ALIMENTO DIÁRIO

PROVÉRBIOS 13: 5-14

Pensando biblicamente

O JUSTO, EXCLUSIVAMENTE FELIZ

 

V. 5 – Observe:

1. Onde reina a graça, o pecado é odioso. É o caráter inequívoco de todo homem justo o fato de que ele detesta a mentira (isto é, todo pecado, pois cada pecado é uma mentira, e particularmente toda fraude e falsidade nos negócios e no convívio), não somente pelo fato de que ele não dirá uma mentira, mas porque ele abomina a mentira, por um princípio reinante e enraizado de amor à verdade e à justiça, e de conformidade com Deus.

2. Onde reina o pecado, o homem é odioso. Se os seus olhos estivessem abertos e a sua consciência desperta, ele odiaria a si mesmo e se arrependeria, no pó e na cinza; no entanto, ele odeia a Deus e aos homens bons; e, em particular, é a mentira que o torna assim, e não há nada que seja mais detestável do que ela. E, ainda que ele possa pensar em abandoná-la, por algum tempo, ainda assim ele será dominado pela vergonha e pelo desprezo, no final, e enrubescerá ao mostrar seu rosto (Daniel 12.2).

 

V6 – Veja aqui:

1. Os santos protegidos da destruição. ”A justiça guarda ao que é sincero no seu caminho”, que tem intenções honestas em todos os seus atos, que adere conscientemente às regras sagradas e eternas da equidade, e que lida com sinceridade com Deus e também o homem. A sua integridade o guardará das tentações de Satanás, que não prevalecerá sobre ele; e das ofensas dos homens maus, que não o atingirão para lhes fazer nenhum dano real (Salmos 25.21).

2. A ruína assegurada para os pecadores. Em relação aos que são ímpios, até mesmo a sua iniquidade será destruída, no final, e eles ficam à mercê dela, enquanto isto não acontece. Eles são corrigidos, destruídos? É a sua própria iniquidade que os corrige, que os destrói; e eles a suportarão.

 

V. 7 – Esta observação é aplicável:

I – Às propriedades materiais dos homens. O mundo é um grande enga­ no, não somente as coisas do mundo, mas os homens do mundo. Todos os homens são mentirosos. Aqui está um exemplo em dois terríveis males, sob o sol:

11. “Há quem se faça rico, não tendo coisa nenhuma”; estes compram e gastam corno se fossem ricos, fazem grande alvoroço e exibição corno se tivessem tesouros escondidos, quando, talvez, se todas as suas dívidas fossem pagas, não valeriam um centavo. Isto é pecado, e será urna vergonha; muitos arruínam assim as suas famílias e trazem vergonha à sua profissão de religião. Os que vivem acima do que têm preferem estar sujeitos à sua própria soberba, e não à providência de Deus; eles terminarão de urna maneira condizente com os seus atos.

2. E “há quem se faça pobre, tendo grande riqueza”; estas pessoas são consideradas pobres, porque vivem sordidamente e mesquinhamente abaixo do que Deus lhes deu, e preferem enterrá-lo, em lugar de usá-lo (Eclesiastes 6.1,2). Nesta atitude há urna ingratidão para com Deus. urna injustiça para com a família e os próximos, e falta de caridade para com os pobres.

 

II – Aos seus bens espirituais. A graça é a riqueza da alma; a verdadeira riqueza; mas os homens normalmente a deturpam, seja intencionalmente ou por engano, devido à ignorância sobre si mesmos.

1. Há muitos que são hipócritas declarados, que são realmente pobres e vazios de graça, e ainda assim se julgam ricos, e não se convencerão da sua pobreza, ou se fingirão de ricos, e não reconhecerão a sua pobreza.

2. Há muitos cristãos temerosos, que são espiritualmente ricos, e cheios de graça, e ainda assim se consideram pobres, e não se deixarão persuadir de que são ricos, ou, pelo menos, não o reconhecerão; por suas dúvidas e temores, suas queixas e lamentações, se tornam pobres. O primeiro engano destrói no final; este é um fato perturbador durante a vida do homem.

 

V. 8 – Nós somos propensos a julgar a bem-aventurança dos homens, pelo menos neste mundo, por suas riquezas, e que eles são mais ou menos felizes, conforme possuam uma maior ou menor quantidade dos bens neste mundo; mas aqui, Salomão nos mostra que grave engano é este, indicando que podemos ser reconciliados com uma condição ele pobreza e não ambicionar ou invejar os que têm abundância.

1. Aqueles que são ricos podem ser respeitados por alguns por causa de suas riquezas; para equilibrar tal fato, é importante mencionar que são invejados por outros, e atacados, e suas vielas correm perigo; assim, eles precisam resgatá-las com as suas riquezas. “Não nos mates a nós; porque temos no campo tesouros escondidos” (Jeremias 41.8). Sob o governo de alguns tiranos, ser rico já seria crime suficiente; e quão pouco um homem deve ser agradecido à sua riqueza, quando ela serve somente para redimir aquela viela que, ele outra maneira, não teria sido exposta!

2. Se aqueles que são pobres forem desprezados e ignorados por alguns que deveriam ser seus amigos, ainda assim, para contrabalançar isto, serão também desprezados e ignorados por outros , que seriam os seus inimigos, se tivessem algo a perder: “O pobre não ouve as ameaças”, não é censura­ do, repreendido, acusado, nem se mete em dificuldades, como os ricos; pois ninguém pensa que vale a pena notá­los. Quando os judeus ricos foram levados cativos à Babilônia, os pobres da terra ficaram para trás (2 Reis 25.12). Não produziam nada, a cada sete anos.

 

V9 – Aqui temos:

1. A consolação dos homens bons – próspera e duradoura: ”A luz dos justos alegra”, isto é, aumenta e lhes traz felicidade. Mesmo a sua prosperidade exterior é sua alegria, e muito mais os dons, graças e consolações, com que suas almas são iluminadas: elas brilham, cada vez mais (Provérbios 4.18). O Espírito é sua luz, e lhes traz uma plenitude de alegria, e se alegra por fazer­ lhes o bem.

2. A consolação dos homens maus murcha e morre: ”A candeia dos ímpios se apagará”, melancólica, como uma vela em um jarro, e logo os tais estarão em completa escuridão (Isaias 50.11). A luz dos justos é como a do sol, que pode ser eclipsada e encoberta por nuvens, mas continuará; a dos ímpios é como um fogo que eles mesmos acenderam, e que imediatamente será apagado; ele é facilmente extinto.

 

V10 – Observe:

1. “Da soberba só provém a contenda”. Você deseja saber donde vêm as guerras e pelejas? Elas se originam desta raiz de amargura. Qualquer que seja o peso que outros desejos tenham nas contendas (paixão, inveja, cobiça), a soberba tem mais peso; é a soberba que semeia discórdia e não precisa de ajuda. A soberba torna o homem impaciente na contradição de suas opiniões ou de seus desejos, impaciente com a competição e a rivalidade, impaciente pelo desprezo, ou qualquer coisa que pareça indiferença, e impaciente com concessões, por causa de um convencimento de certo direito e verdade de sua parte; e consequentemente surgem contendas entre parentes e vizinhos, contendas em estados e reinos, em igrejas e sociedades cristãs. Os homens se vingarão, não perdoarão, porque são soberbos.

2. Os que são humildes e pacíficos são sábios e bem aconselhados. Os que pedem conselhos, e os aceitam, que consultam suas próprias consciências, suas Bíblias, seus ministros, seus amigos, e não fazem nada de uma forma impensada são sábios, tanto em outras situações como nesta, porque se humilham, se curvam e cedem, para preservar a tranquilidade e evitar contendas.

 

V. 11 – Isto mostra que os ricos vestem o que ganham.

1. Aquilo que é obtido de maneira ilícita nunca será bem usado, pois o acompanha uma maldição que o desgastará, e as mesmas disposições corruptas que predispõem os homens às maneiras pecaminosas de obtê-los os predispõem às maneiras igualmente pecaminosas de gastar: ”A fazenda que procede da vaidade diminuirá”. Aquilo que é obtido com esquemas como estes não é lícito, nem convém aos cristãos, pois somente servem para alimentar a soberba e a luxúria; aquilo que é obtido com jogos de azar pode ser considerado como obtido da vaidade tão verdadeiramente como o que é obtido por meio de mentiras e fraudes, e sendo assim diminuirá. A riqueza obtida ilicitamente dificilmente será desfrutada pela terceira geração.

2. Aquilo que é obtido pelo trabalho e com honestidade terá aumento, em lugar de diminuir: será um sustento, será uma herança; será uma abundância. Aquele que se esforça, trabalhando com as suas mãos, aumentará tanto o que tem a ponto de ter o que repartir com o que tiver necessidade (Efésios 4.28); e, quando for este o caso, o que ele tem aumentará cada vez mais.

 

V. 12 – Observe:

1. Nada é mais angustiante do que o desapontamento de uma expectativa, ainda que não pela coisa em si mesma, por uma negativa, mas no tempo da sua realização, por uma demora: ”A esperança demorada enfraquece o coração”, tornando-o debilitado, impaciente e irritado; mas a esperança destruída mata o coração, e quanto mais intensa a expectativa, mais dolorosa a frustração. É, portanto, sensato que não nos prometamos grandes coisas das criaturas, nem nos alimentemos com quaisquer vãs esperanças deste mundo, para que não sejamos vítimas da nossa própria frustração; devemos nos preparar para nos desapontarmos com aquilo que esperamos, para que a frustração seja mais fácil de ser suportada, e não devemos ser precipitados.

2. Nada é mais agradável do que desfrutar, por fim, daquilo que desejamos e esperamos por muito tempo: o desejo chegado coloca o homem em um tipo de paraíso, um jardim de prazer, pois é árvore de vida. A infelicidade eterna dos ímpios será agravada por suas esperanças frustradas; e a felicidade do céu será mais bem-vinda aos santos, tendo em vista que eles a desejaram longamente e fervorosamente, como a coroa de suas esperanças.

 

V. 13 – Aqui temos:

1. O caráter de alguém que está destinado à ruína: O que despreza a Palavra de Deus, e não tem consideração nem veneração por ela, nem se permite ser governado por ela, certamente perecerá, pois despreza aquilo que é o único meio de curar uma doença destrutiva, tornando-se odioso para aquela ira divina que certamente será a sua destruição. Aqueles que preferem as regras carnais aos preceitos divinos, e as seduções do mundo e da carne às promessas e consolações de Deus, desprezam a sua palavra, dando preferência àquelas coisas que competem com ela, e isto será a sua justa ruína: eles não aceitam advertências.

2. O caráter de alguém que certamente será feliz: O que teme o mandamento, que tem respeito e temor por Deus, que tem consideração pela sua autoridade, e reverência pela sua Palavra, que teme desagradar a Deus e sofrer as punições que são anexas aos mandamentos, não somente escapará à destruição, mas será galardoa­ do, pelo seu piedoso temor. Em guardar os mandamentos há grande recompensa.

 

V. 14 – Podemos interpretar, aqui, a doutrina dos sábios e justos como os princípios e regras pelos quais eles se governam, ou (o que é equivalente) as instruções que eles dão aos outros, que são como uma lei para os que estão ao seu redor; e, sendo assim:

1. Eles serão constantes fontes de consolação e satisfação, como uma fonte de vida, da qual fluem correntezas de água viva; quanto mais próximos estivermos dessas regras mais eficazmente asseguraremos a nossa própria paz.

2. Eles serão proteções constantes dos laços de Satanás. Os que seguem os preceitos desta lei serão mantidos afastados dos laços do pecado, e assim poderão desviar dos laços da morte, aos quais se apressam os que abandonam a doutrina do sábio.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Blog O Cristão Pentecostal

"Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertam-se! Convertam-se dos seus maus caminhos!" Ezequiel 33:11b

Agayana

Tek ve Yek

Envision Eden

All Things Are Possible Within The Light Of Love

4000 Wu Otto

Drink the fuel!

Ms. C. Loves

If music be the food of love, play on✨

troca de óleo automotivo do mané

Venda e prestação de serviço automotivo

darkblack78

Siyah neden gökkuşağında olmak istesin ki gece tamamıyla ona aittken 💫

Babysitting all right

Serviço babysitting todos os dias, também serviços com outras componentes educacionais complementares em diversas disciplinas.

M.A aka Hellion's BookNook

Interviews, reviews, marketing for writers and artists across the globe

Gaveta de notas

Guardando idéias, pensamentos e opiniões...

Isabela Lima Escreve.

Reflexões sobre psicoterapia e sobre a vida!

Roopkathaa

high on stories

La otra luna de Picasso

El arte es la esencia de la espiritualidad humana.

%d blogueiros gostam disto: