ALIMENTO DIÁRIO

PROVÉRBIOS 16: 16 – 19

Pensando biblicamente

A SOBERBA E A HUMILDADE

 

V. 16 – Aqui, Salomão não somente declara que é melhor obter sabedoria do que ouro ( Provérbios 3.14,8 ,19), mas fala disto com certeza, que é muito melhor, indescritivelmente melhor – com admiração (Quão melhor!), como alguém maravilhado com a desproporção – com um apelo à consciência dos homens (”Julguem vocês mesmos o quanto é melhor”) – e com uma adição com o mesmo propósito. que é mais excelente adquirir a prudência do que a prata e todos os tesouros dos reis, e também dos seus favoritos. Observe:

1. A sabedoria celestial é melhor do que a riqueza terrena, e deve ser preferida a ela. A graça é mais valiosa do que ouro. A graça é a dádiva do favor peculiar de Deus; o ouro, somente da providência comum. A graça é para nós mesmos; o ouro, para os outros. A graça é para a alma e a eternidade; o ouro, somente para o corpo e o tempo. A graça nos prestará bons serviços à hora da morte, quando o ouro não nos terá qualquer utilidade.

2. Obter esta sabedoria celestial é melhor elo que obter a riqueza terrena. Muitos se esforçam e sofrem para obter riquezas, sem conseguir; mas a graça nunca foi negada a qualquer pessoa que a buscasse com sinceridade. Existe urna vaidade e perturbação de espírito na obtenção da riqueza, mas alegria e satisfação de espírito na obtenção da sabedoria. Grande paz têm os que a amam.

 

V. 17 – Observe:

1. É o caminho dos retos desviarem-se do pecado e de tudo o que se parece com pecado ou que conduza ao pecado; e é um alto caminho, assinalado com autoridade, trilhado por muitos que o trilharam antes de nós, no qual nos encontramos com muitos que nos farão companhia; é um caminho fácil de encontrar, e seguro para se percorrer, como um alto caminho (Isaias 3 5.8). ”Apartar-se do mal é a inteligência”.

2. Os justos têm o cuidado de preservar as suas almas, para que não sejam contaminados com o pecado, e para que, pelas dificuldades do mundo, não venham a ser privados delas, especialmente para que não pereçam para sempre (Mateus 16.26). Portanto. eles se preocupam em guardar o seu caminho. e não se desviar dele, para qualquer lado, mas seguir, rumo à perfeição. Os que aderem ao seu dever asseguram a sua felicidade. Guarda o teu caminho, e Deus te guardará.

 

V. 18 – Observe:

1. A soberba cairá. Os que têm um espírito soberbo, que se julgam acima do que é apropriado, e que olham aos outros com desprezo, que com sua soberba afrontam a Deus e inquietam outras pessoas, serão abatidos, quer por arrependimento, quer por ruína. É a honra de Deus humilhar os soberbos (Jó 40.11,12). É um ato de justiça que aqueles que se exaltaram sejam abatidos. Faraó, Senaqueribe, Nabucodonosor, foram exemplos disto. Os homens não podem punir a soberba, mas admirá-la ou temê-la, e por isto Deus tomará a punição por ela em suas próprias mãos. Deixai-o, que lide com os soberbos.

2. Os soberbos são frequentemente mais soberbos, e insolentes, e presunçosos, pouco antes da sua destruição, de modo que há certo prenúncio de que estão à beira da morte. Quando os soberbos desafiam os juízos de Deus, e se consideram à maior distância deles, é sinal de que estão à porta; veja o caso de Ben-Hadade e Herodes. Ainda estava a palavra na boca do rei (Daniel 4.31). Não devemos, portanto, temer a soberba dos outros, mas temer imensamente a soberba em nós mesmos.

 

V. 19 – O fato de que é melhor ser pobre e humilde do que ser rico e soberbo é um paradoxo que os filhos deste mundo não conseguem entender, e ao qual irão endossar.

1. Os que dividem o despojo normalmente são soberbos; eles valorizam a si mesmos, e desprezam os outros, e as suas mentes se exaltam com a sua condição; portanto, os que são ricos neste mundo têm a necessidade de ser instruídos para que não sejam altivos (1 Timóteo 6.l7). Aqueles que são soberbos e que desejam ser vistos, que pressionam, lutam e cavam em busca de promoção, são os homens que comumente dividem o despojo, e o dividem entre si; eles têm o mundo à sua disposição; tudo está ao alcance de suas mãos. 

2. Sob todos os pontos de vista, é melhor compartilhar a sorte daqueles cuja condição seja humilde, e cuja mente não seja altiva, do que cobiçar e desejar aparentar algo no mundo, em meio a uma condição bastante alvoroçada. A humildade, ainda que nos exponha ao desprezo no mundo, nos recomenda ao favor de Deus, nos qualifica para as suas benevolentes visitas, nos prepara para a sua glória, nos protege de muitas tentações, e preserva a tranquilidade e o repouso de nossas almas, e é muito melhor do que a altivez que, embora arrebate a honra e a riqueza do mundo, coloca o homem em uma situação terrível: Deus passa a ser o seu inimigo, enquanto o diabo passa a ser o seu senhor.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.