ALIMENTO DIÁRIO

JOÃO 19: 38-42 – PARTE III

Alimento diário - Comendo a Bíblia

O Sepultamento de Cristo

 

III – O corpo preparado, v. 40. Eles devem tê-lo levado a alguma casa próxima e, tendo-o lavado do sangue e da poeira, o envolveram em lençóis, de maneira muito decente, com as especiarias provavelmente fundidas em um unguento, à maneira dos judeus sepultarem, ou embalsamarem, assim como nós fazemos cremações.

1. Aqui se cuidou do corpo de Cristo: eles “o envolveram em lençóis”. Além das roupas que pertencem a nós, Cristo vestiu até mesmo a roupa do sepulcro, para tornar seu uso mais fácil para nós, e para nos capacitar a chamá-la de nossa roupa de bodas. Eles envolveram o corpo com as especiarias, pois todas as suas roupas, sem excetuar sua roupa de sepultamento, cheiravam a mirra e aloés (as especiarias aqui mencionadas) dos palácios de marfim (Salmos 45.8), e a sepultura cavada em uma rocha foi um palácio de marfim para Cristo. Cadáveres e sepulturas são repugnantes e ofensivos. Por isto, o pecado é comparado a um corpo de morte, e a um sepulcro aberto. Mas o sacrifício de Cristo, sendo para Deus como um cheiro suave, tinha removido nossa contaminação. Nenhum unguento ou perfume pode alegrar o coração como o faz o sepulcro do nosso Redentor, onde há fé para perceber seus odores perfumados.

2. De acordo com este exemplo, nós devemos ter consideração com os cadáveres dos cristãos, não consagrando e adorando seus restos, nem mesmo os dos santos e mártires mais eminentes (pois nada parecido com isto foi feito ao cadáver do próprio Cristo), mas depositando-os cuidadosamente, o pó ao pó, como aqueles que creem que os cadáveres dos santos ainda estão unidos a Cristo e destinados à glória e à imortalidade no último dia. A ressurreição dos santos se dará em virtude da ressurreição de Cristo, e, portanto, ao sepultá-los, nós devemos pensar no sepultamento de Cristo, pois a Palavra do Senhor nos diz: “Os teus mortos viverão”, Isaías 26.19. Ao sepultarmos nossos mortos, não é necessário, em todas as circunstâncias, imitarmos o sepultamento de Cristo, como se precisássemos ser envoltos em lençóis, sepultados em um jardim, e embalsamados como Ele foi. Mas o fato de que Ele foi sepultado à maneira dos judeus nos ensina que, nas questões desta natureza, nós devemos estar em conformidade com o uso do país onde vivemos, exceto nas superstições dos povos que não conhecem o Senhor.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.