempo real (RTS), c) FPS; e d) outros. Os sintomas foram analisados por oito escalas e dois testes relacionados a autoestima, impulsividade, comorbidades, status de interação social e função cognitiva. Os resultados demonstraram que o nível de ansiedade social era mais elevado no grupo de jogadores de MMORPG, porém os outros fatores não mostraram relação de maior predomínio com outros gêneros de jogos eletrônicos.

Ao longo de anos pesquisando a temática, os jogos considerados como potencialmente aditivos para aqueles vulneráveis cognitivamente são aqueles que necessitam da internet para seu funcionamento. Tais jogadores comumente apresentam sintomatologia condizente com outros transtornos psiquiátricos, como transtorno de ansiedade social e transtorno depressivo maior. Apesar de não ser obrigatória a existência de comorbidades, o jogador busca refúgio (escapismo) e interação social no mundo virtual, por ser menos desafiador nas habilidades sociais (não há interação face a face) e por se sentirem mais bem-aceitos nesse ambiente.

IGOR LINS LEMOS – é doutor em Neuropsiquiatria e Ciências do Comportamento pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e especialista em Terapia Comportamental Avançada pela Universidade de Pernambuco (UPE). É psicoterapeuta cognitivo-comportamental, palestrante e pesquisador das dependências tecnológicas. E-mail igorlemos87@hotmail.com

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Uma consideração sobre “A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS”

Os comentários estão encerrados.