ALIMENTO DIÁRIO

PORCOS NA SALA

CAPÍTULO 6 – COMO DETERMINAR A NECESSIDADE DE LIBERTAÇÃO

A presença e a natureza dos espíritos imundos podem ser reconhecidas por dois métodos principais:

(1) DISCERNIMENTO. 1 Coríntios 12:10 cita “discernimento de espíritos” como um dos nove dons sobrenaturais do Espírito Santo.

Um exemplo da operação do dom de discernimento de espíritos aconteceu comigo dois dias depois do meu batismo no Espírito Santo. Fui convidado a dar meu testemunho numa reunião da organização “Full Gospel Businessmen” e fiquei sentado no palco. Bem no último banco daquele enorme salão estavam vários “hippies”. Um deles levantou-se para chegar à frente. Mais dois de seus colegas o seguiram.

Enquanto eu estava olhando o primeiro rapaz, senti uma dor aguda no estômago, como se tivesse recebido um soco. Virando-me para o desconhecido ao meu lado, perguntei-lhe em voz baixa: “Aquele rapaz está no Espírito do Senhor?” Ele respondeu: “Não sei, mas não parece coisa boa, não!” Eu disse: “Mas ele está endemoninhado”. O irmão continuou dizendo: “Talvez você tenha o dom de discernimento”. Com uma confiança como nunca tinha sentido antes, eu disse: “Eu não sei o que eu tenho, mas sei o que ele tem. Ele tem um demônio”.

Naquela época, eu não sabia quase nada sobre os dons do Espírito Santo e também não tinha estudado nada sobre os espíritos demoníacos. Por coincidência, o “hippie” subiu ao palco, pegou o microfone e levantou as mãos dizendo: “Eu sou o caminho, pois sou Jesus”. Assim, todo mundo reconheceu que ele tinha um demônio.

Enquanto ele voltava para o lado de seus amigos, já na beira do palco, várias pessoas no auditório se levantaram e repreenderam os demônios nos três rapazes. Ninguém os estava tocando, mas eles caíram no chão, derrubados por um poder invisível, o Espírito Santo. Eles foram levados para fora do salão. O resultado daquele incidente foi a conversão de vários membros do grupo “hippie”, pois os três rapazes eram os líderes do grupo.

(2) REVELAÇÃO é o segundo método para reconhecer a presença e a natureza dos espíritos maus.

Por revelação, se entende simplesmente a observação do que os espíritos estão fazendo à pessoa. Quando Jesus andou aqui na terra, Ele reconheceu que o povo estava bem a par da existência dos demônios. Jesus não tinha de os ensinar sobre a existência de espíritos malignos, nem explicar como eles podem habitar no corpo humano; isto já era conhecido por todos.

Um exemplo disso é encontrado no Evangelho de Marcos 7:24-30. Uma mulher siro-fenícia veio a Jesus com um apelo para que Ele expulsasse um espírito imundo da sua filha. No Evangelho de Mateus, num registro paralelo, a mãe diz: “… minha filha está horrivelmente endemoninhada”. Como é que ela sabia disso? Ela sabia pelos sintomas.

Podemos aprender hoje como descobrir ou discernir os espíritos maus pelo que eles estão fazendo à pessoa. Alguns dos sintomas comuns de que há demônios habitando em alguém são:

1. PROBLEMAS EMOCIONAIS

Distúrbios emocionais que persistem e que ocorrem periodicamente. Os distúrbios mais comuns são: ressentimento, ódio, raiva, rejeição (sentindo-se não desejado, não amado), pena de si mesmo, ciúme, depressão, ansiedade, inferioridade e insegurança.

2. PROBLEMAS MENTAIS

Distúrbios na mente ou nos pensamentos, tais como: tormento mental, protelação, acomodação, confusão, dúvida, racionalização e perda da memória.

3. PROBLEMAS VOCAIS

Língua descontrolada. Inclui mentiras, maldição, blasfêmia, críticas, zombaria, maledicência e mexerico.

4. PROBLEMAS SEXUAIS

Decorrentes de pensamentos e atos impuros de sexo. Estes incluem experiências sexuais fantasiosas, masturbação, cobiça, perversões, homossexualidade, incesto, adultério, caráter provocante e prostituição.

5. VÍCIOS

Os mais comuns são: drogas, álcool, nicotina, remédios, cafeína e comida.

6. ENFERMIDADES FÍSICAS

Muitas enfermidades e aflições físicas têm sua origem com os espíritos de enfermidade. (Veja Lucas 13:11.) Quando um demônio de enfermidade é expulso, há necessidade de orar pela cura de qualquer dano feito por ele. Assim, há uma relação entre a libertação e a cura.

7. ERRO RELIGIOSO

QUALQUER envolvimento em erros religiosos pode abrir a porta para os demônios. Os objetos e a literatura de religião errada têm sido como um ímã trazendo os demônios para dentro das casas.

1. RELIGIÕES FALSAS — religiões orientais, religiões pagãs, filosofias e ciências mentais. NOTA: ISSO inclui interesse por ioga e caratê que não podem ser divorciados da adoração pagã.

2. SEITAS “CRISTÃS” – Mormonismo, Testemunhas de Jeová, Unidade e outras. Tais seitas negam ou confundem a necessidade do sangue de Cristo como meio de redenção e salvação.

As seitas incluem também certos clubes, sociedades e agências sociais que usam religião (as Escrituras Sagradas e até Deus) como fundamento, mas omitem o sangue e a redenção. Todos os cultos deste tipo são chamados “religiões sem o sangue”—”tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes” (2 Timóteo 3:5).

3. OCULTISMO E ESPIRITISMO – sessão espírita, feitiçaria, magia, levitação, necromancia, escrita automática, percepção extra-sensorial, hipnose, horóscopo, astrologia, adivinhação, etc. NOTA: É proibido QUALQUER método para procurar conhecimento, sabedoria, liderança e poder sobrenatural senão por Deus (Deuteronômio 18:9-15).

4. DOUTRINA FALSA – 1 Timóteo 4:1 fala de um grande aumento de erros de doutrinas promovido pelos demônios de engano e sedução, nos últimos dias.

Essas doutrinas são designadas para atacar a humanidade e a divindade de Jesus Cristo; negar a inspiração das Escrituras; distrair os cristãos daquilo que o Espírito Santo está fazendo hoje em dia; criar desarmonia no Corpo de Cristo; criar confusão na Igreja, através da obsessão pelas doutrinas, junto com a compulsão de propagá-las; inchar com orgulho e senso de superioridade, por causa da revelação, fazendo a pessoa resistente ao ensino; encaminhar alguém às coisas espirituais por meio de atividades enfaticamente carnais, por exemplo, asceticismo, religião de vegetarianismo (macrobióticos Zen), etc.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.