PSICOLOGIA ANALÍTICA

SER EMPÁTICO É DEIXAR-SE HABITAR PELA DIFERENÇA

Filme trata do risco de confundir um atendimento terapêutico com desejo simplista de ajudar alguém; na trama, a pretensão de neutralidade clínica produz uma atuação contra transferencial.

Ser empático.

Em Praça Paris (2017), a psicóloga portuguesa Camila (Joana de Verona) vem ao Brasil para fazer uma pós-graduação na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e conduz o tratamento de Glória (Grace Passô), que trabalha como ascensorista na universidade. Esse é o cenário proposto pela diretora Lúcia Murat para demonstrar os efeitos da violência urbana e questionar o perigo das boas intenções sem o devido embasamento. Glória é uma mulher negra e pobre, nascida e criada no Morro da Providência, favela onde ainda reside. Vítima de abusos e abandono na infância, mantém um vínculo de dependência com Jonas (Alex Brasil), seu irmão preso por tráfico. Ao longo das sessões, Glória conta à psicóloga sobre sua vida e passa a confiar na proposta terapêutica. Contudo, a profissional parece não ter suporte interno para absorver o impacto da realidade nem espaço de supervisão adequado – o que fica claro pelas vozes confusas e sobrepostas que Camila ouve em sua cabeça enquanto anda pelos corredores da universidade. É então que da postura inicial de Camila – cálida e simpática, aparentemente uma escuta compreensiva e generosa – emerge uma atitude reativa e marcada por preconceitos.

A ingenuidade (ou o despreparo) de Camila para reconhecer as diferenças de mundos é o disparador do medo que faz a personagem atuar a contratransferência. Enquanto espectadores, somos levados a testemunhar o problema decorrente do desejo simplista de fazer o bem e das boas intenções em ajudar alguém. Mas, acima de tudo, é o problema relativo à empatia que chama atenção. Não é raro ouvir, hoje em dia, tanto de profissionais como de possíveis pacientes, sobre o desejo por uma relação terapêutica em que seja possível compreender com profundidade o sentimento alheio. Presume-se que seja necessário alguém com as mesmas características ou experiências para que tal efeito seja alcançado.

Ao falar sobre o filme no Festival do Rio (disponível no YouTube), Murat expôs sua história pessoal de tortura durante a ditadura militar. A diretora comentou que, ao sair da prisão, buscou tratamento supondo ser fundamental fazê-lo com alguém que soubesse, de antemão, como é essa experiência. O resultado foi, nas palavras da própria diretora, um desastre – o que é previsível para todas as terapêuticas baseadas em identificação. Temos aqui mais um exemplo do problema contemporâneo da confusão a respeito da empatia: se Murat afirma não desacreditar que uma psicóloga branca possa desenvolver empatia por alguém como Glória, no filme somos levados a ver como a pretensão de neutralidade clínica produz uma atuação contratransferencial. Nenhum analista é apenas um espelho.

Apostar que um elemento em comum com o analista é o que garante a empatia dessa relação é confundir tanto o que é a empatia na psicanálise como os seus usos. Quando um sujeito procura um analista que tenha alguma semelhança consigo (seja a cor da pele, o gênero ou alguma experiência em comum), a lógica por trás dessa atitude é tentar garantir, por meio da imagem, que se está falando com alguém capaz de uma compreensão absoluta.

A sensação de empatia é um efeito útil ao processo terapêutico, podendo ser notada desde o primeiro contato ou surgir como uma surpresa no decorrer do atendimento, como resultado de uma construção conjunta. Saber escutar com empatia é saber esvaziar-se de si, mesmo que por um breve momento, tornando-se uma estrutura tanto sólida e resistente como côncava e oca, capaz de produzir eco das vozes de um outro que procura alguém para, paradoxalmente, escutar a sua voz. Ser empático não é saber exatamente o que o outro sente ou pensa porque se é pareci- do com o outro na superfície da pele, no gênero ou na sexualidade; ser empático é deixar-se habitar justamente pela radical diferença que é o estrangeiro.

Com uma ideia genérica de empatia, algo da experiência pessoal de outra pessoa é anulado. Se Camila, irrefletidamente, aposta que pode compreender Glória, pois assim o deseja, falta-lhe o poder de apostar no não saber. Afinal, em sua forma mais honesta, a empatia é consequência de um trabalho do analista, e não efeito de sua imaginação perigosamente bem-intencionada.

Praça Paris fala sobre as consequências da distância social, sobre violência e medo, mas também abre caminho para pensarmos sobre a expectativa de empatia e os riscos da identificação narcísica. Se desejamos trabalhar com a noção de empatia, não podemos correr o risco de silenciar a experiência singular de um sujeito com nossos próprios sentimentos. Não é possível tomar a vida ou a imagem do analista como um espelho para o paciente. Isso seria o mesmo que supor que somente um analista negro é capaz de atender negros ou que ser homossexual é condição para atender homossexuais. Tal aposta supõe o analista como um especialista moral que detém um saber pronto sobre o outro; mais ainda, fala da gigantesca fragilidade de um Eu que não suporta o contato com a diferença radical que está no âmago de todo contato humano.

 Ser empático.2 BARTHOLOMEU DE AGUIAR VIEIRA – é psicólogo e psicanalista, membro do PsiA – Laboratório de Pesquisas e Intervenções em Psicanálise da Universidade de São Paulo (USP), mestre em psicologia clínica pela mesma instituição e especialista em psicologia clínica com crianças.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Blog O Cristão Pentecostal

"Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertam-se! Convertam-se dos seus maus caminhos!" Ezequiel 33:11b

Agayana

Tek ve Yek

Envision Eden

When We Improve Ourselves, We Improve The World

4000 Wu Otto

Drink the fuel!

Ms. C. Loves

If music be the food of love, play on✨

troca de óleo automotivo do mané

Venda e prestação de serviço automotivo

darkblack78

Siyah neden gökkuşağında olmak istesin ki gece tamamıyla ona aittken 💫

Babysitting all right

Serviço babysitting todos os dias, também serviços com outras componentes educacionais complementares em diversas disciplinas.

M.A aka Hellion's BookNook

Interviews, reviews, marketing for writers and artists across the globe

Gaveta de notas

Guardando idéias, pensamentos e opiniões...

Isabela Lima Escreve.

Reflexões sobre psicoterapia e sobre a vida!

Roopkathaa

high on stories

La otra luna de Picasso

El arte es la esencia de la espiritualidad humana.

%d blogueiros gostam disto: