GESTÃO E CARREIRA

NO TOPO DO RANKING

Aparecer na primeira página do Google é, hoje, uma meta para muitas empresas. Mas a tarefa nem sempre é fácil. É preciso saber o caminho correto e quais as “artimanhas” para concluí-lo superando os obstáculos.

No topo do ranking

Estar bem posicionado no Google e aparecer nas primeiras páginas do buscador é para as empresas algo de primeira necessidade. É por meio dele que milhões de internautas pesquisam produtos e serviços todos os dias. Alguns partem para os links patrocinados, outros preferem o crescimento orgânico. Ai que está o desafio. Para ajudá-lo, consultamos especialistas, os quais listaram nove pontos que merecem atenção caso você queira que sua página “bombe” na internet.

AGILIDADE

De fato, o Google vem declarando há muitos anos que eles querem o site mais rápido possível. Por isso, é preciso entender um dos primeiros princípios do Google, que é: entregar o melhor tipo de resultado da maneira mais rápida possível.

E é tão claro para o Google o quanto eles querem seguir esse princípio que se você fizer qualquer pesquisa no buscador – desde o começo até hoje – ele mostra quantos segundos demorou para trazer a solução para você. “Vou dar um exemplo: se você digita ‘downloads’ no Google, ele vai informar: ‘Aproximadamente 10 bilhões de resultados de busca em 0,41 segundos’, ou seja, menos de um segundo. O princípio do Google é sempre entregar a melhor experiência possível para o usuário”, comenta o empresário especialista em tráfego e audiência na internet e autor do livro Atenção: o maior ativo do mundo o caminho mais efetivo para ser conhecido, gerar valor para seu público e ganhar dinheiro, Samuel Pereira.

Agora, se ele trouxer no primeiro resultado de pesquisa um site que demora muito para carregar, automaticamente o Google prestará um mau serviço, porque ele indicou um site que demora para abrir. Agilidade é uma coisa que a gente preza muito na internet, certo? Então, quanto mais agilidade você tem, melhor será a sua maneira de prestar o serviço.

EM TODAS AS TELAS

Segundo a pesquisa TIC Domicílio 2017- a mais recente sobre o tema – produzida pelo Centro Regional e Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação, vinculado às Nações Unidas e ao Comitê Gestor da Internet no Brasil, a conexão à internet somente pelo celular se tornou a forma mais comum de navegar na web no nosso País; 49% dos lares brasileiros dependem exclusivamente do celular para navegar. O índice foi pela primeira vez superior aos domicílios que usam tanto dispositivos móveis quanto computadores.

Não é para menos que o site precisa ser responsivo. Se você entrega um site que não é responsivo (um site que não abre corretamente, que não tem leitura, ou tem uma imagem em cima da outra), é a mesma coisa, você está prestando um péssimo serviço para os seus usuários. Por isso que essa é uma questão primordial. “Para resolver este problema, eu sugiro acessar o site testmysite. thinkwithgoogle.com. Ele vai analisar e relatar quanto tempo demora para o seu site carregar na versão mobile, se é satisfatório ou não e quais são as adaptações que você deve fazer para aperfeiçoar ainda mais o seu espaço ou o espaço do seu negócio”, orienta Samuel Pereira.

URL AMIGÁVEL

Uma boa estrutura de URL é um fator imprescindível para a qualificação de um site no ranqueamento do Google. Quanto mais fácil e objetiva a leitura das URLs, melhor a reputação e classificação para os motores de busca.

Além disso, as URLs curtas costumam ser mais eficazes em seu propósito. “Utilizar palavras-chave na URL, e também combiná-las com títulos, é um bom incentivo. Caracteres de difícil leitura ou termos repetidos são dispensáveis”, afirma a consultora de mídia e audiências na Reamp, Sabrina Garcia.

Caso a URL não esteja clara e bem estruturada, tanto o usuário quanto os buscadores podem não dar relevância ao seu site.

BACKLINKS

Os backlinks de qualidade fazem toda a diferença para quem quer se destacar na busca orgânica. Os links podem ser comparados a uma recomendação, por exemplo. Se seu carro quebrar e você perguntar para um amigo se ele conhece um bom mecânico, ele só vai recomendar se realmente confiar no profissional.

Ter links de outros sites apontando para o seu é essencial. Isso permite que você tenha backlinks de qualidade, e são eles que vão mostrar ao Google o valor do seu site. “Quando você é bem citado (várias vezes e por bons sites), seu conteúdo é considerado cada vez mais importante, comenta a equipe da Agência IMMA, especialista em marketing digital. O especialista em negócios digitais Juliano Leme traz uma clica: “Invista em publicar seus conteúdos com ‘linkagem ‘ em portais e blogs de qualidade; isso significa que você deverá fazer investimento financeiro para isso acontecer ou ter uma boa rede ele relacionamento. Quanto mais links de qualidade, melhor será seu posicionamento no Google”.

CONTEÚDO DE QUALIDADE

Conteúdo ele qualidade e inédito é uma das regras de ouro para o Google. Quando você faz uma boa pesquisa de palavras-chave e encontra as mais buscadas do seu nicho, suas chances de primeira página aumentam de maneira significativa. “Isso possibilitará que seu site eleve o tráfego orgânico, que é um fator importantíssimo para obter um melhor ranqueamento”, defende a Agência IMMA.

Sabendo disso, a estratégia é que esse conteúdo publicado seja focado em pessoas, transformação ou descoberta que a pessoa possa ter. “Utilizando o conteúdo, o engajamento com o conteúdo e os fatores sociais são o que mais têm peso para o ranqueamento”, afirma Juliano Leme.

CONTEÚDO ÚTIL

Podemos dizer que a essência de SEO é a produção de conteúdo relevante e de qualidade para o usuário. Porém, para ganhar as melhores posições não basta apenas qualidade, ele também precisa ser útil. Textos mais longos, com mais caracteres acabam sendo considerados mais profundos e se destacando dos menores.

As palavras-chave são o carro-chefe de SEO, são elas que ativam o conteúdo nas buscas. Quanto mais próxima a Keyword do início do título, mais fácil é para o usuário entender e o Google interpretar. As Head Tags, que são algumas das formas usadas pelas ferramentas de busca para identificar os assuntos tratados no site, são separadas por hierarquia. “A Head Tag, é a que está no topo.

Com isso, possui suma importância para o ranqueamento das páginas. As tags h2 e h3 estão abaixo da hl, mas também têm peso. O importante é saber que elas devem ser usadas com naturalidade”, orienta Sabrina Garcia, da Reamp.

O Google prioriza a classificação para sites otimizados para a palavra-chave que correspondem exatamente à busca. Apesar de não ter grande peso, conteúdos mais atualizados costumam ser priorizados nas pesquisas.

ARTIGOS DE CONVIDADOS

Postar artigos de convidados também ajuda muito a subir no ranking do Google. Isso não é muito difícil: basta convidar pessoas que sejam referência na sua área e trocar conteúdo inédito com elas. Assim, vocês estarão ajudando um ao outro.

EVITE CÓPIAS

Existem algumas boas práticas para uma boa classificação no Google. Por exemplo, a arquitetura e usabilidade do site sempre proporcionam uma experiência de qualidade para o usuário. Por outro lado, certas ações são necessárias para evitar a perda de posicionamento, como a cópia ou duplicação do conteúdo a ser veiculado na página. “Além disso, é preciso escapar dos links quebrados, que direcionam os usuários para páginas inexistentes, assim como os pop-ups, que incomodam o usuário durante a navegação”, pontua Sabrina Garcia, da Reamp. Já os erros de ortografia e gramática, assim como os sites mal escritos, podem ser considerados spam e não beneficiam em nada o site.

SÍNDROME DA FOLHA EM BRANCO

As pessoas esquecem que estão fazendo conteúdo para outras pessoas, e não para robôs de ranqueamento. Mas para isso é preciso “começar”. Existe uma síndrome que assombra muitos criadores de conteúdo, que é a síndrome da folha em branco. As pessoas querem ter o melhor conteúdo possível, mas ficam travadas na hora de escrever. É claro que não se deve ter um conteúdo ruim, mas é preciso começar. Se você não começa, ninguém vai saber de você e você não vai aprender. “Sempre que começo um blog, um projeto novo, a primeira coisa que eu faço é focar a quantidade”, comenta Samuel Pereira. Comece a fazer post todos os dias. É um trabalho difícil, mas, depois de dois meses, você tem 60 posts. Então, você pode parar e olhar para as métricas e entender qual post tem mais acesso e reproduzir mais conteúdo no mesmo estilo, com tema derivado, semelhante.

 

GLOSSÁRIO

BACKLINKS – são links que direcionam o internauta de uma página da internet para outra. Esse direcionamento pode ser para interno ou para domínios de outras empresas ou pessoas.

BUSCA ORGÂNICA – é o resultado natural que aparece no site de buscas. É o link “não pago”.

LINK PATROCINADO, como o nome sugere, são links pagos que aparecem, normalmente, no topo das páginas de resultado.

SEO – significa Search Engine Optimization (Otimização para mecanismos de busca). De maneira geral, é um conjunto de técnicas para otimizar sites e blogs. A proposta com isso é atingir um bom tráfego e autoridade para o endereço eletrônico.

SITE RESPONSIVO – é aquele que se adapta ao tipo de tela do dispositivo usado pelo internauta. O layout fica otimizado para quem está acessando a partir de um smartphone, por exemplo.

URL – nada mais é do que o endereço do seu site.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.