PSICOLOGIA ANALÍTICA

IMAGINAÇÃO TURBINADA

o universo fantástico dos heróis das histórias em quadrinhos nos ajuda a entender a capacidade do cérebro de apreender informações e fazer distinções entre elas.

Imaginação turbinada

“Universos inteiros cabem confortavelmente dentro do crânio. Não apenas um ou dois, mas infinitos mundos podem ser acomodados nesse osso oco, escuro e molhado sem quebrá-lo”, disse o escritor de histórias em quadrinhos escocês Grant Morrison. De fato. Personagens de quadrinhos vivem numa espécie de realidade ampliada, um lugar onde é possível transcender nossas capacidades naturais. Quem já esteve num evento de cosplay certamente encontrou pela frente zumbis, personagens de mangá e diversos vilões e heróis. Há alguns meses, vários desses apaixonados por esse mundo de fantasia transpiravam sob a maquiagem no clima quente do verão do Arizona enquanto caminhavam pela convenção Phoenix Comicon. Nos quatro andares dessa imensa estrutura, que se espalha pelo espaço subterrâneo de vários quarteirões da cidade, estavam demônios carregando arcos, martelos medievais e sabres de luz.

Nem sempre, porém, nos damos conta de que as histórias dos super-heróis dizem respeito a dramas humanos em larga escala: o Super-Homem voa para resgatar o planeta de um fim trágico. O Homem-Aranha escala edifícios para escapar de vilões. E, nós, reles mortais, temos um poder do qual nem sempre nos damos conta: um sistema nervoso que oferece, entre tantas outras coisas, muitas maneiras de participar desse universo fantástico. Nossos olhos podem captar em abundância cores, luzes e movimentos, traduzidos pelo cérebro como algo inteligível. Os sistemas perceptual e cognitivo dependem em grande parte da busca, da identificação e do destaque de contrastes – um princípio também fundamental para histórias em quadrinhos, que utilizam como tema central a luta do bem contra o mal.

O ganhador do Nobel de fisiologia Haldan Keffer Hartline, da Universidade Rockefeller, identificou essa capacidade do cérebro nas células nervosas da retina, que reveste a superfkie interior dos olhos humanos. Ele observou que a excitação de um neurônio leva à inibição de outros ao redor com os quais compete. Ou seja: resposta neural mais intensa a estímulos visuais anda de mãos dadas com o bloqueio de impulsos antagonistas próximos. Hartline chamou essa atividade de “inibição lateral”.

O processo de excitação versus inibição amplia os contornos de objetos enquanto os comparara. Cálculos similares operam na parte exterior do sistema visual com o objetivo de alcançar praticamente todas as áreas cerebrais. A inibição lateral também pode desempenhar um papel na forma como comparamos ideias e argumentos. É provável que distinguir o mundo (aumentando as diferenças entre as coisas)

seja uma “obrigação neural”. Não somos capazes de perceber vermelho-esverdeado ou amarelo-azulado, por exemplo, porque as cores correspondentes são processadas como tipos opostos de informação pelos neurônios visuais. São como óleo e água para a mente. No salão de exposição da Phoenix Comicon, um dos nossos criadores de quadrinhos favorito, Dennis Calero, afirmou que a gestão de dualidades também é crucial para histórias de super-heróis. É comum encontrar protagonistas com personas opostas: os leitores geralmente se identificam com Clark Kent e Peter Parker em vez de Super-Homem e Homem-Aranha. E a figura do vilão tem o mesmo peso. Sem uma mente maligna convincente, as histórias fracassam. A oposição entre luz e trevas dá forma à narrativa.

As imagens a seguir brincam com a ideia de heróis e superpoderes. Desafiam nossos circuitos visuais e cognitivos para classificar figuras como possíveis versus impossíveis. A ambiguidade inerente à percepção visual que você está prestes a conhecer torna essa tarefa digna do Homem de Aço.

Imaginação turbinada. 2 CAMUFLAGEM DE CAMALEÃO

O artista chinês Liu Bolin (acima), usa seu corpo como tela para desaparecer. Ele e sua equipe chegam a passar dias se preparando para uma sessão de fotos. Bolin já se misturou com grandes construções históricas, livrarias e até com uma escavadeira com a mesma facilidade de transformação da metamorfo Megan Morse, da publicação Teen Titans, que pode controlar sua estrutura molecular para se esconder em qualquer ambiente. E enquanto ele se esconde, nossos olhos se esforçam para encontrar o artista. A pintura reduz o contraste entre as extremidades de seu corpo e o fundo, subvertendo os princípios de inibição lateral que nos ajudam a encontrar os contornos das outras imagens.

Imaginação turbinada. 3 A MENINA QUASE INVISÍVEL

Sue Richards, também conhecida como a Mulher Invisível do famoso Quarteto Fantástico, pode manipular ondas de luz para desaparecer. Essa imagem produzida pela fotógrafa Laura Williams, de 21 anos, moradora de Cambridge, na Inglaterra, é fantástica. À primeira vista, o cérebro não hesita em perceber a garota como parcialmente invisível, em vez de concluir que, indubitavelmente, o cenário é impossível.

Todos temos modelos mentais do corpo humano, por isso podemos deduzir que ela está sentada atrás do espelho – e não que seja uma cabeça sem corpo, apenas com os membros. No entanto, a capacidade do sistema visual de vincular a paisagem do fundo da imagem com o interior do espelho (que obviamente reflete o que está na frente, e não atrás) é ainda mais poderosa do que os esquemas corporais do cérebro. Este tipo de costura perceptual, que a Gestalt, ou psicologia da forma, de origem alemã, chama de “lei da boa continuação”, supera as hipóteses mentais sobre a forma do corpo humano. Como resultado, num primeiro momento imaginamos uma menina parcialmente invisível sentada atrás de uma moldura vazia em vez de percebermos a paisagem refletida.

Imaginação turbinada. 4

TEIA DE ENGANOS

Distinguir um herói de um vilão pode ser uma questão de perspectiva. Na imagem do mestre da arte 3D Kurt Wenner, exibida na Universal Studios do Japão para comemorar seu 10º aniversário em 2011, apenas quem observa de determinado ângulo (muito parecido com o seu ponto de vista enquanto lê este post) consegue ver o Homem-Aranha entre os prédios de Nova York se preparando para disparar teias na direção do equilibrista. Da perspectiva de quem anda na armação de fios é possível enxergar o super-herói como realmente é: uma enorme pintura no chão. A ilusão, chamada de pintura anamórfica, aproveita a maneira como o sistema visual usa pistas, como sombreamento, perspectiva e tamanho relativo dos objetos, para produzir a percepção da distância, forma e profundidade.

Imaginação turbinada. 5

SUPERPAI

A fotógrafa italiana Giulia Pex tem uma série de imagens chamada Pai, você é meu super-herói favorito, que combina desenhos, ilustrações e fotografias para mostrar a maneira como ela enxerga os superpoderes paternos. Os artistas sabem que linhas num desenho ou numa pintura servem como atalhos visuais para o contorno de um objeto e que os percebemos por meio da inibição lateral. Além disso, neurônios nos primeiros estágios do processamento visual não são capazes de distinguir entre uma forma sólida e um quadro vazio. Como resultado, os olhos aceitam facilmente desenhos feitos com traços, mesmo quando são oferecidas apenas as bordas. De fato, o esforço extra necessário para interpretar a imagem pode tornar esse tipo de figura até mais atraente para o sistema visual, fazendo com que nossa atenção seja capturada por um longo tempo. Aqui, Giulia Pex engana nossos neurônios estimulando-os com linhas: elas formam o desenho de uma capa com detalhes suficientes para nos fazer enxergar o status de super-herói de seu pai.

Imaginação turbinada. 6

SUBINDO PELAS PAREDES

A instalação interativa Bâtiment, do artista Leandro Erlich, exibida na edição de 2004 do festival La Nuit Blanche, em Paris, é composta de uma detalhada fachada que fica no chão. Com um grande espelho angular à frente, a face do prédio é refletida na vertical, assim como os visitantes, que podem fazer poses, parecendo estar pendurados às janelas com os dedos ou escalar paredes ao estilo do Homem-Aranha. Similar ao mural de Wenner, essa ilusão tem a ver com a perspectiva, o que permite aos visitantes uma experiência assustadora e impossível.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Blog O Cristão Pentecostal

"Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertam-se! Convertam-se dos seus maus caminhos!" Ezequiel 33:11b

Agayana

Tek ve Yek

Envision Eden

When We Improve Ourselves, We Improve The World

4000 Wu Otto

Drink the fuel!

Ms. C. Loves

If music be the food of love, play on✨

troca de óleo automotivo do mané

Venda e prestação de serviço automotivo

darkblack78

Siyah neden gökkuşağında olmak istesin ki gece tamamıyla ona aittken 💫

Babysitting all right

Serviço babysitting todos os dias, também serviços com outras componentes educacionais complementares em diversas disciplinas.

M.A aka Hellion's BookNook

Interviews, reviews, marketing for writers and artists across the globe

Gaveta de notas

Guardando idéias, pensamentos e opiniões...

Isabela Lima Escreve.

Reflexões sobre psicoterapia e sobre a vida!

Roopkathaa

high on stories

La otra luna de Picasso

El arte es la esencia de la espiritualidad humana.

%d blogueiros gostam disto: