AUTO LIDERANÇA

PRINCÍPIOS DE LIDERANÇA CRISTÃ

Liderança Cristã - Princípios

1 – DEFINIÇÃO

Este pode ser um espaço conquistado por sua competência, dedicação em pequenas tarefas ou, simplesmente, precisam de alguém e o elegeram para o cargo. O fundamental é que você está diante de um grupo e é responsável por ele. Como é uma liderança cristã, a sua responsabilidade é dobrada, pois diante de Deus você responde por ele e diante dele você é a transparência onde se pode ver projetada a ação de Deus. Por isso, todo conhecimento, tato, e crescimento, são importantes para o bom desempenho de sua liderança.

Como o famoso binômio responsabilidade/privilégio, não há dúvidas de que os privilégios são muitos. O fato de saber que você é reconhecido pelo grupo e que pode ajudá-lo a crescer é um privilégio. Além disso, você está servindo a Deus através das pessoas e isso sempre é um privilégio cristão. Mas, não tenha dúvidas de que as responsabilidades são mais, e maiores, do que os privilégios.

Liderança vem da palavra líder (do original inglês leader = condutor/guia). Liderança é a função do líder. É a capacidade de liderar; espírito de chefia (Aurélio). No entanto, há uma diferença entre chefiar e liderar. Chefiar é conseguir os objetivos com os recursos materiais e humanos de que se dispõe e liderar é levar as pessoas a agirem com esforço e dedicação para atingir os objetivos desejados. O chefe impõe, o líder convence. O chefe dá ordens, o líder inspira. O chefe força a situação, o líder abre espaço para que as pessoas usem suas próprias iniciativas e criatividade.

A pessoa nasce líder ou o líder é feito? Há várias teorias sobre o assunto. Uns acham que é feito, outros que não. No entanto, há autores na área de Administração de Recursos Humanos que acreditam que há pessoas que nascem com capacidade de liderança e se impõe por si; outras que são totalmente desprovidas dessa capacidade, mas que podem ser treinadas. O importante é que tanto um quanto o outro (inatas ou treinadas), tenham ideia clara de que liderar é facilitar o crescimento do outro. A liderança envolve mais um fator: o crescimento espiritual.

Liderança nada mais é do que um processo de conceder poder aos liderados em lugar do exercício do poder pessoal. Nessa concessão há espaço para que as pessoas manifestem suas ideias e desejos. Daí o líder canaliza as tendências solicitando das pessoas o que elas realmente estão aptas a oferecer. No dizer de Hanz Finzel, autor de “10 erros que um líder não pode cometer”, “quanto mais tempo você lidera, menos se lembrará o que é ser liderado”, e é claro que se corre um risco porque se perde de vista as necessidades de quem está sob a direção. Por isso, é bom, de vez em quando, revezar. Isto é saudável.

Um líder atualizado com o seu tempo é alguém que enxerga mais do que os seus liderados, que vê além deles e antes deles. Quando o grupo deseja algo, o líder já pensou no assunto e já tem planos. Ele antecede as expectativas do grupo. Mas é bom lembrar que mesmo que gestemos as ideias, quando vêm à luz passa a ser do grupo. No entanto, há líderes que estão sempre jogando para o grupo que as suas ideias é que são melhores e têm valor. As ideias ao serem compartilhadas tornam-se da equipe toda e aí está a beleza do trabalho em equipe. Ninguém é dono de nada, todos somos donos de tudo, dos erros e dos acertos, das derrotas e das vitórias.

A liderança cristã formada e bem treinada é a força central que está por detrás das organizações bem sucedidas. Um líder mal preparado, egoísta, ambicioso, preocupado com o que tem de ser feito, não se importando com os resultados, é chefe e não líder. Precisamos de líderes comprometidos com Deus, consigo mesmos e com o grupo, para que haja harmonia no corpo de Cristo.

Anúncios