ALIMENTO DIÁRIO

PORCOS NA SALA

CAPÍTULO 10 – AS MANIFESTAÇÕES DEMONÍACAS

Quando os demônios são enfrentados e pressionados por meio de uma luta espiritual, às vezes eles demonstram sua própria natureza através da pessoa, de várias maneiras. Estes espíritos maus são criaturas das trevas. Eles não aguentam ficar na luz. Quando sua presença e suas táticas são expostas, eles são capazes de ficar agitados e frenéticos. As manifestações parecem não ter fim. Limitar-nos-emos a poucos exemplos.

Satanás e seus demônios são identificados com as serpentes. “Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões…” (Lucas 10:19). “E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo…” (Apocalipse 12:9).

Não é de surpreender que manifestações de serpentes tenham sido vistas, por exemplo, na língua. Elas motivam a pessoa a esticar a língua para fora ou fazem a língua mover-se rapidamente para fora e para dentro – exatamente como a da cobra. Os olhos podem tomar as características como os da cobra. Geralmente, durante a libertação, os olhos da pessoa ficam fechados. Parece que os demônios sabem que os olhos da pessoa revelam a presença deles de uma maneira mais nítida que qualquer outra.

Outra manifestação da serpente é pelo nariz. A pessoa é capaz de chiar pelas narinas. Várias vezes, tenho visto a pessoa jogada no chão pelo poder dos espíritos, e o corpo retorcer-se como o da serpente.

Uma manifestação mais ou menos comum ocorre nas mãos. As mãos podem ficar entorpecidas e dormentes. Às vezes, os dedos se esticam e tornam-se rígidos. Os demônios que se manifestam desta maneira pelas mãos são, em geral, os demônios da luxúria, do suicídio ou do homicídio. Outros tipos de espíritos maus, especialmente os associados ao uso errado das mãos, podem manifestar-se desta maneira. É preciso sacudir as mãos vigorosamente para deslocar os espíritos.

Os espíritos de artrite, muitas vezes, se manifestam nas mãos. As mãos se tornam rígidas, e os dedos, ásperos. Isto pode acontecer nas mãos de jovens que ainda não têm sinais nenhum de artrite, mas em quem o demônio da artrite já está trabalhando a longo tempo.

Ao confrontar o demônio de artrite, as mãos podem tomar a aparência de alguém que sofre disso há anos. O demônio pode manifestar-se através de dores e retorcimento do corpo. Muitas dessas enfermidades são abortadas pelo ministério da libertação, quando o discernimento de espíritos descobre as enfermidades e as doenças que não foram ainda manifestadas.

Uma manifestação que é muito pavorosa é a do espírito de morte. Tenho encontrado o espírito de morte presente em casos onde pessoas foram arrasadas até o ponto da morte por doenças graves, cirurgias sérias ou tentativa de suicídio.

Um homem com um espírito de morte tinha sido oficialmente declarado morto por afogamento, mas foi ressuscitado pela ação do médico. Ao se manifestar, o espírito de morte faz com que as pálpebras fiquem abertas e os olhos virem para trás. A pele da pessoa toma a cor da morte.

Uma jovem senhora de 25 anos veio a nós para o ministério. Ela era uma pessoa meiga e de natureza passiva. Vários demônios foram expulsos, e estávamos sentados, quietos, esperando a direção do Espírito Santo. De repente, o rosto da moça mudou-se dramaticamente e outro demônio apareceu.

Não há meios de descrever como a manifestação apareceu — especialmente pelos olhos. Sem virar a cabeça, seus olhos movimentaram-se para olhar a cada pessoa na sala com um olhar fixo.

Minha esposa e eu estávamos sentados bem na frente dela. Mais três membros de nossa equipe de libertação estavam presentes, juntamente com o pastor da moça e sua esposa. Eu havia observado muitas manifestações demoníacas, mas esta era diferente. Fez-nos sentir como se estivéssemos encarando um animal feroz, a ponto de devorar-nos. Num instante, esta manifestação cedeu-se à manifestação do espírito de morte. Felizmente, eu já tinha visto esta manifestação e sabia como agir. Os outros na sala não a conheciam e achavam que a moça tinha falecido mesmo. O demônio saiu, e a moça ficou boa.

Outra faceta das manifestações demoníacas é a dos cheiros: Lembro-me de uma vez em que estávamos ministrando numa casa pastoral. A casa ficou tomada por um mau cheiro parecido com o de repolho cozinhando que, para mim, é um mau cheiro. Era tão real, que alguém foi até a cozinha para verificar se havia algo no fogão.

Em outra ocasião, eu estava expulsando um demônio de câncer. Ele saiu acompanhado por um cheiro distinto, igual ao que encontramos num hospital de câncer. Com muitas experiências pastorais no Hospital do Câncer Ha cidade de Houston, Texas, reconheci logo o cheiro.

Os demônios podem gritar (Mateus 8:29; Lucas 4:41; Atos 8:7).

Estávamos em meio a uma libertação quando uma moça de 17 anos aproximou-se. Ela disse que tinha sido envolvida com feitiçaria. Mandei-a sentar-se no assento à minha frente. Abri minha Bíblia e comecei a leitura de Deuteronômio 18:9-15, que declara que feitiçaria é uma abominação ao Senhor. Enquanto estava lendo o versículo 15, que diz que Deus levantaria um Profeta (Jesus) e “a ele ouvirás”, um grito agudo saiu da boca da moça. Levantando os olhos da Bíblia, vi as mãos dela como garras estendidas à Bíblia.

Antes que eu pudesse reagir, as unhas compridas tinham rasgado aquela página de minha Bíblia, no versículo que eu acabara de ler! Começamos a expulsar, em nome de Jesus, os demônios de feitiçaria e os espíritos da mesma tribo, e logo ela foi liberta da sua opressão.

O espírito de orgulho pode manifestar-se de várias maneiras. Ele pode fazer a pessoa sentar-se ou ficar em pé muito ereta e cruzar os braços sobre o tórax ou arrebitar muito o nariz. Um jovem pastor disse-me que ele falava demais. Ele não podia resistir a interromper qualquer conversa, fosse ela qual fosse. Ele não podia disciplinar-se e deixar outros falarem. Sentia que tinha muito mais a dizer de maior importância que os outros. Ao espírito foi mandado identificar-se. e ele respondeu, dizendo: “Sou importância”.

O homem estava sentado numa cadeira dobrável. O espírito fez com que ele pusesse a cabeça para trás com seu nariz bem para cima, quase derrubando o homem. O espírito de orgulho ou de importância fará a pessoa “pensar de si mesma além do que convém”.

Os espíritos maus, às vezes, revelam sua presença e sua natureza por pantomima. Durante uma entrevista, antes de eu ministrar, um jovem pastor revelou que tinha uma obsessão por dança e que queria dançar mais do que comer. Quando o demônio da dança carnal foi mandado embora, o homem começou uma pantomima rítmica.

O corpo dele começou a balançar-se, suas mãos moveram-se como se fosse bater palmas e sua boca movia-se como se estivesse cantando, embora não se ouvisse som algum. O demônio disse que ele estava cantando “O Poder do Sangue”. O homem pegou um pano molhado que usava no rosto (os demônios expulsos primeiro tinham saído por vômito) e sacudiu o pano em cadência.

Finalmente, jogou o pano para o teto e, ao cair no chão, o demônio deu uma gargalhada feia.

Em outras ocasiões, temos visto espíritos de ritmos e de danças se manifestarem pelo movimento do corpo, especialmente no movimento dos quadris. Uma moça, cujo corpo vibrou com a manifestação do espírito de ritmo, revelou depois que ela tinha sido uma dançarina de boate, bicou provado que este era o espírito que a dominava. O diabo tem sua imitação e perversão para tudo o que é bom e certo.

Uma manifestação interessante apareceu quando estávamos ministrando a uma mãe que tinha um filho de 12 anos. O filho tinha um braço defeituoso, como resultado de lesão cerebral congênita. O pulso dele era virado e a mão ressequida e sem força. A mãe tinha um espírito de tormento, que a aborrecia continuamente, por causa da condição de seu filho. O espírito não a deixava em paz e fixara a mente dela no braço defeituoso. Quando este espírito de tormento saiu, ele fez o braço e a mão da mãe assumirem a aparência exata do braço e da mão do filho.

A dor é uma manifestação comum. Muitas e muitas vezes, quando pessoas marcam compromisso com antecedência para nossa ministração, depois dizem que sofreram uma grande dor de cabeça, ainda que, normalmente, nunca sofressem disso.

Durante a ministração, com frequência, os demônios provocam dor de cabeça ou dores agudas em várias partes do corpo. Espíritos de nervos e tensão podem causar dores na nuca ou nas costas. Geralmente, o ministro de libertação imporá as mãos na área dolorida e mandará o espírito se desligar; o demônio é expulso e, num instante, o corpo é aliviado da dor.

Outras manifestações que podem aparecer neste ministério de libertação incluem cãibras nas pernas e braços, náuseas, choros e gargalhadas. A gargalhada é geralmente um espírito de escárnio. O novato nesse ministério poderia pensar que quem está recebendo a libertação não a está levando a sério, mas as gargalhadas não têm nada a ver com os sentimentos da pessoa.

Calculo que os demônios falam, em média, em um de cada doze casos em que ministramos. A porcentagem seria maior se os deixássemos falar. Eles não variam muito naquilo que dizem.

Eles falam com firmeza que não pretendem sair. Podem dizer que a pessoa quis que eles ficassem ou que eles voltarão se forem expulsos.

Às vezes, eles suplicam para não serem expulsos, querendo provocar pena com relação àquilo que acontecerá com eles. É óbvio que os demônios ficam atormentados ao ouvirem do sangue de Jesus e do destino eterno que têm à frente. Os demônios demonstram medo de seus superiores no exército satânico. Sua conversa tem a finalidade de criar medo no ministro de libertação. Por exemplo, um demônio poderia dizer: “Sei algo sobre você. Você quer que eu conte tudo aqui na frente dos outros?” Mas isto são somente acusações e ameaças.

De modo geral, a conversa dos demônios é uma tática para impedir a libertação ou de adiá-la tanto quanto possível. Quando os demônios são expulsos, normalmente saem pela boca ou pelo nariz. Os espíritos estão associados à respiração. Os hebreus tanto como os gregos tinham somente uma palavra para “espírito” e “respiração”.

A palavra grega é pneuma. O Espírito Santo também está associado com a respiração. Após a ressurreição, Jesus apareceu aos discípulos e “soprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito (pneuma) Santo” (João 20:22). Muitos hinários evangélicos contêm hinos com este tema.

Quando os espíritos maus saem, normalmente, esperamos uma manifestação qualquer pela boca ou pelo nariz. Sem dúvida, a manifestação mais comum é tossir. A tosse pode ser seca, mas em geral é acompanhada de catarro. O catarro pode ser em grande quantidade.

Material semelhante pode aparecer na forma de vômito, baba, cuspe ou espuma. As pessoas que recebem esse ministério de libertação logo depois de uma refeição, ainda que grande, vomitam grande quantidade de muco, sem qualquer traço de comida. E raro termos visto comida vomitada do estômago. De vez em quando uma pequena quantidade de sangue aparece. Não é fora do comum que este material saia de uma pessoa durante uma hora ou mais.

Outras manifestações pela boca incluem: choro, grito, suspiro, arroto e bocejo. O ar talvez sairá pelo nariz ou a pessoa assoará o nariz continuamente, como se tivesse sinusite. Estas manifestações podem variar em sua intensidade – podem ser muito calmas ou até muito dramáticas. O grau de manifestação não indica a eficácia de uma libertação. As pessoas cujos demônios saem por bocejo ou suspiro são também libertas tanto quanto as que são libertas com manifestações violentas.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.