GESTÃO E CARREIRA

Preparando os jovens

PREPARANDO OS JOVENS

Projeto ensina os alunos apensar em uma carreira sem uma fronteira de espaço, tempo ou formação.

Vivemos o que os especialistas chamam de mundo Vuca, sigla para as palavras, em inglês, volátil, incerto, complexo e ambíguo. Corporações e pessoas são cada vez mais pressionadas por maior produtividade e menor custo, e são constantemente ameaçadas por novas concorrentes e tecnologias, que podem pôr fim a negócios e empregos que até então eram considerados estáveis. Nesse cenário, como preparar quem está entrando no mercado de trabalho? É esse o desafio que Tania Casado, professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), quer resolver no Escritório de Desenvolvimento de Carreiras, inaugurado em março. A seguir, Tania explica como funciona o projeto.

Por que o Escritório de Carreiras foi criado?

Baseamo-nos no conceito de que a carreira depende do indivíduo. Nessa linha, quanto mais autoconhecimento tiver, mais o jovem saberá o que é melhor para si. Fazemos essa reflexão pensando que as trilhas profissionais mudaram e a formação é só o ponto de partida. A gente precisa pensar em alternativas. O pessoal mais jovem terá desde já de começar sua trajetória sabendo se reinventar. Pensando nisso, eu dei a ideia para o pró-reitor de graduação, o professor Antônio Carlos Hernandes. Disse que era um absurdo a Universidade de São Paulo não ter uma área com tal propósito. Na USP, cada unidade tem sua seção de estágios, que faz a ponte entre as empresas e os alunos. Mas o Escritório é um espaço para a reflexão do jovem – sobre as suas potencialidades e as suas possibilidades de encaminhamento profissional.

Como funciona o Escritório?

Falamos no Escritório sobre o modelo conceitual de carreiras sem fronteiras, ou seja: pensar no caminho fora de qualquer restrição, sem fronteira de espaço, de tempo ou, inclusive, de formação. O modelo teórico que usamos para resolver essas carreiras sem fronteiras é a “carreira inteligente”. É uma concepção do teórico Michael Arthur, professor da Boston University e também coordenador do curso de carreiras pela Fundação Instituto de Ad- ministração (FIA-USP), baseada em três pilares. O primeiro seria o knowing-how, de saber como trabalhamos. Essa é a bagagem de conhecimento. A universidade fornece isso, mas o conhecimento sozinho não resolve. Vem então o segundo pilar, do knowing-why, por que trabalhamos. Aí entra o autoconhecimento: pensar sobre seus valores, motivações e o que é importante para você. Essa é uma das partes que o Escritório quer prover. O terceiro ponto se- ria o knowing-whom, que é sua rede de contatos: com quem você trabalha e com quem aprende. Para conseguir trafegar hoje pelo mercado, você precisa trabalhar esses três conceitos. E é isso o que o Escritório irá ensinar.

Como esses conceitos são repassados aos alunos?

Fazemos orientações individuais. Temos 31 alunos no Escritório, sendo 30 do último ano de graduação e um de pós-graduação da FEA, de cursos como administração, contabilidade, economia e até veterinária, química e engenharia. Eles são orientados por ex-alunos da FEA ou da FIA que atuam como voluntários e oferecem em média de seis a oito sessões de coaching. Também fazemos atividades coletivas nas Oficinas de Carreiras, que podem durar de quatro a oito horas. Eu supervisiono esses voluntários, que estão divididos em subgrupos: um prepara o material didático, outro cuida de palestras específicas, outro faz as oficinas, e outro grupo realiza o planejamento estratégico do Escritório.

Quem são os voluntários e como funciona seu trabalho?

São ex-alunos da FEA, que fizeram mestrado ou doutorado comigo na área de carreira, ou ex-alunos da FIA. Quando falei que iria abrir o Escritório, fiz um primeiro convite pedindo voluntários e 26 profissionais aceitaram. Eles trabalham de graça, mas ganham conhecimento e continuam seu processo de aprendizagem. Depois dessa primeira chamada, recebi solicitações espontâneas de gente que eu não conhecia. De todas as partes da universidade, comecei a ouvir colegas dizendo: “Nós temos um problema em comum, vamos nos ajudar”. Hoje, temos 30 voluntários.

Esse é o primeiro Escritório de Carreiras da América Latina?

No Sul, há uma iniciativa semelhante, antiga, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Mas somos os pioneiros por conta do alcance. Nosso público-alvo, os 60 000 alunos de graduação da USP. Na 1ª Oficina de Carreiras, que realizamos em abril, participaram 84 alunos, de 46 cursos diferentes. Inspiramo-nos em iniciativas que existem no exterior, especialmente em três: no escritório da Sloan School of Management, da Escola de Negócios do MIT; nos da Harvard, tanto dos cursos de direito, literatura e psicologia quanto dos de negócios, da Harvard Business School; e também no escritório da Universidade de Boston. Uma vez por ano, levo meus alunos para os Estados Unidos e visitamos essas universidades.

Autor: Vocacionados

Sou evangélico, casado, presbítero, professor, palestrante, tenho 4 filhos sendo 02 homens (Rafael e Rodrigo) e 2 mulheres (Jéssica e Emanuelle), sou um profundo estudioso das escrituras e de tudo o que se relacione ao Criador.

Blog O Cristão Pentecostal

"Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertam-se! Convertam-se dos seus maus caminhos!" Ezequiel 33:11b

Agayana

Tek ve Yek

Envision Eden

When We Improve Ourselves, We Improve The World

4000 Wu Otto

Drink the fuel!

Ms. C. Loves

If music be the food of love, play on✨

troca de óleo automotivo do mané

Venda e prestação de serviço automotivo

darkblack78

Siyah neden gökkuşağında olmak istesin ki gece tamamıyla ona aittken 💫

Babysitting all right

Serviço babysitting todos os dias, também serviços com outras componentes educacionais complementares em diversas disciplinas.

M.A aka Hellion's BookNook

Interviews, reviews, marketing for writers and artists across the globe

Gaveta de notas

Guardando idéias, pensamentos e opiniões...

Isabela Lima Escreve.

Reflexões sobre psicoterapia e sobre a vida!

Roopkathaa

high on stories

La otra luna de Picasso

El arte es la esencia de la espiritualidad humana.

%d blogueiros gostam disto: