ALIMENTO DIÁRIO

JOÃO 20: 1-10 – PARTE III

alimento diário

A Ressurreição

 

III – Pedro e João correm apressadamente ao sepulcro, para verificar a verdade do que lhes tinha sido dito, e para ver se conseguiam fazer alguma outra descoberta, vv. 3,4. Alguns pensam que os outros discípulos estavam com Pedro e João quando as notícias chegaram, pois elas “anunciaram todas essas coisas aos onze”, Lucas 24.9. Outros pensam que Maria Madalena contou sua história somente a Pedro e a João, e as outras mulheres contaram sua história aos demais discípulos. Mas nenhum deles foi ao sepulcro, exceto Pedro e João, que eram dois dos três primeiros discípulos de Cristo, frequentemente distinguidos dos demais por favores especiais. Observe que é bom quando aqueles que são mais honrados que outros, com os privilégios de discípulos, são mais ativos que outros, no dever de discípulos, mais desejosos de sofrer e arriscar-se em uma boa obra.

1. Veja aqui que uso devemos fazer da experiência e das observações de outros. Quando Maria lhes contou o que tinha visto, eles não se limitaram a aceitar a palavra dela, mas quiseram ir e ver com seus próprios olhos. Outros nos falam do consolo e do benefício das ordenanças? Devemos nos engajar, portanto, para testá-los. Venham e vejam como é bom estar perto de Deus.

2. Veja como devemos estar prontos para compartilhar com nossos amigos suas preocupações e temores. Pedro e João correram ao sepulcro, para que pudessem dar a Maria uma resposta satisfatória pelos seus zelos. Não devemos nos ressentir de quaisquer esforços que fazemos para socorrer e consolar os fracos e medrosos seguidores de Cristo.

3. Veja que pressa devemos ter em um bom trabalho, e quando estamos realizando uma boa tarefa. Pedro e João não se importaram, nem com sua comodidade, nem com sua seriedade, mas correram ao sepulcro, para poderem mostrar a força do seu zelo e da sua afeição, e não perderam tempo. Se estivermos no caminho dos mandamentos de Deus, devemos nos manter firmemente neste caminho.

4. Veja que boa coisa é ter boa companhia em um bom trabalho. Talvez nenhum destes discípulos ti­ vesse se arriscado a ir ao sepulcro sozinho, mas, estando juntos, não viram problema em fazê-lo. Veja Eclesiastes 4.9.

5. Veja que uma louvável competição existe entre os discípulos para ver quem será melhor, quem se superará naquilo que é bom. Não foi má educação para João, embora mais jovem, correr mais apressadamente que Pedro, e chegar primeiro ao sepulcro. Nós devemos fazer o melhor que pudermos, não invejando aqueles que conseguirem fazer melhor do que nós. Também não podemos desprezar aqueles que fizerem o que puderem, ainda que cheguem depois de nós.

(1) Aquele que chegou primeiro nesta corrida foi o “discípulo a quem Jesus amava” de uma maneira especial, e que, portanto, de uma maneira especial amou a Jesus. Observe que o senti­ mento do amor de Cristo por nós, despertando em nós amor por Ele, irá nos fazer sobressair-nos em virtude. O amor de Cristo irá nos impulsionar, mais do que qual­ quer outra coisa, a sermos abundantes no dever.

(2) Aquele deixado para trás era Pedro, que tinha negado seu Mestre, e estava entristecido e envergonhado por isto, e isto o atrapalhava, como um peso. O sentimento de culpa nos limita, e impede nossa expansão a serviço de Deus. Quando nossa consciência está ofendida, nós perdemos terreno.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.