ALIMENTO DIÁRIO

PROVÉRBIOS 19: 18-20

Alimento diário

MÁXIMAS DIVERSAS

 

V. 18 – Os pais são aqui advertidos contra uma indulgência tola com seus filhos, que têm inclinações rebeldes e perversas, e que revelam tão má disposição de mente que não têm probabilidade de ser curados, senão por meio de severidade.

1. Não diga que tudo caminha a seu tempo, no que diz respeito à correção deles. Não. Tão logo apareça neles uma disposição corrupta, repreenda-a imediatamente, antes que ela crie raízes, e se converta em hábito: castiga teu filho enquanto há esperança, pois talvez, se ele não for controlado por algum tempo, deixe de haver esperança para ele, e um castigo muito maior não fará aquilo que um castigo menor agora poderia realizar. É mais fácil arrancar as ervas daninhas logo que elas surgem, e o boi que é designado para o jugo deve estar acostumado a ele, desde cedo.

2. Não diga que tem dó de corrigi-los, e que, porque eles choram e imploram para ser perdoados, você não consegue encontrar coragem para aplicar a correção. Se o objetivo puder ser alcançado sem correção, muito bem, mas se você julgar, como frequentemente acontece, que o fato de perdoá-los uma vez, com base em um aparente arrependimento e uma promessa de correção, apenas os incentiva a transgredir novamente, especialmente se for algo que é, em si mesmo, pecaminoso (como mentir, praguejar, usar de linguajar grosseiro, roubar, ou coisas semelhantes), neste caso, vista a determinação, e não permita que a sua alma o poupe, por seus clamores. É melhor que ele chore, debaixo da tua vara, do que sob a espada do magistrado, ou, o que é ainda mais terrível, sob a vingança divina.

 

V. 19 – Este versículo sugere, em poucas palavras, que aos homens irados nunca faltarão infortúnios.

1. Os que são de fortes paixões, ou melhor, obstinadas, normalmente se envolvem em problemas, e também às suas famílias, por processos litigiosos enfadonhos, e discussões, e pelas provocações que elas lhes causam; eles são feridos, em um caso ou outro, por seus corações incontroláveis; e, se seus amigos os livram de um problema, rapidamente se envolvem em outro, e seus amigos precisarão livrá-los outra vez, e tudo o que perturba, a eles mesmos e aos outros, seria evitado, se disciplinassem suas paixões e dominassem seus próprios espíritos.

2. A interpretação pode ser: o que tem grande ira (significando o filho que deverá ser corrigido e não tem paciência com críticas, grita e cria um tumulto, aquela ira que ele sente pela vara da correção) tem que sofrer o dano; porque, se você o livrar, por causa disto, será forçado a puni-lo ainda mais da próxima vez. Um filho impetuoso deve ser subjugado, desde cedo, ou o pior estará por vir.

 

V. 20 – Observe:

1. É bom que aqueles que desejam ser sábios nos seus últimos dias, sábios para os seus últimos dias, para o seu estado futuro, sábios para outro mundo, que desejam ser sábios quando vierem os seus últimos dias, virgens sábias, administradores sábios, que sejam sábios, de modo geral, e entendam as coisas que pertencem à sua paz, antes que se ocultem de seus olhos. Um homem materialista, no seu fim se fará um insensato (Jeremias 16.11), mas a santidade provará ser sabedoria, no final.

2. Os que desejam ser sábios nos seus últimos dias devem ouvir conselhos e receber instrução no princípio de seus dias e devem estar dispostos a ser ensinados e governados, dispostos a ser aconselhados e repreendidos, quando são jovens. Os que desejam ter provisões para o inverno devem colher no verão.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.