ALIMENTO DIÁRIO

PROVÉRBIOS 19: 1–4

Alimento diário

AS DESVANTAGENS DA POBREZA

 

V. 1 – Aqui, veja:

1. O que será a reputação e a consolação de um homem pobre, e o tornará mais excelente do que o seu próximo, ainda que a sua pobreza possa expô-lo ao desprezo, e possa desanimá-lo. Ele deve ser honesto, e andar em sinceridade, deverá manter uma boa consciência e mostrar isto, deve falar e agir sempre com sinceridade, quando estiver sob as maiores tentações de ludibriar e quebrar a sua palavra, e então deverá se considerar com base nisto, como todos os homens sábios e bons o considerarão. Ele é melhor, tem caráter melhor, está em melhor condição, é mais amado, e vive com propósito melhor, do que muitos que parecem excelentes.

2. O que será a vergonha de um homem rico, apesar de toda a sua pompa. Se ele tiver uma cabeça frívola e uma língua perversa, se for perverso de lábios e tolo, se for ímpio e conseguir o que tem por meio de fraude e opressão, é um tolo, e um homem honesto e pobre deverá ter toda a preferência em relação a ele.

 

V. 2 – Aqui duas coisas são declaradas como tendo más consequências:

1. Ignorância: não ter conhecimento da alma não é bom, é a interpretação de alguns. Não conhecemos a nós mesmos, aos nossos próprios corações? “Ficar a alma sem conhecimento não é bom”. É um grande privilégio o fato de que tenhamos almas, mas, se estas almas não têm conhecimento, em que somos melhores? Se o homem não tem entendimento, é como os animais (Salmos 49.20). Uma alma ignorante não pode ser uma alma boa. O fato de que uma alma não tenha conhecimento não é seguro, nem agradável; que bem pode fazer a alma, para que ela serve, se não tiver conhecimento?

2. Precipitação. Aquele que se apressa com seus pés (que faz coisas impensadamente e com precipitação, e não dedica tempo para ponderar sobre o caminho dos seus pés) peca; frequentemente erra o caminho e dá muitos passos em falso – algo que os que consideram os seus caminhos evitam. Não conhecer é equivalente a não considerar.

 

V. 3 – Temos aqui dois exemplos da loucura dos homens:

1. Eles se envolvem em dificuldades e problemas, e ficam estagnados e confusos: ”A estultícia do homem perverterá o seu caminho”. Os homens encontrarão obstáculos e desapontamentos em seus negócios, e as coisas não acontecerão como eles esperavam e desejavam, e isto é devido a eles mesmos e à sua própria tolice; é a sua própria iniquidade que os corrige.

2. Quando tiverem se envolvido em dificuldades e problemas, colocarão a culpa em Deus, e seus corações se irarão com Ele, como se Ele os tivesse prejudicado, quando, na verdade, eles prejudicaram a si mesmos. Na nossa ira, somos inimigos da nossa própria paz, e atormentamos a nós mesmos; na nossa ira contra o Senhor, nós o afrontamos, à sua justiça, à sua bondade e à sua soberania; e é muito absurdo aproveitarmo-nos dos problemas que trazemos sobre as nossas próprias cabeças, pela nossa determinação ou negligência, para contender com Deus, quando deveríamos culpar a nós mesmos, pois é nossa própria obra. Veja Isaías 50.1.

 

V. 4 – Aqui:

1. Podemos ver quão forte é o amor pelo dinheiro que sentem os homens, a ponto de levá-los a amar a qualquer homem, por menos que ele mereça, se o tal tiver apenas uma quantidade de dinheiro e puder usá-lo com liberdade, de modo que eles possam esperar, deste, algo melhor. A riqueza permite que um homem envie muitos presentes, crie muitas diversões e realize muitos bons trabalhos, e assim lhe conquistará muitos amigos, que fingirão amá-lo, pois o adulam e cortejam, mas, na realidade, amam o que ele tem, ou melhor, amam a si mesmos, esperando conseguir algo dele.

2. Podemos ver o quanto é fraco o amor dos homens, uns pelos outros. Aquele que, enquanto prosperava, era amado e respeitado, se empobrecer, é separado de seu próximo, não é reconhecido nem considerado, não é visitado, e lhe dizem que fique à distância, e que é importuno. Mesmo aquele que foi seu amigo desviará seu rosto dele, e passará do outro lado da rua. Como as consciências dos homens lhes dizem que deveriam aliviar e socorrer esta pessoa, eles se dispõem a dar a desculpa de que não a viram.

 

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.