A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS

PARASSONIAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS

Inúmeros distúrbios do sono afetam diretamente a saúde, a trajetória e a evolução da criança, trazendo imensos prejuízos nos aspectos emocionais, psicológicos e cognitivos desse público

Parassonias e suas consequências

A infância é um período de grande desenvolvimento, e o sono, nessa fase, é essencial para que esse processo ocorra de forma saudável e adequada. Padrões alterados de sono, tanto em frequência como em qualidade, podem afetar diretamente o desenvolvimento, trazendo grandes prejuízos para as áreas emocionais, psicológicas e cognitivas da criança.

O sono é um comportamento que permite, durante o tempo de repouso, o descanso do cérebro, para que ele se recupere, assim servindo para suprir próximas necessidades biológicas e psicológicas. O ciclo do sono geralmente dura, em média, oito horas, dividindo-se em dois estágios: o sono REM (rapideyemoviments – movimento rápido dos olhos) e o NREM (não REM). O estágio REM promove desenvolvimento cerebral e aprendizagem.

Durante o sono há um período de reorganização de funções cognitivas muito importantes, como, por exemplo, a memória. O sono opera também em outras funções cognitivas, como concentração, raciocínio e atenção. É nessa hora que a aprendizagem se consolida na memória. Dessa forma, ele é essencial para todas as pessoas de qualquer idade.

Para as crianças, é ainda mais importante, pois os hormônios do crescimento são produzidos nesse período. Uma alteração no ciclo do sono pode causar problemas metabólicos nessa área. A atuação desse rico período de descanso não para por aí: ele age no sistema imunológico, no controle da fome, na circulação sanguínea e, como citado, nas áreas cognitivas.

APRENDIZAGEM

Crianças que apresentam alterações no período de sono, ou distúrbios nessa área, sobretudo o que os estudiosos chamam de parassonias, podem desenvolver transtornos importantes, como perda de memória recente, lentidão no raciocínio, desatenção, dificuldade de concentração, irritabilidade, dificuldades de aprendizagem, entre outros.

Ao longo do tempo, a privação, ou má qualidade do sono, pode ainda provocar grandes danos à saúde, como diabetes, obesidade e doenças cardiovasculares. Ele também interfere diretamente no humor, e sua ausência ou má qualidade podem provocar irritabilidade e outras alterações.

Percebe-se, dessa forma, que a aprendizagem está intimamente ligada a uma boa qualidade de sono. Lentidão para resolver atividades, sonolência, alterações de memória podem ser alguns dos sintomas de que a criança não está tendo um bom padrão de sono, ou pode apresentar distúrbios nessa área. Muitas vezes, crianças com esses sintomas podem ser diagnosticadas erroneamente como portadoras de transtornos de aprendizagem, mas, na verdade, elas são portadoras de distúrbios do sono.

Durante o sono, a memória não para. Pelo contrário, nesse período ela seleciona, de certa forma, o que irá reter e o que irá descartar, deletando todo conteúdo que considera “menos significativo”. Portanto, é nessa hora que as informações adquiridas durante o dia se consolidam, serão organizadas, selecionadas e armazenadas, processo este que ocorre durante o sono REM, quando há também os sonhos.

Se nesse período a criança apresentar dificuldades para manter um bom padrão, ou se dormir pouco, o trabalho da memória será afetado e a criança poderá deixar de transformar em conhecimento ou aprendizagem o que foi recebido durante o dia.

 SERÁ TDAH?

Crianças agitadas, desatentas, com mau desempenho escolar e limiar muito baixo de concentração geralmente recebem laudo de TDAH, o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade. Mas, antes disso, é preciso verificar se o problema realmente é esse, ou se essa criança está tendo um padrão de sono comprometido, escasso, alterado, ou ainda se existe alguma parassonia, que costuma causar os sintomas que podem ser confundidos com os de TDAH (falta de concentração, hiperatividade, entre outros) e ainda mau desempenho acadêmico. Nesse sentido, crianças que apresentam parassonias ou outros problemas ligados ao seu ciclo de sono precisam ser observadas minuciosamente, evitando-se, dessa forma, um diagnóstico errôneo. Somente um bom exame clínico, médico, uma anamnese e exames específicos poderão ajudar no diagnóstico.

Por outro lado, crianças com um grau relevante de TDAH podem, em consequência desse transtorno, desenvolver uma alteração no ritmo do sono. Aliás, esse é um dos sintomas precoces mais observados no processo de avaliação de TDAH. E, no caso, cria-se um círculo vicioso, que interfere diretamente no desenvolvimento comportamental e cognitivo da criança. O déficit pode provocar má qualidade de sono e agitação, que interferem no desenvolvimento cognitivo e na aprendizagem. É preciso procurar um bom profissional, especialista, quando os sintomas envolvem ritmos alterados de sono.

SÃO FENÔMENOS FÍSICOS

Parassonias, de acordo com a Academia Americana de Medicina do Sono, são definidas como experiências ou fenômenos físicos indesejáveis durante a transição sono-vigília, o sono ou o despertar parcial (que são fases do período de sono-vigília). Entre as principais parassonias estão o terror noturno, o sonambulismo, o bruxismo, o sonilóquio, a narcolepsia, distúrbios de movimentação rítmica e pesadelos.

Além das parassonias, problemas como a síndrome da apneia do sono, a respiração bucal e a epilepsia são ocorrências que afetam diretamente o padrão e a qualidade do sono. As parassonias são bem comuns na primeira infância e em grande parte dos casos tendem a desaparecer. Porém, em alguns casos, podem permanecer até a adolescência ou vida adulta e causar grandes transtornos ao desenvolvimento infantil.

Os terrores noturnos e os distúrbios de movimentação rítmica geralmente desaparecem até os 4 anos de idade. Já o bruxismo e o sonambulismo podem aumentar até com a idade. Sabe-se que algumas parassonias têm origens genéticas e uma pessoa pode apresentar mais do que uma parassonia, mas muitas delas podem ser reforçadas por fatores ambientais.

Para cada parassonia há intervenções diferenciadas. Algumas delas quando permanecem e podem também estar associadas a problemas de ansiedade e emocionais ou serem reforçadas por eles. Há muitas intervenções terapêuticas para o tratamento desses distúrbios, e são específicas para cada caso. Por exemplo, quando a criança apresenta terror noturno, os episódios geralmente ocorrem no mesmo horário, então pode-se adotar uma medida de prevenção, despertando a criança antecipadamente ao momento em que o episódio acontece. Com o tempo, eles vão desaparecendo.

O importante é que aos primeiros sintomas observados, de que a criança possa estar apresentando alguma parassonia, o médico seja avisado para que os exames específicos sejam realizados e, após diagnóstico, as terapias sejam iniciadas a fim de que ela não venha a desenvolver problemas cognitivos e escolares associados a esses transtornos.

 MOVIMENTOS RÍTMICOS

Algumas crianças têm o sono agitado e chegam a acordar do outro lado da cama. É necessário observar que tipos de movimentos a criança está fazendo enquanto dorme e, dependendo do caso, o sono pode ser monitorado por uma polissonografia com filmagem, para que se possa observar todo o ciclo de sono da criança.

A “síndrome das pernas inquietas” é um distúrbio sensório motor com aspectos neurológicos e pode tornar-se progressivo. Há crianças e jovens que sofrem com esse mal, com dificuldades para dormir, para descansar o corpo, que, ao contrário, agita-se durante o período de repouso, principalmente à noite. Nesses casos, o portador acorda várias vezes, pode ter dificuldades para dormir novamente e acorda cansado.

O principal sintoma é o movimento das pernas, sacudindo-as, alongando-as, cruzando-as e até com chutes. O portador ainda pode sentir fisgadas, formigamentos, dores, provocando uma noite mal dormida e cansaço no dia seguinte. Existem fatores de risco para o desenvolvimento desse problema, como neuropatias e diabetes, e há necessidade de exames específicos para o diagnóstico.

BRUXISMO: o bruxismo, por sua vez, ocorre quando, durante o sono, a criança range os dentes, fecha-os com força ou faz outros movimentos bruscos com a boca. Pode ocasionar dor facial, dores de cabeça, inchaço, ferimentos nas gengivas e até mesmo problemas odontológicos.

O transtorno geralmente é associado ao estresse, ansiedade ou raiva, mas também pode ser um sintoma de problema no sistema nervoso. O paciente pode ser tratado por dentista e utilizar uma placa que impede o movimento brusco dos dentes e também por um psicólogo, a fim de passar por terapias de relaxamento.

TERROR NOTURNO: o chamado terror noturno é uma parassonia que afeta muitas crianças, principalmente na fase de 2 a 5 anos, podendo atingir bebês mais novos também. Segundo alguns dados estatísticos, nessa faixa etária o problema pode chegar a atingir metade da população infantil.

As crianças menores manifestam as crises com choros durante o sono. Os mais velhos podem dar gritos, emitir outros sons e ainda sentar na cama. Para os pais é angustiante, porque, na maioria das vezes, a criança parece ainda estar dormindo e não os reconhece, podendo chorar compulsivamente durante 15 a 20 minutos.

Diferentemente dos pesadelos que ocorrem no fim da madrugada, o terror noturno acontece bem no meio da noite, antes do sono REM, ainda podendo a criança, em alguns casos, ter pesadelos mais tarde. No dia seguinte, não se lembram das crises.

Crianças que passam por crises frequentes e mesmo mais de uma por noite podem ter o padrão de sono bem alterado e sofrer as consequências desse distúrbio como sonolência e irritabilidade. Existe uma tendência genética no perfil dessas crianças, que podem ter pais que sofreram outras parassonias, como o sonambulismo, por exemplo. Em outros casos, há possibilidades de o problema estar associado a uma imaturidade no sistema nervoso central, na área responsável pelo padrão sono-vigília. Passeios e programas noturnos muito agitados, para quem já é portador do transtorno, podem aumentar as crises.

SONILÓQUIO: é uma parassonia que se manifesta quando o portador fala durante a noite. Geralmente, as crianças são mais afetadas. As falas podem ser monólogos ou conversas desconexas, com frases e palavras que, muitas vezes, parecem incompreensíveis, descontextualizadas. Não é uma parassonia grave, porém pode ser indício da presença de outras, como por exemplo o sonambulismo.

NARCOLEPSIA: é um distúrbio que causa muita sonolência durante o dia, devido a um padrão de sono alterado durante a noite, no ciclo REM e NREM. O portador não dorme bem, não descansa, pois tem o sono REM muito cedo, acordando várias vezes no período, e no dia seguinte passa pratica- mente o dia todo com sono, o que pode ser confundido com preguiça.

Na escola, a criança apresenta-se desatenta durante as atividades e muitas vezes é incompreendida pelo professor, caso este não saiba sobre o seu problema. Na adolescência, geralmente a narcolepsia se agrava. A causa está relacionada a problemas em um neurotransmissor no hipotálamo. É preciso tratamento e medicamentos específicos para reverter o quadro.

PESADELOS: são sonhos ruins que ocorrem durante o estágio REM. Como essa fase se alterna com a fase NREM durante a noite, podemos ter até seis pesadelos por noite. Os pesadelos iniciam por volta de 4 anos de idade e podem permanecer até a vida adulta. Na infância, porém, parecem ser mais intensos.

As causas estão ligadas a estresse, angústia, medo, traumas, ansiedade e dificuldades de lidar com situações novas. Geralmente, os pesadelos são acompanhados por um despertar súbito, angustiante, às vezes com sensação de pânico.

A criança que sofre com pesadelos poderá ter um ciclo de sono muito alterado e uma péssima qualidade no repouso. No dia seguinte, certamente estará sonolenta, cansada, irritada e desatenta. Quando os pesadelos são contínuos deve-se procurar um psicólogo e uma terapia relaxante.

SONAMBULISMO: é uma parassonia que ocorre durante o sono NREM e que se manifesta por atividades motoras enquanto a pessoa está dormindo, ou seja, ela está em trânsito entre o sono e a vigília. Durante a manifestação da crise, a pessoa senta na cama, fala descontextualizadamente, anda pela casa, vai ao banheiro, cozinha. Quando despertada, parece confusa.

Geralmente, as crises desaparecem espontaneamente após a infância, porém muitos portadores ainda continuam sonâmbulos na fase adulta. Alguns fatores são consideração como predisposição para o transtorno, como os ligados à genética e hereditariedade, estresse, apneia do sono, ansiedade.

Os familiares devem tomar certo cuidado para que o sonâmbulo não se machuque. Dependendo do grau e incidência das crises, o portador apresenta cansaço, indisposição, desatenção e, nesse caso, deve-se procurar um médico, que, através da polissonografia, pode diagnosticar o sonambulismo e prescrever medicamentos ou terapias.

Quando não tratadas de forma correta, as parassonias podem tornar-se grandes transtornos e obstáculos ao desenvolvimento infantil, causando, como relatado, déficits não só cognitivos, mas também emocionais e sociais. Dessa forma, ao serem observados padrões alterados de sono, deve-se procurar rapidamente um pediatra, que poderá pedir exames específicos, fazer os devidos encaminhamentos e até propor uma psicoterapia. Dormir bem é um importante sinal de boa saúde!

Parassonias e suas consequências. 2

AS MULTIFUNÇÕES DA MELATONINA E O SONO

A melatonina é um hormônio produzido no cérebro, e essa produção só ocorre na ausência da luz. É ela que “sinaliza” para o cérebro quando é dia e quando é noite, regulando o ritmo biológico das pessoas, para que elas tenham disposição de dia e sono à noite. A melatonina ainda age no sistema imunológico, reduz enxaquecas, auxilia no emagrecimento, sendo um ótimo antioxidante e antienvelhecimento.

Atualmente, esse hormônio vem sendo estudado largamente, inclusive no combate ao câncer. Pesquisas recentes demonstram que pessoas com turnos de trabalhos noturnos, que ficam expostas durante a noite toda em ambientes iluminados, ou até mesmo vendo TV ou jogando, podem apresentar maiores riscos para obesidade, depressão e câncer. Nesse sentido, sugere-se que uma maior presença da melatonina no organismo diminuiria essa incidência ao risco. O Instituto de Ciências Biológicas da USP tem estudado a relação entre melatonina e diabetes, visto que já se comprovou que o hormônio pode potencializar os efeitos da insulina no corpo.

Parassonias e suas consequências. 3

MEMÓRIA

Palavra que tem origem no latim (memoria), a memória apresenta algumas conceituações. Uma delas diz que se trata da faculdade psíquica, por intermédio da qual as pessoas conseguem reter e relembrar o passado. O termo ainda permite se referir à lembrança ou recordação que se tem de algum fato que já tenha ocorrido, e à exposição de fatos, dados, informações ou motivos que dizem respeito a um determinado assunto.

Parassonias e suas consequências. 4

PROBLEMAS RELACIONADOS AO SONO SÃO COMUNS NO AUTISMO

Distúrbios do sono são muito comuns em crianças com autismo, ocorrendo em 40 a 80% dos casos. Esses problemas são decorrentes de uma série de fatores biológicos.

Alguns estudos relacionam esses distúrbios à falta de melatonina. Geralmente, as crianças autistas dormem pouco, pois demoram para dormir, passam períodos da noite acordados e despertam cedo. Há, frequentemente, os casos de nightwalking, ou seja, passeio noturno: a criança fica brincando, falando, andando pela casa, por cerca de duas a três horas noturnas e, às vezes, até mais. O tratamento para esse distúrbio do sono pode ser medicamentoso, inclusive com o uso de melatonina para regular o ciclo biológico, mas sempre prescrito por um médico. Importante, também, a aplicação do que é conhecida como “rotina de sono”, minimizando-se os estímulos auditivos e luminosos na casa durante a noite, juntamente com a retirada de brinquedos ou objetos estimulantes para a criança. Dependendo do caso, somente com o emprego dessa rotina de sono consegue-se reduzir o fenômeno nightwalking. É preciso um trabalho de paciência e bastante persistência.

Parassonias e suas consequências. 5

HORMÔNIO DO CRESCIMENTO

Produzido pela hipófise, pequena glândula que fica localizada na parte inferior do cérebro, o hormônio do crescimento, conforme o nome autodefine, é imprescindível para proporcionar o crescimento físico. Em contrapartida, a deficiência em sua produção no organismo é a grande responsável pelas ocorrências de nanismo, ou seja, pela estatura muito baixa de algumas pessoas. Já se for produzido em excesso, ocasiona acromegalia, o crescimento exagerado de pés, mãos, nariz e orelhas.

OUTROS OLHARES

ELES SENTEM O QUE VOCÊ SENTE

Pesquisa realizada por uma universidade sueca atesta algo que o senso comum intuía: os cães acompanham o estado emocional dos seres humanos

Eles sentem o que você sente

A foto correu mundo – ou melhor, “viralizou”, como se diz nestes tempos de império das redes sociais. Deitado ao lado do caixão de George Bush, que morreu no início de dezembro, o labrador Sully, que conviveu com o ex-presidente americano em seus derradeiros meses, parecia querer transmitir seu luto, sua melancolia. A imagem provocou comoção – mas não exatamente surpresa. Há muito o senso comum alerta a ciência: os cães esbanjam empatia pelos seres humanos. Quem tem um em casa – vale dizer, mais de 44 % dos lares brasileiros, segundo o IBGE (enquanto 17,7% mantêm um felino sob o mesmo teto) – sabe que não é raro vê-lo espelhar o estado de espírito dos donos. O que era apenas uma impressão ganhou agora um patamar científico. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Linkõping, na Suécia, e publicada no periódico inglês Nature’s Scientific Reports revelou uma extraordinária semelhança entre os índices de stress registrados em cachorros de duas raças bastante distintas e em suas respectivas proprietárias (ressalve-se que mulheres aceitaram participar do levantamento).

O trabalho utilizou 58 cães, 33 deles pastores de shelland e 25 border collies. Os cientistas analisaram os níveis de cortisol – hormônio associado ao stress – presentes nos pelos dos animais e nos cabelos de suas donas e chegaram à conclusão de que eles eran muito parecidos.

Ao longo da pesquisa, cada proprietária respondeu a um questionário de 75 itens sobre o comportamento dos cachorros, dando notas de 1 a 5 a aspectos como animação, agressividade, medo etc. Além disso, elas tiveram de se manifestar sobre 44 frases – com as quais poderiam concordar ou não, numa escala de O a 5 – a respeito de si mesmas.

A relação mais estreita entre a produção de cortisol de um cão e a verificada em sua dona foi encontrada nos animais do sexo feminino e naqueles que eram treinados para competições diversas. Para o primeiro caso, os cientistas não arriscam justificativas; já para o segundo, é possível que a explicação esteja nos longos períodos de convivência indispensáveis para um bom adestramento. Outra relevante descoberta foi que aspectos como a idade dos cachorros e a das mulheres não pesavam em nada no nível de cortisol registrado pelos cientistas.

Estudos anteriores já haviam revelado que a proximidade entre cachorros e seres humanos estava estreitamente relacionada a hormônios. Uma pesquisa de 2015 feita no Japão mostrou que um simples olhar entre cães e humanos é suficiente para estimular, em ambos, a produção de oxitocina, substância responsável pela sensação de apego e de prazer (sua liberação ocorre, para citar uma situação, durante interações entre pais e filhos).

Não há dúvida, porém, de que o trabalho feito na Suécia avançou na constatação científica da existência de empatia entre cães e pessoas. Embora anuncie para breve pesquisas que incluirão o sexo masculino no lado humano do levantamento, a bióloga Lina Roth, coautora do estudo, acredita que o objetivo principal do trabalho realizado em Linkõping foi alcançado. Apesar disso, Lina admite que algumas perguntas seguem sem resposta. Uma questão que surgiu logo depois da conclusão do trabalho foi a seguinte: o.k., o humor das pessoas tem influência no dos cães contudo, será que o contrário é verdadeiro, o bem-estar dos animais interfere no de seus proprietários? Ainda que a interrogação permaneça suspensa no ar, a cientista está convencida de que a relação entre os cachorros e os humanos deva ser “de apoio e cuidado mútuo, algo que pode ser aproveitado de forma positiva pelos dois”. Em todas as horas – até nas de tristeza.

Eles sentem o que você sente. 2

Eles eentem o que você sente.3

GESTÃO E CARREIRA

CARTEIRAS VIRTUAIS

Empresas de varejo, de cosméticos e até de chocolates invadem o mercado de contas digitais – que em breve terá o Facebook também – e preocupam os bancos tradicionais

Carteiras virtuais

Na última vez que pesquisou o assunto, em 2013, o IBGE constatou que mais de 60 milhões de brasileiros não tinham relação alguma com os bancos – utilizavam só dinheiro vivo para comprar, quitar dívidas etc. Da próxima vez que saírem em campo para fazer um novo levantamento, os pesquisadores do instituto dificilmente encontrarão números similares. Há duas semanas, o Facebook anunciou a criação da carteira digital Calibra, uma iniciativa robusta, com apoio de pesos-pesados como Mastercard, PayPal, Visa, eBay, Spotify, Uber e Mercado Pago. O produto funcionará como uma conta digital que permitirá transações via WhatsApp e Messenger com o uso de uma moeda própria, que ganhou o nome de Libra. Apesar da resistência de bancos centrais europeus e dos Estados Unidos, trata-se de uma iniciativa sofisticada, com ambições globais – só no Brasil são 130 milhões os usuários da rede social – mas é a oferta de carteiras digitai mais modestas que está explodindo por aqui. Elas servem para fazer compras e pagar boletos sem a necessidade de uma agência bancária. Cada vez mais companhias se empenham para ter uma conta de pagamento para chamar de sua. Resultado: o país já possui 151 delas em operação no mercado. A novidade vem sendo oferecida por empresas de setores que nada têm a ver com instituições financeiras – caso da varejista Riachuelo, da produtora de cosméticos Natura, da locadora de patinetes elétricas Yellow e da fábrica de chocolates Cacau Show.

No começo do mês, a Via Varejo dona das Casas Bahia e do Ponto Frio anunciou o lançamento da própria conta digital, a banQi. Com a empreitada, planeja inserir as classes C, D e E em instituições financeiras, além de tentar estabelecer uma relação direta com os 4 milhões de pessoas que, hoje, usam cartões que suas lojas oferecem em parceria com bancos tradicionais. Na verdade, a Via Varejo apenas segue uma tendência de mercado entre os concorrentes. A B2W, que comanda marcas do quilate de Americanas, Shoptime e Submarino, pôs na praça a própria carteira digital em maio do ano passado. O aplicativo já foi baixado por mais de 2 milhões de clientes e oferece serviços como depósitos, transferências e pagamento de boletos. A B2W vai ainda mais longe: a novata no ramo não está autorizada a emprestar dinheiro a pessoas físicas, no entanto pode cuidar da intermediação entre as instituições financeiras que fazem isso e seus clientes, cobrando uma taxa pela operação.

Cabe explicitar a diferença entre os bancos digitais ou não, e essas contas de pagamento. Um banco precisa preencher certos requisitos, como participar do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) – que protege o cliente, até um determinado valor, em caso de falência da instituição – e cumprir a exigência de que exista um número de conta vinculado ao CPF do consumidor, de modo que todos os serviços listados, como transferências por DOC ou TED, sejam assegurados. As contas de pagamento, normatizadas pelo Banco Central em 2013, somente intermedeiam a relação entre o consumidor e o dinheiro. Não podem fazer câmbio nem usar o dinheiro dos clientes para operar crédito. Os valores alocados pela clientela devem ser integralmente depositados no BC ou ter lastro em títulos públicos. A facilidade para lançar contas digitais é tanta que já existem companhias à procura de celebridades e times de futebol para atrelar ao seu serviço. “As carteiras digitais tendem a se segmentar cada vez mais, oferecer serviços específicos para nichos, mas aqueles que entrarem no mercado para ser apenas carteiras digitais vão se perder pelo caminho porque já existem empresas consolidadas”, explica o professor Bruno Diniz, do curso de fintechs da Fundação Getúlio Vargas.

Os bancos tradicionais, é claro, acompanham a tendência com preocupação. Todos eles já oferecem contas digitais, porém mesmo assim estão perdendo espaço. Entre 2014 e 2018, o total de clientes de instituições financeiras concentrado nos cinco maiores bancos do país caiu de 72,3% para 64,5%. Diante desse cenário, seu desafio, mais do que nunca é inovar.

ALIMENTO DIÁRIO

SEGREDOS DO LUGAR SECRETO

Alimento diário - livro

CAPÍTULO 45 – O SEGREDO DE PRIORIZAR A INTIMIDADE

 

Priorizar é a conduta principal a ser tomada: amar a Deus de toda a sua alma. Esse é o maior mandamento (Mateus 22.37-38) e deve vir em primeiro lugar em nossas vidas (Apocalipse 2.4). A intimidade com Deus deve ser nossa prioridade número um, deve vir antes de tudo, até mesmo de nossos trabalhos na igreja. O segundo mandamento (amar ao próximo, que são nossos trabalhos na igreja) “é parecido” com o primeiro, mas Jesus deixou bem claro que ele deve vir em “segundo” lugar (Mateus 22.39). Mas é um segundo lugar que fica muito próximo do primeiro. Realmente é difícil separar os dois, mas ainda assim ele é o segundo.

É de fundamental importância mantermos o que é prioritário à frente de tudo. Quando o nosso amor por Deus recebe nossa atenção priorizada, passamos a funcionar com a plenitude espiritual necessária para cumprir o segundo mandamento. Quando nossas prioridades estão invertidas e passamos a dar mais ênfase a amar ao próximo do que a Deus, caminhamos para um certo esgotamento. A única maneira de evitarmos um eventual colapso é continuarmos voltando ao nosso primeiro amor.

O Espírito Santo está profundamente comprometido em colocar o primeiro mandamento antes de tudo em nossas vidas. Devemos ser estabelecidos em nossa identidade primária diante de Deus. É muito importante dizer: “Este é quem eu sou”. Eu não sou primeiramente um obreiro de Deus; em primeiro lugar e acima de tudo sou aquele que ama a Deus. O Espírito Santo está visitando muitos de nós neste momento e mudando nossas prioridades e compreensões. Seu mandamento é estabelecer nossa identidade primária como aqueles que amam a Deus. Quando Ele tiver terminado essa obra em nossas vidas, seremos pessoas que amam a Deus e trabalham para Ele, e não o contrário.

O lugar secreto deve ter a prioridade máxima em nossos calendários e programações, porque é o lugar onde a incubação da intimidade é facilitada. Você não pode conseguir intimidade apressadamente. Você tem que parar, arrumar uma mesa, colocar o pão e o cálice e cear com Ele e Ele com você.

É incrível sentir a presença de Deus enquanto você está se dirigindo para o trabalho de manhã. Mas se sua comunhão com Deus se resume a isso, então você não terá uma conexão íntima com Jesus. A resposta do coração de Deus é explosiva quando damos a Ele nossa primeira e melhor energia.

Falando de minha experiência pessoal, sei o que é inverter a ordem dos dois grandes mandamentos sem perceber. Uma vez o Senhor me parou abruptamente e, em sua bondade, me mostrou como as prioridades da minha vida estavam desequilibradas. Ele disse: “Bob, você vem a mim como se eu fosse um posto de gasolina”.

Considero um posto de gasolina um “mal necessário”. Eu não gosto de abastecer, gosto de dirigir. Mas sei que para fazer o que realmente desejo (que é dirigir), tenho que abastecer o carro com gasolina. O Senhor estava me dizendo: “Bob, você vem ao lugar de oração para se abastecer. Você não vem a mim porque sou o primeiro amor de seu coração. Você vem até mim para ficar reabastecido para que possa sair e buscar o primeiro amor de sua vida”. Note que meu primeiro amor era o ministério. Eu amava dirigir! Eu queria ver almas salvas; queria ganhar a cidade para Cristo; queria mudar o mundo. Eu estava mais motivado a desempenhar o meu trabalho para Deus do que em encontrar tempo para estar com Ele. Eu clamava: “Todas as minhas fontes estão em ti” (Salmos 87.7 – ACF). Mas, na verdade, o que mais me satisfazia era a “correria” das realizações ministeriais. E eu só me dei conta disso quando o Senhor me mostrou.

Quando enxerguei essa verdade, senti muita dor. Cai diante dele e clamei: “Senhor, lamento muito, não queria que tivesse sido assim. Eu não quero ter um relacionamento de abastecimento com você! Desejo muito mais que isso. Desejo ser aquele que o ama, a sua noiva; desejo que você seja o amor número um de minha vida. Desejo que o lugar secreto seja o motivo da minha vida. Desejo apreciar ficar em sua presença de tal forma que as pessoas tenham que me arrastar para fora!”.

Então, senti o Senhor respondendo:

“Sim, filho, sei que é isso o que você deseja. E esse é o motivo pelo qual vim ter com você e lhe mostrei a verdadeira condição do seu coração. Vou atraí-lo para o deserto (Oseias 2) e lá o despertarei para um relacionamento de amor profundo e diferente de tudo o que você já conheceu nos seus primeiros e ocupados anos ministeriais.”

O Senhor tem muitas maneiras de nos fazer estabelecer prioridades corretas. Em meu caso, Ele simplesmente tirou meu ministério. Oh, como isso machuca! Eu clamei: “Senhor, por que isso dói tanto? Você não retirou sua presença de minha vida; tudo o que você fez foi tirar o meu ministério. E estou sentindo uma dor indizível. Por que isso dói tanto?”. Essa foi a maneira como o Senhor me mostrou o quanto o ministério tinha se tornado a fonte da minha alma. Quando Ele o retirou de mim, estava me dando a oportunidade de encontrar uma base inteiramente nova para me relacionar com Ele. Assim, comecei a aprender o que significava vir até Ele com alegria e deleite simplesmente por quem Ele é.

Deus não retira o ministério de todas as pessoas para ensinar essa valiosa lição. Em alguns casos, Ele simplesmente tira a nossa satisfação de trabalharmos para Ele. Continuaremos no mesmo ministério, mas isso já não nos satisfará mais. O ministério se tornará seco, empoeirado, sem vida e desgastante. Nós nos sentiremos apavorados com o que antes nos energizava. E o efeito é o mesmo: o Senhor está tentando nos mostrar o quanto estamos nos alimentando de nossas obras ministeriais em vez de nos alimentarmos de seu amor.

Ele deseja que fiquemos viciados no vinho de seu amor (Cantares 1.2), mas é tremendamente fácil ficarmos viciados no vinho do ministério. O ministério pode ser inebriante. Dá uma sensação de “embriaguês” quando a graça de Deus flui através de você e ministra a noiva. Quando o rosto dela se ilumina com a glória de Deus, você se sente satisfeito e importante, porque Deus honrou sua obediência e abençoou outras pessoas.

Além disso, há o privilégio de observar Deus usando os dons e os talentos que você cultivou. Sua reação interna é parecida com o seguinte: “É isso! Foi para isso que nasci! Encontrei meu lugar. Este é meu chamado e meu ministério. Agora sei qual é meu lugar no corpo de Cristo. Servir desta maneira me dá a maravilhosa sensação de desejar fazer tudo novamente!”.

Não é errado gostar de ministrar a outras pessoas, mas é muito fácil isso se tornar o vinho viciante que nos inebria e nos satisfaz. E o vinho do amor de Deus passa a ficar em segundo lugar por causa deste “vinho novo” que provamos chamado ministério.

Então, o Senhor vem até nós, como fez com os Efésios que eram bem-sucedidos no ministério, e diz: “Estou pedindo que vocês voltem ao primeiro amor” (Apocalipse 2.4). O Senhor deseja que sejamos pessoas de “uma coisa”: da busca apaixonada de sua face. Davi disse:

“Uma coisa pedi ao SENHOR; é o que procuro: que eu possa viver na casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do SENHOR e buscar sua orientação no seu templo.” – Salmos 27.4

Davi buscava “uma coisa” – a face de Deus. Paulo disse: “Mas uma coisa faço” – que era a busca do “chamado celestial de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3.13-14). Maria de Betânia descobriu que “apenas uma coisa era necessária”, e Jesus acrescentou que ela tinha escolhido “a boa parte”, que não lhe seria tirada (Lucas 10.42).

Apenas uma coisa é necessária: assentar aos pés de Jesus e ouvir suas palavras. Uma coisa de Davi era uma coisa de Paulo, que era uma coisa de Maria. O primeiro mandamento vem em primeiro lugar, a busca de um relacionamento de amor com o nosso deslumbrante noivo.

O inferno inteiro militará contra você se tornar um homem ou uma mulher de “uma coisa”. As circunstâncias ficarão fora de controle, sua lista de tarefas aumentará e as demandas de sua vida multiplicarão. Satanás empregará qualquer dispositivo que funcione – tudo que o impeça de se transformar em uma pessoa de “uma coisa”.

Se você conseguir essa transformação, será um apaixonado fervoroso por Deus. Aceso com as paixões fervorosas de uma noiva por seu Senhor, você será uma arma perigosa nas mãos de Deus para realizar proezas. As maiores dimensões do poder do Reino são alcançadas por aqueles que verdadeiramente foram acesos e energizados por seu relacionamento de amor pessoal com o Senhor Jesus.

Faça a você mesmo a seguinte pergunta: Fico aliviado quando meu período de oração acaba? A minha resposta é: “Mais vezes do que gostaria de admitir!”. Tantas vezes fiquei aliviado em terminar o processo de abastecimento, para que eu pudesse sair e dirigir a máquina do meu ministério. Mas o Senhor tem sido gentil comigo e está me ensinando o segredo de amá-lo em primeiro lugar e de extrair minha sensação de realização e sucesso a partir do amor que me dá no lugar secreto.

Quando eu for um sucesso em seus braços, o ministério poderá ir bem ou não tão bem assim, mas eu me sentirei bem-sucedido interiormente de qualquer maneira. Portanto, estou estabilizado pelo poder de uma vida interna com Deus, em vez de ser manipulado emocionalmente pelas vicissitudes dos altos e baixos do ministério.

Para encerrar, veja Mateus 5.15: “E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa”. O Senhor deseja fazer com que você arda de zelo em buscar a face de Cristo. Dessa forma, você poderá brilhar com a luz de um relacionamento que aprecia, em primeiro lugar, a intimidade.

Se este fogo de amor for puro e brilhante, o Senhor o colocará em um lugar apropriado, de forma que você possa irradiar luz para toda a família da fé. Mas se a luz de sua vida não for pura – se sua energia em parte for proveniente do ministério – então o Senhor colocará sua luz debaixo de uma vasilha.

Alguns dos ministérios mais cheios de dons foram colocados debaixo de uma vasilha e limitados a uma esfera de influência localizada, porque o Senhor não estava disposto a exportar a impureza de seu amor para o corpo de Cristo inteiro. Que você possa aprender o segredo de amar a Jesus em primeiro lugar. E, acima de tudo, que Ele possa colocar sua candeia em um lugar apropriado e fazer da simplicidade e pureza de sua devoção um exemplo para toda a família da fé. Amém.