A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS

A IMPORTÂNCIA DOS ABRAÇOS

Afeto e carinho dos pais no bebê ajudam a formatar o sistema nervoso de forma saudável

Ao observar a interação entre os pais e seu bebê, uma das coisas que mais chamam atenção são os beijos e amassos que são aplicados a todo instante, quase que instintivamente. Esse tipo de interação é universal, está presente em todas as culturas humanas e possui forte base instintiva, tendo como impulsionador a oxitocina.

A oxitocina é um hormônio e neurotransmissor que o hipotálamo produz e a glândula pituitária secreta, e foi inicialmente identificada como essencial no processo de parto em mamíferos, pois estimula as contrações uterinas e a lactação. Com os estudos que foram feitos em sequência, logo ficou claro que seu papel é muito mais profundo e abrangente, uma vez que afeta a interação social e o vínculo entre as pessoas. Por essa razão, os neurocientistas chamaram a oxitocina de “hormônio do amor”.

Esse hormônio atua facilitando o vínculo entre aqueles que compartilham características semelhantes, promovendo distinções entre membros internos e externos de um grupo, estimulando o favoritismo em relação aos membros internos e o preconceito contra aqueles que são percebidos como pertencentes a grupos externos. A oxitocina está presente em ambos os sexos e estimula tudo o que está relacionado ao processo reprodutivo, como o estabelecimento da confiança e da excitação sexual. A oxitocina nos recompensa por viver com os outros, estimulando os centros de prazer e recompensa, sendo um dos suportes neurobiológicos da ligação social.

Nós, humanos, somos por natureza extremamente sociais, e a inclusão e a interação interpessoal são necessárias para nossa sobrevivência. O isolamento pode facilmente levar à depressão e a outros quadros psicopatológicos. Nesse sentido, a oxitocina promove a atração e a ligação entre os casais. Além disso, a oxitocina é essencial para o desenvolvimento cerebral embrionário, desempenhando um papel importante na formação de vasos sanguíneos na glândula pituitária, que controla vários processos fisiológicos, como estresse, crescimento e reprodução.

O processo de criar ligações seguras entre as pessoas exige a confiança promovida pela ação da oxitocina, e esse processo começa com o vínculo entre pais e filhos. Já durante a gravidez, o cérebro produz alto nível de oxitocina para estimular o trabalho de parto. Após o nascimento, a oxitocina é ainda maior em bebês do que nas mães, e combinada com outro hormônio chamado prolactina estimula a produção de leite para a amamentação. Enquanto o bebê estiver mamando, os níveis de oxitocina ficam altos para a mãe e o bebê.

É importante perceber que a oxitocina é a regente de uma cascata de reações que influencia a liberação de outras substâncias sinalizadoras, como opioides, serotonina, dopamina e noradrenalina. Através dessa cascata, diferentes eleitos comportamentais e fisiológicos são coordenados em padrões adaptativos, dependendo do tipo de estímulo e fatores ambientais.

A oxitocina pode ser liberada pela ativação de vários tipos de nervos sensoriais da pele. A pressão, o calor e o acariciamento contribuem para a liberação de oxitocina causada pela

estimulação sensorial da pele. Os recém-nascidos usam as mãos, além da boca, para estimular o fluxo de leite, o que promove a produção de oxitocina na mãe para a liberação do leite. Um estudo que focou nas interações dos pais com seus bebês descobriu que os níveis de oxitocina aumentaram onde havia interação positiva com seus bebês. Esse aumento de oxitocina foi verificado em pais que desfrutaram de relações próximas positivas com seus parceiros e com seus próprios pais, o que indica que transmitimos o hormônio do amor por meio da interação social positiva. Já na urina de mães estressadas e com interação negativa com seus bebês foram verificados níveis reduzidos de oxitocina.

Portanto, os abraços que instintivamente aplicamos nos bebês são extremamente importantes, pois o toque estimula o cérebro a produzir oxitocina. As interações pessoais saudáveis estimulam a liberação de hormônios, que se relacionam diretamente com a capacidade de confiar e formar relacionamentos significativos. Ou seja, os abraços e o afeto na infância são algo instintivo e promovem uma sólida base emocional, que permite desenvolver confiança e fortes laços com os outros mais tarde. Portanto, baseado nos mais recentes estudos em neurociências, abrace e beije muito seu bebê, pois esse é um dos mais belos presentes para seu futuro.

MARCO CALLEGARO – é psicólogo, mestre em Neurociências e Comportamento, diretor do Instituto Catarinense de Terapia Cognitiva (ICTC)e do Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva (IPTC). Autor do livro premiado O Novo Inconsciente: Como a Terapia Cognitiva e as Neurociências Revolucionaram o Modelo do Processamento Mental (Artmed.2011)

OUTROS OLHARES

ESPÍRITO INOVADOR EM ETERNO MOVIMENTO

Pouco conhecida do público, Marinella Pirelli (1925-2009) é tida como uma das artistas inovadoras e inquietas de sua geração. Fascinada pela imagem em movimento, nos anos 60 ela deu às investigações que acabariam por definir seu trabalho – o cinema experimental e a projeção de luz. Sobre aquele período, certa vez, Marinella contou: “Eu sempre tinha uma câmera comigo. Como o pintor faz do lápis e o papel, eu usava minha câmera para fazer anotações. Assim desenvolvi meu trabalho”. E assim Marinella se transformou em um dos principais nomes da arte cinética na Itália. Sua produção nesse período é tema de exposição no Museo del Novecento, até 25 de agosto, em Milão. A mostra ocupa dez salas e, no centro está Film Ambiente, uma instalação de “cinema móvel”, de 1969, apresentada no Museu de Arte Moderna de São Paulo, em 2004. Film Ambiente reforça a influência da artista no Cinema Expandido – movimento dos anos 70 que busca revolucionar o modo tradicional de cinema, ao propor o diálogo entre o espectador, o filme a que assiste eo ambiente onde ele é exibido.

GESTÃO E CARREIRA

EMPRESA BLINDADA

Conheça os riscos em diferentes áreas e processos que podem acometer seu negócio e saiba como atuar antes mesmo de o problema surgir, assegurando seu sucesso e sustentabilidade

Empreender é um exercício de paciência e cuidado com os detalhes. Você já leu por aqui algumas vezes sobre a importância de só começar um negócio com algo que se identifique e, principalmente, com muita organização e planejamento. Mas é possível se blindar completamente de quaisquer problemas que venham a surgir? Talvez você não possa prever todas instabilidades e desafios futuros, mas consegue ao menos estar bem protegido.

O primeiro passo é ter sempre um Plano de Negócios bem feito. Apesar de não ser a parte mais divertida do trabalho, é durante a criação desse plano que você vai entender exatamente o que quer, quando, como, onde, por que e para quem. Em seguida, é importante destrinchar esse plano, compreender os pontos fortes e mais sensíveis do trabalho, para então conseguir prever o máximo de circunstâncias sobre o que está por vir.

O diretor comercial do Grupo Bittencourt, João Brito, separou os principais focos de atenção quando você começa a sua empresa. Mas ele também ressalta um erro crucial e comum a uma grande parte dos novos empreendedores: acreditar que só um produto ou serviço de qualidade vão garantir o sucesso do negócio.

“Isso é o mínimo para se iniciar um empreendimento. Qualquer negócio que se deseje abrir precisa ter algum diferencial competitivo em face da concorrência, senão corre o risco de ser ‘só mais um’. Outro problema frequente é não deixar reservados recursos para o capital de giro. Às vezes, o empreendedor investe tudo que tem para abrir o negócio, esquecendo-se de que ele não vai faturar de imediato e que levaum certo tempo até a empresa chegar a seu ponto de equilíbrio. Sem esses recursos, ele está fadado a começar endividado e com problemas”, explica.

Adriana Ruiz Alcazar é sócia da Seteco Consultoria Contábil e lembra ainda a importância de avaliar o mercado, os concorrentes, o local onde a empresa será instalada e sua atividade – principalmente se for unia atividade varejista. É preciso ter uma previsão de investimento inicial dos sócios (capital social da empresa), avaliar a participação societária e responsabilidade dos sócios, além de licenças específicas que estão atreladas à atividade da empresa.

No quesito financeiro, ela ainda esclarece outros tópicos. “Hoje, com a nossa instabilidade econômica, é importante ter bons controles, de forma que o negócio, mesmo que pequeno, seja avaliado constantemente quanto aos seus resultados, para que os rumos tomados a partir daí possam ser corrigidos e melhorados. Importante contar com a ajuda de um profissional contábil que possa direcionar todos os trâmites e dúvidas iniciais, como também executar a contabilidade independentemente da tributação que a empresa tenha, pois ele auxiliará na avaliação dos resultados da empresa. Outro fator importante é distinguir a Pessoa Física do sócio da Pessoa Jurídica que se forma, e estas devem ser independentes”, completa Adriana.

A verdade é que, no momento da contabilidade, não avaliar corretamente o negócio, perder o controle dos números e não atentar para a desorganização dos fluxos de caixa são uma receita certa ao fracasso. A sócia da Seteco Consultoria Contábil destaca que é importante entender muito bem o tipo de negócio e escolher com cuidado o local do empreendimento pensando nisso. Afinal, um bom local pode ser um salto para alavancar vendas, assim como um ponto ruim pode ser um tiro no pé. Para atividades como serviços, ela lembra que sempre será levada em consideração a equipe qualificada para que o empreendimento seja realmente eficiente e ágil.

SOB O OLHAR DA JUSTIÇA

Não basta que as contas fechem no fim do mês e que o trabalho entregue seja de qualidade. É preciso estar respaldado juridicamente em relação a diferentes pontos, desde o nome da marca até possíveis desafios que possam vir a surgir. No quesito digital e de concorrência, a advogada e sócia do Kasznar Leonardos, Flávia Tremura, dá dicas importantes.

“No que diz respeito a direitos relacionados à propriedade intelectual e propriedade digital, de forma geral, é importante que o empresário planeje com antecedência sua estratégia, escolhendo marcas fortes, distintivas, que não violem direitos de terceiros e que tenham o nome de domínio disponível. Registrar o nome de domínio o quanto antes é muito importante. Também deve estar preparado para o lançamento da marca após ter se resguardado de que não está violando direitos de terceiros”, aconselha Flávia.

No Brasil, quem cuida dos domínios.com.br é o Nic.br, por meio do braço Registro. br. Mesmo assim, o domínio estar disponível não significa que você não esteja violando uma propriedade intelectual. Se você registra, por exemplo, o domínio http://www.ascasasbahia.com.br., pode estar violando a propriedade da marca Casas Bahia e o fato de ter a palavra “as” antes do nome pode não ser o suficiente. Por isso, sempre se informe antes com seu setor jurídico.

Quando houver questões relativas a esse tema, certifique-se de que seus bens de propriedade intelectual não violam direitos anteriores de terceiros, adote práticas de boa concorrência, crie termos de uso e política de privacidade de seu website efetue o registro de seu software – inclusive para aplicativos – eprovidencie os respectivos registros nos órgãos competentes.

É essencial o empresário tomar o cuidado de declarar seus bens de propriedade intelectual como ativos intangíveis, bem como as operações de pagamento e recebimento de royalties decorrentes da exploração de seus bens intelectuais.

Já no âmbito da proteção de dados, Flávia Tremura explica que sempre que a empresa prestar serviços de tratamento de dados de terceiros, deve se preocupar com a conformidade à legislação em vigor – o Marco Civil da Internet – e com a que entrará em vigor no próximo ano – a Lei Geral de Proteção de Dados.

“Os dados de terceiros devem ser solicitados sempre dentro do escopo da prestação de serviços, devendo ser dada a respectiva confidencialidade, tomando cuidado com vazamento de tais informações. Se o compartilhamento desses dados for inerente à prestação do serviço, é imprescindível obter o consentimento da pessoa a quem o dado se refere e se assegurar de que a empresa ou pessoa com quem o dado for compartilhado adote práticas semelhantes”, adverte. Além disso, nesse sentido é importante resguardar-se contratualmente com os próprios empregados e com terceiros que tenham acesso aos dados.

Quanto ao conceito de concorrência desleal, ele é amplo e subjetivo. Assim, para evitar que isso ocorra, o empresário deve se inteirar sobre as melhores práticas de mercado dentro do seu setor de atuação, ter política de conformidade (compliance) e reprimir condutas que firam as práticas da empresa. Além disso, jamais deve praticar atos em relação à concorrência. “Em todos esses aspectos, a assessoria jurídica é importante para que essas questões sejam analisadas sempre em relação à situação da empresa”, finaliza a advogada.

NEGÓCIO EM FAMÍLIA

A GoNext é uma companhia especializada em sucessão de empresas familiares e traz algumas dicas nesse sentido. Um fato de destaque é que, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), do estudo sobre Governança em Empresas Familiares de 2019, apenas 27,6% das empresas têm plano de sucessão para cargos-chave. Quando considerado o plano para o presidente do conselho de administração, o percentual é ainda menor, de 19,6%.

O líder Eduardo Valério explica que há vários aspectos importantes a serem considerados no tema sucessão. Entretanto, três pontos são primordiais:

1. Correlacionar a sucessão com a estratégia da Companhia. Esse aspecto contribui decisivamente para a determinação de quais são as competências essenciais que a administração da companhia deve ter e, então, avaliar e preparar os sucessores.

2. Preparação do sucedido. “Costumo dizer que o empreendedor fundador da empresa sempre será empreendedor. Portanto, no processo sucessório deve constar o projeto para o sucedido”, afirma Valério.

3. Preparar a família e a companhia: “estamos lidando com um novo processo que transformará a cultura da empresa, além das próprias relações familiares, portanto também deverão estar previstas no projeto sucessório essas dimensões”.

Os erros mais comuns são ignorar a definição das competências essenciais, não realizar o plano conforme desenhado e não haver um fórum apropriado para mediar as divergências. “O empreendedor deve estar focado no seu projeto de forma mais ampla. A governança do seu negócio deverá respeitar o tamanho e a complexidade do seu negócio. Desenhar o seu planejamento estratégico e a forma rigorosa de acompanhamento dos resultados é fundamental”, completa Valério.

Ele ainda pede uma reflexão geral: sua empresa está preparada para o rápido avanço das tecnologias que estão no entorno do seu negócio? Quais são as competências que realmente diferem você dos concorrentes? Quais são os seus mecanismos para identificar oportunidades e ameaças do negócio? Responda a essas perguntas e você já terá o caminho de blindagem de boa parte do seu empreendimento.

MUNDO AFORA

Acaba de ser aprovado no Senado o PDL 98/2019, que formaliza a adesão do Brasil ao Protocolo de Madrid para deixar o registro internacional de marcas menos burocrático. O acordo já tem 97 países signatários, que são responsáveis por mais de 80% do comércio mundial. O protocolo permite que empresas e pessoas físicas de países-membros solicitem, pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual- OMPI (ligada à ONU), o registro de urna marca já habilitada no país de origem, garantindo assim prioridade da marca e simplificando o registro em todas as nações que fazem parte do acordo.

“Em princípio, nenhum pedido ou registro de marca já existente será afetado. O Protocolo de Madrid não cria ou modifica direitos das empresas, ele apenas altera procedimentos que facilitam a obtenção de registros internacionais, simplificando-os e tornando-os menos custosos às empresas”, explica Flávia Tremura. Ela conta ainda que o custo­ benefício do pedido e do registro internacionais é bem melhor, sendo desnecessária, em um primeiro momento, a contratação de agentes locais em cada um dos países de interesse para a execução do serviço. Por fim, como urna única linguagem é adotada para todos os pedidos (inglês ou espanhol para os brasileiros), dependendo dos países a serem designados, haverá uma economia com custos de tradução

Portanto, se você está começando um negócio e busca a sua internacionalização, saiba que o processo ficou mais fácil e ágil. Mesmo assim, o planejamento estratégico durante o processo da empresa é muitoimportante, inclusive quanto à definição de possíveis mercados no exterior, para que se investigue a possibilidade de obtenção do registro desde logo.

“Dentre os erros mais comuns, que também são pontos de atenção, pode-se citar a escolha da marca sem a prévia busca de anterioridade em todos os mercados de interesse e o uso da marca sem o seu registro, seja no INPI brasileiro, seja em outros países”, ressalta a advogada do Kasznar Leonardos.

Levando em consideração que cada país tem uma legislação específica e diferente dos demais, é imprescindível que o empreendedor tenha assessoria jurídica no país de interesse. No campo da propriedade intelectual, de acordo com Flávia, se a marca ou outro bem (patente, desenho industrial, direito autoral) for explorado naquele país, deve tomar o cuidado de obter as respectivas licenças e, caso haja remessa ou recebimento de royalties, verificar a necessidade de registro desses contratos junto aos órgãos competentes.

Por fim, mas não menos importante, ela lembra de manter-se informado sobre os impostos incidentes em cada uma dessas operações, efeturu1do os respectivos recolhimentos.

EDUCAÇÃO EM PRIMEIRO LUGAR

Bernardo de Pádua, CEO da Quero Educação, fala um pouco sobre os desafios do setor. Alguns acabam sendo inerentes a quase todo tipo de empreendimento. Os pontos de maior atenção na hora de abrir um negócio são muitos, entre eles, saber selecionar bem as pessoas que serão suas sócias e ter muita determinação na hora de tocar a empresa: temos que escolher empreender em algo que faça sentido para nós, com propósito, e não somente pelo dinheiro. O grande diferencial da Quero Educação é ser uma empresa de tecnologia que dá ao aluno um papel protagonista, valor que se reflete tanto no relacionamento quanto na usabilidade da plataforma”, explica.

Pensando que qualquer trabalho relacionado à área precisa de alunos para funcionar, ele destaca que um erro comum é não começar as vendas o mais cedo possível, antes mesmo de ter o produto pronto. Para ele, é preciso ter cuidado para não ficar estagnado nos códigos e planilhas de Excel, sem prospectar o usuário final de verdade.

“Tem que se educar, aprender com o erro de outros empreendedores, tentar trazer um time que se complemente e que possa gerar inovação ao negócio. Deve-se contratar pessoas com expertise no nicho que escolheu empreender. A característica mais importante para os empreendedores é a resiliência, acrescida da determinação. Qualquer empreendedor que deseja fazer algo novo deve ter muita certeza do que quer e tem que estar disposto a passar bastante ‘perrengue’. Precisa ser flexível e determinado para não desistir na primeira vez. Tivemos que pivotar três vezes antes de chegar ao produto que temos hoje. Existem dois tipos de empreendedores: aqueles que desistem e aqueles que ficam ricos. Se não desistir, certamente uma hora dará certo”, finaliza.

Para ele, tem dado realmente certo. A plataforma recém-lançada Inteligência Educacional é uma ferramenta B2B inédita no Brasil e focada em inteligência de mercado e gestão educacional. Ela aproveita o grande volume de dados gerados pelas outras frentes de negócios da empresa, como o Quero Bolsa e Quero Pago, e transforma todos em insights valiosos para a gestão comercial e operacional da IES.

O projeto Quero Educação é uma edtech que oferece uma gama de soluções educacionais para os alunos e instituições de ensino. Fundada em 2012, já matriculou mais de 500 mil estudantes por meio do portal Quero Bolsa e conta com mais de 1.300 instituições de ensino parceiras em todo o território nacional. Foi a primeira startup de educação brasileira acelerada pela Y Combinator, por onde já passaram empresas como Airbnb, Reddit e Dropbox.

DO ADMINISTRATIVO AO MARKETING

“Quando uma pessoa vai abrir o seu negócio, por menor que ele seja, algumas ferramentas são essenciais para garantir a credibilidade da empresa, as quais têm ligação direta com as vendas. Afinal, o consumidor só compra quando se sente seguro”, diz o gerente de Marketing da Locaweb, Luís Carlos dos Anjos. Ele destaca que, para começar a empresa, é preciso entender a imagem que ela quer transmitir e, para transmitir essa imagem, ele vai precisar estar na internet – pode ser com site, redes sociais e e-mail corporativo.

Se o foco ainda for venda de produtos on-line, é importante ter uma ferramenta adequada para o seu tamanho e objetivo. “Parece detalhe, mas se o consumidor recebe um e-mail de uma empresa que utiliza um provedor gratuito (Gmail, Hotmail, outros), ele vai ficar inseguro sobre a sua credibilidade e isso pode interferir na compra. Se alguém fala de uma loja e ela não possui um site, outra bandeira vermelha é levantada. Além disso, as pessoas estão cada vez mais comprando on-line. Então, é de extrema importância estar nesse meio”, explica.

Hoje, a Locaweb Serviços de Internet possui um portfólio de 21 produtos que ajudam na construção e desenvolvimento de todos os tipos e tamanhos de negócios, como hospedagem, criador de sites, e-mail marketing, lojas virtuais, e-mails corporativos, domínio e muitosoutros. Em relação à perspectiva do empreendedor, ele precisa contar com suporte no começo dessa jornada para garantir a estabilidade do negócio. Por isso, um diferencial da marca é um atendimento persona­ lizado em português, 24 horas e sete dias por semana. Se houver qualquer problema ou surgir dúvidas sobre as ferramentas, ele pode contar com um parceiro para ajudá-lo a qualquer hora do dia, evitando também uma diminuição nas vendas devido a uma dificuldade técnica.

“Escolher o parceiro certo é fundamental. Ter a sua empresa on-line é de extrema importância, pois vai ampliar as possibilidades de negócios. Muitas vezes, ao colocar um negócio on-line, você deixaráem um servidor ou na nuvem todos os dados do seu negócio – como a base de dados de clientes, por exemplo. Escolher um provedor que vai garantir a segurança desses dados e a estabilidade são itens fundamentais”, completa.

Além de ter todos os cuidados jurídicos em relação ao domínio do seu site, é preciso uma boa presença em redes sociais. Ele também alerta para escolher um parceiro que cobre em reais, para que não haja surpresas na hora de pagar impostos e variações cambiais.

“Outro ponto importante, principalmente no caso de pequenas e médias empresas, é contratar um serviço que você tenha previsibilidade e controle de quanto vai gastar. Algumas ferramentas oferecem pagamento sob demanda e podem trazer surpresas desagradáveis na fatura. Ter esse tipo de serviço não é ruim, mas requer um controle e acompanhamento maior”, define Luís Carlos dos Anjos.

COMECE DA FORMA CERTA!

  • Pesquisar o mercado e avaliar atratividade do negócio e a concorrência.
  • Escolher um bom ponto comercial.
  • Ter investimento disponível para o capital de giro. Isso vai garantir que a operação continue até que o estabelecimento comece a dar lucro.
  • Investir em treinamento da equipe e contratar as pessoas certas. Uma boa experiência no começo é o que vai fazer o negócio ser recomendado e a compra ser recorrente.
  • Garantir excelência na experiência do cliente no ponto de venda.
  • Investir em marketing – quem não é visto não é lembrado. Então, quando se está iniciando do zero, é importante fazer o negócio ser conhecido pelo público e com isso ir construindo a imagem da marca.

TODO CUIDADO É POUCO

A propriedade intelectual não diz respeito apenas a um nome de empresa. Ela pode estar ligada a conceitos, termos e ideias intangíveis. Um meme, por exemplo, é propriedade intelectual de quem o criou, e uma marca que utiliza o conceito para criar sua própria publicidade sem autorização do idealizador do meme pode estar violando essa propriedade e ter problemas por isso.

MARCO CIVIL DA INTERNET

A Lei nº 12.965/2014, que surgiu em 2009 e foi aprovada em 2014, regula o uso da internet no Brasil a partir de direitos e deveres que garantem neutralidade, privacidade e questões relacionadas à retenção de dados.

PONTO DE VIRADA

“Sempre me considerei empreendedor, mesmo atuando para outros proprietários. A criação da minha empresa foi consequência desse caminho, bem como o fundamental incentivo dos meus clientes.”

Eduardo Valério, líder na GoNext

“O maior ponto de virada na minha vida como empreendedor foi quando chegamos ao break-even: ponto a partir do qual a empresa deixa de perder dinheiro e passa a ganhar e equilibrar o capital investido. Isso aconteceu no começo de 2013 – a partir daí a gente não dependia mais de investimento externo e controlávamos o nosso próprio destino. Conseguimos chegar a este momento fazendo um produto que as pessoas precisavam e cobrá-los por isso – execução é a palavra-chave. Além disso, fomos a primeira empresa brasileira acelerada duas vezes pela Y Combinator, por onde já passaram empresas como Airbnb, Stripe e Dropbox. De 2018 até aqui, dobramos de tamanho em número de funcionários e prevemos fechar 2019 com mais de 700 colaboradores.”

Bernardo de Pádua, CEO da Quero Educação

DICAS INFALÍVEIS

  • A marca é a representação da empresa, de um produto ou serviço que oferece. É o nome que será fixado na mente do consumidor-, do mercado em geral e mesmo dos concorrentes. Ela possui uma reputação que acaba sendo associada à reputação da própria empresa. Reservar uma parte do orçamento anual para investimento em sua marca é uma estratégia inteligente.
  • No momento da sua criação, mesmo que o empresário contrate uma agência de publicidade para auxiliá-lo, é importante que também consulte um escritório especializado em propriedade intelectual.
  • As buscas de anterioridades feitas por escritórios especializados – em todos os países de interesse – são de grande importância para saber se aquela marca poderá ser apropriada com exclusividade ou se o empresário terá que tolerar o uso da mesma marca (com logo distinto) por concorrentes, além de apontar os riscos de a marca escolhida violar direitos de terceiros.
  • Após a escolha e divulgação da marca, é importante vigiar o mercado e a concorrência, atacando terceiros que decidam usar marca idêntica ou semelhante.
  •  O empresário não deve ver a proteção da marca como um custo, mas sim como um   investimento, evitando que, em casos mais extremos, acabe perdendo a marca ou mesmo tendo que pagar indenizações por uso indevido.

FONTE: FLÁVIA TREMURA, ADVOGADA E SÓCIA DO KASZNAR LEONARDOS.

PRESTE ATENÇAO!

  • Uso de dados dos clientes. É preciso se preocupar com as regras da Lei Geral de Proteção de Dados.
  • Uso de informações não verdadeiras
  • Renovação do domínio. Apesar de ser o menor custo envolvido para transformar a sua empresa em digital, muitas pessoas esquecem de pagar a renovação do domínio e acabam perdendo o nome.
  • Cuidado na escolha do parceiro que vai desenvolver o seu site, aplicação etc. É preciso alinhar muito bem com ele as responsabilidades, entregas, entre outros. Sempre tenha os cadastros em provedores e no registro do domínio em seu nome. Coloque esse parceiro que vai desenvolver o projeto para você apenas como responsável técnico.

ALIMENTO DIÁRIO

QUALIFICADOS

CAPÍTULO DEZ – INTEGRIDADE INTENCIONAL

“Um princípio — particularmente o princípio moral — jamais pode ser como um cata-vento, girando em torno disto ou daquilo segundo os ventos inconstantes da conveniência. O princípio moral é um compasso para sempre fixado e para sempre verdadeiro.” — Edward R. Lyman

Pensamento-chave: Integridade não acontece por acidente. Um caráter temente a Deus é estabelecido deliberada e intencionalmente.

Nos Salmos 37 e 73, o escritor expressa frustração ao ver pessoas antiéticas e desonestas “avançarem”, embora elas tenham tomado atalhos e transgredido, enquanto o justo parece não alcançar muito progresso. O Salmo 73:13 diz: “Perdi tempo jogando conforme as regras: o que ganhei com isso? Um vendaval de má sorte, foi isso — um tapa na cara toda vez que eu saía pela porta” (A Mensagem). Depois de uma explosão de aborrecimentos iniciais, o salmista alcança o bom senso e reconhece que a integridade irá permanecer sólida no final, quando todo caminho enganoso tiver sido abalado.

Benjamim Disraeli disse: “Princípio é sempre o meu lema, não conveniência”. Conveniência significa procurar tudo o que é imediatamente vantajoso ou pessoalmente desejável, sem uma visão voltada para a ética, moralidade ou princípios envolvidos na questão. Em contraste, uma pessoa de princípios — que vive com uma integridade intencional — é aquela que assume um alto código de valores e, consistentemente, vive de acordo com eles.

Henry Ward Beecher disse: “Conveniências são para o momento, mas princípios são para a eternidade. Só porque as chuvas caem e os ventos sopram, não podemos permitir edificar sobre areias movediças”. Quando você observa pessoas tomando atalhos ou transgredindo para obterem resultados imediatos ou gratificações instantâneas, não pense que a sua integridade é vã. Reconheça que você está construindo sobre um fundamento sólido — que irá permanecer e resistir ao longo do tempo.

A ideia de pragmatismo está intimamente relacionada à conveniência. Pragmatismo envolve uma aproximação muito prática da vida, “qualquer coisa que funcione”. Em outras palavras, a consistência ou o valor de uma ideia é determinada pelos resultados que ela produz. Enquanto isso, pode parecer bom (e com frequência é em questões práticas), mas não é um procedimento bíblico no que se refere à moral, ética e “verdade final”, como visto na Bíblia. Pragmatismo sem moralidade fará com que as pessoas pensem:

•   Está tudo bem em omitir a verdade, se isso fizer com que eu fique fora de problemas e alcance meus objetivos.

•   Está tudo bem em mostrar favoritismo, se com isso obtiver vantagens.

•   Não há problema em ter um relacionamento extraconjugal, se isso me fizer mais feliz.

•   Está tudo bem em não pregar toda a verdade da Palavra de Deus, se isso me fizer mais popular ou trouxer mais pessoas para a minha igreja.

O temor a Deus é inconsistente com a mentalidade “os fins justificam os meios”. À medida que uma pessoa começa a descer a ladeira da transigência, desonestidade e duplicidade, ela se tornará mais cauterizada à verdade e começará a justificar e racionalizar todo tipo de comportamento, até mesmo aqueles que, anteriormente, seriam considerados completamente inaceitáveis.

Oswald Sanders descreve magistralmente o compromisso resoluto de Paulo com o princípio: “Onde o princípio estava claramente em jogo, Paulo era inflexível e não cederia por um momento, mesmo que a pessoa envolvida fosse o prestigiado apóstolo Pedro. Porque a imensamente importante causa da liberdade cristã estava em debate, Paulo disse aos gálatas, ‘… aos quais nem ainda por uma hora nos submetemos, para que a verdade do Evangelho permanecesse entre vós’ (Gálatas 2:5). Porém, quando apenas uma preferência e não um princípio estava envolvido, ele estava pronto a fazer largas concessões”.

Outro indivíduo que estabeleceu limites entre os “não negociáveis” (questões de princípio e valores centrais) e “negociáveis” foi Thomas Jefferson. Ele disse: “Em questões de estilo, nade com a maré. Em questões de princípios, fique firme como uma rocha”.

Ao examinar as vidas de homens e mulheres de honra, ao longo da história da Igreja, percebemos que eles possuíam fortes valores e convicções. Essas não eram aspirações vagas e inconstantes, mas eles tinham conscientemente identificado os seus valores e, com frequência, também os expressaram.

Um líder espiritual que claramente expressou os seus valores foi Jonathan Edwards. O seu palavreado reflete a sua época, mas ele certamente abraçou e expressou grandes comprometimentos e princípios, tais como:

•   Fica resolvido que jamais farei alguma coisa por vingança.

•   Fica resolvido que viverei da maneira como eu desejaria ter feito quando minha vida chegar ao fim.

•   Toda vez que ouvir alguma coisa dita em conversa de alguma pessoa, se eu considerar que isso seria louvável em mim, fica resolvido esforçar-me para imitar.

•   Fica resolvido jamais me entregar, nem ao menos afrouxar a minha luta contra as minhas corrupções, por mais malsucedido que eu possa ser.

John G. Lake escreveu o que ele chamou de “Minha Consagração como um Cristão”. Um de seus valores foi expresso deste modo: “Sempre me empenharei para ser um pacificador. Primeiro, sendo eu mesmo pacífico e evitando todo tipo de controvérsia infrutífera e tratando todos com justiça e com respeito aos seus direitos e seu livre-arbítrio, jamais querendo forçar quaisquer dos meus pontos de vista. Se eu ofender alguém intencionalmente, de imediato me desculparei. Não espalharei maus rumores sobre qualquer pessoa a fim de tentar difamar o seu caráter, ou repetir coisas sobre as quais não tenho certeza de serem verdadeiras. Eu me empenharei em remover a maldição da contenda entre os irmãos, agindo como um pacificador”.

Homens e mulheres não se tornam grandes por acidente. Eles são conduzidos para a grandeza por grandes valores, grandes decisões, grandes convicções, grandes princípios e grandes ações. Uma pessoa disse: “Faça as suas escolhas e as suas escolhas farão você”.

•   Faça disto o seu esforço: não crescer frouxo ou desleixado em suas convicções, valores e moralidade, ainda que outros ao seu redor pareçam agir assim.

•   Não se permita simplesmente “ir com a multidão”, quando os valores ou a moralidade deles são deficientes.

•   Agarre o que Deus tem de melhor e mais elevado para você.

•   Não permita que a Palavra de Deus seja um livro de ideais pelo qual você pode seletiva e ocasionalmente viver, mas deixe que ela seja os seus mandamentos — ordens dadas por Alguém em autoridade, sobre as quais não há escolha e das quais não há como fugir!

Daniel não viveu com integridade por acaso; a excelência do seu caráter foi deliberada e intencional. Daniel 1:8 diz: “… resolveu Daniel, firmemente, não contaminar- se”.

De modo igual, Paulo estava determinado a andar em integridade. Ele disse: “… por isso, também me esforço por ter sempre consciência pura diante de Deus e dos homens” (Atos 24:16). A versão Amplified Bible traz esse texto assim: “… eu sempre me exercito e me disciplino [mortificando o meu corpo, amortecendo meus prazeres carnais, apetites corporais e desejos mundanos, esforçando-me em todos os aspectos] para ter uma consciência limpa [inabalada, inculpável], livre de ofensa para com Deus e para com os homens”. Paulo aconselhou os crentes: “… esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens” (Romanos 12:17).

Em novembro de 1948, pouco antes que o seu ministério fosse projetado para o âmbito da proeminência nacional, Billy Graham encontrou-se com três dos seus principais associados (Cliff Barrows, George Beverly Shea e Grady Wilson) para discutirem maneiras de conduzirem o seu ministério com integridade e evitar escândalos, práticas vergonhosas, as quais trouxeram reprovação para muitos em ministérios evangelísticos. No que se tornou conhecido como o “Modesto Manifesto”, Graham e sua equipe identificaram quatro áreas de preocupação e resolveram conduzir-se com a mais alta integridade nessas questões.

As quatro áreas que foram identificadas incluíam:

•   A manipulação obscura de dinheiro

•   Imoralidade sexual

•   Maldizer outros fazendo obras similares

•   Realizações exageradas

Billy Graham falou dessas diretrizes, dizendo: “Na realidade, isso não marcou uma mudança radical para nós; sempre mantivemos esses princípios. O que fez, entretanto, foi colocar em nossos corações e mentes, de uma vez por todas, a determinação de que a integridade seria o selo em ambos, nossas vidas e ministério”.

Aqui estão algumas decisões que líderes íntegros têm feito:

•   Ser totalmente honesto em todas as suas relações.

•   Permanecer completamente submisso aos princípios de honra e integridade, contidos na Palavra de Deus.

•   Ser um bom administrador do seu corpo, mente, finanças e dons.

•   Se o mal está feito, corrija-o.

•   Ser completamente fiel ao seu cônjuge e conservar a pureza moral de todas as formas.

•   Tomar a “via principal” em todas as questões da vida.

•   Tratar todas as pessoas com integridade e respeito.

•   Jamais tentar chegar à frente ou fazer se parecer bom, derrubando outros.

•   Ser o melhor exemplo possível de semelhança com Cristo.

•   Jamais explorar ou tirar vantagem de alguém, especialmente os que estão fracos e vulneráveis.

•   Ser uma pessoa autêntica, jamais colocando uma máscara ou fachada.

•   Sempre fazer o que é do melhor interesse de outros; buscar a sua edificação e evitar o que trará danos para outros.