GESTÃO E CARREIRA

DESAFIOS E RECOMPENSAS DO EMPREENDEDORISMO FEMININO

Desafios e recompensas do empreendedorismo feminino

Elas são maioria na população brasileira, mas ainda ocupam menos cargos de liderança nas empresas nacionais. Trabalham quase o dobro do que os homens por conta da jornada dupla nos afazeres de casa, mas recebem um salário até 53% menor.

A luta das mulheres no mercado de trabalho por condições de igualdade segue importante em nosso país, mas algumas barreiras já estão sendo ultrapassadas. A principal delas é no aumento da participação feminina no empreendedorismo, constituindo suas próprias empresas e ocupando cargos de gestão em grandes corporações.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados em 2018 refletem esse cenário. As mulheres brasileiras têm maior escolarização do que os homens tanto no ensino médio quanto na universidade. Elas também trabalham 73% a mais do que os homens nos afazeres domésticos, mas ganham apenas 76,5% dos rendimentos que um homem ganha na mesma ocupação. Além disso, elas ocupam apena2 37,8% dos cargos de gestão nas empresas.

Contudo, a trajetória feminina para superar esses números (e continuar evoluindo) é cheia de percalços, com recompensas e desafios se intercalando no dia a dia.

DESAFIOS
Cada segmento tem suas particularidades, evidentemente, mas, no geral, o principal desafio enfrentado pela mulher que deseja empreender é o julgamento de incapacidade ligado ao seu conhecimento, postura, estratégia, entre outros.

Sempre vai haver desconfiança de suas decisões e dos mais variados públicos, como colaboradores, clientes, fornecedores e até familiares. Além disso, pela nossa cultura ainda machista, nós mesmas nos depreciamos e nos consideramos incapazes em diversas situações.

Para a mulher empreendedora que também é mãe chega a ser difícil ficar afastada dos filhos por conta das exigências do trabalho. A “jornada dupla” ainda é um problema que precisa ser resolvido.

RECOMPENSAS
Porém, neste novo mundo que está se formando, onde o propósito tem grande valor, as líderes mulheres têm a capacidade de transitar com mais fluidez no ambiente corporativo. Afinal, seu olhar está voltado mais para as pessoas e o clima organizacional. Uma líder com um time engajado, focado e com um propósito nobre pode alcançar resultados incríveis.

Além disso, a equidade de gênero só traz benefícios para a empresa. Com olhares diferentes é possível encontrar novas soluções para um determinado problema e, portanto, obter um crescimento sustentável. Nós temos muito a contribuir e as empresas têm muito a ganhar com nossa presença em cargos de liderança.

Para isso, é necessário ter um comprometimento da diretoria executiva com a causa para que esse cenário de igualdade possa se tornar cada vez mais comum no ambiente corporativo.

O trabalho de aculturamento deve ser implementado por meio de palestras e cases, mas o mais importante é que o funcionário reconheça seus preconceitos e queira transformá-los. Ou seja, as empresas podem e devem trabalhar a favor da equidade de gêneros, porém, a mudança real deve partir dos indivíduos.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

2 comentários em “GESTÃO E CARREIRA”

    1. This is the approximate translation from google translate.

      FEMALE ENTREPRENEURSHIP
      Challenges and Rewards of Female Entrepreneurship

      They are a majority in the Brazilian population, but still hold fewer leadership positions in Brazilian companies. They work almost twice as much as men because of the double day job, but receive a paycheck of up to 53% less.

      The struggle of women in the labor market on equal terms remains important in our country, but some barriers are already being overcome. The main one is the increase of female participation in entrepreneurship, forming their own companies and occupying management positions in large corporations.

      Data from IBGE (Brazilian Institute of Geography and Statistics) released in 2018 reflect this scenario. Brazilian women have higher schooling than men in both high school and university. They also work 73 percent more than men in domestic chores, but earn only 76.5 percent of the income a man earns in the same occupation. In addition, they occupy only 37.8% of management positions in companies.

      However, the female trajectory to overcome these numbers (and continue to evolve) is full of mishaps, with rewards and challenges getting in the way of everyday life.

      CHALLENGES
      Each segment has its peculiarities, of course, but in general, the main challenge faced by the woman who wants to undertake is the judgment of disability linked to their knowledge, posture, strategy, among others.

      There will always be distrust of your decisions and the most varied public, such as employees, customers, suppliers and even family. Moreover, by our still sexist culture, we ourselves depreciate ourselves and consider ourselves incapable in various situations.

      For the entrepreneurial woman who is also a mother, it is difficult to stay away from her children because of the demands of work. The “double journey” is still a problem that needs to be solved.

      REWARDS
      But in this new world that is forming, where purpose has great value, women leaders have the ability to move more smoothly in the corporate environment. After all, your gaze is focused more on people and the organizational climate. A leader with an engaged, focused, and noble purpose team can achieve incredible results.

      In addition, gender equity only brings benefits to the company. With different looks it is possible to find new solutions to a particular problem and thus achieve sustainable growth. We have a lot to contribute and companies have a lot to gain from our presence in leadership positions.

      For this, it is necessary to have a commitment of the executive board with the cause so that this scenario of equality can become more and more common in the corporate environment.

      The acculturation work must be implemented through lectures and cases, but the most important is that the employee recognizes his prejudices and wants to transform them. That is, companies can and should work in favor of gender equity, but real change must start from individuals.

      Curtir

Os comentários estão encerrados.