ALIMENTO DIÁRIO

PROVÉRBIOS 15 – 1-2

Pensando biblicamente

O USO APROPRIADO DA LÍNGUA

 

V. 1 – Salomão, como conservador da paz pública, aqui nos diz:

1. Como a paz pode ser mantida, para que possamos saber como mantê-la, em nosso lugar; é com palavras brandas. Se a ira se erguer, como uma nuvem ameaçadora, cheia de tempestades e trovões, uma resposta branda a dispersará e desviará. Quando os homens forem provocados, fale gentilmente com eles, e dirija-lhes palavras boas, e eles serão pacificados, como foram os efraimitas, pela mansidão de Gideão (Juízes 8.1-3); ao passo que, em ocasião similar, pela aspereza de Jefté, se exasperaram, e as consequências foram más (Juízes 12.1-3). A razão se expressará melhor, e uma causa justa será mais bem defendida com mansidão, em lugar de paixão; os argumentos mais fortes são melhor expressos através de palavras brandas.

2. Como a paz será rompida, de modo que nós não façamos nada para o seu rompimento. Nada incita tanto a ira, e semeia a discórdia como palavras duras e o uso de nomes ofensivos, como “Raça”, e “louco”, repreendendo os homens por suas fraquezas e infelicidades, por sua origem ou educação, ou qualquer coisa que os diminua e os torne inferiores; ideias escarnecedoras e iníquas, com as quais os homens exibem a sua sagacidade e perversidade, suscitam a ira dos outros, e isto aumenta e inflama a sua própria ira. Em lugar de perder a oportunidade de fazer uma zombaria, alguns preferirão perder um amigo e fazer um inimigo.

 

V. 2 – Observe:

1. Um bom coração no controle da língua se torna muito útil. Aquele que tem conhecimento não deve apenas usá-lo para seu próprio proveito, mas usá-lo, usá­lo apropriadamente, para a edificação de outros; e é a língua que deve fazer uso dele, em palavras proveitosas e piedosas, ao fornecer instruções apropriadas e opor­ tunas, conselhos e consolações, com todas as expressões possíveis de humildade e caridade, e então o conhecimento é usado de maneira apropriada; e a qualquer que tiver, e que use o que tem, será dado.

2. Um coração ímpio no controle da língua se torna muito prejudicial; pois a boca dos tolos derrama a estultícia, que é muito ofensiva; e as palavras corruptas que resultam de um mau tesouro (a imundície, e a conversa fútil, e as zombarias) corrompem as boas maneiras de alguns, e os perverte, e entristece os bons corações dos outros e os perturba.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.