ALIMENTO DIÁRIO

A CASA FAVORITA DE DEUS

A Casa Favorita de Deus - Tommy Tenney

CAPÍTULO 5 – ACENDENDO A LUZ DA SUA GLÓRIA NÃO MAIS TROPEÇANDO NO ESCURO

Como é que se acende a luz da glória de Deus? Se você tiver sido criado em uma casa mais antiga ou se alguma vez tiver visitado a casa de sua avó onde as lâmpadas que ficavam penduradas no teto tinham cordas para serem acesas, você entenderá o que estou prestes a dizer.

Você se lembra de como era tentar achar aquela pequena corda de puxar no escuro? Não havia interruptores de parede convenientemente localizados ao lado da porta. Se quisesse acender a luz no meio da noite, só teria uma maneira. Você precisaria “enfrentar o escuro cegamente balançando as mãos na direção onde geralmente ficava a corda de puxar. Talvez você tenha até mesmo batido seu queixo ou dado uma topada no seu dedo do pé nos móveis enquanto tropeçava no escuro tentando encontrar aquela corda.

Se pudéssemos, de algum modo, filmar em vídeo algumas das coisas esquisitas que as pessoas fazem quando estão tentando encontrar a “corda-de-puxar”, que é o acendedor de luz, seria hilário. As pessoas caçam os acendedores geralmente balançando seus braços como um doido. Elas se movem desesperadamente e se curvam meio que esperando uma dolorosa canelada na mesa de centro. Os mais cuidadosos, levantam uma das mãos sobre a cabeça balançando-a para lá e para cá…

A mesma coisa acontece em nossas igrejas, às vezes. As pessoas que vêm pela primeira vez e observam nossas estranhas ações em nossos cultos, perguntam: “O que é que vocês estão fazendo?” Tudo que podemos lhes dizer é: “Estamos procurando pelo acendedor de luz. Se conseguirmos acender a glória de Deus neste lugar, você entenderá.” Podemos tropeçar e balançar nossos braços sem direção por algum tempo, enquanto procuramos o acendedor de luz, mas sabemos que a luz preexistente da glória de Deus significa tudo! Se pudermos acender a luz de Sua glória, então, de repente, todos verão e saberão a diferença entre a verdade e a mentira. A maioria das pessoas vai escolher a verdade quando tiver oportunidade; a verdade é que elas nunca tiveram luz suficiente ao redor de si para ver o caminho. A luz da glória de Deus existiu antes do Sol e da Lua e vai continuar a existir depois que eles tiverem desaparecido. De algum modo, ela tem de ser manifestada!

Uma vez que descobrimos como acender a luz da glória de Deus, podemos determinar como manter aquela luz espiritual brilhando. Isto é o que eu chamo um Céu aberto! Devemos manter os céus abertos sobre aquele lugar de fácil acesso à presença de Deus. Quando você vive sob um Céu aberto, o mesmo apelo no altar que costumava trazer duas pessoas ao Senhor vai, inexplicavelmente, trazer duzentas correndo para receber Cristo. Isso é comparável à diferença entre serrar madeira com serrote e fazer o mesmo serviço com uma serra elétrica. Por gerações, temos nos esforçado para libertar os perdidos das cadeias de satanás usando a unção. Deus abriu a porta para fazermos isso com muito mais facilidade mediante a revelação de Sua glória em nossa vida e em nossas igrejas. A unção pode rapidamente atrair uma multidão e, facilmente afetá-la. No entanto, quando

Deus desce e revela Sua glória entre nós, a cidade inteira será afetada!

O ministério de Charles G. Finney foi marcado por avivamentos transformadores de cidades. A cidade de Utica, Nova Iorque, foi dramaticamente transformada pelo poder de Deus residente na vida de Finney, um homem que ardia de paixão pela oração profunda e pelo relacionamento íntimo com Deus.

É dito que quando Finney andava pelos moinhos de Utica, nos anos finais de 1800, a presença de Deus era tão forte que os trabalhadores começavam a cair de joelhos em arrependimento mesmo antes de ele abrir a boca! Enfim, toda a cidade e região foram afetadas por causa da presença de Deus que ele carregava consigo. E como se ele carregasse uma luz que, de repente, permitisse aos homens enxergarem a si mesmos e a Deus sob uma perspectiva correta. Quando a presença chegava perto, os homens sabiam que eles estavam sujos e que Deus era Santo! Este parece ser o atual cumprimento da profecia de Isaías:

Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti. Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua glória se vê sobre As nações se encaminham para a tua luz, e os reis, para o resplendor que te nasceu. – (Isaías 60:1-3).

Enquanto eu ministrava naquela cidade, pedi ao meu anfitrião que me levasse ao mesmo moinho que Finney visitou tantos anos atrás. Os moinhos já estavam abandonados há muito tempo, e o povo que lá trabalhava e experimentara a glória de Deus já não se encontrava naquele local. O potencial de Deus ainda parece persistir no silêncio daquelas construções. Encostei-me à parede de um dos moinhos e somente chorei à medida que orava: “Deus, eu quero ser uma pessoa que escancara as janelas do Céu a tal ponto que as pessoas tenham um encontro Contigo só por estarem ao meu redor.”

O POVO NAS TREVAS VIU UMA GRANDE LUZ

Quando alguém paga o preço para abrir as janelas do Céu, mediante a adoração sacrificial e arrependida, a luz da presença manifesta de Deus raia na sombria paisagem da alma humana e permite que todos saibam que é tempo de ser livre. Isto é o que o profeta Isaías quis dizer quando ele profetizou sobre a vinda de Cristo: “O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz.” – (Isaías 9:2).

Você sabe que encontrou a pura presença de Deus como resultado de um Céu aberto quando o povo que vive na “região da sombra da morte” vê uma grande luz. Esta é a presença manifesta de Deus. Quando os céus se abrem sobre uma cidade ou nação, há uma percepção mais elevada da presença de Deus na Terra. Esta é a fundamental forma de “guerra espiritual”.

Estou convencido de que a maioria das nossas chamadas batalhas ou guerras espirituais significa nada mais do que um bando de crianças ameaçando chamar seu Papai. O inimigo sempre foi capaz de reconhecer a diferença entre os verdadeiros e os que “querem imitar”. Os sete filhos de Ceva, no Livro de Atos, pensavam poder usar a mesma arma que eles viram Paulo usando contra os demônios. Tudo que eles conseguiram foi apanhar severamente e sentir vergonha suficiente para durar por toda a vida. – (Veja Atos 19:14-17).

Satanás e seus diabinhos são como cachorros valentões. Eles podem sentir quando alguém está com medo deles mesmo quando uma pessoa está gritando e balançando uma arma. Eles também sabem quem não tem medo deles e evitam conflito direto com estes. Talvez isto tenha a ver com o fato de Deus realmente ser ou não o nosso Pai. Para a guerra espiritual ser efetiva, você tem de estar de pé firmemente no campo do relacionamento.

A PRESENÇA DE DEUS DESARMA AS FORÇAS DAS TREVAS

Há uma teologia da presença de Deus. Quando a presença d’Ele Se manifesta, em qualquer área ou vizinhança, as forças das trevas perdem sua habilidade de influenciar o público (novamente, isto é a Sua presença manifesta concentrada, que é diferente de Sua Onipresença). Como escrevi em Os Caçadores de Deus:

Quando a sola dos pés de Jesus tocou a praia arenosa de Gadara, um homem que estava possesso de cinco mil demônios, a 1 km de distância, ficou repentinamente liberto das sufocantes garras deles pela primeira vez […] Precisamos ouvir a batida dos pés de Deus à medida que a sola de Seu pé toca a Terra uma só vez… Quando isso acontecer, não necessitaremos nos preocupar em mandar pequenos demônios correrem.

A razão pela qual você deveria desejar um Céu aberto sob sua igreja e cidade é porque as forças demoníacas que combatemos perdem sua autoridade na presença manifesta de Deus. Quando Deus entra em cena, simplesmente não há uma batalha, não há ninguém de pé que sequer pense em desafiá-Lo. Mesmo os demônios estão ocupados demais fugindo ou dobrando seus joelhos diante do Onipotente. Essa é a razão pela qual eu enfatizo tanto a importância de abrir as janelas do Céu criando um ambiente no qual a presença manifesta de Deus tem prazer de habitar.

O MUNDO NÃO O TEME PORQUE A IGREJA NÃO O TEME

A presença manifesta de Deus traz o povo de todas as caminhadas da vida para onde eles temam o nome do Senhor. A razão pela qual o mundo não teme verdadeiramente a Deus é porque muitos na igreja também não O temem. Por muitos anos, o cristianismo, em sua maior parte, tem sido vazio da visitação e do temor de Deus. Como eles podem temer Aquele cujo poder nunca experimentaram? Gostamos de falar sobre isso quando, na verdade, nunca realmente entendemos isso! Mas se você experimentá-Lo, vai entender. Assim como um encontro com a eletricidade ficará permanentemente gravado em sua memória, o legítimo encontro com a presença manifesta de Deus também ficará.

Acredito que a versão de Deus de batalha espiritual é totalmente diferente da nossa. Isaías descreveu desta forma: “Então temerão o nome do Senhor desde o poente, e a sua glória desde o nascente do sol. Vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do Senhor arvorará contra ele a sua bandeira.” – (Isaías 59:19 – NKJV).

A linguagem hebraica não tem sinais de pontuação – especialmente o hebreu antigo usado nos manuscritos mais velhos. Os tradutores na época do rei Tiago fizeram o melhor que puderam, mas tradutores modernos trouxeram nova erudição e entendimento das linguagens originais desta passagem.

Para entender a leitura defendida pelos sábios mais modernos, somente mova a vírgula para que a passagem seja lida desta forma: “Vindo o inimigo, como uma corrente de águas o Espírito do Senhor arvorará contra ele a sua bandeira.” A New International Version (Nova Versão Internacional) diz: “Desde o Ocidente, os homens temerão o nome do Senhor, e desde o nascer do sol, eles irão reverenciar Sua glória. Porque Ele virá como uma enchente retida que o sopro do Senhor libera.” -(Isaías 59:19 – NVI). O foco total da passagem é sobre a vinda da glória ou da presença manifesta de Deus.

O AVIVAMENTO É UMA COMPLETA INVASÃO DO REINO DE SATANÁS

A mensagem do profeta continua por intermédio das nossas modernas divisões de capítulos para onde Isaías profetiza: “Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti. Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a sua glória se vê sobre ti.” – (Isaías 60:1-2). Isto é o que eu quero dizer quando falo sobre “acendendo a luz de Sua presença”.

Uma vez que o avivamento é essencialmente uma total invasão e derrubada do reino de satanás na Terra, é apropriado que o tema de batalha espiritual surja. Existe uma posição baseada na Palavra, e dirigida pelo Espírito aos santos, sobre amarrar e soltar, mas a maior parte do tempo nos concentramos em amarrar. Também tendemos a ir para a batalha como meninos assustados presos dentro de uma cerca, com um malcuidado cão sarnento. Nós amarramos o diabo, os demônios, as nuvens de chuva; amarramos o cachorro barulhento do vizinho mal-humorado e podemos até mesmo tentar amarrar a horrível vela de ignição que faz o motor do carro falhar. Não se preocupe se você nunca mencionou o motor! Em outras palavras, tendemos a ir longe demais além da linha da razão e da sensatez.

Deveríamos perder algo no reino celestial toda vez que nos sentimos levados a amarrar algo na Terra. Nunca ore para amarrar o diabo a não ser que você ore também para liberar o poder de Jesus e do Espírito de Deus naquela situação. Se você amarra algo e não libera outra coisa, na verdade você não fez nada a não ser atar tudo com nós. Sempre que oro para que Deus possa “abrir as janelas do Céu”, eu também oro para que Ele feche “as portas do inferno”!

Quando Jesus disse “as portas do inferno não prevalecerão”, Ele quis dizer que elas não têm autoridade sobre os redimidos ou sobre o Reino de Deus. – (Mateus 16:18). Quando as portas do Céu se abrem, é hora de assaltar as portas do inimigo e despojar o inferno para povoar o Céu. Isto nos ajuda a entender que satanás não tem mais a posse das “chaves do inferno”. Jesus as recuperou! Satanás não pode nem trancar as portas de sua própria casal

VAMOS DEIXAR CLARO O REGISTRO SOBRE O “GRANDE CONFLITO CELESTIAL”

Às vezes, ouvimos pregadores fazendo poesias com grandes descrições do “Conflito Celestial”, quando o arcanjo lúcifer foi expulso da presença de Deus e caiu na Terra. É verdade que lúcifer foi expulso do Céu junto com um terço dos anjos. No entanto, não houve nenhuma grande luta no Céu. – (Veja Isaías 14:12-15; Lucas 10:18). O apóstolo João escreveu: “Deus é luz, e não há nele treva nenhuma.” – (1 João 1:5). Deus sabe discernir entre um pensamento e um intento. – (Veja Hebreus 4:12). (Ninguém mais pode). Quando algo (ruim) deixa de ser um pensamento para se tornar um intento, isso se torna pecado mesmo antes que você cometa o ato. Essa é a razão pela qual Jesus disse que se um homem olhasse para uma mulher para cobiçá-la, ele já teria cruzado a linha. – (Veja Mateus 5:28).

Lúcifer era um arcanjo encarregado do louvor no reino celestial. O pensamento de que ele poderia tomar o lugar de Deus entrou em sua mente. Que pensamento tolo! Ele deveria tê-lo rejeitado imediatamente, mas não o fez. Quando o pensamento de subir ao trono de Deus entrou na mente de lúcifer, não havia nenhum problema até que ele disse: “Eu vou tentar.” No momento em que se moveu de um pensamento para um intento, a menor mancha de pecado apareceu na luz branca brilhante da glória de Deus – e ela se foi em menos de um milésimo de segundo. A “guerra” foi declarada acabada, e lúcifer, agora satanás, foi expulso de lá. Lúcifer não reuniu um terço dos anjos e disse: “Ok, vamos batalhar por tudo! Vamos tirar o Grande Homem hoje.” Não houve guerra verdadeira. Deus não acordou um dia e disse: “Miguel, Gabriel, vocês precisam desembainhar suas espadas. Estou tendo um problema com o lúcifer. Ele está tentando Me empurrar para fora do Meu trono e Eu preciso que vocês me ajudem.”

QUANTO TEMPO LEVA PARA AS TREVAS FUGIREM?

Não houve nenhuma guerra cósmica no Céu na qual Deus finalmente conseguiu prevalecer e voltou ao Céu dizendo: “Uau, esta foi difícil!” Não aconteceu assim. No momento em que o pensamento de lúcifer mudou para o reino do intento, naquele imensurável microssegundo, uma pequeníssima mancha de trevas apareceu no reino celestial; Deus, que é Luz, expulsou aquelas trevas instantaneamente. Quanto tempo leva para as trevas fugirem do quarto quando você toca no acendedor de luz· Não há batalha entre fótons de luz e partículas subatômicas de trevas. Não! Quando a luz chega, as trevas são destruídas mais rápido que um piscar de olhos. Essa é a razão pela qual Jesus disse: “Eu via satanás caindo do céu como um relâmpago.” – (Lucas 10:18).

Em menos de uma fração de segundo, lúcifer foi despido de seu nome, posição, escritório celestial e lançado fora do reino celestial na velocidade da luz. Ele mal conseguia dar um passo adiante daquela luz à medida que era expulso, e então as trevas caíram sobre a face do abismo.

Satanás pensou ter encontrado um lugar de refúgio até que Deus Se inclinou e viu que o mundo que Ele criara em beleza absoluta havia se transformado em um lugar de caos, vazio e sem forma. Deus corrigiu aquele problema decretando: “Haja luz.” A glória de Deus caiu sobre a Terra e houve luz vinda da emanação de Sua própria presença – mesmo antes de Ele ter criado o Sol!

Meu amigo, enfrentamos situações muito similares hoje. As trevas mais uma vez cobrem a face da Terra. É interessante notar que as trevas afetam somente a superfície ou a “face”. Satanás está ocupando; ele não tem a posse. Ele está apenas acampando aqui porque não pode ir a fundo nisso. Ele está cobrindo todo território que pode, mas suas trevas só cobrem a face das coisas. Sua influência é ampla, mas sua força é superficial.

Eu me lembro do tempo em que estava lado a lado com outros crentes e olhávamos a cidade de Los Angeles. Nós oramos e eu estendi minha mão na direção do vale que abriga mais ou menos 15 milhões de pessoas. Julgando pelas aparências, as coisas parecem muito escuras naquela vasta cidade, mais isso não é tão intenso. Se você se aprofundar, encontrará um povo de coração faminto que está somente esperando por uma centelha de luz chegar até eles. E dessa maneira em sua cidade também! .Se a adoração for capaz de penetrar a superfície, os famintos vão encontrá-lo! Eles seguirão a “luz” até encontrar sua fonte, assim como os homens sábios do passado seguiram a luz celestial até Cristo. A adoração abre uma janela – uma janela para a glória de Deus fluir. A humanidade então é dirigida para a luz.

“Ó, Deus! Onde está aquele interruptor de luz? Onde está aquela janela?”

É o seu trabalho interceder diante do Rei pelo povo que habita em trevas. Assim como a rainha Ester que intercedeu pela vida do seu povo, devemos estar desejosos de pagar qualquer preço para ver a glória de Deus brilhar sobre nossas igrejas e cidades. Isso introduz o problema de Deus. O pecado não suporta a Sua presença porque Ele é luz, e não há trevas n’Ele – nenhuma sequer. Ainda assim, Ele anseia andar com você e comigo ao frescor da manhã como Ele fez com Adão e Eva antes de caírem em pecado.

ISTO É O QUE A GLÓRIA FAZ À CARNE DO HOMEM

Todos nós podemos concordar que Jesus Cristo derramou Seu sangue para resolver este problema do pecado. Mesmo assim, em todo exemplo que vi uma medida da glória de Deus entrar em um culto de adoração, uma reverência divina, temor e tremor de Sua glória também entraram na sala. Mesmo líderes de igrejas redimidos e lavados no sangue que lideram vidas santas, de repente sentem uma profunda urgência de se prostrarem e se arrependerem diante do seu Santo Deus quando Sua Kabod, ou intensa presença, começa a encher o recinto. Isto é o que a glória faz com a carne do homem, mesmo a carne do redimido. Esta é a razão pela qual os discípulos mundanos sempre tinham de ser tranquilizados quando uma visível manifestação divina ou um anjo aparecia diante dele. Eles temiam que a glória os matasse!

Por esta razão, Deus nos diz com uma de Suas mãos: “Venha mais perto.” Porém, com a outra Ele diz: “Não tão rápido.” Pode ser amedrontador chegar perto demais da presença santa de Deus quando há resquícios de pecado não arrependido em nossa vida. Sim, estamos cobertos pelo sangue de Cristo, mas isto não nos libera da necessidade que sentimos de nos arrependermos dos nossos pecados e falhas outra vez quando encontramos a santidade de Sua presença. Temos de “nos tornar salvos novamente”? Absolutamente não! Mas será que com frequência nos sentimos como “sendo salvos de novo”? Realmente! Isaías sentiu! João sentiu – ele caiu aos Seus pés “como morto”!

Jesus nos cobre com Seu sangue para nos permitir entrar em Sua presença no nosso estado não regenerado. “O que você quer dizer com não regenerados?” Não somos perfeitos, mas estamos vivendo sob o manto do perdão – estamos cobertos pelo sangue do sacrifício perfeito sem pecado -, então podemos entrar. É onde estamos agora, debaixo da nova aliança do sangue de Cristo. Mas de alguma forma, Davi falhou no mesmo princípio sob a velha aliança de Moisés e do Antigo Testamento, quando ele começou a transportar a arca da casa de Obede-Edom. Foi um processo sangrento e enfumaçado que levou a dança extravagante de Davi por intermédio dos portões de Jerusalém.

O que estamos aprendendo com a experiência de Davi é que a natureza arrependida e de coração quebrantado da verdadeira adoração somente engrandece o rico aroma do nosso sacrifício aceitável a Deus. Esta é a oferta que persuade o Rei da Glória a habitar conosco em vez de meramente visitar nossas reuniões. Quando Sua glória finalmente vem pelos portões da adoração para dentro das nossas igrejas e cidades, nós também podemos nos tornar bobos dançantes!

Não há melhor maneira de empreender guerra espiritual do que acendendo a luz da glória de Deus prenunciando Sua presença manifesta. Vamos permitir que Deus reconstrua Sua casa favorita em nossas reuniões. Recusem-se a parar em falsas linhas de chegada ou estarem satisfeitos meramente com o cheiro de onde Ele uma vez esteve.

Persista em seu urgente desejo pela busca da presença de Deus e os céus se abrirão. Sua glória shekinah vai descer sobre o trono de misericórdia (propiciatório) que o seu amor e sua adoração fizeram somente para Ele. É nesta atmosfera de intimidade e devoção a Deus, e somente a Deus, que Sua presença manifesta aparece.

Quando Ele acende a luz de Sua glória, forças demoníacas são instantaneamente dizimadas. Cativos são libertos e se tornam livres para correr ao seu Redentor, assim como o endemoninhado foi liberto mesmo antes de ter conhecido Jesus ou tê-Lo ouvido falar.

Quando os céus estão abertos e a luz de Deus brilha nas trevas, todos os demônios e obras das trevas são forçados a sair, porque as portas do inferno nunca podem prevalecer; nem mesmo levantar uma luta respeitável quando a própria presença do Rei da glória aparece. Lidere uma guerra espiritual para sua igreja e cidade da mesma maneira que Deus a lidera no Céu. E você vai criar uma “ZLD” (Zona Livre de Demônios)! Ore e adore-O até que as janelas do Céu se escancarem sobre sua igreja e cidade. Adore-O até que a luz de Sua glória brilhe sobre você.

“O Senhor, assim na Terra assim como no Céu – mostre-nos Sua glória!”

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.