ALIMENTO DIÁRIO

QUALIFICADOS

ASSASSINOS DE MINISTÉRIO QUE VOCÊ PRECISA VENCER: OS ESTRAGA-PRAZERES

CAPÍTULO 23 – LIDANDO COM PESSOAS DIFÍCEIS – PARTE II

3. EXISTEM DOIS TIPOS DE DOR QUE UM LÍDER ESPIRITUAL ENCONTRARÁ

A primeira dor é o atrito. Atrito se refere à redução numérica. A segunda é a dor da agressão. Essa se refere a pessoas que atacam o líder.

Paulo experimentou atrito quando ele disse: “Estás ciente de que todos os da Ásia me abandonaram; dentre eles cito Fígelo e Hermógenes” (2 Timóteo 1:15). É também o que ele experimentou quando disse: “Demas me abandonou…” (2 Timóteo 4:10, NLT).

Até mesmo Jesus experimentou atrito em Sua posição (João 6:66-67). “À vista disso, muitos dos seus discípulos o abandonaram e já não andavam com Ele. Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura, quereis também vós outros retirar-vos?’” Deus também experimentou atrito em seu Reino. Lembre-se de que um terço dos anjos seguiu Lúcifer em sua rebelião.

Líderes espirituais querem unir e influenciar pessoas, então tipicamente eles são feridos quando indivíduos os deixam, especialmente quando a partida é desagradável. Ministros experientes:

•   Não deixam partidas esmagá-los ou deixá-los calejados.

•   Não abrigam falta de perdão, ofensa ou amargura sobre o passado.

•   Lideram com “mão aberta”, reconhecendo que as pessoas têm livre-arbítrio e que elas,

às vezes, escolhem ir para outras direções.

•   Sabem que o povo e o ministério pertencem a Deus, não a eles.

•   Sabem que nem todas as partidas são da mesma forma.

•   Alguns saem de uma maneira saudável, na vontade de Deus, e deveriam ser celebrados.  Mesmo quando uma partida não é positiva, um líder precisa manter uma boa atitude, e fazer o melhor possível, e se manter avançando.

•   Usa as partidas como um tempo para avaliar métodos, o ministério, etc… para aprender com a situação e fazer qualquer ajuste necessário sem se tornar autocondenado.

•   Focam nas pessoas que permanecem, não naquelas que saíram.

•   Mantêm a visão do grupo e erguem grupos para o futuro.

Paulo também experimentou a dor da agressão.

Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe dará a paga segundo as suas obras. Tu guarda-te também dele, porque resistiu fortemente às nossas palavras.  — 2 Timóteo 4:14-15

A tradução Weymouth diz isso da seguinte forma: “Alexandre, o Latoeiro, mostrou hostilidade amarga em relação a mim…”.

Observe que nesse caso em particular, Alexandre parecia odiar a mensagem de Paulo. Essa questão não era a respeito de Paulo em si, era acerca da Palavra de Deus que ele pregava. Jesus disse: “Vocês lembram-se do que eu vos tenho dito? ‘Um servo não é maior do que o seu mestre’. Já que eles me perseguiram, naturalmente eles irão persegui-los. E se eles me ouviram, também os ouvirão” (João 15:20).

4. QUANDO ESTIVER NADANDO COM TUBARÕES, NÃO SANGRE

Líderes espirituais que experimentaram a dor do atrito e sofreram a agressão genuína podem atestar a verdade que Stuart Briscoe articulou como as qualificações de um pastor: “A mente de um estudioso, o coração de uma criança, e a pele de um rinoceronte”.68

Tenacidade e resiliência são necessárias para líderes espirituais que cumprirão o seu desígnio.

E, agora, constrangido em meu espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que ali me acontecerá, senão que o Espírito Santo, de cidade em cidade, me assegura que me esperam cadeias e tribulações. Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus.  — Atos 20:22-24

O caminho para impedir que as críticas e oposições nos destruam é estar focado em um propósito maior do que o nosso ego. Paulo entendeu que os ataques contra ele não eram pessoais, e que a perseguição que ele encontrou era por causa da mensagem que ele pregava. Paulo poderia ter evitado toda a perseguição fazendo uma simples coisa: parando de pregar o Evangelho! A força de caráter, no entanto, irá fazer com que uma pessoa invariavelmente avance para o que é correto.

Martinho Lutero reconheceu o quão importante a força era em uma liderança espiritual. Tendo ele mesmo enfrentado amarga oposição, ele disse:

“Um pregador precisa ser, ao mesmo tempo, um soldado e um pastor. Ele precisa nutrir, defender e ensinar, ele precisa ter dentes na sua boca e ser capaz de morder e lutar”. Enquanto é verdade que líderes espirituais “… não militam segundo a carne” (2 Coríntios 10:3) e “… nossa luta não é contra o sangue e a carne” (Efésios 6:12), ainda assim, eles têm de ser duros quando se trata de lidar com “lobos cruéis” (Atos 20:29).

A tenacidade foi enaltecida quando:

•  Paulo falou aos Tessalonicenses para: “admoesteis os insubmissos” (1 Tessalonicenses 5:14).

•  Quando Timóteo foi encorajado a “combate, firmado nelas, o bom combate” (1 Timóteo 1:18).

•  Quando Paulo instruiu a Tito para: “Dize estas coisas; exorta e repreende também com toda a autoridade. Ninguém te despreze” (Tito 2:15).

•  Quando Judas admoesta os crentes a: “… lutem de todo o coração pela fé que nos foi confiada como um dom a ser guardado e cultivado” (Judas 3, A Mensagem).

5. QUANDO ESTIVER LUTANDO CONTRA DRAGÕES, NÃO SE TORNE UM DELES

Salomão disse: “Acima de qualquer coisa guarda o teu coração, porque ele determina o curso da tua vida” (Provérbios 4:23, NLT). Quando estiver lidando com pessoas difíceis, é essencial guardar o seu coração contra a amargura, o ressentimento e a ofensa. Não permita uma pessoa com um comportamento inadequado arrastá-lo para o nível dela. Aqui estão algumas coisas importantes para lembrar:

•   Não deixe o problema de outra pessoa tornar-se o seu.

•   Não deixe a carnalidade de outras pessoas estimular a sua carnalidade.

•   Não deixe o pecado de outra pessoa levá-lo a pecar.

•   Não viva a sua vida reagindo aos problemas “carnais” de alguém. Viva a sua vida respondendo ao poder do amor de Deus.

Jonathan Edwards disse: “Decisão: que todos os homens deveriam viver para a glória de Deus. Segunda decisão: que se outros viverão ou não, eu viverei”.

Seguir o exemplo de Edwards nos levará a ter os seguintes propósitos:

•   Eu andarei em amor, se outros o fizerem ou não.

•   Eu demonstrarei o fruto do Espírito se outros o fizerem ou não.

•   Eu manterei uma atitude piedosa se outros mantiverem ou não.

•   Eu manterei a minha paz, não importando o quão tumultuada qualquer situação se torne.

6. NÃO PRESUMA QUE AS PESSOAS SEMPRE RETRIBUIRÃO A SUA BONDADE

Nossas expectativas exercem grande influência na maneira como reagimos às situações. Se nós esperamos que as pessoas sejam sempre graciosas, apreciativas e bondosas conosco, então provavelmente experimentaremos desilusões e decepções. É muito bom termos uma perspectiva positiva na vida, mas nós deveríamos, também, ser realistas nas nossas expectativas.

Infelizmente, existem pessoas que dão pouco apreço e não demonstrarão uma gratidão apropriada. Talvez fosse o entendimento de Paulo desse fato que o levou a dizer: “Eu de boa vontade me gastarei e ainda me deixarei gastar em prol da vossa alma. Se mais vos amo, serei menos amado?” (2 Coríntios 12:15).

Davi foi profundamente magoado pela maneira que as pessoas reagiram a ele. Ele disse: “Pagam-me o mal pelo bem, o que é desolação para a minha alma” (Salmos 35:12).

Ao longo dos anos, tenho falado com líderes espirituais que, como Davi, foram entristecidos por pessoas que foram tão ingratas com eles. De fato, é maravilhoso (e apropriado) quando pessoas expressam gratidão para com aqueles que têm ministrado a elas, contudo, isso não pode ser a nossa motivação como líderes espirituais. Se servimos pelos elogios dos homens, nós podemos ficar desapontados. Se servimos, entretanto, para a glória e honra de Deus, nunca ficaremos desapontados. Nossa recompensa final está nos céus.

Naquilo que ele chamou de “Os mandamentos Paradoxais,” Kent Keith escreveu:

•   Pessoas são irracionais, ilógicas e autocentradas.

•   De qualquer maneira, ame-as.

•   Se você fizer o bem, pessoas podem acusá-lo de ter segundas intenções egoístas.

•   De qualquer maneira, faça o bem.

•   Se você é bem-sucedido, você ganhará amigos falsos e inimigos verdadeiros.

•   De qualquer maneira, seja bem-sucedido.

•   O bem que você faz hoje será esquecido amanhã.

•   De qualquer maneira, faça o bem.

•   Honestidade e franqueza o tornam vulnerável.

•   De qualquer maneira, seja honesto e franco.

•   Os maiores homens e mulheres com as maiores ideias podem ser derrubados pelos menores homens e mulheres com as menores mentes.

•   De qualquer maneira, pense grande.

•   Pessoas gostam dos mais fracos, mas só apostam nos mais fortes.

•   De qualquer maneira, lute por alguns mais fracos.

•   O que você investe anos construindo pode ser derrubado da noite para o dia.

•   De qualquer maneira, construa.

•   As pessoas realmente precisam de ajuda, mas podem atacá-lo se você ajudá-las.

•   De qualquer maneira, ajude.

•   Dê ao mundo o melhor que você tem, e você será chutado nos dentes.

•   De qualquer maneira, dê ao mundo o que você tem de melhor.

Alguém adaptou levemente a peça citada e adicionou o seguinte pensamento: “Veja, na análise final, de qualquer maneira, isso é entre você e Deus. Nunca foi entre você e as pessoas”.

7. NEM TODOS OS CONFLITOS SERÃO RESOLVIDOS DA MANEIRA QUE VOCÊ GOSTARIA QUE FOSSEM

É bom esforçar-se pelo melhor em cada relacionamento, mas não temos a habilidade de fazer cada um se tornar exatamente como gostaríamos que fosse. Paulo fez uma declaração muito interessante sobre a responsabilidade do crente concernente a relacionamentos: “Se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens” (Romanos 12:18).

Paulo está dizendo que deveríamos fazer tudo o que pudermos para promover relacionamentos produtivos, saudáveis e positivos, mas observe as qualificações que ele usa. Primeiro, “Se possível” (implica dizer que nem sempre é possível), e segundo, “quanto depender de vós” (implica dizer que a vontade, as decisões e ações de outras pessoas estão envolvidas).

Muitos descobriram que mesmo que eles fizessem tudo o que podiam, caminhando mais uma milha e exercitando a melhor habilidade humana, evitando um conflito com outra pessoa, ainda assim não funcionou da maneira que eles gostariam. Contudo, algumas dessas mesmas pessoas descobriram que quando entregaram a situação para Deus, a reconciliação acabou vindo, mesmo depois de anos.

Existem momentos em que temos de entregar uma situação a Deus e deixar um relacionamento tenso ou destruído em Suas mãos, confiando Nele ao longo do tempo, a cura ocorrerá, enquanto avançamos no plano de Deus para as nossas vidas nesse meio tempo. O ponto de partida é que temos de fazer o melhor com o que temos para fazer, e confiar em Deus para os melhores resultados.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s