ALIMENTO DIÁRIO

QUALIFICADOS

CAPÍTULO 14 – CONSIDERAÇÕES PRÁTICAS A RESPEITO DE SABEDORIA FINANCEIRA E INTEGRIDADE

“Nós consideramos uma responsabilidade sagrada e uma oportunidade genuína sermos administradores fiéis de tudo o que Deus tem nos confiado; nosso tempo, nosso talento e nossos recursos financeiros. Vemos a vida como um encargo sagrado a ser usado sabiamente.” — Aliança Moraviana para a Vida

Pensamento-chave: Líderes espirituais são conscientes, responsáveis e diligentes em seu trato com o dinheiro.

Na ocasião em que escrevo isto, meu país tem experimentado um longo período de extrema dificuldade financeira. Os valores das casas despencaram e o desemprego permanece em alta. Nos últimos anos, um número sem precedentes de pessoas entrou em falência e muitas delas perderam os seus lares devido às execuções de hipotecas. Como resultado dessa recessão, muitas igrejas e ministérios e bons líderes espirituais cristãos foram adversamente afetados.

Estamos vivendo dias nos quais líderes não devem apenas ter uma grande fé para confiar e crer em Deus, mas também devem ter grande sabedoria para lidar sabiamente com o dinheiro. Nada neste capítulo pretende refletir negativamente ou trazer condenação para pessoas ou igrejas que sofreram reveses financeiros. Entretanto, também é extremamente importante que líderes e crentes atuem nos mais altos níveis de ética e sabedoria, no que diz respeito a questões financeiras.

Quer você esteja lendo isso em um tempo de desafios financeiros ou um período de grande abundância, você tem um antecessor no ministério que pode relacionar-se com a sua situação. Paulo disse: “Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4:12-13). A versão NTLH traduz parte do versículo 12 assim: “… sei o que é estar necessitado e sei também o que é ter mais do que é preciso”.

RESPONSABILIDADE

Paulo era muito diligente ao proteger-se de acusações de inconveniência, por meio de uma sólida responsabilidade no que dizia respeito a lidar com finanças. Ele falou de uma oferta que recebera na Grécia, para os crentes em Jerusalém, quando disse: “Queremos evitar que alguém nos critique quanto ao nosso modo de administrar essa generosa oferta, pois estamos tendo o cuidado de fazer o que é correto, não apenas aos olhos do Senhor, mas também aos olhos dos homens” (2 Coríntios 8:20-21, NVI).

Para facilitar seu desejo por responsabilidade, Paulo encorajou cada igreja a ter um representante acompanhando-o e ajudando na distribuição desses fundos. Paulo poderia ter levado o dinheiro sozinho para Jerusalém, e eu acredito que ele teria sido completamente honesto em suas relações. Entretanto, ao fazê-lo, ele poderia ter se exposto à crítica e se colocado em uma posição vulnerável.

CONSELHO SÁBIO

Provérbios 11:14 nos diz: “Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança”. Em tempos de leis complexas, é benéfico para pastores, igrejas e ministérios buscarem conselhos e direções de vários profissionais, como contadores, advogados, banqueiros, assessores executivos, agentes de seguros, etc. Alguns desses conselhos custarão dinheiro, mas seria muito mais caro não ter a direção apropriada. Igrejas e ministérios deveriam fixar recursos adequados de modo a receberem tais conselhos e adquirirem serviços profissionais, à medida que forem necessários. Procedimentos e sistemas apropriados deveriam ser estabelecidos e seguidos. Semelhantemente, princípios comerciais saudáveis deveriam ser implementados e todas as leis relevantes observadas.

É sempre bom garantir que se está recebendo conselhos saudáveis de fontes bem conceituadas. Uma vez alguém disse: “Os dois caminhos mais rápidos para o desastre são: não tomar conselho com ninguém e se aconselhar com todos”. Sófocles disse: “Nenhum inimigo é pior do que um conselho ruim”.

CUMPRINDO AS OBRIGAÇÕES RESPONSAVELMENTE

Isto pode parecer elementar, mas pagar as nossas contas e impostos é uma parte de agir em integridade. Deveríamos ser diligentes e rápidos nessas questões. Quando indagado acerca de pagar impostos, Jesus disse: “Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Mateus 22:21).

Paulo reiterou isso quando disse: “Portanto, vivam com responsabilidade — não apenas para evitar a punição, mas por ser a maneira certa de viver. É por isso, também, que vocês pagam impostos — para que a ordem seja mantida. Cumpram suas obrigações como um cidadão. Paguem seus impostos. Paguem suas contas. Respeitem seus superiores” (Romanos 13:5-7, A Mensagem).

No versículo seguinte, Paulo diz: “A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros…” (Romanos 13:8). Alguns têm interpretado isso querendo dizer que um cristão, sob nenhuma circunstância, deve pedir dinheiro emprestado. Entretanto, acredito que outras versões acrescentam luz adicional e útil ao sentido desse versículo.

Na NVI lemos: “Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros…”. A tradução NTLH traz esse versículo assim: “Não fiquem devendo nada a ninguém. A única dívida que vocês devem ter é a de amar uns aos outros…”.

Entendido desse modo, recebemos a impressão de que devemos, simplesmente, pagar as nossas contas em dia. Entretanto, existe, obviamente, grande sabedoria em ficar livre de débitos e viver livre de débitos. Provérbios 22:7 diz: “…quem toma emprestado é escravo de quem empresta”, e isso é especialmente verdadeiro quando o débito se tornou esmagador e descontrolado. Alguém uma vez disse: “Quando os seus gastos excedem os lucros, a sua manutenção se torna a sua ruína”.

Gastos irresponsáveis e débitos com cartão de crédito tornaram-se um grande problema em nossa nação. O cartão de crédito pode ser uma ferramenta muito boa, mas se não for administrado corretamente, pode se tornar um grande cativeiro. Em minhas viagens, o cartão de crédito é necessário para a locação de carros, pagar hotel, etc. Entretanto, Lisa e eu assumimos, ao longo dos anos, a prática de não colocarmos no nosso cartão mais do que estamos preparados para pagar no final do mês. Isso tem nos salvado e economizado uma quantia significativa de dinheiro em juros.

O crédito fácil e uma sociedade materialista têm contribuído para que muitas pessoas excedam os seus limites financeiros. Alguns têm estado obcecados em querer parecer prósperos, e por isso compraram casas, carros, roupas, joias, etc., que estavam simplesmente além das suas posses.

George Washington Carver, que morreu em 1943, disse: “Temos nos tornado 99% loucos por dinheiro. O método de vivermos, no lar, modestamente e dentro das nossas condições, lançando um pouco sistematicamente para o proverbial dia chuvoso que irá chegar, pode ser quase listado entre as artes perdidas”.

Calvin Coolidge, presidente dos Estados Unidos de 1923 a 1929, afirmou: “Não há dignidade tão impressionante, ou independência tão importante, do que viver dentro das suas posses”.

Uma boa regra de ouro, para aqueles que buscam administrar sabiamente o seu dinheiro, é dar 10% para Deus, colocar 10% na poupança e viver dentro dos 80% dos seus recursos.

EMBARAÇOS A EVITAR

Alguns têm se esforçado para ajudar outros, sendo fiador para eles em um empréstimo. Embora isso soe virtuoso, pode levar a sérios problemas. Primeiro, se a pessoa não pagar as suas contas, você está obrigado a pagar. Segundo, se a pessoa não paga a sua conta e você paga, ela provavelmente ficará desconfortável por estar perto de você e, se você for um pastor ou um líder espiritual, isso significa que ela irá, provavelmente, evitar a igreja (isso também se aplica quando você faz um empréstimo para alguém). Se isso não é razão suficiente para você evitar ser fiador, então considere as seguintes passagens:

Meu filho, se você serviu de fiador do seu próximo, se, com um aperto de mãos, empenhou-se por um estranho e caiu na armadilha das palavras que você mesmo disse, está prisioneiro do que falou. Então, meu filho, uma vez que você caiu nas mãos do seu próximo, vá e humilhe-se; insista, incomode o seu próximo! Não se entregue ao sono, não procure descansar. Livre-se como a gazela se livra do caçador, como a ave do laço que a pode prender. — Provérbios 6:1-5

Quem serve de fiador certamente sofrerá, mas quem se nega a fazê-lo está seguro. — Provérbios 11:15

O homem sem juízo com um aperto de mãos se compromete e se torna fiador do seu próximo. — Provérbios 17:18

Não seja como aqueles que, com um aperto de mãos, empenham-se com outros e se tornam fiadores de dívidas; se você não tem como pagá-las, por que correr o risco de perder até a cama em que dorme? — Provérbios 22:26-27

RECEBENDO DÍZIMOS E OFERTAS

•  Ensine ousadamente e com confiança a respeito de administração, dízimos, ofertas, generosidade, etc. Não seja envergonhado, apologético ou retraído ao ensinar sobre dinheiro ou assuntos relacionados; isso é parte da vontade de Deus que somos responsáveis de ensinar.

•  Seja honesto e objetivo quanto a projetos especiais e necessidades da igreja e assegure-se de que ofertas específicas vão para os projetos para os quais foram designadas.

•  Não pressione as pessoas a dar por meio da culpa, vergonha, condenação, ameaça, etc.

•  Não “engane” ou manipule pessoas a fazerem uma doação compulsiva de maneira que mais tarde elas se arrependerão e ficarão ressentidas quanto a isso. Uma pessoa deve dar “segundo propõe em seu coração” (2 Coríntios 9:7), não em um estado de sentimentalismo frenético.

•  Não faça promessas infundadas e irrealistas para as pessoas. Evite tudo o que possa ser entendido como manipulação espiritual.

•  Evite artifícios.

PASTOR — RELACIONAMENTOS COM MINISTROS CONVIDADOS

Em um artigo intitulado, “Etiqueta para pastores: como honrar ministros convidados em sua igreja”, o pastor Michael Cameneti escreveu:

Acreditamos que qualquer ministro que semeia a Palavra na nossa congregação é alguém que Deus quer abençoar, por isso nos esforçamos para abençoar esse ministro convidado “acima e além”. Consistentemente, busco transmitir à nossa congregação a essência do dar e de ser uma bênção por meio de ministrações sobre finanças, fundamentadas em 1 Timóteo 5:18. Depois, encorajo a todos na nossa igreja a participarem dando uma oferta especial para o ministro convidado. Além disso, acredito que é sempre melhor semear em uma oferta do que o montante inicial recebido, portanto, acrescentamos às ofertas dos convidados apenas para abençoá-los. Em nosso coração sentimos fortemente que não podemos dar mais do que Deus e que Ele irá suprir todas as nossas necessidades à medida que semeamos na vida de outros.

Semelhantemente, os ministros convidados devem ser altamente respeitosos com a igreja local, bem como com o seu pastor. Ao longo dos anos, ouvi pastores compartilharem acerca de experiências negativas com ministros convidados, que pareciam estar muito mais interessados no que eles poderiam obter da igreja, financeiramente, do que o que eles poderiam oferecer à igreja, espiritualmente.

Recentemente, ministrei em uma igreja e, antecipadamente, recebi instruções por escrito. Achei que essas instruções foram muito boas. Era óbvio que, pelos pontos apresentados nessas instruções, o pastor sentia que o seu povo tinha sido “tosquiado” antes. Como um bom pastor, ele estava apenas fazendo o seu melhor para assegurar que esse tipo de coisa não acontecesse novamente. Algumas de suas instruções incluíam:

•  Dependendo do tipo de culto, um pagamento será dado ao ministro convidado, ou o pastor retirará uma oferta para o ministro ao final do culto. Aos ministros convidados não é permitido pedirem a sua própria oferta de púlpito.

•  Os envelopes da igreja apenas serão utilizados se uma oferta for solicitada.

•  Só serão permitidos três minutos para a divulgação de produtos no púlpito, a menos que o pastor autorize antecipadamente.

•  Os membros da igreja não serão inseridos na lista de contatos do ministro, exceto sob seu consentimento claro e pessoal.

•  A igreja irá providenciar, por mesa, até dois voluntários experientes, para ajudar na organização e venda dos produtos e materiais do ministro. Isso será assim porque somos sensíveis com respeito à interatividade com as pessoas da nossa comunidade.

•  Cheques pelos produtos serão feitos nominais à igreja. Todo o dinheiro das vendas de produtos será enviado pelos correios, com a oferta, dentro de três a cinco dias úteis.

Não estou apresentando essas ideias como um absoluto “dever”, mas existe uma grande necessidade de que pastores e ministros convidados trabalhem com respeito mútuo. O ideal será alcançado quando cada parte buscar abençoar, grandemente, a outra parte.

A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS

ELEMENTOS DE REAÇÃO

Os temas sobre a relação do homem com a tecnologia vão além da dependência e interação. É necessário fazer uma análise científica acerca do campo energético que liga o ser humano à máquina

Prêmio Nobel de Física de 1946, Wolfgang Pauli era conhecido pelo “efeito Pauli”. Nos laboratórios ocorriam curtos-circuitos em aparelhos, vidros que se quebravam, bastando que estivesse presente. Ele mesmo descreveu que sentia um certo mal-estar, acompanhando por uma espécie de “aura” até alguma coisa quebrar ou desandar e aliviar-se. Muitas vezes proibiam seu ingresso nas salas.

A Universidade de Princeton sediou o polêmico Laboratório de Engenharia e Pesquisa de Eventos Anômalos (Pear). O objetivo era verificar se a intenção do pesquisador poderia afetar o resultado de experimentos mecânicos e eletrônicos. Os resultados caracterizaram-se como estatisticamente significativos, quer dizer, a possibilidade de seus resultados serem alcançados aleatoriamente era muito pequena, embora viável.

Foi utilizado um gerador de eventos randômicos (REG), que é um hardware (blindado) que registra flutuações quânticas traduzidas em uma linha na tela do computador. É como se uma moeda fosse jogada 100 vezes por segundo e o resultado fosse registrado. Como a proporção esperada é de cerca de 50% para cada lado da moeda, a linha na tela flutua, com pequenas variações. Um ou mais voluntários são instruídos a “desejar” que a linha “suba” ou “desça”. Duplas em geral têm mais sucesso. Se estiverem apaixonados, mais marcante o efeito. Alguns relatam uma sensação física peculiar e sabem antecipadamente que nesse dia o resultado será vigoroso. Resultados positivos são obtidos mesmo à distância.

Respire fundo, leitor, calma. Ainda é cedo para qualquer conclusão. Mas pode ser que haja uma dimensão que, como um campo, englobe todos os participantes, já que os responsáveis pela pesquisa não pensavam tratar-se de uma ação do córtex cerebral, embora não tivessem meios de teorizar sobre “o que” estaria em ação.

Blasband, analista reichiano, estruturou seu projeto utilizando uma sala ao lado na qual faz os atendimentos, lá deixando um computador e um REG. Um cronômetro foi utilizado para registro do momento em que, nas sessões, havia uma ab-reação ou uma experiência emocional marcante. Ao final do dia, o computador examinado apresentava uma forte correlação entre as variações agudas nos registros e os momentos anotados. Como se uma “rede” envolvesse os humanos e o computador.

Várias pessoas que amam seus carros dizem que quando alguém gosta do carro, o carro gosta da gente também e não nos deixa na mão. Pode parecer bobagem de início, mas há sinais que indicam que a relação homem-máquina pode incluir elementos ainda obscuros que merecem mais atenção.

NICOLAU JOSÉ MALUF JR, – é psicólogo, analista reichiano, doutor em História das Ciências, Técnicas e Epistemologia (HCTE – UFRJ). Contato: nicolaumalufjr@gmail.com

OUTROS OLHARES

A BUSCA DA BELEZA ETERNA

Maçãs salientes, queixo pontudo, lábios com volume idêntico: como é o tratamento mais adotado por celebridades para atenuar os sinais de envelhecimento

No passado, ter um rosto perfeito exigia um DNA privilegiado ou a ação de um bisturi talentoso. Isso mudou. O código genético ainda tem seu papel, mas agora é o dermatologista que, aos poucos, vem tomando o lugar do cirurgião plástico como realizador de sonhos. A oferta é mais do que tentadora — procedimentos não invasivos que deixam cada cantinho do rosto em perfeito equilíbrio. Em seu conjunto, o cardápio de opções apresenta-se sob uma expressão sedutora: harmonização facial. Esse novo ideal cosmético consiste basicamente no uso da toxina botulínica e do ácido hialurônico para aumentar o volume dos lábios, levantar as sobrancelhas, deixar os maxilares protuberantes, atenuar a perda de volume das maçãs, preencher o bigode chinês e arrebitar o nariz. A promessa é proporcionar uma face mais jovem e, claro, harmônica — embora em casos extremos, como o da celebridade americana Kim Kardashian, cujo rosto já não tem nada original de fábrica, o resultado se afaste (e muito) da harmonia almejada.

Entre as intervenções mais desejadas, o volume nos lábios é o campeão de pedidos nos consultórios dermatológicos. Na casa dos 30, quase 40 anos, beldades como Cléo Pires e Gisele Bündchen já recorreram à técnica. Será que, de fato, era necessário? Por que mulheres tão bonitas acham que precisam de retoques? Uma das explicações, sem dúvida, é a proliferação das redes sociais. A exposição contínua no Facebook, Instagram e afins exige de pessoas que vivem da própria imagem um apuro estético permanente, a necessidade de parecerem sempre belas. Como, na era das selfies, elas são referência para suas seguidoras, tal prática acaba ganhando um impulso ainda maior. “A rede social nos deixa mais expostos. Daí a preocupação em tornar essa imagem melhor”, explica Fábio Saito, diretor de educação médica da Allergan, a maior fabricante de ácido hialurônico e toxina botulínica do mundo. Divulgada no mês passado, uma pesquisa da própria Allergan com entrevistados em dezoito países ajuda a entender a relação entre o desejo de um rosto perfeito e as redes sociais. O levantamento revela que os millennials já não questionam se devem fazer um procedimento estético — a única questão é quando rea­lizar essa intervenção. Outro dado curioso: dos que pensam em aperfeiçoar suas formas, 42% usam apps para modificar a própria imagem. Deve ser por isso que mesmo jovens atrizes como Marina Ruy Barbosa e Luísa Sonza, na casa dos 20 e poucos anos, já adotaram o tratamento.

Evidentemente, o avanço da medicina tem sido fundamental para a expansão da técnica. Há dez anos, os processos de injeções com preenchimentos resultavam em inchaços e duravam menos. O ácido hialurônico, então, era absorvido em seis meses — hoje seus efeitos duram até dois anos. As áreas de atuação também se multiplicaram. Ou, para ficar em um termo dermatológico: avolumaram-se. Para dar projeção aos maxilares, deixando-os marcados à la Taylor Swift, são injetados 4 mililitros de ácido hialurônico em cada lado. Na boca, o recomendado é colocar 1 mililitro na parte superior e outro na inferior (para além disso, corre-se o risco de que a boca se pareça ao bico de um pato). Preço do procedimento: 8.000 reais. Uma harmonização completa em um consultório de alto padrão chega a 30.000 reais.

As novas intervenções coroam uma linha progressiva da medicina cosmética, conquistada com altos investimentos da indústria da beleza. O primeiro preenchedor foi a gordura, utilizada desde os anos 60 na cirurgia plástica para a técnica de lifting. Tinha sérias limitações — irregularidades na pele e aumento de volume se o paciente ganhasse peso depois da cirurgia. O segundo preenchedor foi o colágeno, extraído de animais como o porco e o boi. O resultado durava míseros três meses. Nos anos 90, começa a revolução: o uso do ácido hialurônico como preenchedor de rugas e de vincos (como o chamado bigode chinês). Já neste século, os produtos passaram não só a encher fissuras como também a criar volume — mas com um triste efeito colateral: ao “murcharem”, os preenchedores deixavam as mulheres com cara de buldogue. Hoje, para evitarem esses problemas, os dermatologistas têm injetado versões menos densas e mais maleáveis diretamente no osso, obtendo um contorno firme sem dar volume excessivo à pele. “Em vez de criarmos opulência, causamos uma elevação nos tecidos”, diz o dermatologista Jardis Volpe, que tem pacientes como Luciana Gimenez e Maria Fernanda Cândido.

Essa linha evolutiva, no entanto, teve tropeços e desvios. Talvez o mais notório tenha sido um produto que até recentemente era considerado um rejuvenescedor milagroso: o metacrilato. Fabricado no Brasil, esse derivado de petróleo prometia a chamada “bioplastia”: a transformação do formato do rosto com um material maleável e transparente. Originalmente, o metacrilato era um implante ósseo, mas, em um desvio de finalidade, foi empregado para criar lábios carnudos e maçãs levantadas. Por não ser absorvido pela pele, é possível que o material cause mutações e rejeições de toda sorte. Aplicado em tecidos moles, pode resultar em nódulos, granulações e, o mais grave, infecções. A cantora ­Gret­chen e a ex-primeira-dama do sertanejo Zilu Camargo enfrentaram problemas devido ao uso do metacrilato. Zilu passou por mais de dez cirurgias para remover o material, nem sempre com sucesso, e chegou a ser internada com um quadro de infecção generalizada.

As mulheres são, claro, maioria nos consultórios, mas os homens também estão aderindo à harmonização. Casado com uma dermatologista, o ator Daniel Rocha, 28 anos, repaginou recentemente seu visual. Ele fez o procedimento de preenchimento da boca e tornou seu queixo e maxilares mais protuberantes. O efeito, que deixa o rosto mais masculino, é o grande pedido dos homens nas clínicas de estética.

Embora as fotos de “antes e depois” mostrem evidentes mudanças no rosto das famosas, muitas negam ter se submetido à harmonização. Cléo e Marina Ruy Barbosa juram pela Nossa Senhora do Preenchimento que sua boca é natural. Luísa Sonza admite ter mexido “apenas” nos lábios. Um maquiador que já empetecou todas elas várias vezes, atesta: os traços perfeitos (ops, harmônicos) são milagre do ácido hialurônico. Cada uma faz o que quer do próprio corpo, claro. Só é feio mentir sobre como se chegou à selfie dos sonhos.

CLEO PIRES, 36 ANOS – Cléo tem genes privilegiados: é filha de Gloria Pires e Fábio Jr. Mesmo assim, decidiu fazer diversas mudanças. Apenas 1% da população mundial nasce com lábios de volume idêntico na parte superior e inferior. Cléo preencheu, portanto, a boca para obter o efeito desejado. Maçãs do rosto, maxilares e queixo mostram sinais evidentes de volume. Resultado: bastante visível.

MARINA RUY BARBOSA, 24 ANOS – Uma das atrizes mais lindas do Brasil, Marina Ruy Barbosa detesta falar de procedimentos estéticos. Seus lábios, no entanto, não enganam: foram preenchidos de forma a deixar uniforme o volume das partes inferior e superior. O queixo ficou mais pronunciado. Resultado: efetivo, mas discreto.

BELLA HADID, 22 ANOS – A modelo americana, que faturou 33 milhões de reais em 2018, mudou todo o rosto: afilou o nariz, preencheu a boca e levantou as sobrancelhas. A mudança mais perceptível está no formato do rosto: passou do redondo para o retangular graças às injeções de ácido hialurônico nas maçãs, nos maxilares e no queixo. Resultado: bastante visível.

LUÍSA SONZA, 20 ANOS – A cantora gaúcha reconhece ter colocado somente preenchedor em seus lábios, agora tão carnudos quanto os de Kim Kardashian. Uma análise mais minuciosa, no entanto, mostra outras interferências: nariz levemente arrebitado, maçãs saltadas e queixo afilado e saliente. Resultado: bastante visível.

GESTÃO E CARREIRA

LIDERAR & GERENCIAR: EIS AS PRIORIDADES EM SERVIÇOS

Vamos falar sobre duas funções organizacionais essenciais para obter êxito durante todas as etapas da prestação de serviços: liderar e gerenciar. Hoje as empresas necessitam cada vez mais de práticas, procedimentos e comportamentos de profissionais que estejam alinhados com a missão, a visão e os valores, considerando também fatores internos e externos, oportunidades, ameaças, novas competências e inovações. Nesse contexto, visando atingir os objetivos estabelecidos no planejamento estratégico da empresa, torna-se necessário liderar as equipes de trabalho, bem como gerenciar recursos e processos em consonância com as melhores práticas.

Imagine uma empresa de prestação de serviços que tenha profissionais sem a devida qualificação e capacitação para liderar pessoas e para gerenciar recursos e processos. Por conseguinte, quantas dificuldades poderão surgir? Em relação aos negócios desse setor, cabe ressaltar que, tendo em vista as características específicas de serviços, além de intangibilidade, heterogeneidade e simultaneidade, várias competências são necessárias para os profissionais exercerem as suas funções com sucesso em todas as etapas.

Para liderar pessoas, alguns exemplos de competências são:

1) Estar comprometido com as diretrizes da empresa;

2) Promover as mudanças de paradigmas necessárias juntamente com as pessoas da equipe de trabalho;

3) Identificar e viabilizar a qualificação e a capacitação necessárias das pessoas;

4) Ter uma visão holística do mercado de atuação e das oportunidades;

5) Identificar e atender às necessidades dos stakeholders;

6) Ter flexibilidade e autonomia nas atitudes e nas decisões nos momentos de adversidades e de desafios;

7) Identificar e viabilizar o crescimento profissional dos talentos;

8) Implementar ações inspiradoras para manter a harmonia, a integração, a criatividade e a sinergia positiva das pessoas que compõem a equipe de trabalho;

9) Ter compromisso com a melhoria contínua, com as inovações tecnológicas e com os objetivos a serem atingidos;

10) Ter habilidade na comunicação das informações, orientações, feedbacks e decisões;

Em relação a gerenciar recursos e processos, também menciono algumas competências:

1) Estar comprometido com as diretrizes da empresa;

2) Mapear os processos de prestação de serviços;

3) Elaborar o planejamento;

4) Elaborar o orçamento;

5) Controlar e avaliar os resultados de desempenho de empresas terceirizadas;

6) Controlar as práticas e os recursos financeiros;

 7) Coordenar as atividades de sua área;

8) Elaborar, implementar, controlar e melhorar constantemente os planos de ações;

9) Controlar e avaliar periodicamente os resultados de desempenho da empresa. Também fica evidenciado que o profissional que gerencia as atividades de prestação de serviços tem foco no controle, na eficiência.

Cabe observar que, para o responsável pela equipe de trabalho delegar autoridade e responsabilidade, é fundamental que as pessoas da equipe não só estejam tecnicamente e emocionalmente habilitadas, bem como sejam orientadas adequadamente e recebam os recursos necessários para a realização do serviço. Assim, hoje em dia, devido a vários aspectos relativos ao setor de serviços, o profissional dessa área precisa ter a percepção de que existe momento em que é preciso gerenciar, ou seja, são funções que se complementam perfeitamente e são prioritárias no dia a dia da empresa.

Por fim, considerando o exposto, destaco que o profissional do setor de serviços responsável por um setor ou por uma equipe de trabalho cada vez mais terá de ter as competências para liderar e também para gerenciar. Eis o desafio!