POST Nº 3.000

O PODER DOS ALIMENTOS

Entenda como uma alimentação equilibrada é uma importante aliada para o equilíbrio emocional

Está cada vez mais comprovado que os alimentos que consumimos causam algum impacto em nosso organismo – e isso vale tanto para os efeitos positivos quanto para os negativos. E, como sabemos, uma alimentação equilibrada é importante em diversos aspectos de nosso bem-estar, principalmente para nossa saúde mental.

DO PRATO PARA O CORPO

”A alimentação para situações de transtorno psicológico tem uma grande importância, contribuindo com muitos benefícios para o organismo, pois o nutre com vitaminas, sais minerais e demais nutrientes que estão faltando para seu equilíbrio. Por isso, que tudo que você come se aplica também ao seu bom humor”, explica a nutricionista Andrea Marim.

E, assim como nos casos de dietas para emagrecimento, não existe segredo: uma alimentação balanceada pode fazer a diferença também para o seu humor. “Sabemos que dietas restritivas levam alterações de humor, como irritabilidade, alterações de humor e fadiga. Por outro lado, dietas equilibradas com aporte adequados de macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídios) e micronutrientes (vitaminas e minerais) auxiliam na formação de hormônios e neurotransmissores capazes de regular a atividade cerebral”, salienta a nutricionista Patrícia Cruz.

COLOQUE NO PRATO

Apresentamos algumas sugestões de alimentos ricos em substâncias e nutrientes essenciais para a saúde mental

Foto de página inteira

É BOM EVITAR!

• AÇÚCAR: de vez em quando, um doce melhora o ânimo de qualquer pessoa. O problema é quando a pessoa consome um alimento cheio de açúcar. Nesse caso, a glicose é liberada rapidamente na corrente sanguínea e absorvida pelas células do corpo para satisfazer suas necessidades energéticas. Isso ativa o pâncreas, que tende a liberar uma grande quantidade de insulina a fim de auxiliar na absorção desse açúcar. Dessa maneira, o nível de glicose no sangue sofre uma variação muito abrupta, que pode interferir no humor: inicialmente, a pessoa se sente eufórica com a ingestão de açúcar, mas pode sofrer uma rápida redução dos níveis no sangue, que leva à tontura e à dor de cabeça. Nesses casos, o indivíduo sente-se agitado e confuso porque o cérebro é privado do seu combustível maior.

• DIETAS MUITO RESTRITIVAS: “dietas ricas em gorduras e proteínas que isentam os carboidratos podem acentuar quadros de irritabilidade ou agressividade, por exemplo”, reforça Patrícia. Então, antes de partir para um cardápio diferente, consulte um especialista para saber se isso não vai afetar seu organismo de maneira negativa.

• ÁLCOOL: o álcool presente em várias bebidas é rapidamente absorvido pelo organismo, em um processo parecido com o açúcar. E, da mesma maneira, aumenta os sintomas de hipoglicemia após o consumo.

• CAFEÍNA: o consumo excessivo de bebidas à base de cafeína, como refrigerantes de cola, alguns tipos de chá e café, podem causar malefícios para o humor. “Um experimento concluiu que 480 gramas de cafeína, o equivalente a cinco xícaras de café expresso, em apenas 15 minutos foi o suficiente para desencadear crises em pacientes com pânico ou depressão associada ao pânico”, explica Andrea Marim. Isso porque a substância provoca uma descarga de hormônios do estresse, além de intensificar os sintomas de nervosismo e agitação.

SEM FOME, SEM ESTRESSE

A nutricionista Andrea Marim dá uma dica valiosa: não ficar de barriga vazia. “Ficar muito tempo sem comer reduz os níveis de glicose, o que pode afetar negativamente o humor. Assim, o correto é alimentar-se sempre, de três em três horas”.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Uma consideração sobre “POST Nº 3.000”

Os comentários estão encerrados.