ALIMENTO DIÁRIO

PROVÉRBIOS 20: 9-12

Alimento diário

MÁXIMAS DIVERSAS

 

V. 9 – Esta pergunta não é apenas um desafio a qualquer homem do mundo, para que prove ser sem pecado, seja o que for que ele pretenda, mas uma lamentação pela corrupção da humanidade, até mesmo dos que permanecem entre os melhores. Ai! Quem poderá dizer: “Limpo estou de meu pecado”? Observe:

1. Quais são as pessoas que estão excluídas destas pretensões – todas, umas e outras. Aqui, nesta condição imperfeita, nenhuma pessoa pode ter a pretensão de estar sem pecados. Adão podia dizer isto, quando ainda era inocente, e os santos poderão dizer isto, no céu; mas, nesta vida, ninguém poderá dizê-lo. Os que se julgam tão bons como deveriam ser não podem dizer isto, e os que são realmente bons não desejarão, e não ousarão, dizer isto.

2. Qual é a pretensão que é excluída. Não podemos dizer: “Purifiquei o meu coração”. Ainda que possamos dizer, pela graça, “Estamos mais puros do que estávamos”, não podemos dizer, “Estamos limpos e purificados de todos os resíduos do pecado”. Ou, ainda que estejamos limpos dos atos grosseiros e graves do pecado, não podemos dizer, “Os nossos corações estão purificados”. Ou, ainda que estejamos lavados e limpos, não podemos dizer, “Nós mesmos purificamos o nosso coração”; pois isto foi obra do Espírito em nós. Ou, ainda que estejamos purificados dos pecados cometidos por muitas outras pessoas, ainda assim não podemos dizer, “Limpo estou de meu pecado, do pecado que tão facilmente me importuna, do corpo da morte de que Paulo se queixou” (Romanos 7.24).

 

V. 10 – Veja aqui:

1. As várias habilidades que os homens têm para enganar, males cuja raiz é o amor pelo dinheiro. Na antiguidade, ao pagar e receber dinheiro, o que normalmente era feito com o uso de balanças, muitos tinham diferentes pesos, um peso menor do que o devido, para o que pagavam, e um peso maior do que o devido, para o que recebiam; ao entregar e receber bens, tinham medidas diferentes, uma medida reduzida que usavam para vender, e uma medida aumentada que usavam para comprar. Isto era feito e tramado, de maneira injusta, sob o pretexto de agir corretamente. Nestas atividades se incluem todos os tipos de fraude e engano, no comércio e nos negócios.

2. O desprazer de Deus com eles. Independentemente do que sejam com relação ao dinheiro ou aos bens, compradores ou vendedores, são todos igualmente uma abominação para o Senhor. Não prosperarão os negócios que são feitos desta maneira, e não será abençoado o que for obtido desta maneira. Deus odeia aqueles que violam a fé pela qual se mantém a justiça, e será o vingador dos prejudicados.

 

V. 11 – À árvore se conhece pelos seus frutos, ao homem, por suas obras; até uma árvore jovem, por suas primícias, uma criança por suas coisas infantis, quer o seu trabalho seja somente aparentemente bom (a palavra é usada em Provérbios 16.2), ou justo, isto é, verdadeiramente bom. Isto sugere:

1. Que as crianças se revelarão a si mesmas. Logo poderemos ver qual é o seu temperamento, e para que lado a sua inclinação as leva. conforme a sua constituição. Os filhos não aprenderam a arte de dissimular e esconder a sua tendência, como os adultos.

2. Que os pais devem observar seus filhos, para que possam descobrir a sua disposição e o seu talento, e administrá-los e dispor deles, de maneira apropriada, martelar o prego que entra corretamente e extrair o que entra errado. Nisto, a sabedoria é útil, para orientar.

 

V. 12 – Observe:

1. Deus é o Deus da natureza, e todas as forças e faculdades da natureza derivam dele, e dependem dele, e por isto devem ser empregadas para Ele. Foi Ele que formou o olho e fez o ouvido (Salmos 94.9), e a estrutura de ambos é admirável; e é Ele que nos preserva o uso de ambos; devemos à sua providência o fato de que nossos olhos vejam e de que nossos ouvidos ouçam. A audição e a visão são os sentidos do aprendizado. e devemos reconhecer neles particularmente a bondade de Deus.

2. Deus é o Deus de graça. É Ele quem dá o ouvi do que ouve a voz de Deus, o olho que vê a sua beleza pois é Ele quem abre o entendimento.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.