OUTROS OLHARES

QUESTÃO DE ESCOLHA

O smartphone tem se tornado um aliado e tanto de pequenos empreendedores que precisam de agilidade e organização na gestão da empresa. Especialistas ajudam a entender que tipo de avaliação deve ser feita antes de comprar e quais são as opções mais indicadas atualmente.

Questão de escolha

O número impressiona: o Brasil tem cerca de 235,7 milhões de linhas de celular ativas. Os dados são da Agência Nacional de Telecomunicações e confirmam o que muita gente já sabe: o brasileiro não desgruda os dedos e os olhos dos smartphones. É tanta gente preocupada com a vida on-line que os aparelhos, hoje, são vistos como uma extensão do corpo das pessoas. Se na vida particular é assim, imaginem na profissional!

O smartphone facilita a realização de tarefas e cria um leque de novas possibilidades. Todos os grandes bancos permitem pagamentos on-line, transferências bancárias e até mesmo empréstimos utilizando somente o smartphone, fazendo com que o pequeno empreendedor economize tempo e ganhe agilidade.

Além disso, a facilidade de comunicação é enorme.  Pode-se responder e enviar e-mails rapidamente e ainda ter acesso a diversas redes sociais e a outros aplicativos de comunicação em massa que podem auxiliar no marketing digital da empresa. “É possível até mesmo realizar o monitoramento das atividades e administrar todo o negócio remotamente, através de por exemplo, um conjunto de câmeras e sistemas web, pontua o membro da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) Marcelo Anderson Batista dos Santos.

QUESTÃO DE SEGURANÇA

Atualmente, para um pequeno empreendedor, ou para o inundo empresarial de forma geral, é necessário que o smartphone utilizado pela empresa ofereça máxima segurança para que não haja desvio de informações. “Há alguns anos, a BlackBerry era a marca que mais oferecia segurança no mundo. Já hoje temos lado a lado, e ouso dizer até melhor, a Apple como a marca mais segura”, opina o técnico em smartphone da Suporte Smart, Junior Gromoski.

O PESO DA TRADIÇÃO

Além da segurança. Gromoski acredita que, hoje, o IPhone é o principal aparelho usado por quem, no começo dos anos 2000, tinha como alvo os aparelhos, Palm. “0 Palm de 2018 vem em formato de maçã. Defendemos a Apple como uma marca completa, por isso se você deseja ter um verdadeiro assistente virtual para facilitar sua vida corporativa, adquira um aparelho Apple”, defende o especialista.

Para quem não se lembra, o nome Palm foi um grande sucesso no ambiente corporativo na era pré- IPhone e Android. A empresa Palm Pilot foi quem produziu o primeiro PDA (Assistentes Pessoais Digitais) que realmente ganhou popularidade em diversas empresas. Com o surgimento de smartphones com o sistema operacional Android e o próprio IPhone da Apple, tivemos o declínio da era Palm e seu fim em meados de 2011, recorda Marcelo Anderson Batista dos Santos, da SBC.

Santos afirma que existem rumores que neste ano a empresa chinesa de comunicação TCL lançará um novo dispositivo Palm. A TCL adquiriu os direitos da marca Palm em 2015, o sistema operacional adotado para o novo Palm deve ser o Android. “Resta saber como o mercado lidará com os novos Palms e como será seu desempenho”, comenta.

Atualmente o mercado de smartphones possui diversas marcas com dezenas de modelos que brigam pela liderança do mercado. A Apple e a Samsung são as duas empresas que mais venderam smartphones no mundo em 2017. As duas empresas hoje lutam pelo rótulo de melhor smartphone do mercado com o IPhone X e o Samsung Galaxy.

PREÇO NA BALANÇA

Um bom smartphone para o pequeno empreendedor pode variar entre RS1 mil e RS 4 mil, de pendendo do perfil do usuário e da necessidade da empresa. E esse preço é composto por uma série de itens que inclui desde a mão de obra de trabalhadores das várias fases de produção, transporte e comercialização dos equipamentos até os impostos e o lucro de fabricantes, transportadoras e lojas. “O custo dos itens que compõem o aparelho, como processadores, câmeras, telas, material de acabamento e absolutamente tudo que é combinado para dar forma e vida a um dispositivo portátil, incidem no preço final que o consumidor vai pagar, enumera o gerente de novos projetos do Grupo PLL, Cléber Gomes.

Os fabricantes de smartphone estão sempre tentando incluir novos recursos para diferenciar seu produto no mercado e obter alguma vantagem competitiva sobre seu concorrente. No entanto, algumas dessas invenções encarecem o preço final do produto e possuem pouca utilidade. Marcelo Anderson Batista dos Santos, da SBC, exemplifica com a batalha pela melhor tela em relação a sua resolução. “Os smartphones de ponta possuem resoluções superiores à televisores com resolução Full HD. Uma densidade de pixels tão alta em dispositivos tão pequenos é algo que torna esses smartphones relativamente mais caros, explica.

Podemos citar ainda os smartphones modulares. A Motorola oferece hoje a linha Moto Z, que possui vários módulos que podem ser comprados separadamente, permitindo ao aparelho ter novas funções possíveis, por exemplo, comprar um módulo de projeção (Snap Moto Insta-Share Projector), que custa em torno de mil reais, apenas o módulo. Na prática, os módulos são caros e ainda buscam uma maior absorção do mercado e uma maior utilidade.

QUESTÃO DE PLANO

Segundo o último levantamento da Anatel – com dados do primeiro quadrimestre de 2018 – a quantidade de linhas no formato pré-pago ainda supera a dos planos Controle e Pós-pago. São 61.6% de linhas mantidas por meio de recargas antes do uso, mas esse número já foi maior.  Em 2015, era 71.5%. Vários fatores contribuíram para isso, entre eles, a oferta de planos com preços acessíveis e com bom pacote de dados. Outro motivo é o fato de empreendedores de pequeno porte unificarem as linhas particular e corporativa por meio de planos empresariais.

Ainda falando em planos, uma estratégia adotada pelas operadoras brasileiras é atrelar uma carência mínima de permanência no plano quando o aparelho é comprado com desconto diretamente na empresa.

Cleber Gomes, do Grupo PLL defende o oposto, ou seja, a compra de aparelhos desbloqueados e livre de carência com a operadora. “O recomendável é a compra de um aparelho desbloqueado para que o usuário possa avaliar e optar pela operadora que lhe seja mais conveniente na questão de serviços e preços,” diz o especialista que complementa: o usuário pode avaliar em uma viagem se o sinal para ligações funciona adequadamente ou se a internet consegue atendê-lo em várias regiões. Caso não atenda, o cliente pode mudar de operadora e não ficar ‘amarrado’ a apenas um prestador de serviços”.

Operadoras, geralmente superestimam os preços dos smartphones. Em alguns casos, é possível encontrar o mesmo aparelho em grandes sites de vendas na Internet por até 50% do preço ofertado por uma operadora.

 Questão de escolha.4

 

Questão de escolha.5

 

Questão de escolha.3

 

 

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Abre Olho Raposa

A fonte de notícias que vai te manter informado

troca de óleo automotivo do mané

Venda e prestação de serviço automotivo

darkblack78

Siyah neden gökkuşağında olmak istesin ki gece tamamıyla ona aittken 💫

Babysitting all right

Serviço babysitting todos os dias, também serviços com outras componentes educacionais complementares em diversas disciplinas.

Maromba's

Marombas

M.A

Interviews, reviews, marketing for writers and artists across the globe

Gaveta de notas

Guardando idéias, pensamentos e opiniões...

Isabela Lima Escreve.

Reflexões sobre psicoterapia e sobre a vida!

Roopkathaa

high on stories

Luna en mengua

Poesía, arte, literatura y música.

de tudo um pouco ❗❕❗😉👌

de tudo um pouco 😉👌

Painel do Grupo

Aqui um pouquinho de nossas realizações

%d blogueiros gostam disto: