ALIMENTO DIÁRIO

SEGREDOS DO LUGAR SECRETO

Alimento diário - livro

CAPÍTULO 44 – O SEGREDO DE SER CONHECIDO

 

Alguém perguntou um dia: “Você conhece Deus?”. Mas há uma pergunta ainda mais importante: “Deus conhece você?”. A questão no dia do grande julgamento não será se você conhece Deus, mas se Deus conhece você.

No dia do julgamento muitos falarão que conhecem a Deus e lhe dirão: “Senhor, Senhor, eu o conheço! Não profetizamos em seu nome? Em seu nome não expulsamos demônios e realizamos muitos milagres? Comi e bebi em sua presença e você ensinou em nossas ruas. Juro que realmente o conheço!”.

Mas para alguns desses Ele dirá: “Não os conheço, nem sei de onde são vocês. Na verdade, nunca os conheci. Afastem-se de mim, todos vocês, que praticam o mal!” (Mateus 7.21-23; Lucas 13.25-27).

Nada pode produzir mais medo do que ouvir tais palavras! Quão aterrorizante é pensar que você conhece Deus, mas Ele não o conhece. Essas questões têm consequências eternas e não existe pergunta mais importante do que esta: “O que preciso fazer para ser conhecido por Deus?”.

A resposta tem a ver com minha vida secreta com Deus. Ele deseja que eu entre no lugar secreto, me assente diante dele, remova toda a fachada de fingimento e revele os segredos mais íntimos do meu coração. Ele deseja que eu me apresente diante dele com a face descoberta (2Coríntios 3.18) e o deixe ver quem eu sou realmente. O lado bom, mau, feio – tudo.

Ele deseja que eu o ame sem nenhuma restrição. Ele deseja um relacionamento comigo que seja baseado em total transparência e honestidade. Estou me transformando cada vez mais na imagem de Cristo, mas durante o processo permito que Deus veja a verdade nua e crua de minhas fraquezas e carnalidade.

“Mas”, alguém pode contra-argumentar, “eu pensava que Deus sabia tudo sobre nós!”.

É verdade, Ele sabe. Mas o fato de ver algumas áreas escuras em nosso coração não significa que convidamos sua luz para entrar nessas áreas. A tendência humana é ocultar e encobrir. Quando tentamos esconder nossa verdadeira condição dele, não estamos apenas enganando a nós mesmos, mas também impedindo que Ele nos conheça.

Quando Deus diz que nos conhece, quer dizer que o convidamos para entrar em cada parte de nossos pensamentos, motivações, desejos e ações. Quando o convidamos para entrar, Ele libera sua graça para nos capacitar a superar os padrões pecaminosos que anteriormente pareciam invencíveis.

Judas lscariotes serve como exemplo irrefutável de um homem que estava incrivelmente perto de Jesus, mas ainda assim não permitiu que Ele entrasse nos segredos do seu coração. Ele tinha um grande problema com o roubo, mas se recusava a confessá-lo e trazê-lo a luz.

Jesus lhe deu várias oportunidades no decorrer do período de três anos para se abrir, mas repetidamente ele optou por esconder, esconder, esconder. Por fim, Satanás conseguiu acessar essa fortaleza na vida de Judas e o levou à destruição. Judas ilustra a aterradora verdade de que é possível passar bastante tempo na presença de Jesus e ainda assim não ser conhecido por Ele.

Jesus pode lidar com as confissões de nossas lutas internas reais, mas não pode agir quando as escondemos dele e fingimos que elas não existem. O lugar secreto não é lugar para segredos. É um lugar para agirmos com total honestidade e plena transparência. Quando revelamos nossas lutas internas, Ele libera a graça para nos ajudar a mudar. Essa é forma como o deixamos conhecer quem realmente somos.

Agora vem a parte mais inacreditável: quando confessamos nossas lutas internas, Ele nos aceita e se apropria de nós. Ele diz: “Como você está disposto a me mostrar sua feiura interna, estou disposto a confessá-lo diante de meu Pai e a declará-lo como minha propriedade!”.

Nossa! Temia que Ele pudesse me rejeitar se soubesse quem eu realmente sou. Mas ao que tudo indica, Ele me aceita quando o deixo ver quem sou de verdade. Sua graça é verdadeiramente incrível! Sua aceitação é tão incrível que me inspira a abrir cada recanto do meu coração para seus olhos amorosos.

A intimidade está exatamente aí! A maior intimidade é encontrada em nossa radical entrega mútua. A cruz demonstra quão radicalmente Ele se entregou por mim e minha adoção da cruz é o indicativo de minha entrega total a Ele. Não sou apenas honesto com Ele, procuro encontrar maneiras de conseguir entregar-lhe ainda mais meu coração. É a busca para aumentar a transparência que faz com que o relacionamento com Ele seja aprofundado e enriquecido.

Alguém disse certa vez: “A oração exige um tipo de relacionamento em que você permite que outra pessoa, além de você, entre no âmago do seu ser para ver o que você prefere deixar oculto e para tocar no que prefere que não seja tocado” (autor desconhecido).

Não é incrível ser verdadeiramente conhecido por Ele? Como Bill Gaither escreveu na canção: “Aquele que mais me conhece, me ama mais!”. Meu Deus me conhece e me compreende.

Outro motivo para nos deleitarmos em entregarmos nossas vidas à liderança de Cristo é o fato de que Ele nunca nos compreende equivocadamente. Todos nós já sentimos a frustração de ter pensamentos ou intenções a respeito de algo e ser interpretado de forma totalmente equivocada e, por isso, sofrer um julgamento injusto.

Isso nunca acontece com Jesus. Ele sempre sabe exatamente o que estamos pensando e o que está nos motivando. Essa é a razão pela qual os doze discípulos acharam a liderança de Jesus tão impressionante – Ele conseguia tratar das questões dos seus corações com total precisão e plena compreensão.

Ele os conhecia como um livro aberto e sua capacidade de exercer uma liderança compassiva, segundo o poder daquele conhecimento, os cativou para sempre. Eles se sentiam plenamente compreendidos, mesmo quando estavam errados e sendo repreendidos por isso. Jesus os conhecia implicitamente e os amava incondicionalmente. Oh, que bênção ser conhecido por Deus!

Como podemos ser conhecidos por Deus? A resposta nos é dada de forma bem simples em 1 Coríntios 8.3: “Mas quem ama a Deus, este é conhecido por Deus”. Quando abrimos nossos corações e nos entregamos com amor, Ele nos aceita e nos conhece. Que grande privilégio – ter um relacionamento de conhecimento com o Deus Todo-poderoso!

Obrigado, Jesus, pelo presente do lugar secreto onde podemos sentir esse amor mútuo.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.