GESTÃO E CARREIRA

VALORIZAR QUEM É DA CASA

Filosofia aplicada aos negócios: empresa promove workshops entre colaboradores e cria rede compartilhada de conhecimento.

Valorizar quem é da casa

Quando o assunto é gestão de pessoas, a cada dia surgem novas ideias e práticas inovadoras que visam a ampliação da mentalidade dos colaboradores, contribuindo para o desenvolvimento pessoal das equipes e organizacional das empresas. Cursos, palestras, debates, ações de incentivo à cultura e informação se tornaram ferramentas estratégicas para as organizações que acreditam que o sucesso é uma consequência do desenvolvimento das habilidades e potenciais de seus colaboradores.

Dados da consultoria Gartner indicam que, até 2021, 40% dos times de TI serão mais versáteis, desempenhando múltiplos papéis, inclusive em negócios, em vez de ter foco apenas em tecnologia. Empresas brasileiras já investem em líderes corporativos para formarem times de elite.

Fomentadora de uma cultura própria de trabalho, a FCamara, empresa de soluções tecnológicas para empresas de tecnologia e e-commerce, é um dos exemplos nacionais que acreditam que o seu maior patrimônio é o capital intelectual e que todos podem se tomar empreendedores de suas carreiras.

De forma contínua, a empresa promove entre seus consultores, workshops que visam criar uma rede de conhecimento compartilhada, na qual os próprios colaboradores podem palestrar sobre os assuntos nos quais demonstrem domínio. Com temas que variam entre conhecimentos técnicos da área e aspectos filosóficos aplicados no mundo dos negócios, os eventos promovem a troca de ideias e informações que são usadas no dia a dia do trabalho.

A ideia surgiu a partir de pequenos encontros promovidos dentro da empresa nos quais alguns colaboradores se juntavam para trocar informações. “Os encontros começaram a ser tão atrativos que despertaram o interesse de cada vez mais participantes e, a cada nova reunião, mais consultores foram participando, aumentando a rede. Durante o caminho, fomos percebendo que, além de conhecimento técnico, eles demonstravam habilidades para transmitir aos demais suas ideias e experiências e assim fomos moldando os workshops que hoje são parte muito importante do nosso culture code (veja mais em Novo código para os “sangues laranjas”), afirma Fábio Camara, CEO da FCamara. “Hoje, temos em média de 5 a 10 workshops por mês e a estimativa é que mais de 200 consultores já tenham participado desses eventos”, diz.

PROGRAMAÇÃO, FILOSOFIA E LIDERANÇA

Além do compartilhamento de informações da área e tendências de mercado, debates filosóficos também fazem parte da grade dos eventos. Nomes como Maquiavel, Kant e Genghis Khan têm suas ideias adaptadas ao mundo dos negócios, promovendo, além da expansão de ideias, o incentivo a liderança e o alcance de metas de forma estratégica. “Nos workshops técnicos, abordamos novas tecnologias, metodologias e cases de sucesso, nos quais os consultores conseguem ter um aprendizado rápido e já fazer a aplicação em projetos reais. Já nos de liderança e filosofia, debatemos aspectos que são essenciais para a formação de um profissional, como autonomia, vocação, competências interdisciplinares e o uso da criatividade para solucionar problemas. A filosofia entra com o objetivo de orientar os consultores em relação à carreira, aos desafios profissionais e à aplicação dos conhecimentos trazidos por esses pensadores na busca dos caminhos para a inovação digital, afirma Gustavo Pisani, consultor da FCamara que já aplicou workshops para os seus colegas.

NOVO CÓDIGO PARA OS COLABORADORES

Uma pesquisa realizada pela Advance Consulting sobre as maiores dificuldades na área de tecnologia indica que 74% das empresas do segmento tem menos de 50 colaboradores e possuem como maior desafio a eficiência de seus profissionais e de seus processos. Para vencer essa dificuldade, muitas delas recorrem a metodologias e processos bem definidos, métricas e indicadores de desempenho que, a cada dia, ganham mais relevância e marcam esse momento novo no mercado de trabalho.

Fomentadora de uma cultura própria, a FCamara desenvolveu seu próprio culture code. Nele, cada “sangue laranja”, nome dado aos seus colaboradores, entra em contato com as diretrizes e objetivos da empresa, como o autogerenciamento e autorresponsabilização, focando a formação e o incentivo ao desenvolvimento de novas ideias que podem vir a se tornar soluções e novos negócios. “Acreditamos que o sucesso está relacionado diretamente com a forma de pensar e agir na vida e nos negócios. Para desenvolver soluções inovadoras precisamos ‘pensar fora da caixa’ e ter um pensamento inovador. Assim, desenvolvemos nosso culture code que transmite nossos valores e propostas para uma carreira mais autônoma e focada em resultados”, afirma Fábio Camara. CEO da empresa. Con fira os pontos do código:

MODELO HORIZONTAL: não há hierarquia tradicional. Todos trabalham de modo colaborativo e se comunicam no mesmo nível. Não há uniformes, distinção de gênero, dress code ou protocolos formais;

SEM MESA DE CHEFE: o CEO da empresa não tem mesa fixa – ele trabalha de forma livre em mesas ou bancadas da empresa, tendo assim acesso e convivência com todas as áreas e setores da companhia;

WHATSAPP PÚBLICO: os números do celular do CEO e dos gestores são públicos e todos os c:olaboradores da empresa a eles têm acesso;

PROGRAMA DE FORMAÇÃO: a empresa promove ao longo do ano algumas edições de seu programa de recrutamento de novos talentos como objetivo de capacitá-los e formá-los tecnicamente;

WORKSHOPS: a F. câmara promove debates e palestras técnicas, de liderança e de Filosofia, aplicados aos negócios para integrar e formar seus consultores;

SEM UNIFORMES: nenhum colaborador usa uniforme ou identificação relativa à sua ocupação. Todos são vistos e tratados de maneira igualitária, sem distinções.

Anúncios

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.