GESTÃO E CARREIRA

COMO DEFINIR MEU PROPÓSITO?

Em algum momento da vida nos encontramos em um ponto em que vivemos no automático, na rotina, presos a esquemas mentais e de comportamentos repetitivos, desejando sair deles.

Como definir meu propósito

Atualmente, é normal nos depararmos com pessoas que se sentem perdidas em um dia a dia incessante, prisioneira de hábitos mecânicos e inconscientes que afetam negativamenete a  saúde, a famíia e a realização. É como se elas viessem com o piloto automático acionado, andando pela  vida com o freio de mão puxado, sem energia, força e motivação. Automaticamente, os planos projetos são substituídos pela obrigaçõo, pelo fardo e tédio de cumprir as tarefas e, assim, o desânimo e a falta de entusiasmo acabam tomando conta.

Nesses momentos, como nâo perder os próprios objetivos de vista? Como não cair no vazio? E como não se perguntar “qual é o meu propósito de vida?” Aristóteles nos deixou uma grande dica em um dos seus pensamentos, que está diretamente relacionada a essa questão: “Onde meus talentos e paixões encontram as necessidades do mundo, lá está meu caminho, meu lugar”.

Todos nós, em diferentes momentos da vida, nos perguntamos qual é o real sentido dela.   Perguntas como “O que estou fazendo faz sentido para mim?” e “estou vivendo o meu propósito?”   são corriqueiras, principalmente quando nos deparamos com adversidades ou decepções na vida pessoal e profissional.

Para encontrar a resposta de “como definir o propósito de vida?”, é necessário esclarecer, em síntese, o que é um propósito. Ele é o significado, o sentido e a finalidade maior pelos quais fazemos e realizamos objetivos e metas. Trata-se da motivação que nos move diariamente e pela qual buscamos um objetivo e um resultado.

O propósito é o combustível das nossas ações. Descobrimos “quem é ele”, quando conseguimos responder as perguntas: “Por que estou fazendo isso?”, “Por que quero esse objetivo?”, “Por que estou disposto a dedicar tempo e esforço para atingir uma determinada meta?”

Se tivermos as respostas para essas dúvidas, certamente encontramos nosso propósito. Para entender melhor, vou dar um exemplo: Por que me dedico ao trabalho? Muitos podem ser as motivações para essa dedicação: para proporcionar conforto e segurança a minha família, para fazer a diferença na minha comunidade, para gerar prosperidade a todos os envolvidos ou simplesmente para ser feliz e realizado.

Sem um propósito claro, as pessoas até alcançam os seus objetivos, mas não se sentem felizes. Elas concluem uma meta e não ficam satisfeitas, cumprem seus planos, mas não entram em um estado de plenitude e realização. Para elas, falta o significado maior do seu agir e fazer.

O seu propósito não é e nunca será igual ao de outras pessoas. Ele é especialmente único. É essencial saber que, para atingi-lo, percorrerá por objetivos e metas, por isso faz-se necessário saber se os objetivos que você tem como prioridade servem realmente para você.

É comum que as pessoas escolham objetivos que não são para elas, que não fazem parte da sua vida, nem dos seus valores. Isso significa que é preciso avaliar o que é realmente válido para ter aquele entusiasmo real e verdadeiro que motiva a correr atrás do propósito.

Preste atenção também para saber se seus objetivos não beiram ao impossível pois boa parte do êxito é ser realista, o que evita um círculo vicioso de metas e fracassos, de esforços e decepções, de tentativas e desistências.  Para isso, estabeleça as metas que são etapas de curto prazo, que nos levam à realização dos objetivos e propósitos.

Lembrando que encontrar o próprio propósito não é uma cobrança, nem um motivo de comparação ou desvalorização. Cada um de nós tem um caminho pessoal, tem seu tempo, seus talentos e unicidade. Precisamos olhar para o nosso interior e perceber o que amamos fazer, quais os nossos valores e princípios e quais as nossas habilidades.

As vezes as pessoas param de buscar seu propósito ou de acreditar nele porque as pressões da vida desmotivam, cansam, frustram e elas voltam a viver na superficialidade.

Mantenha cada vez mais o alinhamento e a coerência entre seus propósitos, objetivos e metas, mantenha o foco, avalie os resultados no decorrer do caminho e se falhar em algum momento ou desmotivar por um instante, reajuste a rota com determinação e comprometimento.

Estudos da Neurociência comprovam que estar alinhado e comprometido com sua meta estimula a cognição, e algumas substâncias do cérebro também potencializam a sensação de prazer.

Além disso, a dra. Bárbara Fredrickson, referência em Psicologia Social e pesquisadora de estudos sobre as emoções positivas evidenciou que estas são o grande objetivo da evolução humana. As emoções positivas ampliam os recursos intelectuais, físicos e sociais das pessoas. Quando sentem, por exemplo, emoções de realização, satisfação e alegria de estarem cumprindo seu propósito na vida, elas se tornam mais tolerantes, criativas e abertas a novas ideias e experiências mais felizes.

EDUARDO SHINYASHIKI – é mestre em Neuropsicologia, liderança educadora e especialista em desenvolvimento das competências de liderança organizacional e pessoal. Com mais de 30 anos de experiência no Brasil e na Europa, é referência em ampliar o crescimento e a auto liderança das pessoas.

http://www.edushin.com.br

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.