ALIMENTO DIÁRIO

QUANDO O CÉU INVADE A TERRA

CAPÍTULO 4 – A FÉ ANCORADA NO INVISÍVEL – PARTE II

A FONTE DA FÉ

A fé vem por se ouvir…” Não está escrito que ela vem por se ter ouvido, no passado. É o coração atento, no tempo presente, que está pronto para ser o depósito celestial da fé.

Abraão ouviu Deus dizer-lhe que sacrificasse o seu filho Isaque. Quando ele pegou o cutelo para matar seu filho, o SENHOR falou novamente. Desta vez Deus disse a Abraão que a prova tinha chegado ao fim, e que ele tinha sido aprovado. Não era mais para sacrificar o filho. Tivesse ele apenas feito o que Deus tinha dito, ele o teria sacrificado. Ouvir no tempo presente é a chave para a fé.

O apóstolo Paulo foi impelido pela ordem dada pelo Senhor: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.” “Entretanto, quando ele estava prestes a pregar o evangelho na Ásia, Deus disse não. O que Deus tinha dito parecia estar em conflito com o que Deus estava dizendo.” Paulo então preparou-se para ir para a Bitínia. De novo, Deus disse não. Logo em seguida Paulo teve um sonho em que um homem o chamava da Macedônia. Ele entendeu como sendo a vontade de Deus, e para lá eles foram.

Embora possamos saber, pelas Escrituras, qual é a vontade de Deus, ainda precisamos do Espírito Santo para nos ajudar na interpretação, na aplicação, e no recebimento do poder para executar a Sua vontade.

O MEDO

O mandamento bíblico que é repetido mais vezes é: “Não temais”. Por quê? Porque o medo ataca a base do nosso relacionamento com Deus, a nossa fé. Medo é ter fé no diabo; é também descrença. Jesus sempre perguntava a seus discípulos, quando eles estavam com medo: “Porque vocês estão com tanto medo, homens de pequena fé?” – porque o medo é o mesmo que a falta de fé. Medo e fé não podem ocorrer ao mesmo tempo: o medo opera contra a fé, e vice-versa.

O diabo é também chamado de belzebu, que significa senhor das moscas. Ele e suas hostes são atraídos para o que está em decomposição. Há algum tempo tínhamos um freezer num prédio conjugado à nossa casa. Num domingo pela manhã, ao chegarmos em casa voltando da igreja, fomos atingidos por um forte cheiro que, infelizmente, é difícil de esquecer. Percebi num instante o que havia ocorrido. O nosso freezer tinha parado de funcionar. Eu pensava que o cheiro desagradável que já vínhamos sentindo por alguns dias era porque meus filhos tinham esquecido de levar todo o lixo para a lixeira. Mas era a carne, dentro do freezer, que não parava de apodrecer.

Do banco da frente de meu carro olhei para a janela daquele local, que ficava a uns 2 metros de distância. Ela estava preta, repleta de tantas moscas… a quantidade era tão grande que não dá nem para imaginar quantas eram, depois de todos esses anos que já se passaram. Lá dentro as moscas haviam encontrado um campo adequado para se reproduzirem num número incalculável. Não teve jeito: tive que pedir para os lixeiros levarem o freezer, com todo o seu conteúdo.

Amargura, ciúmes, inveja e ódio são situações que apodrecem o coração e atraem o diabo para vir e atuar. Sim, isso acontece até mesmo com cristãos. Lembre-se da advertência que Paulo deu à igreja em Éfeso: “Nem deis lugar ao diabo.” O medo é também uma podridão no coração. O medo atrai os demônios, da mesma forma que a amargura e o ódio. Como aquelas moscas sabiam onde o meu freezer estava? Foi pelo cheiro horrível daquela carne apodrecida. O medo gera um” cheiro” semelhante. Como acontece com a fé, o medo é algo atuante na esfera espiritual. Satanás não tem poder algum, exceto quando nós entramos em acordo com ele. O medo constitui uma resposta do nosso coração quando concordamos com as intimidadoras sugestões dele.

REAGIR OU RESPONDER

Por incrível que pareça, por temerem os excessos que outros cometeram em nome da fé, muitas pessoas ficaram com a incredulidade.

A reação a um erro geralmente produz um outro erro. Responder à verdade sempre prevalece sobre aqueles que reagem ao erro. Há pessoas cujo conjunto de crenças é montado exclusivamente em decorrência dos erros dos outros. Seus pensamentos é ensinos são as antíteses das crenças e pensamentos de outras pessoas. Assim, aqueles que se esforçam por alcançar estabilidade tomam-se fracos. A palavra estabilidade passou a ter O sentido de estar no centro do curso desta vida – onde não há ameaça alguma das pessoas ou do diabo, com um risco bem pequeno e, além disso, é o melhor modo de se manter a imagem intacta.

A Igreja adverte seus membros com respeito ao grande pecado da arrogância. Deus nos adverte quanto ao pecado da incredulidade. Foi isso que Jesus disse? “Quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, quem seja exorbitante e arrogante?” Não, Sua preocupação era se Ele iria encontrar fé na terra, e fé como Ele demonstrava ter. Se por um lado nós muitas vezes nos juntamos com as pessoas que pensam tal como nós, por outro, os que têm fé, ao passarem por nós, deixam resplandecer um caminho que ameaça toda a nossa zona de segurança. A fé ofende os que estão parados.

É difícil conviver com pessoas que têm uma fé grande. Sua maneira de pensar é “do outro mundo”. Meu pai, que era pastor, ficou sob o ministério de vários grandes homens e mulheres de Deus, lá pelo início do século vinte. Ele costumava dizer-me que nem todos gostavam de Smith Wigglesworth, cuja fé deixava as outras pessoas sentirem-se desconfortáveis. Só há duas alternativas: ou nos tornamos iguais às pessoas de fé ou nos afastamos delas. Para nós, o estilo de vida de tais pessoas ou é contagioso ou nos ofende, de algum modo. E não existe um meio-termo nessa situação. Smith é muito amado, hoje em dia, mas isso ocorre apenas porque ele já faleceu. Israel também amava seus profetas, depois de mortos.

A incredulidade tem algo surpreendente em si. Ela consegue atingir seus próprios propósitos, e não corre perigo algum, pois não assume riscos e quase sempre alcança o que pretende. Então, quando alguém recebe a resposta da sua incredulidade, o que diz é: “Eu não lhe disse?”

UMA REALIDADE SUPERIOR

Minha fé não é apenas uma fé permanente, em todo o tempo; ela é também atuante. É agressiva por natureza. É bem definida e tem um propósito. A fé apropria-se da realidade do Reino e, com força e violência, o faz entrar em choque com a esfera natural. Um reino inferior não tem como prevalecer.

Uma das coisas mais frequentes que as pessoas me dizem quando vou orar pela sua cura é: “Sei que Deus pode operar.” O diabo também sabe disso. Na melhor das hipóteses, essa é uma postura de quem tem esperança, mas não fé. A fé sabe que ele vai operar, pois, para quem tem fé, não há nada impossível. Não há impossibilidades quando há fé. E isso não tem exceções.

Sheri, por exemplo, veio à frente para receber uma oração no final de uma maravilhosa reunião, nas cercanias de Nashville, Tennessee. Ela tinha tido lupus durante 24 anos, sendo que nos últimos quatro anos ficou com uma hipertensão pulmonar. A coisa ficou em tal estado que ela acabou tendo que colocar um desvio de alumínio no seu coração. E uma bomba teve que ser colocada também, a qual lhe fornecia a medicação necessária para mantê-la viva. O médico lhe disse que, sem essa medicação, ela poderia viver apenas três minutos.

Quando ela subiu na plataforma, indo em minha direção, de fato senti que alguma coisa estava presente. Antes eu nunca tinha tido esse sentimento com tamanha intensidade. Era a fé. Na verdade eu me contive e fiquei observando-a por alguns momentos, percebendo que estava diante de algo totalmente novo para mim. Assim que orei por ela, ela caiu no chão sob o poder de Deus. Ao levantar-se, perguntei a ela como se sentia. Ela mencionou então que havia um forte calor em seu peito. (O calor muitas vezes aparece quando Deus faz um toque de cura.) Quando ela foi saindo, eu lhe disse: “Foi isso que a sua fé conseguiu!”

Isso aconteceu num sábado, à noite. Às 7 horas da manhã do dia seguinte o Senhor falou com ela, dizendo que ela não necessitava mais da medicação. Assim, ela interrompeu a medicação. Ela apareceu 14 horas depois, e deu testemunho do maravilhoso poder de cura de Deus.

Aquela peça de alumínio foi então retirada do seu corpo. Era algo de que ela não mais necessitava!

OUVIDOS PARA OUVIR

“De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.”  Observe que não está escrito que ela vem por se ter ouvido, no passado. A natureza intrínseca da fé implica num relacionamento com Deus, no tempo presente. A ênfase é em se ouvir – agora! Em Génesis Deus disse a Abraão que sacrificasse Isaque. Quando Abraão levantou o cutelo para matar seu filho, Deus falou novamente. Desta vez Ele lhe disse para não matar o filho, uma vez que Abraão havia passado pela prova de se dispor a fazer tudo por Deus. Foi muito bom o fato de Abraão relacionar-se sempre com Deus em cada momento presente de sua vida; ele não ficava apenas com o que Deus tinha dito, mas ele agia com base no que Deus estava dizendo!

RESPOSTAS PARA AS COISAS IMPOSSÍVEIS DA VIDA

O que este mundo precisa é que a Igreja volte a mostrar e a proclamar a mensagem do reino de Deus. As pessoas precisam de uma âncora que é maior do que qualquer coisa que tenham visto. O sistema deste mundo não tem respostas para os crescentes problemas da humanidade – cada solução é apenas temporária.

Dale veio até o meu gabinete para confessar pecados. Ele vivia a uma certa distância da minha cidade, mas pelo fato de ter ele nos enganado numa questão financeira, ele sentiu a necessidade de vir confessar pessoalmente. Depois de lhe ter liberado o meu perdão, e também o perdão de Deus, perguntei-lhe o que havia de errado com as suas costas. Ele tinha entrado em meu gabinete com dificuldade, e estava visivelmente com uma forte dor. Ele levantou então a camisa, mostrando­ me duas cicatrizes que iam de cima para baixo, uma de cada lado da espinha dorsal. Ele tinha quebrado os ossos das costas alguns anos atrás e, havia pouco tempo, sofrera um acidente de carro que agravou ainda mais o seu problema. Então ele me disse que o Senhor provavelmente teria prazer em curá-lo, mas que aquilo simplesmente foi da vontade de Deus. Disse-lhe então que ele não era assim tão importante. Tudo o que eu podia assinalar era a grandeza de Deus e a insignificante condição humana. Ele olhou para mim com um olhar espantado em seu rosto. Continuei então explicando-lhe que Deus era realmente grande, e que poderia fazer tudo o que quisesse. Embora Dale não tenha chegado a uma fé grande, de fato ele começou a duvidar da sua dúvida. Isso foi tudo o que era necessário. Impus então minhas mãos sobre as suas costas e convidei o Espírito Santo a vir e dar a dádiva da cura. Então dei uma ordem para que a cura acontecesse. Ele curvou-se, colocando as mãos estendidas sobre o chão, dizendo: “Eu não consigo Jazer isso!” Ele repetiu esse movimento várias vezes, e em cada uma delas e dizia: “Eu não consigo Jazer isso!” Ele saiu sem nenhuma dor, fazendo todos os movimentos, e com um coração repleto de louvor. Ele era alguém que mal conseguia andar, alguns momentos antes.

Fé não é ausência de dúvida; é a presença da crença. Acontece que nem sempre eu sinto ter uma grande fé. Mas posso sempre obedecer, impondo as mãos sobre alguém, e orar. Seria um erro meu examinar, toda vez, a minha fé. Raramente a encontro. O melhor é obedecer depressa. Depois que termino de orar, posso olhar para trás e constatar que a minha obediência veio da fé.

A BOMBA DE EFEITO MULTIPLICADOR

Quando o nível da fé compartilhado por todos aumenta, ocorre o que chamo de uma bomba de efeito multiplicador. É quando pessoas presentes, que conscientemente nem estejam procurando exercer fé, são atingidas pelo poder de Deus que opera milagres.

Francis é uma mulher que tinha um câncer no esôfago. Num domingo pela manhã, durante o culto, ela inclinou-se para o lado do seu marido e lhe disse: “Acabei de ser curada!” Ela sentiu o fogo de Deus tocar em suas mãos e concluiu que isso era devido ao toque curador de Deus. Quando ela foi ao médico, este comentou a sua experiência, respondendo a ela que “este tipo de câncer não vai embora”. Mas, depois de examiná-la, ele afirmou: “Não apenas você não tem mais câncer; você tem agora um novo esôfago!”

A fé, quando compartilhada por todos, é capaz de se mover no céu de um modo maravilhoso. O mundo de Deus manifesta-se em volta de todos nós.

Sharon tinha sofrido um acidente muitos anos atrás, no qual ela teve um tendão destruído que enfraqueceu a sua perna. Ela ficou com alguns movimentos restringidos e com uma insensibilidade parcial no pé. Numa de nossas reuniões de sábado à noite eu estava fazendo de púlpito um apelo para que as pessoas se acertassem com Deus. Ela começou a emitir sons estranhos de todo tipo. Eu interrompi o apelo e perguntei a ela o que tinha acontecido. Ela nos disse que um formigamento foi descendo por sua perna e que, em seguida, sentiu a restauração de todos os movimentos e a volta da sensibilidade no seu pé. Um milagre criado, tinha acontecido, sem que ninguém tivesse orado a respeito.

As pessoas, naquela reunião em particular, eram em número bem pequeno. Mas o poder não se acha no número de presentes. Acha-se, porém, no número de pessoas que estejam em concordância. Um poder exponencial é o que resulta da unidade de fé.

Em algumas reuniões é fácil confundir entusiasmo com fé. Num ambiente assim dou um certo destaque a testemunhos para animar o coração das pessoas a crer no impossível, para que assim Deus venha invadir, e o céu alcance a terra.

MAIS DO QUE EM ALTA VOZ

Assim como o medo é um elemento tangível no mundo espiritual, da mesma forma a fé é tangível nessa esfera. No mundo natural uma voz alta pode intimidar alguém. Mas os demônios sabem distinguir os que verdadeiramente são ousados e agressivos, devido à fé que têm, dos que simplesmente estejam querendo esconder o seu medo com um comportamento agressivo. Os cristãos com frequência fazem uso dessa tática na expulsão de demônios. Muitos de nós gritamos ameaças para eles, invocamos anjos para nos ajudarem, prometemos um julgamento mais severo para os demônios no Dia do Juízo, e nos valemos de outras tolices apenas para ver o que acontece e para nos acobertarmos de modo a esconder o nosso medo imaturo. A fé real é ancorada na esfera invisível e acha-se ligada à autoridade que há no nome do Senhor Jesus Cristo.

A autoridade para expulsar demônios acha-se na tranquilidade, que é o clima propício para que a fé cresça. Ela provém da paz de Deus. E será o Príncipe da Paz que em breve esmagará satanás debaixo de nossos pés! O que é tranquilo para nós é violento para os poderes do inferno. Esta é a natureza violenta da fé.

Não se trata de uma tentativa emocional para que sejamos autoconfiantes ou autodeterminados. Pelo contrário, é fazer mover o coração para uma posição de rendição, para um lugar de descanso. Um coração rendido é um coração de fé. E a fé precisa estar presente para agradar a Deus.”

VIOLÊNCIA E FÉ

“O Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele”. (Mateus 11:12 – NVI)

Dois cegos, que ficavam à beira do caminho, invocaram Jesus. As pessoas lhes disseram que ficassem quietos. Mas isso apenas reforçou a disposição deles para gritarem mais. Ficaram mais desesperados e gritaram com voz mais forte ainda. Jesus então os chamou e os curou. E o Senhor atribuiu o milagre à fé que eles tinham.

Uma mulher, que vinha tendo uma hemorragia por doze anos, forçou sua passagem através da multidão que seguia Jesus. Quando ela chegou perto Dele, tocou nas vestes Dele, e foi imediatamente curada. O Senhor atribuiu a cura à fé que ela tinha.

São muitas as histórias semelhantes a estas, e todas têm o mesmo final: as pessoas eram curadas ou libertas por causa da sua fé. A fé pode, com tranquilidade, forçar uma situação; ou poderá clamar em alta voz, mas ela é sempre violenta no mundo espiritual. Ela apropria-se de uma realidade invisível e não a deixa escapar. Tomar o Reino através da fé é o ato de força que é necessário para se alcançar o que Deus tornou possível.

A FÉ PRODUZ PODER

Um automóvel pode ter uma potência de centenas de HP. Mas o carro não sairá do lugar até que a embreagem seja acionada, engatando a marcha que transmitirá a força existente do motor para as rodas. O mesmo se dá com a fé. Temos todo o poder do céu atrás de nós. Mas é a nossa fé que faz o engate entre o que se acha disponível e as circunstâncias ao nosso redor. A fé torna o que é invisível em algo real.Não é incorreto procurar crescer na fé. Não é errado procurar realizar sinais e milagres, cada vez mais. Isso faz parte dos direitos do crente. Mas saber como orar é a tarefa que temos à nossa frente. Essa foi a única coisa que os discípulos pediram ao Senhor que lhes ensinasse. E desse modo vamos examinar a Oração Modelo de Jesus, para que possamos perceber qual era a visão que Ele tinha sobre a oração e sobre a liberação do seu Domínio i5

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.