OUTROS OLHARES

ADEUS, DESODORANTE

Exaltado pela propriedade de tirar rugas sem bisturi, o Botox vem sendo usado cada vez mais com outra finalidade: acabar com o suor e as manchas embaixo do braço

Tratamentos para melhorar a estética pressupõem uma intervenção em pontos da geografia corporal que chamam atenção: rosto, colo, busto, nádegas. Um implante de silicone aqui, sessões de laser ali, agulhadas acolá, tudo é feito para aprimorar o que vai ser visto (ainda que com roupa por cima) e apreciado. E onde as axilas, recantos tão escondidos do corpo, entram nessa equação? Soa esquisito, mas, sim, elas estão cada vez mais no foco das clínicas de estética desde que se disseminou o uso da toxina botulínica, o Botox, para reduzir drasticamente o suor e acabar com o problema do odor e das manchas embaixo do braço. Os profissionais da área calculam que o uso da técnica vem crescendo 30% ao ano, impulsionado por artistas que precisam suportar longas horas de gravação sob luz forte e por não tão famosos que só querem mesmo sé livrar da chateação. “É a maneira mais simples de diminuir e até zerar a transpiração”, explica a dermatologista de celebridades Denise Barcelos.

Na novela das 9, pelo menos três atores – Juliana Paes, Malvino Salvador e Agatha Moreira -se submeteram à técnica. “Sem suar, você fica com a sensação de estar mais limpo”, elogia Malvino, botocado há quatro meses. A rigor, a aplicação de Botox é indicada para quem sofre de hiperidrose, ou suor excessivo, uma condição sem causa bem definida que parece estar ligada a fatores genéticos e emocionais, além de obesidade e menopausa. Uma vez aplicada, a toxina botulínica inibe a ação da acetilcolina, um neurotransmissor que regula as glândulas produtoras do suor. O paciente se deita na maca, recebe um creme anestésico nas axilas e vinte minutos depois – e vinte a trinta picadas de cada lado – vai para casa.

A transpiração começa a diminuir em 48 horas e o efeito dura de seis a nove meses, prazo que pode aumentar com o passar do tempo. “A redução da ansiedade durante o procedimento ajuda. Chega um momento em que é preciso aplicar apenas uma vez ao ano”, diz Denise. O tratamento custa, em média, 2.000 reais por axila.

Quando não havia Botox, só quem tinha hiperidrose grave pensava em apelar para o único tratamento disponível: a cirurgia de retirada de glândulas. A toxina ganhou, com isso, ares de substância libertadora. “Eu não conseguia usar blusas com mangas devido às marcas de suor”, diz, com entusiasmo de fã, a professora de ioga Joyce Berndt. Temida durante séculos por ser o agente causador do botulismo, doença paralisante muitas vezesfatal, a toxina botulínica foi reabilitada a partir da virada do século, quando se dominou a técnica de usá-la para fins nobres – sendo o mais conhecido e admirado deles acabar com as rugas da testa e os pés de galinha. ”A hiperidrose acomete quase 3% da população”, afirma Sérgio Palma, presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Além dás áxilas, a palma das mãos, a sola dos pés, o couro cabeludo e a virilha podem receber aplicações de Botox para reduzir a transpiração. Se o tratamento contempla apenas um ou outro ponto crítico, não há contraindicação. “A sudorese é uma condição fisiológica necessária para regular a temperatura corporal quando ela sobe. Mas o excesso pode e deve ser combatido, por trazer grande desconforto e impactar até a vida profissional das pessoas”, explica a dermatologista Denise. Que ninguém se engane: dói. A atriz Fernanda Souza, que já teve de interromper muitas – gravações para secar o suor nas axilas, apelou para o método, mas não nega ter penado com as agulhadas. “Chegou uma hora em que disse: “Ah, moça. Deixa suar. Deixa suar que eu sou um ser humano”, contou. Como quase tudo na vida, é uma questão de pesar o custo-benefício e decidir.

ALIMENTO DIÁRIO

PORCOS NA SALA

CAPÍTULO 3 – COMBATA O BOM COMBATE

É uma revelação despertadora à Igreja de hoje a descoberta de como Satanás está bem organizado, e como ele está operando sistematicamente contra nós.

Assim como a maioria de nós foi instruída de que é o dever de todo o crente testemunhar de Jesus, e foi até treinada e levada a testemunhar, assim também nós fomos instruídos que é também o dever de todo crente ser um soldado cristão, ativo na luta espiritual. Quantos cristãos têm sido treinados na “destruição de fortalezas” (2 Coríntios 10:4); ou como “resistir ao diabo” (Tiago 4:7); ou como “lutar contra principados… dominadores deste mundo tenebroso… e forças espirituais do mal nas regiões celestes”? (Efésios 6:12.)

Como soldados cristãos, devemos adquirir conhecimento prático. Durante a Segunda Guerra Mundial fui instruído nas armas e nas operações táticas que iria usar contra o inimigo. Hoje o exército de Deus está na primeira fase de seu treinamento. Estamos aprendendo como ser soldados cristãos e “combater o bom combate” (1 Timóteo 1:18).

Efésios 6:10 nos exorta a tomarmos toda a armadura de Deus e a resistir “às ciladas do diabo”. A palavra “ciladas” no grego é “methodeia” que significa “seguir de perto, por método e plano acertado, usando fraude, astúcia e malandragem” (Thayer).

Satanás tem um método – um plano já pronto para vencer cada um de nós, junto com nossa família, igreja, comunidade e país. Deus tem providenciado armas para nossa proteção e para nossa luta ofensiva. Assim, podemos resistir a todo assalto contra nós e lançar um ataque que derrubará o inimigo!

A BATALHA EM SI

A ênfase deste livro é a libertação pessoal. Esse é o ponto de partida nessa guerra espiritual total. Ao enfrentar o inimigo no nível da libertação pessoal, estamos lutando na linha de frente contra as tropas de Satanás. Os oficiais superiores ele Satanás ficam atrás dele e devemos enfrentá-los antes de a batalha chegar ao fim. O primeiro objetivo nessa luta é a libertação de si mesmo.

Será que todos necessitam de libertação? Pessoalmente, não estou a par de que haja alguma exceção. Enquanto temos andado na ignorância e nas trevas, o inimigo tem contaminado cada um de nós. Devemos aprender como tirá-lo e como continuarmos livres dele.

Falar em voz alta aos demônios?! Isso pode parecer tolo e sem graça até você estar acostumado com isso, mas é uma tática eficaz e necessária na luta espiritual. É óbvio que alguém tem de falar, a fim de expulsar os demônios. Devemos também falar aos demônios que estão assaltando de fora. Por exemplo, vamos supor que um demônio fale à sua mente: “Fulana acha que você é muito estúpida”. É assim que os demônios falam à nossa mente. É a maneira de eles plantarem as sementes de rancor e suspeita.

Você pode aprender logo a distinguir entre aquilo que é de você, de Deus ou de Satanás. Ao demônio, você pode falar nestes termos: “Você é mentiroso, espírito maligno. Rejeito esse pensamento sobre meu amigo. Minha mente está sob a proteção do sangue de Jesus. Desligo você de meus pensamentos. Ordeno que você me deixe agora, em nome de Jesus”.

Este é um exemplo de como resistir ao diabo. Sabemos que a Bíblia nos diz “resisti ao diabo”, mas talvez não tenhamos a menor ideia de como pôr em prática o princípio. Quaisquer que sejam suas palavras, vocalize sua posição em Jesus Cristo e resista aos demônios pelo uso do nome de Jesus e de Seu sangue. Os demônios são transgressores e têm de “fugir” quando são resistidos desta maneira. Não deixe de mandá-los embora mais de uma vez. Eles são teimosos. Resista-lhes até que sua mente esteja em paz.

Estude com cuidado o Capítulo 6, “Como Determinar a Necessidade de Libertação”. Seja honesto consigo mesmo. Peça a Deus que o ajude a reconhecer onde e como os demônios ganharam acesso ao seu corpo. Não quero dizer que você tem de ruminar seus pecados do passado nem os momentos infelizes por que já passou. E simplesmente para reconhecer que os demônios se aproveitaram dos pecados e das circunstâncias em sua vida, de modo que esses transgressores possam ser expulsos e as portas possam ser fechadas a eles.

Procure a ajuda de alguém que tenha conhecimento no ministério de libertação no local onde você mora. Tal tipo de ajuda é muito mais predominante nos dias de hoje do que há alguns anos, e Deus está levantando muitos outros para ensinar e para ministrar neste setor. Se por acaso não há esta ajuda ao seu alcance, ore para Deus providenciá-la.

Reúna-se com outros membros do Corpo de Cristo. Talvez o Senhor dirija vocês a aprenderem como ministrar uns aos outros. De qualquer modo, o ministério de libertação tem de ser restaurado à Igreja. É um ministério da Igreja tanto quanto o da pregação, oração e cura. Jesus realizou todos esses ministérios e mandou a Igreja continuá-los.

Comece com a prática de autolibertação. Escolha uma área de sua vida em que você sabe que existe perturbação demoníaca e mande os demônios embora em nome de Jesus Cristo. Ao ver que você os está renunciando absolutamente, e falando com fé, os demônios responderão. Não os deixe ficarem sem oposição mais um dia! “O reino de Deus é… justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.” (Romanos 14:17.)

Esta é a herança de Deus para você AGORA! É sua para você tomá-la à vontade!

A LUTA NO LAR

Em muitos dos lares de hoje, ainda que o marido, a esposa e os filhos professem Cristo, há contenda, divisão, confusão e caos. Já é a hora de o diabo ter sua parte de culpa e está na hora de as famílias aprenderem como expulsar o diabo de seus lares.

O ponto de partida ideal para ganhar a vitória é o seguinte: Cada membro da família comprometer-se novamente com Jesus Cristo e, em seguida, a ministração de libertação de cada um.

Uma coisa formidável aconteceu numa igreja em que nossa equipe teve a oportunidade de ajudar. O próprio pastor tinha instruído muito bem o povo sobre o princípio da liderança do homem no lar. Um por um dos homens chegaram à frente para marcar a hora da libertação deles e de sua família. Este ministério era de tamanha importância para eles que os chefes das famílias tiraram licença do serviço, e os filhos faltaram às aulas no colégio para não perderem a hora marcada com a equipe.

É assim que deveria ser. As famílias serem encorajadas a conhecer a libertação através da experiência em conjunto. Quando a família inteira está cooperando e levando em consideração o outro, o diabo é vencido logo.

Mas alguns lares têm obstáculos maiores. Nem todos os membros da família confessam Jesus. Alguns não têm interesse nenhum nas coisas espirituais. Se por acaso há somente um membro da família preocupado pelo bem-estar do lar, o que pode ser feito?

Os problemas da Sra. J. foram típicos de muitos que eu tinha tido a oportunidade de aconselhar. Ela estava se esforçando para viver para Cristo, mas seu marido resistia por completo. Ele brigava com ela se ela assistia ao culto na igreja. Ele bebia e jogava. A Sra. J. disse que ele era grosseiro e violento e ela estava com medo do que ele poderia fazer contra ela e seus filhos. Os três filhos já estavam demonstrando os efeitos do tumulto em casa. Eles estavam com medo, inseguros e nervosos. A Sra. J. orou muito pelo seu marido, mas ele só piorou em vez de melhorar. Ela estava planejando divorciar-se.

A Sra. J. aceitou a libertação para si mesma. Sabíamos que seria difícil para ela conservar sua libertação completa enquanto a atmosfera ao seu redor continuasse agitada, mas sabíamos também que ela poderia ficar livre do medo e das pressões.

Ficou resolvido que entraríamos numa luta espiritual contra os demônios que estavam controlando a vida de seu marido e que o estavam separando da verdade espiritual

“Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” 2 Coríntios 4:3, 4.)

COMBATE NÃO É ORAÇÃO! É um acréscimo à oração. Não há razão nenhuma em se pedir a Deus alguma coisa que Ele já concedeu. Deus nos deu poder e autoridade sobre o diabo. Não devemos esperar que Deus tire o diabo de nossas costas. Ele já derrubou Satanás e nos deu a capacidade e a responsabilidade necessárias para tomarmos conta de nós mesmos. Esta verdade é uma revelação a muitos crentes — e chega como boas novas! Não é de surpreender que muitas orações fiquem sem respostas. Devemos pôr fim aos pedidos que já têm respostas e começarmos a usar aquilo que Deus já nos deu.

Iniciamos, então, o combate espiritual a favor do marido da Sra. J. Ela aprendeu como lutar no combate espiritual através da experiência e como continuá-lo por si mesma. “Vocês, espíritos imundos que estão atrapalhando o Sr. J., tomamos posse da autoridade de vocês no nome poderoso de Jesus Cristo. Vocês querem destruir este lar, mas não permitiremos. Estamos juntos com Cristo em autoridade espiritual. Conhecemos nossa posição e nossos direitos. Amarramos vocês em nome de Jesus Cristo. Tirem suas mãos da vida dele. Desliguem-se de sua vontade, e que ele possa ficar livre para aceitar Jesus Cristo como Salvador.”

Dentro de pouco tempo, o Sr. J. tinha-se modificado completamente — uma nova criatura em Jesus Cristo. Ele experimentou o novo nascimento e o batismo no Espírito Santo. A família frequentava a igreja junta e o Sr. J. tomou seu lugar como líder espiritual de sua família.

Não quero dar a impressão de que todas as lutas espirituais terminam tão cedo e tão vitoriosas como a do casal Sr. e Sra. J., mas tenho visto muitas vitórias através de lutas espirituais que passam a ser espantosamente eficazes. Outras batalhas levaram mais tempo, e algumas ainda estão em pé, meses depois de iniciadas.

A luta espiritual a favor de outra pessoa NÃO significa um controle da vontade daquela pessoa. A luta amarra o poder demoníaco, libertando a vontade da pessoa, capacitando-a para tomar decisões por si mesma, sem interferência demoníaca. Os demônios não são expulsos da pessoa, mas o poder deles está amarrado por um tempo. Este tipo de luta está de pleno acordo com o princípio da luta espiritual mostrado em 2 Coríntios 10:3 e Efésios 6:12.

Estas passagens ensinam que nossa luta é contra inimigos espirituais e devem ser combatidos com armas espirituais. E inútil e errado ficarmos envolvidos em encontros de carne contra carne.

É melhor falar em voz alta aos poderes demoníacos ao enfrentá-los, mas não na presença da pessoa endemoninhada, ou abertamente na presença de outros que talvez não gostem nem entendam aquilo. Não é absolutamente necessário falar em voz alta. Pode ser feito no seu espírito, e isso pode ser feito na presença de quem está sob o poder do inimigo.

Deveria ser o alvo de todos os lares manter o modelo da autoridade divina dado por Deus — esposa em submissão ao marido, marido amando a esposa como Cristo amou a igreja e os filhos obedecendo aos pais no Senhor. Isso reduzirá ao mínimo as oportunidades do diabo em qualquer lar.

A BATALHA NA IGREJA

Satanás tem um interesse todo especial na Igreja. Podemos crer, sem sombra de dúvida, que ele fará tudo o que estiver em seu poder para desviar, atrapalhar, enfraquecer e destruir o ministério da Igreja. A organização do diabo tem um demônio-príncipe escalado para cada igreja local. Muitas igrejas têm uma história de certos tipos de problemas. O espírito-príncipe sobre aquela igreja pode ser identificado com facilidade pelo tipo de problema sempre sofrido naquela igreja.

Em algumas igrejas você encontrará o espírito de contenda — membro contra membro. Isto é uma das armas principais de Satanás. Ele provoca ciúmes e competições. Os cristãos se encherão de orgulho, pensando que são melhores que os outros. Enquanto os cristãos estão lutando entre si, eles não estão lutando contra o diabo. Este é o alvo dele. Então, ele venceu.

Outras igrejas são controladas pelos demônios de doutrina.

“Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios.” (1 Timóteo 4:1.)

Em outros casos, a doutrina não é falsa, mas o diabo cria uma obsessão por doutrina. Ele consegue fazer o grupo concentrar-se numa faceta da verdade (salvação, segunda vinda, etc.) que negligencie a ministração do conselho completo de Deus. A igreja acaba sendo desviada.

Alguns dos demônios são especialistas em fazer a igreja operar com os talentos e as habilidades naturais — ou humanas — em vez de depender do poder do Espírito Santo. “Tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder.” (2 Timóteo 3:5.) Algumas igrejas estão, ainda hoje, com sua vista vendada ao derramamento do Espírito de Deus e continuam operando com o poder da carne.

Há espíritos-príncipes de denominacionalismo e sectarismo. O alvo deles é dividir o Corpo de Cristo — criar divisão. Quando eu vi o nome da igreja “Independente Fundamental” senti que ela estava anunciando o demônio reinando sobre aquela congregação. Algumas igrejas são famosas por seu orgulho espiritual e por seu isolacionismo.

Os demônios de mundanismo e materialismo reinam sobre algumas igrejas locais. Seu ministério espiritual é apagado. A ênfase está em festas de todo tipo, bazares, venda de doces, etc.

A lista continua sem fim — formalismo, ritualismo, controle pelo pastor ou grupo, complacência, indiferença, pessimismo, obsessão por problemas sem soluções, etc.

“Tocai a trombeta em Sião e dai voz de rebate no meu santo monte…” (Joel 2:1). O capítulo 2 de Joel chama o povo de Deus a levantar-se em luta contra a escuridão e as densas trevas. Mas em primeiro lugar é uma chamada ao arrependimento e volta a Deus.

‘Ainda assim, agora mesmo, diz o Senhor: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto. Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao Senhor, vosso Deus…” (Joel 2:12, 13a.)

Isto é uma chamada para a Igreja de hoje. Que cada congregação local rejeite os seus pecados e se humilhe diante de Deus. Que se levante, então, no poder de Deus, contra o adversário espiritual aliado contra a igreja. A Igreja tem de aprender como enfrentar “as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”. (Veja Efésios 1:20, 21; 2:6; 3:10; 6:12.)

Estes espíritos-príncipes sobre as igrejas podem ser amarrados e suas vozes apagadas. Deus deu poder ao povo dEle. E é responsabilidade da Igreja usá-lo.

A BATALHA NA COMUNIDADE E NO PAÍS

O anjo que visitou Daniel disse que tinha lutado com o “príncipe da Pérsia”, quer dizer, a potestade demoníaca sobre aquela nação. Vejamos isso como evidência de que Satanás designou um demônio poderoso para reinar sobre cada nação do mundo, cidade e comunidade.

O espírito-príncipe sobre a comunidade onde eu era pastor foi revelado por uma visão que veio de Deus, mostrando uma criatura grande semelhante a um polvo suspenso por cima da comunidade. Na cabeça do bicho estava escrito “ciúme”. Os tentáculos estendiam-se entrelaçando e esmagando cada faceta da vida daquela comunidade — igrejas, escolas, comércio, vida social, governo, recreação e relações pessoais. Os tentáculos representavam briga, crítica, ciúme, calúnia, ganância, mexerico, egoísmo e cobiça.

Quanto mais refletíamos sobre a visão, mais entendíamos a veracidade e a certeza de sua realidade. O ciúme e todos os seus auxiliares estavam segurando a comunidade. Quando cheguei a esse local para pastoreá-lo, dois pastores fizeram uma visita para me avisar que minha presença não era necessária nem desejada. Eles me convidaram a sair, baseados no fato de que suas igrejas já eram suficientes naquele lugar. O espírito de ciúme estava se manifestando nas igrejas. Deus mostrou-me, através da visão, que eu não estava lutando contra meus colegas, os pastores, mas contra “os principados e as potestades” do diabo.

A esperança para nossa comunidade e nação não está nos programas do governo, nem nos programas sociais, nem na educação, nem na ciência. Nossos problemas são principalmente espirituais. Deus nos deu armadura espiritual e recursos para ganharmos a vitória. A Igreja tem a resposta. Ela deve tomar a ofensiva contra os poderes demoníacos enquanto ainda há tempo.

Como pode ser realizado? Através do combate contra esses poderes, numa luta espiritual. Verbalize sua posição em Cristo e sua autoridade sobre essas forças demoníacas exatamente como você faria na luta pessoal. Aleluia! Os cristãos em toda parte estão aprendendo as técnicas da luta espiritual. Um reavivamento está sendo iniciado.