GESTÃO E CARREIRA

TER UMA VIDA AOS 30 X COMEÇAR UMA VIDA AOS 30.

Ter uma vida aos 30

Quando se ouve falar que os 30 são os novos 20, a conclusão a que se chega é que a faixa dos 20 anos não tem grande importância. Chamada até mesmo de adolescência estendida, essa fase não vem tendo a devida atenção, e os jovens acabam se perdendo em um turbilhão de desinformação que banaliza aquele que realmente é o período mais transformador da vida adulta.

Pesquisas mostram que 80% dos fatos substanciais e com consequências duradouras que levam ao sucesso na carreira, a uma boa situação financeira e à felicidade pessoal acontecem até os 35 anos: depois os adultos são levados a continuar (ou, se passivei, corrigir) as ações iniciadas na faixa dos 20 anos. Trata-se de um período especial demais p:ira não ser levado a sério.

Recentemente recebi um e-mail de uma senhora me perguntando se eu poderia orientar seu filho em relação à carreira, pois ele estava com muitas dúvidas. Orientei essa mãe para que seu filho me escrevesse diretamente e aproveitei para perguntar a idade dele, pois imaginei que se tratava das dúvidas recorrentes na escolha sobre qual faculdade ingressar aos 17 anos. Para o meu espanto, essa senhora me respondeu que a orientação profissional seria para o seu filho de 33 anos que nunca tinha trabalhado!

Meu espanto se deu não pelo fato da dúvida sobre carreira, pois isso é perfeitamente normal e recorrente para todos profissionais em qualquer idade, mas fiquei me questionando sobre as razões dessa mãe tomar a iniciativa no lugar do filho. O maior prejudicado com esse excesso de cuidado da mãe com absoluta certeza será esse filho de 33 anos.

Quando temos 20 anos, a impressão é de que existem décadas à frente para ganharmos cada vez mais, mas, os últimos dados do censo americano (infelizmente não encontrei dados do censo no Brasil) mostram que, em média, os salários chegam ao pico – e se estabilizam – aos 40 anos.

O que sugiro é para que todo jovem a partir dos 20 anos comece imediatamente sua experiência profissional, independentemente das dúvidas sobre qual carreira seguir. A dúvida não pode ser um impedimento de começar a desenvolver competências comporta mentais no trabalho.

Claro que deve cuidar paralelamente de sua qualificação acadêmica. Desenvolvimento acadêmico e experiência profissional sempre devem caminhar juntos.

Recomendo a todos um livro da Dra. Meg Jay chamado “A idade decisiva”, que aborda questões cruciais para essa faixa etária e compartilha relatos cativantes dos próprios jovens. #ficadica

DANIELA DO LAGO – é especialista em comportamento no trabalho, mestre em administração, coach de carreira, palestrante e professora na área de liderança e gestão de pessoas.  www.danieladolago.com.br

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.