ALIMENTO DIÁRIO

A HISTÓRIA DO CASAMENTO

DIA 24 – GUARDANDO NOSSO CORAÇÃO

Até muito recentemente, os sites pornográficos eram os destinos mais populares da Internet. (Eles foram superados apenas pelos sites de mídia social.) Mais de um entre dez sites são de natureza pornográfica. Mais de 40 milhões de norte-americanos visitam regularmente esses sites, e a cada segundo 28.258 usuários da Internet estão assistindo pornografia. Nunca antes o apetite sexual foi tão perversamente desenvolvido e alimentado.

Com o predomínio da falsificação do estímulo sexual, muito do que deveria ser destinado ao ato de fazer amor foi substituído pela luxúria. O sexo virtual está destruindo a intimidade e arruinando os casamentos. Até mesmo os jovens têm agora problemas de disfunção erétil porque seu impulso sexual foi deturpado pelo vício em pornografia pela Internet. Mulheres de verdade não os satisfazem mais; suas experiências virtuais frequentes são diferentes demais dos encontros carnais reais.

Esse não é um problema exclusivamente dos homens, e o conteúdo pornográfico se prolifera além da rede. Cerca de uma em cada cinco mulheres assistem pornografia on-line semanalmente. Tanto os homens quanto as mulheres alimentam seus vícios fora da internet com coisas como revistas ou livros eróticos, sendo esses últimos especialmente populares entre as mulheres.

A pornografia e todas as outras formas de pecado sexual oferecem um prazer diluído, fora do projeto original de Deus. Mas o comportamento sexual ilícito, ainda que seja apenas na mente ou diante de uma tela, tem consequências muito mais profundas do que a perversão da gratificação. Jesus disse: “Mas Eu lhes digo: qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração” (Mateus 5:28).

Essa forma de infidelidade inerente a quem assiste pornografia é uma ameaça ao casamento, pois qualquer perversão da intenção de Deus para a sexualidade ataca nosso coração. “Acima de tudo, guarde o seu coração”, diz Provérbios, “pois dele depende toda a sua vida” (4:23). O pecado sexual polui nosso coração e pode consequentemente destruir nossas vidas e nosso casamento. Como uma triste confirmação dessa verdade, foi relatado que em cinquenta e seis por cento dos casos de divórcio uma das partes tinha “um interesse obsessivo por sites pornográficos”.

No fim das contas, todo pecado é um ataque à nossa vitalidade. Por sermos cristãos, o inimigo perdeu a batalha pelo nosso espírito – de modo que ele está guerreando contra as nossas almas. Ele quer que fiquemos atolados, presos às consequências do pecado porque ele não quer que experimentemos a vida em sua plenitude (ver João 10:10).

Cristo nos libertou do pecado, mas deixamos de experimentar essa liberdade quando permitimos que o pecado controle nossas vidas. Por esse motivo, Paulo escreveu:

Portanto, não permitam que o pecado continue dominando os seus corpos mortais, fazendo que vocês obedeçam aos seus desejos. Não ofereçam os membros do corpo de vocês ao pecado, como instrumentos de injustiça; antes ofereçam-se a Deus como quem voltou da morte para a vida; e ofereçam os membros do corpo de vocês a ele, como instrumentos de justiça. Romanos 6:12-13, grifo do autor

Oferecer “os membros do corpo” inclui nossa sexualidade. Glorificamos a Deus quando nos entregamos completamente a Ele e permitimos que o Seu Espírito guie nossas escolhas sexuais. Ele nos libertará do que nos prende e rouba de nós a vida que pretendeu nos dar. Ele nos levará a expressões sexuais que tragam liberdade, intimidade e prazer.

Não estamos dizendo que é fácil vencer a tirania do pecado sexual habitual. “Continuem trabalhando com respeito de temor a Deus”, Paulo escreveu, “para completar a salvação de vocês” (Filipenses 2:12, NTLH). Crucificar a carne é um processo doloroso, embora a santificação seja uma obra da graça de Deus. Às vezes a jornada que nos leva à santidade – e a integridade – requer de nós resistir firmemente à tentação e ao orgulho. Mas se permitirmos que o Espírito faça Sua obra de santificação em nós, encontraremos uma alegria espiritual que excede em muito a dor da luta.

UMA VISÃO DA PUREZA

O zelo que tenho por vocês é um zelo que vem de Deus. Eu os prometi a um único marido, Cristo, querendo apresentá-los a Ele como uma virgem pura. O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção a Cristo. 2 Coríntios 11:2-3

A pureza no nosso casamento tem a ver com mais do que apenas nós. Ela tem a ver com a visão de Cristo para uma noiva pura.

Atualmente, a luxúria está desenfreada dentro da Igreja. Pesquisas recentes mostram que cinquenta por cento dos homens cristãos e vinte por cento das mulheres cristãs são viciados em pornografia. Para combater esse problema, muitos homens e mulheres recorreram a métodos de prestação de contas e de modificação de comportamento para restringir seus vícios sexuais. Esse é um sinal valioso de um desejo de mudança, e esses métodos certamente têm seu lugar, mas a prestação de contas e a disciplina por si só não são fortes o suficiente para vencer a natureza pecaminosa. Se alguém quer se envolver em imoralidade sexual, nenhuma forma de contenção natural irá detê-lo. Ainda que seu comportamento exterior seja temporariamente controlado, sua vida interior continuará sendo governada pela luxúria e pela condenação.

Nossos padrões comportamentais só mudarão de fato quando nossas mentes forem renovadas. “Não se amoldem ao padrão deste mundo”, Paulo implorou “mas transformem-se pela renovação da sua mente” (Romanos 12:2). Como filhos de Deus, somos livres do poder do pecado (ver Romanos 6:19-23). Para desfrutar dessa liberdade, entretanto, precisamos primeiramente permitir que Deus santifique nosso comportamento renovando nossa mente.

Para ter nossa mente renovada precisamos passar tempo com a Palavra de Deus e na Sua Presença. Não existe outra maneira. A Palavra de Deus plantada em nossos corações e estabelecida pelo Seu Espírito nos liberta do pecado (ver Salmos 119:11 e Tiago 1:21). Muitos cristãos lamentam sua vergonha sexual, mas deixam de levar essa vergonha à presença Daquele que nos conduz à liberdade.

Muitas instituições religiosas tentaram empregar táticas que infligem o medo e mecanismos de controle na tentativa de corrigir a imoralidade. Mas esses esforços não funcionaram e levaram a muita hipocrisia e pecado. O fato é que a vergonha empurra o pecado para as sombras, onde ele floresce.

As leis religiosas e as regras feitas por homens não podem nos libertar do pecado. Na verdade, as leis e regras criam um solo fértil para a iniquidade (ver Romanos 7 e 2 Coríntios 3:6). Deus não quer que sejamos apaixonados por regras; Ele quer que sejamos apaixonados por Ele. Somos aperfeiçoados na experiência do amor do nosso Pai e somos curados através do nosso relacionamento com Ele. A Bíblia diz:

Vocês sabem que Ele se manifestou para tirar os nossos pecados, e Nele não há pecado. Todo aquele que Nele permanece não está no pecado. Todo aquele que está no pecado não O viu nem O conheceu. 1 João 3:5-6, grifo do autor

A palavra grega ginosko, traduzida aqui apenas como conhecer, na verdade significa “conhecer uma pessoa através da experiência pessoal direta, que implica em um relacionamento contínuo”. A libertação da natureza pecaminosa acontece quando temos um relacionamento pessoal com Deus, e não apenas por conhecê-Lo pelo que ouvimos alguém falar Dele.

O apóstolo João, pela inspiração do Espírito Santo, declarou que um cristão que se envolve habitualmente com o pecado não está experimentando um relacionamento íntimo e pessoal com Cristo. Portanto, a solução para os problemas e pecados que ameaçam a intimidade no casamento é crescer em intimidade com o Senhor.

Se o pecado está controlando sua vida, corra para Deus. Apenas através do conhecimento adquirido através da experiência do amor e da graça de Cristo você será liberto do pecado. Quando você se voltar para Deus em humildade, Ele renovará sua mente e removerá os véus que obstruem o conhecimento da sua liberdade em Cristo.

Mas quando alguém se converte ao Senhor, o véu é retirado. Ora, o Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade. E todos nós, que com a face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a Sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é o Espírito. 2 Coríntios 3:16-18

Deus não quer que você tenha problemas com o pecado sexual – ou com qualquer tipo de pecado. Ele quer que você ande em santidade e integridade. Quando seu amor por Deus aumenta – um amor que surge em resposta à descoberta do amor Dele por você – sua vida se enche de uma perspectiva renovada e de um desejo de honrá-Lo. Ao submeter-se à Sua vontade e aos Seus caminhos, você descobrirá o poder para viver como Jesus. Assim como Paulo orou pelos crentes de Filipos, oramos por você:

… Que o amor de vocês aumente cada vez mais em conhecimento e em toda a percepção, para discernirem o que é melhor, a fim de serem puros e irrepreensíveis até o dia de Cristo, cheios do fruto da justiça, fruto que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus. Filipenses 1:9-11

Quando abordamos o sexo com o desejo ardente de agradar a Cristo, podemos aprender a desfrutar da intimidade com nosso cônjuge em todas as fases da vida.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.