A PSIQUE E AS PSICOLOGIAS

UMA QUEBRA DE PARADIGMA

Estudos comprovam os benefícios da interação entre o homem e os animais, como diminuição do estresse, equilíbrio da frequência cardíaca, da pressão arterial e até do colesterol, além de ajudar no tratamento de problemas psíquicos

Uma quebra de paradigma

Em nenhum momento da história da humanidade a relação entre os homens e os animais foi tão intensa e importante quanto nesse exato momento. Nunca houve tanta ligação, seja física ou afetiva, e nem tamanho envolvimento emocional e apego dos humanos para com os animais, especialmente cães e gatos.

Esse contato data de cerca de 11 mil anos para os cães e 9.500 anos para os felinos. Pesquisas mostram que o convívio com os animais é considerado um dos melhores recursos terapêuticos. Especialmente para as pessoas que vivem em grandes centros urbanos, o animal representa contato com a natureza.

Segundo Fromm, o ser humano atual, como em qualquer outra época vivida, busca a união para reduzir essa separação. Tal busca é interpessoal, porém, contemporaneamente, em um mundo que se caracteriza pela velocidade das informações e pela competitividade (relações pessoais ou trabalho), a insegurança e a descrença no próprio ser humano sustentam o crescente culto em cultivar objetos de satisfação. A união com um animal de estimação pode- ria se inserir nessa lógica, que permitiria buscar a superação do sentimento de separação da natureza.

A zooterapia é a ciência que estuda as possibilidades terapêuticas do contato com os animais. É transdisciplinar e com muitas possibilidades de aplicação. Ela consiste em uma terapia com a presença de animais, e busca promover no paciente estímulo ao toque para despertar sua sensibilidade tátil ou, até mesmo, reações psicológicas e emocionais.

Os tratamentos zooterapêuticos podem ser utilizados em crianças, idosos e pessoas que apresentam ou não algum tipo de deficiência. Como nas terapias convencionais, na zooterapia, os resultados dependem de uma série de fatores que envolve a tríade animal co-terapeuta x paciente x profissional.

Na zooterapia, quando são utilizados cães, a terapia assistida é denominada de cinoterapia, enquanto a por equinos é a equoterapia ou hipoterapia. Há também a terapia assistida por golfinhos ou botos, conhecida como bototerapia.

Não se trata de uma terapêutica recente. Hipócrates (456-370 a.C.) recomendava a equitação para regenerar a saúde e conservar o corpo humano. Além disso, afirmava que a prática de equitação ao ar livre melhorava a qualidade do tônus muscular. Na Grécia antiga, nos chamados “templos de cura”, os cães já eram utilizados para essa finalidade, sendo que a mais importante divindade de cura entre os gregos, conhecida como Asclépio, costumava se manifestar por meio de “cães sagrados”.

No final do século XIX, na Bélgica, médicos perceberam que pacientes com algum tipo de deficiência mental passavam a se socializar melhor em virtude do convívio com animais. Na Inglaterra, nos anos 30, pesquisadores descobriram um fato curioso: em asilos, os idosos que estavam acompanhados de seus animais eram mais sociáveis e independentes. Nos Estados Unidos, em 1940, utilizou-se pela primeira vez a terapia animal para aqueles que convalesciam de ferimentos ou problemas emocionais causados durante a Segunda Guerra Mundial.

Uma quebra de paradigma. 2

PIONEIRISMO

No Brasil, na década de 1950, a médica psiquiatra Nise da Silveira foi uma pioneira na pesquisa das relações emocionais entre pacientes e animais, que os denominava como co-terapeutas. Percebeu essa possibilidade de tratamento ao observar um paciente que se responsabilizara por cuidados a uma cadela abandonada. Esse paciente obteve melhora do quadro diante da responsabilidade de tratar do animal como ponto de referência afetiva em sua vida. A partir daí, ela passou a observar e a documentar as melhoras visíveis quando os pacientes psiquiátricos estavam em contato direto com os animais, inclusive se responsabilizando diretamente pelos seus cuidados básicos, como alimentação e higiene. Já na Alemanha, o Instituto Bethel, originariamente um hospital para epiléticos, utiliza pássaros, gatos, cães, cavalos e outros animais domésticos como parte importante no tratamento de pacientes com alterações psicológicas e emocionais.

Estudos diversos focalizam perspectivas diferentes sobre o papel dos animais no desenvolvimento do comportamento e da personalidade humana. As formas de relacionamento entre humano e animal podem ser divididas nos seguintes grupos:

ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS – envolve visitação, recreação e distração por meio do contato dos animais com as pessoas. O propósito é estimular um início de relacionamento e sem um objetivo claro.

TERAPIA ASSISTIDA POR ANIMAIS – é dirigida e desenhada para promover a saúde física, social, emocional ou funções cognitivas. É uma terapia documentada e com resultados avaliados.

TERAPIA FACILITADA POR CÃES – é a terapia realizada exclusivamente com cães. Educação assistida por animais – é a terapia realizada com animais dentro do contexto educacional.

A terapia funciona por meio do contato direto com o animal. Quanto mais a pessoa sentir empatia por animais, mais será beneficiada pela zooterapia. Entre os benefícios da interação entre humanos e animais destacam-se redução no tempo de recuperação das doenças e maior sobrevida dos pacientes acometidos de cardiopatia isquêmica, uma vez que nesses casos houve diminuição da ansiedade e da depressão. Até mesmo como estímulo contra o sedentarismo a presença do animal é importante.

Já está comprovado cientifica- mente que a companhia de um animal de estimação diminui nosso estresse, equilibra a frequência cardíaca, a pressão arterial e até o colesterol. As pessoas que têm animal de estimação fazem menos visitas médicas, permanecem menos tempo no hospital e possuem maior facilidade de adaptação a uma nova rotina de recuperação depois de uma doença.

Esses benefícios ocorrem em função da liberação de hormônios e neurotransmissores responsáveis, especialmente, pelo bem-estar. No relacionamento com o animal de estimação há uma diminuição do nível de cortisol, que é o hormônio liberado quando o corpo está numa condição de estresse físico e mental, que, em excesso, tem a sua ação no sistema imunológico.

Uma quebra de paradigma. 3

CRIANÇAS

O contato com animais estimula a interação social, por exemplo, para as crianças. Os cães são amigos especiais, membros da família. Crianças com traumas e histórico de abuso e, portanto, que têm dificuldade de formação de vínculos podem, através dos cães, conquistar confiança e facilitar a formação dos mesmos. Os animais ajudam muito a criança a lidar com o luto, pois, normalmente, é na infância que nos deparamos com essa situação primeiramente, na medida em que a criança vivencia a morte do passarinho, gatinho e mesmo dos seus cães.

A presença dos animais em casa facilita o processo de aprendizagem, tais como leitura, memorização e concentração, pois crianças, comumente, são vistas lendo em voz alta para os seus cães, pois elas se sentem mais à vontade. Afinal, eles não as repreendem nem as corrigem.

Os animais ajudam na melhora das capacidades motora, cognitiva e sensorial. Podem ser de grande ajuda na psicoterapia, pois eles fazem a ponte com o terapeuta e este pode alcançar o paciente de forma mais fácil e rápida. Proporcionam importante melhora na capacidade de comunicação de autistas. Crianças e adolescentes com ansiedade têm seus sintomas amenizados na presença dos animais. Eles facilitam, também, o processo de aprendizagem através da expressão de senti- mentos e motivação.

Outra constatação importante no acompanhamento de animais que visitam seus tutores internados em hospitais é o desejo que estes demonstram em melhorar, a fim de cuidarem dos mesmos. Além disso, os animais podem atuar como suporte emocional, assumindo o papel de cúmplices, que ouvem confidências e não as revelam.

A terapia funciona com o contato direto com os animais, e quanto mais a pessoa sentir empatia por eles mais será beneficiada pela zooterapia, que pode ser um auxílio no tratamento de muitas doenças, dentre elas: Alzheimer, Aids, paralisia cerebral, demências, derrame, afasia, ansiedade, depressão, síndrome do pânico, fobia social.

A hipoterapia ou equoterapia é indicada para deficiências motoras e mentais, paralisia cerebral, paraplegia, sequelas de traumatismo craniano, autismo, distúrbios da fala, síndrome de Down, entre outras. Ela melhora a elasticidade e a flexibilidade, a coordenação motora, a acuidade visual, tátil, auditiva e olfativa, o domínio respiratório, o aumento da percepção do próprio corpo, melhora a capacidade de concentração e ainda estimula sensações e percepções que incrementam o afeto e inserem o indivíduo na sociedade.

O movimento tridimensional do cavalo se assemelha ao realizado pelo ser humano. Nesse sentido, pacientes com algum tipo de deficiência motora que montam esses animais acabam por receber estímulos de forma repetida no sistema nervoso central, desencadeando respostas positivas. Dentre os benefícios podemos destacar a melhora no desenvolvimento motor, maior adequação do tônus muscular, melhora na coordenação motora e no controle da cabeça e do tronco, proporcionando maior equilíbrio. Aplicada no Brasil aproximadamente há quinze anos, é indicada, principalmente, para crianças com síndrome de Down, paralisia cerebral e dislexia.

Uma quebra de paradigma. 4

ASINOTERAPIA

Há, também, a asinoterapia – terapia com burros –, pois trata-se de um animal de temperamento dócil e muito inteligente. Está indicado, principalmente, em síndrome de Down, autismo, traumas cranioencefálicos, acidente vascular cerebral, amputações, desordens emocionais, distrofias muscula- res, dificuldades de atenção, fala e aprendizagem, paralisia cerebral, distúrbios visuais e auditivos, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, paralisias e hemiplegias.

Um estudo realizado por Beck e Katcher (2003), com 92 pessoas infartadas, apontou que 53 delas possuíam animais de estimação. Entre elas, o índice de sobrevida após o infarto foi de 94%. É importante observar que no grupo das pessoas que não possuíam um animal de estimação essa porcentagem ficou na metade. Ou seja, com base nessas informações, é possível concluir que a relação entre humanos e animais traz inúmeros benefícios para ambas as partes.

Certa vez, conversando com um médico do Hospital São Paulo, ele me disse que os cães da zooterapia do hospital faziam um grande sucesso entre os pacientes, especialmente entre as crianças com câncer. Então, perguntei a ele se seria possível estabelecer uma relação entre o trabalho que é desenvolvido pelos voluntários que se vestem de palhaço para visitar os leitos das crianças internadas e o trabalho realizado com cães. Surpreendentemente, ele me disse que os palhaços, embora muito preparados e com boa intenção, ainda olham as crianças com olhar de compaixão, de pena ou dó. Já no caso dos animais, esses sentimentos parecem não existir ou pelo menos não dessa forma ou com essa intensidade.

Além das melhoras físicas, o maior ganho da terapia com animais é o psicológico, pois o corpo libera neurotransmissores responsáveis pelo bem-estar e relaxamento. O benefício da ligação entre o tutor e o animal transcende o mero companheirismo. O cão é, por natureza, um animal de matilha, que precisa dela e seus companheiros e, com isso, os seres humanos passaram a fazer parte do grupo como se fossem membros efetivos da matilha.

Pesquisas realizadas no Japão e publicadas pela revista Science, em 2015, comprovaram que há conexão na relação entre mãe e filho e a relação tutor e animal de estimação. Segundo a pesquisa, a troca de olhares entre ambos libera grande quantidade de um hormônio que também é um neurotransmissor chamado ocitocina. A ocitocina, conhecida como “hormônio do amor”, responsável pela sensação de bem-estar e felicidade, é produzida pela hipófise, localizada no cérebro.

Esse neurotransmissor tem papel importante no reconhecimento e no estabelecimento de vínculos sociais, estabelecendo relação de confiança entre as pessoas. Estaria comprovado, então, o vínculo especial que há entre o tutor e o seu melhor amigo (animal), uma vez que a ciência já sabia que nós humanos temos “descargas” de ocitocinas todas as vezes que acariciamos, olhamos ou abraçamos uma criança ou um cachorrinho querido. Mas agora os cientistas descobriram que, no outro lado da relação, os cães também produzem ocitocina todas as vezes que nos olham fixo ou estão em contato conosco.

O mesmo trabalho mostrou que nem todos os animais que convivem conosco têm essas características. Canídeos silvestres, como os lobos, não reagem dessa forma. Segundo a pesquisa, nem os lobos que foram “domesticados” produzem o “hormônio do amor” em contato com os seus criadores, ou seja, talvez haja necessidade do animal ser domesticado para que essa relação de afeto se estabeleça de forma mais visceral.

Uma quebra de paradigma. 5

ESPECIALIZAÇÃO

No entanto, há cães que atuam de forma especializada em cada situação. São os chamados cães de assistência. Trata-se de um cão educado individualmente, com o objetivo de realizar tarefas que aumentem a autonomia e a funcionalidade de pessoas com deficiência. Eles são divididos de acordo com suas funções:

CÃO-GUIA – atua ajudando pessoas que apresentam deficiência visual.

CÃO OUVINTE – tem a função de auxiliar pessoas com deficiência auditiva, indicando as fontes sonoras, por exemplo, quando a campainha ou o telefonam tocam.

CÃO DE ALERTA – é utilizado por pacientes diabéticos ou epiléticos nos casos da iminência das crises de hipoglicemia ou convulsão, respectivamente. Eles avisam que a crise vai acontecer, minimizando esses acontecimentos.

CÃO DE SERVIÇO – ajuda pessoas com deficiências motoras. Por exemplo, abrindo portas, buscando jornais, livros, revistas, telefones, cobertores ou até mesmo ferramentas de trabalho. Podem também ajudar a pessoa a se locomover em uma cadeira de rodas, pegar ônibus, metrô, achar uma vaga exclusiva de estacionamento adequada e desocupada.

Deve-se atentar sempre para o fato das necessidades dos animais co-terapeutas serem consideradas, tais como alimentação, fornecimento de água, vacinação, vermífugos, quantidade de horas de trabalho e descansos periódicos e cuidados com a higiene.

A fidelidade que os animais dispensam para os seus tutores humanos é indescritível, resgatando a pessoa das regiões mais sombrias de seus problemas e angústias, motivando a vida novamente a seguir o seu curso.

OUTROS OLHARES

BOM, MAS NÃO BASTA

Estudo revela que pessoas dedicadas à prática de ações sustentáveis no seu dia a dia têm tendência a rejeitar políticas públicas de preservação de maior magnitude.

Bom, mas não basta

“Grandes coisas resultam de uma série de pequenas coisas reunidas.” A máxima, do pintor holandês Vincent van Gogh (1853-1890), traduz com perfeição a ideia corrente – quase um lugar-comum – de que pequenas ações positivas podem transformar o mundo para melhor. No tocante à preservação do planeta, entretanto, a frase talvez não faça sentido – diferentemente do que alardeia boa parte dos ambientalistas. É essa a atordoante conclusão de um estudo que acaba de ser publicado na prestigiosa revista científica britânica Nature.

O trabalho, coordenado por pesquisadores das universidades Harvard, Fordham e Carnegie Mellon, baseia­ se em seis levantamentos da opinião pública americana acerca da aprovação de medidas macroeconômicas sustentáveis. Em linhas gerais, o estudo conclui que a adoção de praxes conservacionistas individuais costuma vir acompanhada de uma rejeição a políticas públicas e eficientes que visam à proteção do meio ambiente. Por exemplo: segundo a pesquisa, 70% dos americanos afirmam apoiar a implantação de impostos de carbono – taxas cobradas proporcionalmente à quantidade de C0 2 emitida por uma empresa na queima de combustíveis fósseis. No entato, o índice de aprovação cai, entre as mesmas pessoas, a 55% quando é oferecida a alternativa de juntar àquela medida oficial e de largo alcance escolhas individuais que recompensem os cidadãos que, por vontade própria, resolvam seguir atitudes consideradas “verdes” – tais como substituir o carro a gasolina pelo uso de um veículo elétrico. Ou seja, nesse cenário, 45% optariam apenas pelas ações tomadas individualmente, descartando as políticas públicas.

Para alertar as pessoas de que o melhor seria incentivar ambas as soluções – tanto as individuais como as públicas -, os cientistas concluíram que seria necessário explicar a cada uma delas como as medidas macro têm impacto muito mais significativo do que as mudanças singelas em sua rotina. “Sem esse empurrãozinho, percebemos que a tendência é que se exagere a noção que se tem da eficiência das ações de pequena escala – e, o que é o pior, o convencimento de que as mudanças implementadas de forma sistemática não seriam necessárias”, disse o economista e psicólogo americano George Loewenstein, professor da Universidade Carnegie Mellon e um dos autores da pesquisa divulgada na revista Nature.

Isso não significa, é claro, que a conduta pessoal não tenha algum peso. Utilizar energia solar, reciclar o lixo e evitar canudos plásticos são ações que representam avanço em relação ao modo como tratamos a natureza – os canudinhos, por exemplo, são o décimo primeiro tipo de lixo mais encontrado nos oceanos. O problema está em se contentar com essas posturas individuais. “Uma boa ação feita em casa não exclui o bom samaritano de se responsabilizar pelo apoio a transformações em níveis mais amplos, como pressionar o governo por medidas sustentáveis em âmbito nacional”, opina o ecólogo Luiz Antônio Martinelli, professor da USP e pós-doutor em ecologia pela Universidade de Washington (EUA).

Não há dúvida de que o aquecimento global é um fato – a temperatura da Terra elevou-se em 1 grau desde a Revolução Industrial, em meados do século XVIII. No último dia 11, os índices de emissão de carbono medidos por um observatório no Havaí atingiram o nível mais alto em pelo menos 800.000 anos. No Alasca, o gelo formado durante o inverno começou a quebrar em 2019 mais rapidamente do que em qualquer outro período. No Ártico, no extremo norte do território russo, registrou-se temperatura de quase 30 graus ao longo da semana passada, em uma região que não atingia mais do que 12 graus. Problemas ambientais globais, a exemplo das mudanças climáticas, não serão solucionados por meio de escolhas sustentáveis pessoais, como deixar de usar a sacola de plástico do supermercado.

Para cumprir a meta firmada no Acordo de Paris, em 2015, por 195 países – limitar o aquecimento a no máximo mais 1,5 grau até 2100 -, é necessária a adoção de políticas planetárias de mitigação do problema. A cada 0,5 grau de elevação da temperatura, as consequências são drásticas – como o aumento de 50% das pessoas que passariam a viver em regiões com escassez de água. Caso se queira evitar cenários catastróficos, não adianta usar a lixeira certa do condomínio: seria preciso reciclar quase todo o lixo não orgânico do mundo e interromper a emissão artificial de C0 2em países ricos, entre outras medidas.

Há bons exemplos de como elevar atitudes individuais ao patamar de ações coletivas. A Alemanha tornou a reciclagem de lixo não uma escolha particular, e sim uma exigência. Todo consumidor se tornou responsável direto – com punição por meio de multa – pelo reúso, reciclagem ou descarte ecológico de, entre outros itens, embalagens de plástico. Resultado: 99% das latinhas e 97% das garrafas PET são recicladas naquele país. Quando o assunto é a natureza, são as grandes ações que realmente trazem resultados. Assim costuma ser em relação à maioria dos problemas de enorme magnitude. É como afirmou Abraham Lincoln (1809 -1865 ), ex-presidente dos Estados Unidos empenhado no fim da escravidão: “Seremos bem-sucedidos apenas em conjunto. Não é ‘Será que um de nós consegue?’, e sim ‘Será que todos nós podemos fazer mais?”.

GESTÃO E CARREIRA

A MAIOR CORRIDA DA UBER

A empresa abre capital, avaliada em US$ 82 bilhões, em meio a quedas de ações da rival Lyft e a protestos de seus motoristas, que pedem melhores condições de trabalho.

A maior corrida da Uber

A expectativa para a abertura de capital da Uber na bolsa de Nova York (Nyse) era a melhor possível. Chamado por alguns de “IPO da década” dentre as empresas americanas, a companhia de aplicativos de transporte estimava ser avaliada entre US$ 80 bilhões e US$ 120 bilhões. Conseguiu, mas por muito menos do que sua projeção máxima apontava. O IPO da empresa ficou avaliado em US$ 82 bilhões. A título de comparação, o Facebook levantou, em 2012, um total de US$ 16 bilhões, conseguindo uma valorização de US$ 104 bilhões. Na década passada, o destaque foi o Google, que atingiu valor de US$ 205 bilhões.

Para o grande evento da Uber, no entanto, os ânimos estavam acirrados dentro e fora do pregão. Nas ruas, motoristas do aplicativo preparavam protestos em diversas partes do mundo, incluindo o Brasil. Eles planejavam parar suas jornadas por, pelo menos, oito horas. Aqui, a movimentação, batizada de Uber Off, era ainda mais ambiciosa. Estava planejada para durar 24 horas. A reclamação dos motoristas era que não ganhariam nada com o dinheiro a ser levantado pela empresa fundada por Travis Kalanick e Garrett Camp.

Além disso, eles alegam que as condições de trabalho se deterioraram nos últimos tempos. O aumento do combustível, o pagamento de taxa de 25% do valor da corrida à empresa e a falta de reajustes dos preços do aplicativo estariam pressionando os ganhos dos trabalhadores. A Uber opera em mais de 60 países e em 700 cidades pelo mundo. “É um cenário muito confuso, porque não está claro quem é quem nessa relação, entre as pessoas que trabalham para a Uber e a empresa”, diz Daniel Domeneghetti, analista da Dom Strategy Partners. “Mas a minha leitura é que o mercado de capitais não vai levar isso em conta.”

Nas mesas de negociação, as preocupações estavam em como a abertura de capital seria conduzida pelo banco Morgan Stanley. Na última revisão do preço das ações na quinta-feira 9, a Uber esperava alcançar uma avaliação entre US$ 80,5 bilhões e US$ 91,5 bilhões, uma abordagem mais cautelosa em relação às primeiras expectativas. Com o valor arrecadado de US$ 82 bilhões, a empresa levantou US$ 8,1 bilhões com as 180 milhões de ações colocadas à venda, com preços de US$ 45 cada, próximo ao mínimo de sua meta que era US$ 50. Este valor, no entanto, ficou abaixo do conseguido pela chinesa Alibaba (que tomou US$ 25 bilhões em 2014) e do Facebook (US$ 16 bilhões, em 2012).

Antes do negócio, a Uber revelou mais dados sobre sua operação. Em 2018, o faturamento subiu 42% para US$ 11,3 bilhões, mais de US$ 1 bilhão vindo da operação brasileira. Mas também a empresa teve prejuízo de US$ 1,1 bilhão no primeiro trimestre deste ano. O motivo são os gastos crescentes. Em 2018, os investimentos somaram US$ 14,3 bilhões, 19% acima em relação ao ano anterior.

A maior preocupação era se a empresa seria afetada pelo efeito  Lyft. A sua maior concorrente nos EUA fez IPO no fim de março. Mas suas ações, que saíram cotadas a US$ 72, passaram a valer menos de US$ 53 depois de um anúncio de prejuízo trimestral de mais de US$ 1 bilhão. A queda de mais de 26%, previam alguns analistas, poderia contaminar as expectativas quanto à Uber. Essa e outras respostas serão conhecidas nos próximos dias.

ALIMENTO DIÁRIO

SEGREDOS DO LUGAR SECRETO

Alimento diário - livro

CAPÍTULO 21 – O SEGREDO DE ORAR AS ESCRITURAS

 

A Bíblia é um grande livro de oração. Praticamente cada página contém sugestões de oração. À medida que você passar tempo absorvendo a Palavra, sua meditação não só se tornará agradável, como você também abrirá espontaneamente seu coração para Deus em resposta ao texto.

Orar a Palavra de Deus é algo poderoso por vários motivos:

***A Palavra de Deus por si só “é viva e eficaz” (Hebreus 4.12), portanto, quando oramos com a Palavra de Deus em nossos lábios, sabemos que estamos fazendo orações vivas e eficazes.

***Quando a expressão de nossas orações é moldada pelas Escrituras, ganhamos confiança ao saber que estamos orando de acordo com a vontade de Deus – uma confiança que significa: “E se sabemos que ele nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que temos o que dele pedimos” (l João 5.15).

***À medida que oramos a Palavra de Deus, os termos presentes nela se tornam usuais em nosso diálogo diário com Ele. Uma poderosa transformação começa a ocorrer na alma quando a conversa diária passa a refletir a Palavra de Deus. A língua começa a ser acesa com o fogo do céu em vez de com o fogo do inferno (compare Atos 2.3-4 com Tiago 3.6).

***Somos orientados a orar segundo a vontade de Deus, de maneira que nós próprios não consideraríamos orar. A Palavra nos dará sugestões sobre formas como podemos orar, aumentando profundamente a amplitude e a diversidade de nossa vida de oração.

***Orar as Escrituras acrescenta uma dimensão de criatividade e surpresa a nossa vida de oração, o que, por sua vez, torna a oração muito mais fascinante e agradável.

Se você nunca tiver orado as Escrituras, deixe-me explicar-lhe como isso normalmente é feito. Se você praticar o que estou prestes a lhe ensinar, descobrirá um dos mais maravilhosos segredos para tornar seu relaciona­ mento no lugar secreto com Jesus absolutamente agradável e frutífero.

Antes de tudo, entretanto, precisamos ter uma definição adequada de oração. Orar, no sentido bíblico verdadeiro, é o aspecto pleno das expressões humanas com Deus. Orar é o título que abrange a gama inteira de expressões que oferecemos a Deus. Portanto, a oração inclui louvor, ações de graças, adoração, intercessão, súplicas, gritos de alegria, levantar de mãos, reverência, honra, exaltação, afeição íntima, arrependimento, entrega, dança, lamentação, contemplação, batalha espiritual e profecia. Quando as Escrituras começam a sugerir suas orações, você pode esperar que elas abranjam uma vasta gama de expressões.

Agora vamos nos ater a uma parte das Escrituras e tentar exatamente isso. Sugiro que comecemos com um salmo. Os salmos são feitos sob medida para este tipo de coisa, pois já são uma oração. Vou selecionar para exemplificar o Salmo 84, mas é possível escolher qualquer um dos 150. A seguir, apresento algumas sugestões para orar cada versículo.

Cada versículo possui palavras-chave que podem ser trampolins para a oração. Escolha a palavra-chave ou a frase-chave e aprenda a desenvolver aquela palavra ou pensamento em oração perante o Senhor. Ore os temas para Deus, incluído outras partes das Escrituras que vierem à sua mente e tenham relação com eles. Leve entre um a dez minutos em cada versículo e ore os temas encontrados nele ao Senhor. Experimente. Tente fazer a oração do seu modo usando cada um desses versículos, agora mesmo, para pegar o jeito.

“Como é agradável o lugar da tua habitação, SENHOR dos Exércitos!” (Salmos 84.1):

***Fale para o Senhor as coisas agradáveis que você pensa a respeito dele.

***Como a habitação de Deus é o seu coração, agradeça pelas coisas que Ele está fazendo em você.

***A habitação de Deus também é a congregação dos santos; louve ao Senhor pelas coisas agradáveis que Ele está fazendo para seu povo, sua noiva.

***Adore ao Senhor, o general dos exércitos do céu.

Como exemplo, irei “orar” esse versículo nesta página, destacando em itálico as palavras de minha oração que estão relacionadas ao versículo 1:

Oh, Senhor, como você é agradável’. Onde quer que o Senhor habite é agradável, porque você é agradável’. Você torna tudo ao seu redor agradável. Como anseio morar em sua habitação, Senhor. Apenas desejo estar com você, apreciando-o e permitindo que o Senhor me torne agradável. Prefiro estar com você do que em qualquer outro lugar. O panorama de sua habitação é inteiramente agradável para mim também. Considero os anjos, o serafim, os seres viventes, os vinte e quatro anciões, todos reunidos ao redor do seu trono contemplando-o. Você é inigualável em beleza e esplendor, ó Senhor dos Exércitos. Ó poderoso campeão do céu! Ó grande guerreiro de glória. Eu me prostro diante de sua majestade e grandeza. Com grande regozijo me apresento perante você. Obrigado pelo sangue de Jesus que me permite adentrar sua sala do trono! Como sou eternamente abençoado aqui com você. Eu o adoro, ó Deus poderoso!

“A minha alma anela, e até desfalece, pelos átrios do SENHOR; o meu coração e o meu corpo cantam de alegria ao Deus vivo” (Salmos 84.2):

***Expresse o quanto anseia por Ele e o deseja. Deixe-o ver as emoções de sua alma neste exato momento.

***Perceba que está nos átrios do grande Rei; expresse que você está em posição de sentido diante dele, totalmente disponível.

***Com todo o seu coração e também, literalmente, com seu corpo, cante de alegria ao Deus vivo.

 

Como mais um exemplo, veja outra oração feita baseada no versículo 2, com as palavras que acionam minha oração destacadas em itálico:

Oh, como anseio por você, meu Deus! Cada parte de mim anela por você. Anelo por você com minha alma, minha mente, minhas emoções, meu espírito, meu coração, meu corpo e com todo o meu ser! Senhor, eu o desejo mais que qualquer outra coisa dentre toda a criação. Se eu puder apenas tê-lo, Senhor, você será minha grande recompensa. Se você não se revelar a mim, vou desfalecer por causa desse anelo. Sou tão apaixonado por você que irei desfalecer de amor. Eu o desejo intensamente! Desejo seus átrios, pois é onde mora. Desejo morar onde você mora, pelo resto da eternidade. Então, aqui estou cantando de alegria para você, meu Senhor. Você ouve meu cantar? Contempla meu louvor? Considera o esforço de minha alma? Tem misericórdia de mim? Você é o único Deus, o Deus vivo e verdadeiro, e somente para você minha alma eleva-se. Quando você virá a mim?

“Até o pardal achou um lar, e a andorinha um ninho para si, para abrigar os seus filhotes, um lugar perto do teu altar, ó SENHOR dos Exércitos, meu Rei e meu Deus” (Salmos 84.3):

***Diga o quanto você deseja ficar constantemente com Ele – ao ponto de ficar com inveja de um passarinho que pode fazer seu lar no altar do Senhor.

***Diga que seu coração se sente em casa nele.

***Adore-o como seu Rei.

Não vou escrever mais nenhum outro exemplo de minhas próprias orações, pois tenho certeza que você já entendeu. Expresse os seus próprios sentimentos para Deus com base nas palavras do versículo 3.

“Como são felizes os que habitam em tua casa; louvam-te sem cessar! Pausa”(Salmos 84.4):

***Agradeça pela bênção sob a qual você vive, por estar continuamente em sua presença.

***Exponha o objetivo de seu coração de oferecer continuamente sacrifício de louvor a Ele. Não é apenas algo que você faz; é quem você é.

***Separe alguns momentos de “pausa” para louvá-lo de forma livre e espontânea.

“Como são felizes os que em ti encontram sua força, e os que são peregrinos de coração!” (Salmos 84.5):

***Declare a Deus como você é fraco e como depende dele para ter força.

***Diga que você é um peregrino; é apenas um peregrino nesta terra em busca de uma cidade celestial cujo construtor é Deus.

***Agradeça por estar mostrando a você o caminho que deve ser trilhado durante sua peregrinação. Diga que você tem consciência de que nem sempre é o que deseja, mas que sabe que é para o seu bem.

“Ao passarem pelo vale de Baca fazem dele um lugar de fontes; as chuvas de outono também o enchem de cisternas” (Salmos 84.6):

***Embora sejam raramente apreciados, agradeça a Deus pelos vales de sua vida. Fale a respeito dos seus vales atuais.

***Baca significa “chorar”; deixe seu coração fluir em direção a Deus, mesmo em meio a lágrimas.

***Confesse a fé em sua liderança; que Ele está capacitando você a transformar a escuridão de seu vale em um lugar de fontes e cisternas – a chave para seu vale se tornar um jardim.

”Prosseguem o caminho de força em força, até que cada um se apresente a Deus em Sião”(Salmos 84.7):

***O vale pode ser um lugar de fraqueza, mas agradeça a Deus por estar guiando você pelos vales até a próxima montanha de força.

***Regozije-se pelo fato de Deus estar transformando a escuridão do seu vale em um encontro face a face com sua glória.

“Ouve a minha oração, ó SENHOR Deus dos Exércitos; escuta-me, ó Deus de Jacó. Pausa” (Salmos 84.8):

***Derrame seu coração perante Ele. Diga o quão desesperadamente deseja que Ele o ouça.

***Adore o Deus que, da mesma forma que foi fiel com Jacó, será com você. Ele o defenderá e o salvará!

***Conte novamente ao Senhor como Ele defendeu Jacó e peça essas mesmas bênçãos.

“Olha, ó Deus, que és nosso escudo; trata com bondade o teu ungido” (Salmos 84.9):

***O escudo pode ser uma referência à perda de reputação, por causa de orações não respondidas; clame ao Senhor para restaurar suas fortunas e justificá-lo.

***Percebendo que você tem uma unção do alto, suplique a Deus para olhar para você e ter misericórdia.

“Melhor é um dia nos teus átrios do que mil noutro lugar; prefiro ficar à porta da casa do meu Deus a habitar nas tendas dos ímpios” (Salmos 84.1O):

***Este é um ótimo versículo para ajudar você a expressar o quanto ama a Deus. Um dia em seus átrios externos é mais prazeroso e emocionante que mil dias em outro lugar.

***Diga-lhe que seu coração não está voltado para coisas altas e eleva­ das; que você está feliz em ser apenas um porteiro dele.

***Clame pela misericórdia de Deus; diga que você poderia viver na presença dele para sempre e nunca retroceder para a iniquidade.

“O SENHOR Deus é sol e escudo; o SENHOR concede favor e honra; não recusa nenhum bem aos que vivem com integridade” (Salmos 84.11):

***Como seu filho, diga que Ele é a luz de sua vida, sua radiação, sua fonte de calor, aquele que ilumina o seu caminho.

***Adore sua proteção – o Senhor é o seu protetor.

***Receba sua graça e glória exatamente agora.

***Declare sua apropriação da verdade da generosidade do Senhor; Ele nunca recusará generosidade, porque você vive com integridade.

***Diga-lhe que você o ama tanto a ponto de se esforçar, por meio de sua graça, para viver com integridade em relação a todas as coisas.

“Ó SENHOR dos Exércitos, como é feliz aquele que em ti confia!” (Salmos 84.12):

***Agradeça porque este versículo descreve você!

***Diga-lhe o quanto confia nele.

***Adore ao Senhor dos Exércitos do céu por Ele estar liberando bênçãos sobre você.

À medida que você ora as Escrituras, não tema fazer repetições. A repetição de palavras e frases significativas funciona eficazmente para internalizá-las em seu espírito e faz com que a verdade tenha impacto pleno em seu coração e mente. Desejo que a Palavra de Deus penetre profundamente em seu ser, chame a atenção com seu impacto, amplie e expanda seu coração com anelo apaixonado, entre no sistema de sua fala e ações e produza frutos para a vida eterna.

Espero que você pratique orar a Escritura até se habituar! Quando você despertar para esse segredo, desejará levar sua Bíblia para todo lugar onde for orar. Você a levará para o lugar secreto; você a levará para o encontro do seu grupo de oração; você a levará para as reuniões de oração da igreja. Você se deparará orando a Palavra até mesmo quando estiver dirigindo!

Que presente poderoso Deus deu em sua Palavra! Ele nos deu um meio de nos desviarmos da oração autocentrada, com base no ser humano e na autocomiseração, em torno da qual nossas almas sempre desejam gravitar. Podemos entrar na mente de Deus, em seus pensamentos, expressões e prioridades e orar de acordo com a sua vontade a partir de sua Palavra, através poder do Espírito Santo. Isso é incrível!