GESTÃO E CARREIRA

4 HÁBITOS QUE DESTROEM A PRODUTIVIDADE DE UM TIME E UMA EMPRESA

 Em um ambiente cada dia mais competitivo, as empresas precisam reduzir custos, e profissionais são desafiados a fazer cada vez mais, de forma mais rápida e com menos recursos. Nesse cenário, quem não for produtivo dificilmente sobreviverá.

4 Hábitos que destroem a produtividade de um time e uma empresa

Cada dia que começa é como se existisse uma batalha acontecendo, de um lado está o foco no que precisa ser feito e do outro as distrações do dia a dia, e é justamente disso que quero falar, de quatro hábitos que viraram distrações crônicas em diversas empresas.

Vamos imaginar alguém que precisa entregar um relatório para hoje. Esse é o foco dele. Assim que começa a trabalhar surgem as distrações, notificações no celular de mensagens e e-mails, redes sociais, o colega da mesa ao lado chamando para tomar um café e o relatório ali na tela do computador.

Até que, de repente, surge o chefe dizendo “bora lá” para uma reunião bem rapidinha, só que todos sabem que em menos de uma hora ninguém sai lá de dentro. No meio disso, uma pessoa do time pergunta se precisa ir e o chefe responde já que tá aí, vamos todos. Reuniões do tipo “bora lá” envolvendo todo mundo proliferam-se pelas empresas.

O problema é que reuniões assim não têm pauta, ninguém se preparou para contribuir, e várias pessoas vão ficar inutilmente assistindo enquanto seus trabalhos estão parados em suas mesas.

Aqui vão mudanças simples que podem acabar com esses habito, aumentando substancialmente a produtividade:

  • Faça reuniões menores com regularidade -15 minutos a cada semana é uma ótima escolha.
  • Envolva apenas quem deve estar na reunião.
  • Quando surgir um assunto “urgente”, pergunte-se se não pode esperar a próxima reunião. Seja crítico ao responder.
  • Se não tiver jeito, agende a reunião para o dia seguinte, divulgue o assunto e chame só quem deve estar presente.

Sobre o terceiro hábito, não importa quão produtivo você seja, as tarefas nunca vão terminar. Com o volume de tarefas que as empresas possuem hoje em dia, podemos definir produtividade inteligente como a arte de decidir o que não fazer.

Como essa escolha não é tão simples, vejo times inteiros trabalhando duro em demandas que não contribuem tanto com os objetivos estratégicos da empresa. O resultado disso é muitas vezes ter os dois lados insatisfeitos. O gestor infeliz com seu time, com o sentimento de que as coisas não progridem, pois a equipe está trabalhando em algo que ele não vê tanta relevância, e trabalhando duro, mas também infeliz pela falta de reconhecimento do gestor ou líder.

A solução mais simples é manter uma lista em lugar visível com todas as demandas e projetos em que o time está envolvido naquele momento, listados por ordem de prioridade, com atualização semanal nas reuniões de acompanhamento que já falamos aqui. Assim, o volume de trabalho em que a equipe está envolvida fica visível para todos e, ao mesmo tempo, todos sabem onde devem colocar maior foco. Com isso, a capacidade produtiva do time, que é finita, é alocada àquilo que realmente importa e, se tiver que entrar novos projetos naquele momento basta alterar a ordem de prioridade.

O quarto hábito está ligado ao feedback dado de forma inadequada. O que vemos nas empresas são três situações:

(1) Ausência completa de feedback do líder ao seu time;

(2) Limitar­ se a informar o que o colaborador tem feito de errado;

(3) O líder que acredita que a forma de manter a equipe motivada é apenas elogiar.

Quando o líder não dá feedbacks regulares, o que temos é uma equipe que não sabe se está indo na direção certa, com o tempo vem a desmotivação. Quando o líder só critica, a equipe perde a confiança e fica esperando pela decisão dele para evitar mais críticas. Só elogiar também não é a solução, com o tempo a equipe tende a se acomodar e não acompanhar as necessidades dinâmicas do mercado.

Aqui vão algumas dicas para melhorar a forma de dar feedbacks:

  • Marque uma conversa periódica com cada liderado para falar individualmente do desempenho dele, assim o feedback deixa de ser visto como algo negativo e se torna rotina de evolução.
  • Comece por um resumo do que aconteceu de relevante e positivo no último mês e em seguida indique os pontos de melhora, concentre-se nos fatos e evite julgamento.
  • Termine destacando os pontos fortes e a evolução recente do liderado. Seja sempre verdadeiro.

Basicamente, comece pelo que aconteceu de positivo desde o último encontro, passe para os desafios e termine pelos pontos fortes para que o liderado vença os desafios que você acabou de apontar.

Como em qualquer empresa, sempre existirão pontos de desafio, e o que torna uma empresa competitiva e duradoura é a consistência em evoluir. Neste momento, o que você pode fazer como líder ou empresário é simplesmente escolher um ponto que vai implementar. Agora é só ir lá e fazer!

 

GERONIMO THEMI – é coach especialista em Produtividade e Desenvolvimento Humano. É palestrante internacional especializado em mudança de comportamento, aumento de produtividade, e empreendedorismo. Fundador do Instituto Geronimo Themi de Coach e Desenvolvimento Humano (IGT). É o idealizador do Programa Profissão Coach, no qual prepara  coaches para alcançarem sucesso profissional.  

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.