GESTÃO E CARREIRA

SABOTANDO O PRÓPRIO CRESCIMENTO PROFISSIONAL

Cometemos muitas falhas na vida profissional, mas existem algumas que merecem atenção, pois travam a evolução da carteira sem percebermos.

Sabotando o próprio crescimento profissional

Geralmente, as pessoas que iniciam uma carreira promissora têm como objetivo se tornar profissionais de sucesso e realizados. Alguns conseguem alcançar a meta, outros não chegam à concretização mesmo sendo competentes e capazes. O que será então que os profissionais que chegam a se realizar fazem ou deixam de fazer?

Por um momento, imagine um avião lindo. Um jato executivo mais moderno que existe, e que quando você olha pensa: “Que coisa incrível”. Porém, esse avião está parado no aeroporto e não é usado para o propósito pelo qual foi construído. Nessa metáfora, podemos entender por que profissionais não conseguem decolar a carreira. São indivíduos que têm tudo pronto, competência, talento, qualidades, mas que ainda estão colocando a atenção em algo que não permite que cumpram com maestria o seu propósito.

Não definir claramente o seu posicionamento, por exemplo, é um dos principais erros que cometemos, muitas vezes sem consciência. Em algum momento, um posicionamento confuso ou inexistente faz com que o mercado e o público não saibam exatamente o que o profissional tem a oferecer. A falta de posicionamento não significa falta de competência, porém faz com que o profissional não seja percebido como poderoso, presente e competente e, quando isso acontece, ele não vai ser lembrado nem procurado, e assim, usando a metáfora anterior, o avião não decola.

A falta de fortalecimento das competências socioemocionais e do autodomínio também pode atrapalhar. Isso faz uma diferença imensa quando se trata de sucesso e realização, pois permite que planos e projetos não fiquem fechados em uma gaveta, esquecidos, abandonados, perdidos ao longo do tempo porque foram escondidos atrás de uma cortina de medos, limitações, inseguranças e desculpas.

Os limitadores mais fortes não são externos à pessoa, mas são internos. Quando o ser humano olha muito para fora, pouco conhece sobre si mesmo e sobre suas reações ou até mesmo sobre como lidar com os conflitos, dificuldades, desafios, medos e como transformá-los a seu favor.

A competência emocional que inclui autoconhecimento, autoanálise, controle das emoções, automotivação, e o uso das emoções adequadamente para atingir os objetivos, permite ter ações responsáveis, eficazes e direcionadas ao sucesso, de forma ética e cooperativa. Dessa forma, a pessoa não deixa que o seu medo tome as decisões mais importantes da sua carreira, não deixa que a sua reatividade comece a dominar e conduzir a sua vida, pois o autodomínio faz com que ela reconheça essas armadilhas e as transforme em aliadas.

Por isso, é muito importante que o profissional invista em um caminho de autodesenvolvimento e de evolução no seu processo de crescimento pessoal, para que possa compreender suas limitações e também seus talentos e ser coerente com seu propósito de carreira.

A velocidade de responder às mudanças é o diferencial do profissional atual, e quem não se renova está falhando. Agilidade, flexibilidade e adaptação ao novo e às inovações são o que mais nos será pedido no futuro. Porém, ocasionalmente, o programa original se torna a nossa única opção, pois nos dá a sensação de que é mais fácil repetir o programa ao mudá-lo, e assim se segue sem questionar.

Estar aberto a se renovar, atento e suscetível ao novo e sempre disposto a aprender, é o diferencial do profissional de sucesso. Até a reclamação de um cliente é oportunidade e motivação para evoluir, é um convite para se tornar melhor do que se é hoje e se reinventar e inovar, criando as estratégias adequadas para alcançar as metas.

A arte de se renovar, de se repropor, de se recriar é importantíssima. Conquista o sucesso quem aceita o desafio de mudar, de adquirir novas competências e de evoluir com flexibilidade e resiliência. Afunda quem resiste às mudanças.

Existem pessoas que focam nas dificuldades da vida e são negativas mediante as situações desafiadoras. O ponto de vista dessas pessoas é a dificuldade e não a solução. Saber criar uma “rede de proteção” de pessoas que vibrem na mesma intensidade e frequência que a nossa é algo muito importante para o sucesso do negócio e para resolver problemas complexos em que a participação de todos os envolvidos é essencial.

Encontrar pessoas que apoiam e que ascendam seus padrões, inspirando-lhe e desafiando a ser melhor a cada dia, é um caminho de sucesso. Claro, lembre-se de que você também precisa ser a pessoa que apoia as outras e que apoia você mesmo, isto é, cuidado com seus pensamentos e atitudes para não se tornar você o seu maior sabotador.

Olhe para dentro de si e para as suas ações e analise onde tem falhado consigo mesmo. Inverta o prisma da falha para o aprendizado e então veja como a pista se abre a sua frente, chamando para o desafio da decolagem.

 

EDUARDO SHINYASHIKI – é mestre em Neuropsicologia, liderança educadora e especialista em desenvolvimento das competências de liderança organizacional e pessoal. Com mais de 30 anos de experiência no Brasil e na Europa, é referência em ampliar o crescimento e a auto liderança das pessoas.

www.edushin.com.br

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Uma consideração sobre “GESTÃO E CARREIRA”

Os comentários estão encerrados.