ALIMENTO DIÁRIO

PROVÉRBIOS 25: 4 – 7

Alimento diário

MÁXIMAS DE PRUDÊNCIA

V. 4 e 5 – Isto mostra que o esforço vigoroso de um príncipe para suprimir a maldade e transformar os modos do seu povo é a maneira mais eficaz de sustentar o seu governo. Observe:

1. Qual é o dever dos magistrados: remover os ímpios, usar o seu poder para o terror das más obras e dos que agem mal, não somente banir os que são ímpios e profanos da sua presença, e proibir o seu comparecimento à corte, mas também assustá-los e restringi-los para que não possam espalhar a infecção da sua iniquidade entre os seus súditos. Isto é chamado de tirar da prata as escórias, o que é feito pelo fogo. Os ímpios são a escória de uma nação, o lixo da nação, e como tal devem ser removidos. Se os homens não os removerem, Deus o fará (Salmos 119.119). Se os ímpios forem tirados da presença do rei, se ele os abandonar e mostrar que detesta os seus caminhos ímpios, isto será de grande ajuda para impedi-los de fazer o mal. A reforma na corte promoverá a reforma no reino (Salmos 101.3,8).

2. Qual é a vantagem de fazerem o seu dever.

(1) Será para benefício dos súditos; eles serão como a prata refinada, apropriada para ser vaso para o fundidor.

(2) Será o estabelecimento do príncipe. O seu trono será estabelecido nesta justiça, pois Deus irá abençoar o seu governo, o povo será influenciado por ele, e assim ele será durável.

V. 6 e 7 – Aqui vemos:

1. Que a religião está muito longe de destruir as boas maneiras. Ela nos incentiva a nos comportarmos de maneira humilde e reverente para com os nossos superiores, mantendo a devida distância e dando lugar àqueles a quem de direito. “Não te glories na presença do rei”, nem na presença de nobres (os grandes); não te compares com eles (assim alguns interpretam); não queira competir com eles, em vestuário, mobília, jardins, administração da casa ou acompanhantes, pois isto é uma afronta para eles, e você desperdiçará os seus bens.

2. Que a religião nos ensina humildade e renúncia a si mesmo, o que é uma lição melhor do que a de boas maneiras: renuncie ao lugar ao qual você tem direito; não cobice fazer uma exibição, nem transmitir primazia, nem se colocar na companhia dos que estão acima de você; contente-se com uma esfera inferior, se ela é o que Deus destinou a você. A razão que Salomão apresenta é o fato de que este é, realmente, o caminho para o avanço, como o nosso Salvador mostra em uma parábola que parece tomada emprestada disto (Lucas 14.9). Não que devamos, portanto, fingir modéstia e humildade e fazer disto um estratagema para obter a honra, mas devemos ser realmente modestos e humildes, porque Deus honrará os que o são, e os homens também os honrarão. É melhor, muito melhor para a satisfação e a reputação de um homem, ser promovido acima de suas pretensões e expectativas, do que ser lançado abaixo delas, na presença do príncipe, em cuja presença era uma grande honra ser admitido, sendo uma grande presunção olhá-lo sem permissão.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.