ALIMENTO DIÁRIO

A HISTÓRIA DO CASAMENTO

DIA 3 – A FONTE DO AMOR

“… O nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vocês” – Romanos 2:24

Enquanto nós, o Corpo de Cristo, não vivermos e amarmos de maneira adequada, as pessoas blasfemarão o nome de Deus. Isso não é nenhuma surpresa, pois se nos consideramos “cristãos”, afirmamos ser embaixadores de Cristo. O apóstolo Paulo escreveu:

Ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não levando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o Seu apelo por nosso intermédio. Por amor a Cristo lhes suplicamos… 2 Coríntios 5:19-20

Um embaixador é um mensageiro ou representante autorizado.3 Como cristãos, falamos por Cristo. Que privilégio! Fomos convidados, e até mesmo encarregados, de participar no ministério da reconciliação de Deus. Falamos por Deus com nossas palavras e atos. Esse é o nosso propósito de vida. Somos colaboradores com Deus, fazendo avançar o Seu Reino na Terra.

Então o que Cristo pediu que nós, Seus embaixadores, façamos? Jesus disse: “Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como Eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros” (João 13:34).

Felizmente essa missão não é algo que devemos realizar por meio da nossa própria força de vontade. A Bíblia deixa claro que, para cumprir nosso propósito, precisamos primeiramente estar em Cristo – ser herdeiros da Sua graça por intermédio da Sua obra salvadora na Cruz. Só então podemos agir pelo poder transformador do Seu Espírito, e só então podemos amar uns aos outros como Ele nos ama.

Sob a nova aliança da graça, Deus nunca nos dá uma ordem sem nos dar o poder para cumpri-la. Porque estamos em Cristo, Seu Espírito capacitará nossos casamentos e nossas vidas individuais para que possam revelar Sua presença e amor ao mundo. Entretanto, não podemos revelar Seu amor até que nós mesmos o experimentemos primeiro. Em Efésios, Paulo oferece a chave para recebermos o poder do amor de Cristo:

Oro para que, com as Suas gloriosas riquezas, Ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do Seu Espírito, para que Cristo habite no coração de vocês mediante a fé; e oro para que, estando arraigados e alicerçados em amor, vocês possam juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus. Efésios 3:16-19, grifo do autor

Para receber a revelação do amor de Cristo, primeiro temos de permitir que Deus nos fortaleça no íntimo do nosso ser com poder por meio do Seu Espírito. Mas isso não pode acontecer se você não entregou sua vida a Ele. A partir do momento em que a sua vida for Dele, você terá a oportunidade de crescer continuamente no Seu amor, uma jornada que por fim levará a uma vida plena e íntegra.

Apenas dois versículos após ter escrito sobre o poder que recebemos quando conhecemos o amor de Cristo, Paulo explica o propósito desse poder:

… rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam. Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor. Façam todo esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Efésios 4:1-3, grifo do autor

Observe que Paulo escreveu “vivam de maneira digna da vocação que receberam”. Mais uma vez, ele está falando do nosso propósito: revelar o amor, a verdade e o modo de vida de Deus (Seu Reino) ao mundo. Nada disso é possível sem que se tenha experimentado o amor de Deus. O conhecimento teórico não bastará. Somente quando possuímos a experiência pessoal do amor de Deus é que somos revestidos de poder para edificar vidas – e casamentos – dignos do nosso chamado.

Nessa passagem, Paulo descreveu certos padrões comportamentais muito similares aos que são necessários a um bom casamento: ser humilde, ser dócil, ser paciente, suportar uns aos outros e fazer todo esforço para conservar a unidade por meio da paz. Não é coincidência que logo no capítulo seguinte de Efésios encontremos alguns dos versículos mais famosos da Bíblia sobre o casamento. (Lembre-se de que as designações de capítulo e versículo foram acrescentadas pela Igreja no século 13 e não apareciam na carta original de Paulo.) Seria possível que em Efésios 1 a 4 Paulo estivesse preparando o coração de seus leitores para o que ele estava prestes a compartilhar – as verdades radicais sobre o casamento que exigiriam um conhecimento radical do amor de Deus?

Então, eis a progressão: antes que você possa amar de maneira adequada (quer seja o seu cônjuge ou qualquer outra pessoa), você precisa primeiro descobrir as profundezas do amor de Deus por você. O seu conhecimento do amor de Deus não pode se basear em informações de segunda mão; você precisa experimentá-lo pessoalmente. Quando experimentar o amor de Cristo, você será “cheio de toda a plenitude de Deus”. Só então você poderá levar uma vida digna do seu chamado. O poder para viver e amar adequadamente vem do conhecimento íntimo do imenso amor de Deus por você.

O PROPÓSITO DO CASAMENTO

Se seu propósito individual é ser uma representação de Cristo na Terra, qual é o propósito do seu casamento?

Vamos começar por aqui: Deus é amor. O amor não é apenas algo que Deus faz. Não é apenas algo que Ele tem. É quem Ele é. O casamento é uma instituição de amor, a primeira instituição que Deus estabeleceu. O casamento não é apenas a primeira instituição estabelecida por Deus, é também o simbolismo poético usado por Ele para representar as profundezas do Seu amor por nós e do Seu compromisso conosco, Sua Igreja e Noiva. A noiva e o noivo são uma imagem da Igreja e de Cristo.

Por causa desse simbolismo profundo, há uma intenção ainda mais profunda e mais obscura por trás do ataque contra o casamento, um motivo que poucos reconhecem. Os ataques contra o casamento – contra sua definição, sua designação e suas raízes divinas – têm a ver com mais do que política ou progresso social. A Bíblia deixa claro que não guerreamos meramente contra carne e sangue, que nosso adversário não é um governo ou organização (ver Efésios 6:12). Há um antigo adversário – o inimigo das nossas almas – trabalhando por trás dos bastidores para distorcer e perverter a fusão divina. Ele não vai parar de atacar o casamento até ter distorcido completamente a nossa base de referência acerca da maneira como Deus ama e se relaciona com Seu povo. A última coisa que satanás quer é que descubramos e recebamos o amor transformador de Deus. Mas pela graça de Deus, podemos derrotar nosso adversário e abraçar tudo o que Deus deseja no nosso casamento e para o nosso casamento.

O QUE JESUS PENSA?

Deus não apenas criou o casamento; Ele também tem um plano e um propósito para ele que não mudou. Embora o debate sobre as particularidades do casamento seja um tema polêmico há milhares de anos, Deus ainda o garante como Seu plano original. Veja o que Jesus disse aos fariseus em uma de Suas mais famosas conversas com relação ao casamento:

Um dia, os fariseus vieram provocá-Lo: “É permitido um homem divorciar-se da esposa por qualquer razão?” Ele respondeu: “Vocês não leram que o Criador, no plano original, fez o homem e a mulher um para o outro, macho e fêmea? Por causa disso, um homem deixa pai e mãe e une-se à sua esposa, tornando-se uma carne com ela. Não são mais dois, mas apenas um. Deus criou uma união perfeita, que ninguém pode ter a ousadia de profaná-la, separando-os”. Mateus 19:3-6, A Mensagem

Os fariseus se contentavam em saber o que era legalmente correto, mas Jesus queria que eles compreendessem o poder do amor.

Não podemos negar o fato de que Deus originalmente planejou os homens e as mulheres uns para os outros. No casamento, eles deixam seus pais para formar uniões vivas. A partir do momento em que os dois sexos estão unidos, ninguém deveria separar essa fusão.

POR QUE DEUS SE IMPORTA COM O DIVÓRCIO?

A versão da Bíblia A Mensagem chama o divórcio de uma profanação da união perfeita que Deus criou. É o fato de o casamento ser uma união criada por Deus que torna o divórcio algo tão sério.

Profanar é tratar algo sagrado com um desrespeito violento.4 Os sinônimos de profanar incluem palavras como blasfemar, difamar, maldizer, corromper, vandalizar, insultar e violar. Todos esses termos extremos transmitem uma sensação de violência. Fizemos referência à versão parafraseada de A Mensagem, mas todas as versões transmitem a gravidade de dividir o que Deus uniu. E ao fazer um estudo contextual adequado, podemos deduzir com segurança que Jesus está falando de todos os casamentos.5

Você pode imaginar como o mundo reagiria se alguém profanasse o quadro Mona Lisa, de Leonardo da Vinci? Todas as redes de notícias transmitiriam a história. O autor do crime seria condenado pela sociedade e provavelmente passaria o resto da vida na prisão. Como alguém ousaria profanar uma das maiores obras de arte da humanidade? Leonardo rolaria no túmulo.

Bem, Deus considera o casamento como uma das maiores obras de arte a serem expressas através de Sua criação favorita. A Paixão Dele pelo casamento é evidenciada na resposta de Jesus aos fariseus. As palavras Dele eram tão poderosas que eles não sabiam como lidar com elas, de modo que simplesmente se recusaram a responder-Lhe. Incapazes de compreender o casamento à luz da intenção original de Deus, eles se escondiam atrás da Lei de Moisés – uma abordagem que lhes permitia partir em vez de lhes dar o poder e a autoridade para ficar.

Eles retrucaram: “Se é assim, por que Moisés ordenou que o marido mandasse sua mulher embora, dando-lhe uma certidão de divórcio?” Jesus disse: “Moisés deixou o divórcio apenas como concessão por causa do coração duro de vocês, mas não era parte do plano original de Deus. Estou apresentando o plano original. Assim, se alguém se divorciar de uma esposa fiel e se casar com outra pessoa, a responsabilidade do adultério recairá sobre ele. A única exceção é o caso quando uma das partes comete imoralidade sexual”. Mateus 19:7-9, A Mensagem

Sob a Lei de Moisés, eram feitas concessões por causa da dureza do coração humano. Isso era algo provisório, e não o propósito original de Deus. Não se engane; Deus odeia as consequências do divórcio. Quando um marido e sua esposa são separados, um dos mistérios da Criação de Deus (como o casamento é descrito em Efésios 5:31-32) é violado e destruído.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.