A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS

RAZÃO E EMOÇÃO

A raiva e o medo são mecanismos de defesa que a partir do momento em que são racionalizados podem se transformar em ódio ou amor conscientes

Razão, do latim rationem, é a faculdade de jugar, raciocinar, compreender e ponderar. Já a emoção, que vem do latim movere, é uma experiência subjetiva.

O sistema límbico comanda os sistemas endócrinos e os sistemas responsáveis pela vida vegetativa, sendo também responsável pelas emoções. As emoções, quando não racionalizadas, sobrecarregam os órgãos e descontrolam a  produção hormonal, deixando o corpo enfraquecido imunologicamente e suscetível a doenças psicossomáticas.

O sistema límbico é a estrutura do cérebro relacionada às emoções e às recompensas, que recebe informações pelas vias sensoriais, mas não distingue se os estímulos recebidos são bons ou ruins Em aproximadamente 4 segundos, uma mensagem é disparada ao sistema límbico, e este por impulsos nervosos, leva as informações ao córtex pré-frontal pelas vias aferentes, que associam, interpretam as experiências emocionais, decodificando-as em expressões de sentimentos.

Os conhecimentos críticos ou renovadores, adquiridos pelas experiências vividas ao longo da vida, ficam armazenados no hipocampo, uma estrutura do sistema límbico responsável pela memória de longa duração. Quando pensamos e agimos racionalmente, adquirimos vivências para enfrentar novos desafios e dificuldades. Assim, podemos afirmar que a razão deve agir diretamente na emoção.

Sabemos também que biologicamente os sistemas cerebrais tanto da emoção quanto da razão estão intrinsecamente interligados. E que por mais que uma pessoa pense que sua mente está sendo treinada para a racionalidade, esta jamais deixará de ser influenciada pela emoção. Sendo assim, podemos afirmar que existe um elo anatômico e funcional entre corpo, razão e emoção.

De acordo com Damásio, o erro de Descartes foi separar a emoção da razão. Esse conceito foi cristalizado na cultura humana e durante muito tempo formamos em todas as esferas sociais e profissionais conceitos errados. Descartes acreditava que o corpo era separado da mente. A mente só  precisava do corpo para poder funcionar, fora disso não havia nenhuma conexão entre eles. Mas Damásio acredita justamente no contrário, que corpo e mente estão intimamente conectados: a mente comanda o corpo inteiro, mas são as sensações que o corpo manda para a mente que induzem a mente a funcionar daquela maneira, contrapondo o dualismo cartesiano no  qual a alma (razão pura) é independente do corpo e das emoções.

No processo de aprendizagem, a emoção ativa a atenção, que provoca a produção de sinapses químicas, responsáveis por desencadear a memória de curto prazo e longo prazo. Para se ter aprendizagem é preciso que ocorra a motivação emocional. Aprendemos quando nos envolvemos ativamente no processo de produção do conhecimento, por meio da mobilização de atividades mentais e na interação com o outro.

MATA RELVAS – é membro da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento.  Docente da AVM EDUCACIONAL/UCAM e da Universidade Estácio de Sá. Docente e colaboradora da UFRJ/pub. Docente convidada do Instituto de Neurociências Aplicadas (INA). Livros publicados pela Qak e Editora Qualconsoante de Portugal

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Uma consideração sobre “A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS”

Os comentários estão encerrados.